Tudo Sobre a Edição Especial do Festival do Rio 2021

Tudo Sobre a Edição Especial do Festival do Rio 2021

De 05 a 15 de agosto, uma seleção inédita, online e gratuita da Première Brasil 2020

Por Redação

Por conta da pandemia do Coronavírus, o inimigo número um que devastou fatalmente a humanidade, a vida precisou se adaptar. Nós fomos obrigados a entrar em quarentena, para assim lutar juntos e protegidos contra o COVID-19. Nestes quase dezesseis meses, cinéfilos e frequentadores de cinema substituíram as telas grandes por televisões, computadores e celulares. Todos os lugares de exibição de filmes foram fechados, causando prejuízos, mas pelo caminho correto de dizer que a vida de nosso próximo é mais importante que a economia. Dessa forma, os festivais audiovisuais encontraram no online a salvação de seus problemas. E em 2020, após Berlim, nenhum aconteceu (com exceção de Veneza, que por imprudência ou ingenuidade, se manteve presencial). Tampouco Cannes (edição inclusive cancelada). E assim, o Festival do Rio, tradicional mostra carioca, também assinou o manifesto de apoio, aceitando que o ano passado já era guerra perdida.

Mas em 2021, após uma edição especial de filmes estrangeiros de 2020 exibidos durante dez dias na plataforma digital Telecine, o Festival do Rio inventou a melhor notícia de todas para não ficar na falta: uma outra edição especial, a Première Brasil 2020, durante uma semana de forma presencial no Estação Net Botafogo 1 e durante 10 dias pelo Innsaei.tv.  para celebrar o cinema brasileiro.

A Première Brasil 2020 acontece de 5 a 11 de agosto. A seleção traz 20 longas – 12 de ficção e 8 documentários – e 25 curtas. Cada longa terá uma sessão presencial e ficará disponível na plataforma a partir do dia seguinte; e os curtas estarão reunidos em programas, também com sessões únicas e a oferta online já no mesmo dia. O acesso é gratuito, no cinema – com lugares limitados – e na plataforma.

Na seleção, diretores novos e consagrados, como “O Silêncio da Chuva”, de Daniel Filho, com Lázaro Ramos, Thalita Carauta, Otávio Muller e Cláudia Abreu; “Longe do Paraíso”, de Orlando Senna; “#EAGORAQUE”, de Jean-Claude Bernardet e Rubens Rewald; “Luz Acesa”, de Guilherme Coelho; “Doutor Gama”, de Jefferson De; “Desterro”, de Maria Clara Escobras, com Bárbara Colen e Grace Passô (que também participa com “República”, um curta realizado no inicio da pandemia, com direção, roteiro e atuação da atriz); “Um Animal Amarelo”, de Felipe Bragança, com Sophie Charlote; “Para onde Voam as Feiticeiras”, de Eliane Caffé, Carla Caffé e Beto Amaral; “Valentina”, Cássio Pereira dos Santos, com Guta Stresser; “Meu Nome é Bagdá”, de Caru Alves de Souza entre outros.

LEIA NOSSA COBERTURA COMPLETA DA EDIÇÃO ESPECIAL DO FESTIVAL DO RIO NO TELECINE

(clique AQUI ou na foto e saiba tudo)

Festival do Rio no Telecine

“Haja coração de cinéfilo. Julho foi o mês da primeira edição especial on-line do Festival do Rio em parceria com o Telecine. Em agosto, dos dias 5 a 15, acontece a Première Brasil 2020. Sim, 2020. Com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro, o Festival do Rio apresentará uma seleção de 45 filmes entre os inscritos no ano passado. Em setembro próximo, o Festival realiza ações especiais em algumas Lonas e Arenas Culturais da cidade. E, em novembro, acontece a edição completa em versão híbrida, com o formato que o público ama.”, divulgação oficial do Festival do Rio.

“Realizar um evento híbrido, presencial e virtual, com a seleção que fizemos dos filmes inscritos no ano passado é uma forma de valorizar os profissionais envolvidos e dar uma plataforma de divulgação para os títulos. Será uma semana inteira dedicada exclusivamente à Première Brasil. As medidas para combate à pandemia da Covid-19 nos impediram de realizar o festival em 2020, e também suspenderam parcialmente a produção e o lançamento dos filmes brasileiros. Agora é o momento de reocuparmos os espaços da cidade e as telas dos cinemas e o Festival do Rio, mais uma vez, vai abraçar esta retomada.”, comenta Ilda Santiago, Diretora-Executiva e de Programação do Festival.

“Com a reabertura dos cinemas, que estão operando com os protocolos sanitários necessários para a segurança e bem-estar, acreditamos que é uma oportunidade de oferecer esses filmes em tela grande e em uma plataforma importante para o mercado e para o público como é a Première Brasil. E comemoramos a volta do apoio da Prefeitura do Rio de Janeiro e do Prefeito Eduardo Paes.”, diz Vilma Lustosa, Diretora de Marketing do Festival do Rio.

Em setembro, o Festival do Rio vai além das salas de cinema, oferecendo filmes especialmente escolhidos para ações em algumas Lonas e Arenas Culturais da Prefeitura do Rio de Janeiro. A estratégia do Festival do Rio é estar presente na vida do público de cinema e da cidade ao longo de todo o ano. No primeiro semestre de 2021, o Festival do Rio ganhou mostras especiais, em abril, no Canal Brasil (filmes de ficção brasileiros) e em maio/ junho, no Canal Curta / Curta OM (documentários brasileiros). Em julho, foi a vez da programação especial de filmes inéditos internacionais em parceria com o Telecine, uma ação online em formato “inovador”.

COMO ASSISTIR

Todas as exibições on-line e presenciais serão gratuitas. As sessões presenciais ocorrem de 5 a 11 de agosto somente no Estação Net Botafogo. Devido aos protocolos sanitários vigentes, o número de ingressos disponíveis será limitado e entregues na bilheteria, sempre no mesmo dia da sessão.

As sessões online dos longa-metragens entram em cartaz no InnSaei.tv no dia seguinte à sessão presencial e ficam disponíveis por, no máximo 48 horas, dentro do limite de exibições de cada filme. As sessões online dos curtas estreiam no mesmo dia da sessão presencial no Estação Net Botafogo, e também ficarão disponíveis por 48 horas.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA DA PREMIÈRE BRASIL 2020 DO FESTIVAL DO RIO

Doutor Gama

QUINTA, 5 DE AGOSTO

Estação NET Botafogo 1

18h: Quadro negro, de Bruno F. Duarte e Silvana Bahia – 63 minutos

21h: Doutor Gama, de Jeferson De – 92 minutos

SEXTA, 6 DE AGOSTO

Estação NET Botafogo 1

12h: Programa 1 de curtas: 71 minutos
– A Morte Branca do Feiticeiro Negro, de Rodrigo Ribeiro – 10 minutos
– Amanhã, de Aline Flores e Alexandre Cristófaro – 19 minutos
– 4 Bilhões de Infinitos, de Marco Antônio Pereira – 14 minutos
– O Prazer de Matar Insetos, de Leonardo Martinelli – 10 minutos
– Blackout, de Rossandra Leone – 18 minutos

15h: Valentina, de Cássio Pereira dos Santos – 95 minutos

18h: Depois da Primavera, de Isabel Joffily e Pedro Rossi – 87 minutos

21h: King Kong En Asunción, de Camilo Cavalcante – 90 minutos

INNSAEI.TV

Programa 1 de curtas: 71 minutos
– A Morte Branca do Feiticeiro Negro, de Rodrigo Ribeiro – 10 minutos
– Amanhã, de Aline Flores e Alexandre Cristófaro – 19 minutos
– 4 Bilhões de Infinitos, de Marco Antônio Pereira – 14 minutos
– O Prazer de Matar Insetos, de Leonardo Martinelli – 10 minutos
– Blackout, de Rossandra Leone – 18 minutos

Longas
– Quadro negro, de Bruno F. Duarte e Silvana Bahia – 63 minutos
– Valentina, de Cássio Pereira dos Santos – 92 minutos

Republica

SÁBADO, 7 DE AGOSTO

Estação NET Botafogo 1

12h: Programa 2 de curtas: 72 minutos
– República, de Grace Passô – 15 minutos
– Célio’s Circle, de Diego Lisboa – 10 minutos
– Lacrimosa, de Matheus Heinz – 11 minutos
– Atordoado, Eu Permaneço Atento, de Henrique Amud e Lucas H. Rossi dos Santos – 15 minutos
– Terra Dormente, de Antônio Farias – 21 minutos

15h: Para onde voam as feiticeiras, de Eliane Caffé, Carla Caffé e Beto Amaral – 89 minutos

18h: Casa de Antiguidades, de João Paulo Miranda Maria – 93 minutos

21h: O Silêncio da Chuva, de Daniel Filho – 94 minutos

INNSAEI.TV

Curtas
– A Morte Branca do Feiticeiro Negro, de Rodrigo Ribeiro – 10 minutos
– Amanhã, de Aline Flores e Alexandre Cristófaro – 19 minutos
– 4 Bilhões de Infinitos, de Marco Antônio Pereira – 14 minutos
– O Prazer de Matar Insetos, de Leonardo Martinelli – 10 minutos
– Blackout, de Rossandra Leone – 18 minutos
– República, de Grace Passô – 15 minutos
– Célio’s Circle, de Diego Lisboa – 10 minutos
– Lacrimosa, de Matheus Heinz – 11 minutos
– Atordoado, Eu Permaneço Atento, de Henrique Amud e Lucas H. Rossi dos Santos – 15 minutos
– Terra Dormente, de Antônio Farias – 21 minutos

Longas
– Quadro negro, de Bruno F. Duarte e Silvana Bahia – 63 minutos
– Valentina, de Cássio Pereira dos Santos – 92 minutos
– Depois da Primavera, de Isabel Joffily e Pedro Rossi – 87 minutos
– King Kong En Asunción, de Camilo Cavalcante – 90 minutos

Um Animal Amarelo

DOMINGO, 8 DE AGOSTO

Estação NET Botafogo 1

12h: Programa 3 de curtas: 79 minutos
– O Barco e O Rio, de Bernardo Ale Abinader – 17 minutos
– Gilson, de Vitória Di Bonesso – 5 minutos
– Rasga Mortalha, de Thiago Martins de Melo – 13 minutos
– Portugal Pequeno, de Victor Quintanilha – 20 minutos
– Rafameia, de Mariah Teixeira e Nanda Félix – 24 minutos

15h: Vil má, de Gustavo Vinagre – 86 minutos

18h: Pajeú, de Pedro Diógenes – 74 minutos

21h: Um Animal amarelo, de Felipe Bragança – 115 minutos

INNSAEI.TV

Curtas
– República, de Grace Passô – 15 minutos
– Célio’s Circle, de Diego Lisboa – 10 minutos
– Lacrimosa, de Matheus Heinz – 11 minutos
– Atordoado, Eu Permaneço Atento, de Henrique Amud e Lucas H. Rossi dos Santos – 15 minutos
– Terra Dormente, de Antônio Farias – 21 minutos
– O Barco e O Rio, de Bernardo Ale Abinader – 17 minutos
– Gilson, de Vitória Di Bonesso – 5 minutos
– Rasga Mortalha, de Thiago Martins de Melo – 13 minutos
– Portugal Pequeno, de Victor Quintanilha – 20 minutos
– Rafameia, de Mariah Teixeira e Nanda Félix – 24 minutos

Longas
– Depois da Primavera, de Isabel Joffily e Pedro Rossi – 87 minutos
– King Kong En Asunción, de Camilo Cavalcante – 90 minutos
– Para onde voam as feiticeiras, de Eliane Caffé, Carla Caffé e Beto Amaral – 89 minutos
– Casa de Antiguidades, de João Paulo Miranda Maria – 93 minutos

Pajeu

SEGUNDA, 9 DE AGOSTO

Estação NET Botafogo 1

15h: Limiar, de Coraci Ruiz – 77 minutos

18h: A Morte Habita à Noite, de Eduardo Morotó – 94 minutos

21h: Longe do Paraíso, de Orlando Senna – 100 minutos

INNSAEI.TV

Curtas
– O Barco e O Rio, de Bernardo Ale Abinader – 17 minutos
– Gilson, de Vitória Di Bonesso – 5 minutos
– Rasga Mortalha, de Thiago Martins de Melo – 13 minutos
– Portugal Pequeno, de Victor Quintanilha – 20 minutos
– Rafameia, de Mariah Teixeira e Nanda Félix – 24 minutos

Longas
– Para onde voam as feiticeiras, de Eliane Caffé, Carla Caffé e Beto Amaral – 89 minutos
– Casa de Antiguidades, de João Paulo Miranda Maria – 93 minutos
– Vil má, de Gustavo Vinagre – 86 minutos
– Pajeú, de Pedro Diogenes – 74 minutos
– Um Animal amarelo, de Felipe Bragança – 115 minutos

TERÇA, 10 DE AGOSTO

Estação NET Botafogo 1

12h: Programa 4 de curtas: 82 minutos
– O Ciclope, de Guilherme Cenzi e Pedro Achilles – 9 minutos
– Um Filme de Quarentena, de Miguel Chaves e Jessica Linhares – 10 minutos
– Fotos Privadas, de Marcelo Grabowsky – 20 minutos
– Você Tem Olhos Tristes, de Diogo Leite – 19 minutos
– Yaõkwa – Imagem e memória, de Vincent Carelli e Rita Carelli – 21 minutos

15h: #eagoraoque, de Jean-Claude Bernardet e Rubens Rewald – 70 minutos

18h: Luz Acesa, de Guilherme Coelho – 70 minutos

21h: Meu nome é Bagdá, de Caru Alves de Souza – 99 minutos

INNSAEI.TV

Curtas
– O Barco e O Rio, de Bernardo Ale Abinader – 17 minutos
– Gilson, de Vitória Di Bonesso – 5 minutos
– Rasga Mortalha, de Thiago Martins de Melo – 13 minutos
– Portugal Pequeno, de Victor Quintanilha – 20 minutos
– Rafameia, de Mariah Teixeira e Nanda Félix – 24 minutos
– O Ciclope, de Guilherme Cenzi e Pedro Achilles – 9 minutos
– Um Filme de Quarentena, de Miguel Chaves e Jessica Linhares – 10 minutos
– Fotos Privadas, de Marcelo Grabowsky – 20 minutos
– Você Tem Olhos Tristes, de Diogo Leite – 19 minutos
– Yaõkwa – Imagem e memória, de Vincent Carelli e Rita Carelli – 21 minutos

Longas
– Vil má, de Gustavo Vinagre – 86 minutos
– Pajeú, de Pedro Diogenes – 74 minutos
– Um Animal amarelo, de Felipe Bragança – 115 minutos
– Limiar, de Coraci Ruiz – 77 minutos
– A Morte Habita à Noite, de Eduardo Morotó – 94 minutos

Curral

QUARTA, 11 DE AGOSTO

Estação NET Botafogo 1

12h: Programa 5 de curtas: 74 minutos
– Vitória, de Ricardo Alves Jr – 14 minutos
– Ela que mora no andar de cima, de Amarildo Martins – 14 minutos
– Mãtãnãg, A Encantada, de Shawara Maxakali e Charles Bicalho – 14 minutos
– Rosário, de Igor Travassos e Juliana Soares – 18 minutos
– Enraizadas, de Gabriele Roza e Juliana Nascimento – 14 minutos

15h: Chico Rei Entre Nós, de Joyce Prado – 94 minutos

18h: Curral, de Marcelo Brennand – 87 minutos

21h: Desterro, de Maria Clara Escobar – 123 minutos

INNSAEI.TV

Curtas
– O Ciclope, de Guilherme Cenzi e Pedro Achilles – 9 minutos
– Um Filme de Quarentena, de Miguel Chaves e Jessica Linhares – 10 minutos
– Fotos Privadas, de Marcelo Grabowsky – 20 minutos
– Você Tem Olhos Tristes, de Diogo Leite – 19 minutos
– Yaõkwa – Imagem e memória, de Vincent Carelli e Rita Carelli – 21 minutos
– Vitória, de Ricardo Alves Jr – 14 minutos
– Ela que mora no andar de cima, de Amarildo Martins – 14 minutos
– Mãtãnãg, A Encantada, de Shawara Maxakali e Charles Bicalho – 14 minutos
– Rosário, de Igor Travassos e Juliana Soares – 18 minutos
– Enraizadas, de Gabriele Roza e Juliana Nascimento – 14 minutos

Longas
– Limiar, de Coraci Ruiz – 75 minutos
– A Morte Habita à Noite, de Eduardo Moroto – 94 minutos
– #eagoraoque, de Jean-Claude Bernardet e Rubens Rewald – 71 minutos
– Luz Acesa, de Guilherme Coelho – 74 minutos

Ela que mora no andar de cima

QUINTA, 12 DE AGOSTO

INNSAEI.TV

Curtas
– Vitória, de Ricardo Alves Jr – 14 minutos
– Ela que mora no andar de cima, de Amarildo Martins – 14 minutos
– Mãtãnãg, A Encantada, de Shawara Maxakali e Charles Bicalho – 14 minutos
– Rosário, de Igor Travassos e Juliana Soares – 18 minutos
– Enraizadas, de Gabriele Roza e Juliana Nascimento – 14 minutos

Longas
– #eagoraoque, de Jean-Claude Bernardet e Rubens Rewald – 71 minutos
– Luz Acesa, de Guilherme Coelho – 74 minutos
– Chico Rei Entre Nós, de Joyce Prado – 94 minutos
– Pajeú, de Pedro Diogenes – 74 minutos
– Desterro, de Maria Clara Escobar – 123 minutos

SEXTA, 13 DE AGOSTO

INNSAEI.TV

Curtas
– A Morte Branca do Feiticeiro Negro, de Rodrigo Ribeiro – 10 minutos
– Amanhã, de Aline Flores e Alexandre Cristófaro – 19 minutos
– 4 Bilhões de Infinitos, de Marco Antônio Pereira – 14 minutos
– O Prazer de Matar Insetos, de Leonardo Martinelli – 10 minutos
– Blackout, de Rossandra Leone – 18 minutos
– República, de Grace Passô – 15 minutos
– Célio’s Circle, de Diego Lisboa – 10 minutos
– Lacrimosa, de Matheus Heinz – 11 minutos
– Atordoado, Eu Permaneço Atento, de Henrique Amud e Lucas H. Rossi dos Santos – 15 minutos
– Terra Dormente, de Antônio Farias – 21 minutos
– O Barco e O Rio, de Bernardo Ale Abinader – 17 minutos
– Gilson, de Vitória Di Bonesso – 5 minutos
– Rasga Mortalha, de Thiago Martins de Melo – 13 minutos
– Portugal Pequeno, de Victor Quintanilha – 20 minutos
– Rafameia, de Mariah Teixeira e Nanda Félix – 24 minutos
– O Ciclope, de Guilherme Cenzi e Pedro Achilles – 9 minutos
– Um Filme de Quarentena, de Miguel Chaves e Jessica Linhares – 10 minutos
– Fotos Privadas, de Marcelo Grabowsky – 20 minutos
– Você Tem Olhos Tristes, de Diogo Leite – 19 minutos
– Yaõkwa – Imagem e memória, de Vincent Carelli e Rita Carelli – 21 minutos
– Vitória, de Ricardo Alves Jr – 14 minutos
– Ela que mora no andar de cima, de Amarildo Martins – 14 minutos
– Mãtãnãg, A Encantada, de Shawara Maxakali e Charles Bicalho – 14 minutos
– Rosário, de Igor Travassos e Juliana Soares – 18 minutos
– Enraizadas, de Gabriele Roza e Juliana Nascimento – 14 minutos

Longas (repescagem)
– #eagoraoque, de Jean-Claude Bernardet e Rubens Rewald – 70 minutos
– Chico Rei Entre Nós, de Joyce Prado – 94 minutos
– Depois da Primavera, de Isabel Joffily e Pedro Rossi – 87 minutos
– Limiar, de Coraci Ruiz – 77 minutos
– Luz Acesa, de Guilherme Coelho – 70 minutos
– Para onde voam as feiticeiras, de Eliane Caffé, Carla Caffé e Beto Amaral – 89 minutos
– Quadro negro, de Bruno F. Duarte e Silvana Bahia – 63 minutos
– Vil má, de Gustavo Vinagre – 86 minutos

SÁBADO, 14 DE AGOSTO

INNSAEI.TV

Curtas
– A Morte Branca do Feiticeiro Negro, de Rodrigo Ribeiro – 10 minutos
– Amanhã, de Aline Flores e Alexandre Cristófaro – 19 minutos
– 4 Bilhões de Infinitos, de Marco Antônio Pereira – 14 minutos
– O Prazer de Matar Insetos, de Leonardo Martinelli – 10 minutos
– Blackout, de Rossandra Leone – 18 minutos
– República, de Grace Passô – 15 minutos
– Célio’s Circle, de Diego Lisboa – 10 minutos
– Lacrimosa, de Matheus Heinz – 11 minutos
– Atordoado, Eu Permaneço Atento, de Henrique Amud e Lucas H. Rossi dos Santos – 15 minutos
– Terra Dormente, de Antônio Farias – 21 minutos
– O Barco e O Rio, de Bernardo Ale Abinader – 17 minutos
– Gilson, de Vitória Di Bonesso – 5 minutos
– Rasga Mortalha, de Thiago Martins de Melo – 13 minutos
– Portugal Pequeno, de Victor Quintanilha – 20 minutos
– Rafameia, de Mariah Teixeira e Nanda Félix – 24 minutos
– O Ciclope, de Guilherme Cenzi e Pedro Achilles – 9 minutos
– Um Filme de Quarentena, de Miguel Chaves e Jessica Linhares – 10 minutos
– Fotos Privadas, de Marcelo Grabowsky – 20 minutos
– Você Tem Olhos Tristes, de Diogo Leite – 19 minutos
– Yaõkwa – Imagem e memória, de Vincent Carelli e Rita Carelli – 21 minutos
– Vitória, de Ricardo Alves Jr – 14 minutos
– Ela que mora no andar de cima, de Amarildo Martins – 14 minutos
– Mãtãnãg, A Encantada, de Shawara Maxakali e Charles Bicalho – 14 minutos
– Rosário, de Igor Travassos e Juliana Soares – 18 minutos
– Enraizadas, de Gabriele Roza e Juliana Nascimento – 14 minutos

Longas (repescagem)
– #eagoraoque, de Jean-Claude Bernardet e Rubens Rewald – 70 minutos
– Chico Rei Entre Nós, de Joyce Prado – 94 minutos
– Depois da Primavera, de Isabel Joffily e Pedro Rossi – 87 minutos
– Limiar, de Coraci Ruiz – 77 minutos
– Luz Acesa, de Guilherme Coelho – 70 minutos
– Para onde voam as feiticeiras, de Eliane Caffé, Carla Caffé e Beto Amaral – 89 minutos
– Quadro negro, de Bruno F. Duarte e Silvana Bahia – 63 minutos
– Vil má, de Gustavo Vinagre – 86 minutos

DOMINGO, 15 DE AGOSTO

INNSAEI.TV

Curtas
– A Morte Branca do Feiticeiro Negro, de Rodrigo Ribeiro – 10 minutos
– Amanhã, de Aline Flores e Alexandre Cristófaro – 19 minutos
– 4 Bilhões de Infinitos, de Marco Antônio Pereira – 14 minutos
– O Prazer de Matar Insetos, de Leonardo Martinelli – 10 minutos
– Blackout, de Rossandra Leone – 18 minutos
– República, de Grace Passô – 15 minutos
– Célio’s Circle, de Diego Lisboa – 10 minutos
– Lacrimosa, de Matheus Heinz – 11 minutos
– Atordoado, Eu Permaneço Atento, de Henrique Amud e Lucas H. Rossi dos Santos – 15 minutos
– Terra Dormente, de Antônio Farias – 21 minutos
– O Barco e O Rio, de Bernardo Ale Abinader – 17 minutos
– Gilson, de Vitória Di Bonesso – 5 minutos
– Rasga Mortalha, de Thiago Martins de Melo – 13 minutos
– Portugal Pequeno, de Victor Quintanilha – 20 minutos
– Rafameia, de Mariah Teixeira e Nanda Félix – 24 minutos
– O Ciclope, de Guilherme Cenzi e Pedro Achilles – 9 minutos
– Um Filme de Quarentena, de Miguel Chaves e Jessica Linhares – 10 minutos
– Fotos Privadas, de Marcelo Grabowsky – 20 minutos
– Você Tem Olhos Tristes, de Diogo Leite – 19 minutos
– Yaõkwa – Imagem e memória, de Vincent Carelli e Rita Carelli – 21 minutos
– Vitória, de Ricardo Alves Jr – 14 minutos
– Ela que mora no andar de cima, de Amarildo Martins – 14 minutos
– Mãtãnãg, A Encantada, de Shawara Maxakali e Charles Bicalho – 14 minutos
– Rosário, de Igor Travassos e Juliana Soares – 18 minutos
– Enraizadas, de Gabriele Roza e Juliana Nascimento – 14 minutos

Longas (repescagem)
– #eagoraoque, de Jean-Claude Bernardet e Rubens Rewald – 70 minutos
– Chico Rei Entre Nós, de Joyce Prado – 94 minutos
– Depois da Primavera, de Isabel Joffily e Pedro Rossi – 87 minutos
– Limiar, de Coraci Ruiz – 77 minutos
– Luz Acesa, de Guilherme Coelho – 70 minutos
– Para onde voam as feiticeiras, de Eliane Caffé, Carla Caffé e Beto Amaral – 89 minutos
– Quadro negro, de Bruno F. Duarte e Silvana Bahia – 63 minutos
– Vil má, de Gustavo Vinagre – 86 minutos


OS FILMES

Valentina

LONGAS DE FICÇÃO

A MORTE HABITA A NOITE |  País: Brasil Ano: 2020 94 min – CRÍTICA AQUI
Direção e roteiro: Eduardo Morotó
Elenco: Roney Villela, Mariana Nunes, Endi Vasconcelos, Rita Carelli e Pedro Gracindo. Raul, um escritor desempregado, serve-se de outra taça de vinho enquanto um vizinho de cima salta para a morte. Sua namorada Lígia fica claramente mais aflita com o incidente. O que antes poderia ser mais facilmente digerido, agora não é mais. Durante uma noite conturbada, Raul conhece Cássia, uma jovem desgarrada e cheia de vida que faz com que ele ressignifique o amor e a morte, numa busca cautelosa por almas gêmeas em um mundo cheio de melancolia e autodestruição.

CASA DE ANTIGUIDADES | Brasil, 2020, 93 min – CRÍTICA AQUI
Direção e roteiro: João Paulo Miranda Maria
Elenco: Antonio Pitanga, Ana Flavia Cavalcanti, Aline Marta Maia, Sam Louwyck, Gilda Nomacce, Soren Hellerup. Cristovam é um “caipira” do interior do Brasil que busca no sul do país melhores condições de trabalho. Mas, o contraste cultural e étnico da nova morada em relação à sua terra natal provoca no vaqueiro um processo de solidão e perda de identidade. O ambiente tradicionalista, conservador e violento o distancia da própria realidade. Sem saída, num processo espiritual, ele renasce para enfrentar o presente.

CURRAL | Brasil, 2020, 87 min – CRÍTICA AQUI
Direção: Marcelo Brennand  |  Roteiro: Fernando Honesko e Marcelo Brennand. Chico Caixa (Thomás Aquino) é um homem humilde que conhece Gravatá, em Pernambuco, como poucos. Ele é recrutado por um amigo de infância, o advogado Joel (Rodrigo García), que precisa conquistar votos de um bairro popular fundamental para conseguir se tornar vereador. Chico se vê confrontado entre suas necessidades financeiras e seus princípios.

DESTERRO | Brasil, Argentina, Portugal, 2020, 123 min – CRÍTICA EM PRODUÇÃO*
Direção e roteiro: Maria Clara Escobar
Elenco: Carla Kinzo, Otto Jr., Rômulo Braga, David Lobo, Bárbara Colen, Georgette Fadel, Isabel Zuaa, Juliana Carneiro da Cunha, Eduardo Moreira, Maria José Novais Oliveira, Silvana Stein, Clarissa Kiste, Julia Katharine, Grace Passô, Sara Antunes. Uma casa está em chamas. Todas as casas. Uma viagem resulta em várias viagens e essa é sem regresso. Muitas mulheres falam. Contam suas histórias. A perda, a morte e a luta por ser, ao lado dos outros.

DOUTOR GAMA | Brasil, 2021, 92 min – CRÍTICA AQUI  *Exibido na abertura – Já estreou nos cinemas
Direção: Jeferson De  |  Roteiro: Luiz Antonio
Elenco: César Mello, Angelo Fernandes, Pedro Guilherme, Romeu Evaristo, Marina Nunes, Johnny Massaro, Teka Romualdo, Erom Cordeiro, Higor Campagnaro, Alan Rocha e Dani Ornellas   |   Participação Especial: Zezé Motta e Isabél Zuaa. Dr. Gama é baseado na biografia de Luiz Gama, um dos personagens mais importantes da história brasileira, homem negro que utilizou as leis e os tribunais para libertar mais de 500 escravos. Nascido de ventre livre, Gama foi vendido como escravo aos 10 anos de idade para pagar dívidas de jogo de seu pai. Mesmo como escravo, se alfabetizou, estudou e conquistou sua própria liberdade, se tornando um dos mais respeitados advogados de sua época. Um abolicionista e republicano que inspirou um país inteiro.

KING KONG EN ASSUNCIÓN | Brasil, 2020, 90 min – CRÍTICA AQUI
Direção: Camilo Cavalcante |  Roteiro: Camilo Cavalcante (texto da narração por Natália Borges Polesso)
Elenco: Andrade Júnior, Ana Ivanova, Juan Carlos Aduviri, Fernando Teixeira, Georgina Genes. Um velho matador de aluguel está escondido no interior da Bolívia, na região desértica do Salar de Uyuni. Acabou de cometer o seu último assassinato. Após meses isolado, ele viaja para o interior do Paraguay, onde recebe uma boa recompensa e segue para Asunción com o objetivo de encontrar sua filha, que nunca conheceu. Esta viagem por dentro de si mesmo, seguido apenas por sua fiel companheira, a morte, desperta instintos primários no velho matador, que explode em fúria e desespero pelas ruas da capital paraguaia em busca de afeto, como o King Kong aturdido em New York.

LONGE DO PARAÍSO | Brasil, 2020, 100 min – CRÍTICA AQUI
Direção e roteiro: Orlando Senna
Elenco: Emanuelle Araújo, Ícaro Bittencourt, Heraldo de Deus, Sonia Dias, Bertrand Duarte. Especializado em matar lideranças camponesas, o pistoleiro Kim comete um erro grave e será executado pela organização criminosa que o contratou. Kim tem um medo sufocante de morrer. A organização decide encomendar-lhe outro serviço, se o fizer escapará do castigo: a morte da líder camponesa Bel.

MEU NOME É BAGDÁ | Brasil, 2020, 99 min – CRÍTICA EM PRODUÇÃO*
Direção: Caru Alves de Souza | Roteiro: Caru Alves de Souza e Josefina Trotta
Elenco: Grace Orsato, Karina Buhr, Marie Maymone, Helena Luz, Gilda Nomacce, Paulette Pink, Emílio Serrano, William Costa, João Paulo Bienemann, Nick Batista. Bagdá é uma skatista de 17 anos, que vive na Freguesia do Ó, um bairro da periferia da cidade de São Paulo. Bagdá anda de skate com um grupo de meninos skatistas do bairro e passa boa parte de seu tempo com sua família e as amigas de sua mãe. Juntas elas formam um grupo de mulheres pouco convencionais. Quando Bagdá finalmente encontra um grupo de meninas skatistas, sua vida muda.

PAJEÚ | Brasil, 2020, 74 min – CRÍTICA AQUI
Direção e roteiro: Pedro Diogenes
Elenco: Fatima Muniz e Yuri Yamamoto. Maristela está sendo atormentada por um sonho constante: uma criatura emergindo das aguas do Riacho Pajeú. A estranheza e insistência do pesadelo começam a atrapalhar o
sono e o cotidiano de Maristela que, procurando uma solução para seu problema, inicia uma pesquisar sobre o Riacho, sua historia e seu desaparecimento. Os pesadelos não param.
Sonho e realidade se misturam. Pessoas próximas a Maristela começam a desaparecer, assim como o Pajeú desapareceu. A angustia dela aumenta junto com o medo de também
sumir.

UM ANIMAL AMARELO | Brasil, Portugal e Moçambique, 2020, 115 min – CRÍTICA AQUI
Direção: Felipe Bragança
Roteiro: Felipe Bragança; João Nicolau (Colab.)
Elenco: Higor Campagnaro, Isabel Zuaa, Tainá Medina, Catarina Wallenstein, Matamba Joaquim, Lucília Raimundo, Diogo ria, Adriano Luz, Herson Capri, Thiado Lacerda, Sophie Charlote, Márcio Vito, Matheus Macena, Digão Ribeiro. Brasil, 2017. Fernando, um falido cineasta brasileiro, cresceu assombrado pelas memórias violentas de seu avô e assombrado pelo espírito de um homem moçambicano que lhe prometia riquezas e glória. Acossado pelo atual estado político e cultural de seu país, o cineasta mergulha em uma jornada de desventuras e inesperados milagres, em busca de fantasmas do passado. Uma triste e melancólica fábula tropical.

O SILÊNCIO DA CHUVA | Brasil, 2021, 94 min – EXIBIDO APENAS PRESENCIALMENTE
Direção e Produção: Daniel Filho
Roteiro e adaptação: Lusa Silvestre (Inspirado no livro: “O Silêncio da Chuva” de Luiz Alfredo Garcia-Roza)
Com Lázaro Ramos, Cláudia Abreu, Mayana Neiva, Thalita Carauta, Otavio Muller, Guilherme Fontes, Anselmo Vasconcellos, Pedro Nercessian. Quando o executivo Ricardo (Guilherme Fontes) é encontrado morto a tiros no banco de seu carro sem maiores suspeitas, o detetive Espinosa (Lázaro Ramos) e a policial Daia (Thalita Carauta) são encarregados do caso e logo começam a investigar as pessoas mais próximas da vítima. Mas quando todos os envolvidos no caso começam a sumir misteriosamente, a situação toma proporções inesperadas.

VALENTINA | Brasil, 2020, 95 min – CRÍTICA AQUI
Direção e roteiro: Cássio Pereira dos Santos
Elenco: Thiessa Woinbackk, Guta Stresser, Rômulo Braga, Ronaldo Bonafro, Letícia Franco, João Gott, Pedro Diniz. Valentina, uma menina trans de 17 anos de idade, muda-se para uma pequena cidade mineira com sua mãe, Márcia, para um recomeço. Com receio de ser intimidada na nova escola, a garota busca mais privacidade e tenta se matricular com seu novo nome. No entanto, a menina e a mãe começam a enfrentar dilemas quando a escola pública local começa a exigir, de forma injusta, a assinatura do pai ausente para realizar a matrícula.”

LONGAS DOCUMENTÁRIOS

#EAGORAOQUE | Brasil, 2020, 70 min – CRÍTICA AQUI
Direção: Jean-Claude Bernardet / Rubens Rewald
Roteiro: Jean-Claude Bernardet / Rubens Rewald / Cristiano Burlan
Elenco: Vladimir Safatle / Palomaris Mathias / Jean-Claude Bernardet. Como agir hoje politicamente? É possível mudar as coisas, as pessoas, a sociedade? E agora, o que fazer? Um intelectual e suas contradições.

CHICO REI ENTRE NÓS | Brasil, 2021, 94 min – CRÍTICA AQUI
Direção: Joyce Prado Roteiro: Natália Vestri e Joyce Prado. Chico Rei foi um rei congolês que se tornou escravo e libertou a si mesmo e a seus súditos durante o Ciclo de Ouro em Minas Gerais. Sua história é o ponto de partida para explorar os diversos ecos da escravidão  brasileira na vida dos negros de hoje em dia, entendendo seu movimento de autoafirmação e liberdade a partir de uma perspectiva coletiva.

DEPOIS DA PRIMAVERA | Brasil, 2021, 87 min – CRÍTICA AQUI
Direção: Isabel Joffily e Pedro Rossi Roteiro: Isabel Joffily
Elenco: Adel Bakkour, Hadi Bakkour, Abdo Bakkour e Lawahez Dieab. Os irmãos sírios Adel e Hadi Bakkour vão às ruas do Rio de Janeiro lutar por Democracia no país onde escolheram viver. A história se repete: antes precisaram deixar Aleppo ao protestarem por liberdade. Para trás deixaram sua mãe, Lawahez, e seu pai, Abdo. A família se reencontra seis anos após a separação, em um Brasil em transformação.

LIMIAR | Brasil, 2020, 77 min – CRÍTICA EM PRODUÇÃO*
Direção e Fotografia: Coraci Ruiz   Roteiro: Coraci Ruiz e Luiza Fagá. “Limiar” é um documentário autobiográfico realizado por uma mãe que acompanha a transição de gênero de seu filho adolescente: entre 2016 e 2019 ela o entrevista abordando os conflitos, certezas e incertezas que o perpassam numa busca profunda por sua identidade. Ao mesmo tempo a mãe, revelada por meio de uma narração em primeira pessoa e por sua voz que conversa com o filho por detrás da câmera, passa ela também por um processo de transformação que a obriga a romper velhos paradigmas, enfrentar medos e desmantelar preconceitos.

LUZ ACESA | Brasil, 2020, 70 min – CRÍTICA EM PRODUÇÃO*
Direção: Guilherme Coelho
Roteiro: Marcia Watzl, Nathaniel Leclery e Guilherme Coelho. O documentário “Luz Acesa” acompanha cinco personagens em recuperação de alcoolismo ou uso abusivo de substâncias. A partir de diferentes narrativas, é possível retratar a diversidade e os desafios das experiências desses personagens, além de expor um problema urgente e relevante em nossa sociedade.

PARA ONDE VOAM AS FEITICEIRAS | Brasil, 2020, 89 min – CRÍTICA AQUI
Direção: Carla Caffé, Eliane Caffé e Beto Amaral. Para onde voam as feiticeiras acompanha a deriva de encenações e improvisos de sete artistas pelas ruas do centro de São Paulo em uma experiência cinematográfica que torna visível a persistência de preconceitos arcaicos de gênero e raça no imaginário comum. No centro desta narrativa polifônica está a importância da resistência política através das alianças de luta comum entre coletivos LGBTQIA+, negritude, indígenas e trabalhadores sem teto.

QUADRO NEGRO | Brasil, 2020, 63 min – CRÍTICA AQUI
Direção: Bruno F. Duarte e Silvana Bahia
Elenco: Ana Carolina da Hora, Daniela Santa Izabel, Douglas Viana, Fred Nicácio, Juan Telles, JV Santos, Karina Vieira, Lígia Batista, Marcela Lisboa, Marcelle Decothé, Maria Clara Araújo, Thamyra Thâmara de Araújo, Thiago Ansel, Thiago Marinho, Tom Mendes e Wallace Lino. Dezesseis jovens negros conversam sobre a experiência de passar pela universidade no Brasil após mais de uma década de políticas afirmativas na educação.

VIL MÁ | Brasil, 2020, 86 min – CRÍTICA AQUI
Direção e roteiro: Gustavo Vinagre
Elenco: Wilma Azevedo/ Edivina Ribeiro e Jules Elting. Wilma Azevedo é uma escritora de contos eróticos e dominatrix de 74 anos. Mas ela é também Edivina Ribeiro, jornalista, mãe de 3 filhos, religiosa e esposa dedicada. Qual delas criou a outra? Seleção oficial na Berlinale e no Queer Lisboa.

CURTAS-METRAGENS

ATORDOADO, EU PERMANEÇO ATENTO | Documentário COR e PB 15′ Brasil – 2020 – CRÍTICA AQUI
Direção e roteiro: Henrique Amud & Lucas H. Rossi dos Santos
O jornalista Dermi Azevedo nunca parou de lutar pelos direitos humanos e agora, mais de três décadas após o fim da ditadura, assiste ao retorno das práticas daquela época.

ELA QUE MORA NO ANDAR DE CIMA | Ficção Cor 14’ Brasil –  2020 – CRÍTICA AQUI
Direção: Amarildo Martins Roteiro: Alana Rodrigues  |  Elenco: Marcélia Cartaxo e Raquel Rizzo
Luzia vira “cobaia” dodoces e quitutes da vizinha confeiteira, Carmem. A amizade evolui para uma paixão platônica, que traz um novo sabor para os dias amargos de Luzia.

PORTUGAL PEQUENO |  Ficção Cor 20’ Brasil –  2020 – CRÍTICA EM PRODUÇÃO*
Direção e roteiro: Victor Quintanilha
Elenco: João Vitor Nascimento / Wilson Rabelo / Danilo Martins / Ruth Rodrigues / MC R6
Jonatan é MC Xerelete e seu sonho é um dia ser um cantor de funk famoso e dar para ele e seu pai a vida cômoda que a publicidade lhe vende. Enquanto isso não acontece, os dois trabalham pescando na baía de Guanabara, encarando as responsabilidades e obstáculos que a realidade lhes impõe.

VOCÊ TEM OLHOS TRISTES | Ficção Cor 19’ Brasil –  2020 – CRÍTICA AQUI
Direção e roteiro: Diogo Leite
Elenco:  Daniel Veiga / Carol Oliveira / Jean-Claude Bernardet / Giovanni Gallo / Gilda Nomacce / Larissa Ballarotti
Luan trabalha como bikeboy de aplicativo e enfrenta dilemas e preconceitos na sua jornada diária de entregas em uma cidade grande. Sem hesitar, sonha com um futuro melhor.

O BARCO E O RIO | Ficção Cor  17′ Brasil – 2020 – CRÍTICA AQUI
Direção e roteiro: Bernardo Ale Abinader
Elenco: Isabela Catão, Carolinne Nunes, Márcia Vinagre e Diego Bauer
Vera é uma mulher religiosa que cuida de uma embarcação no porto de Manaus. Ela precisa lidar com a irmã Josi, com quem diverge em relação a como lidar com o barco e sobre como viver a vida.

VITÓRIA | Ficção Cor 14′ Brasil – 2020 – CRÍTICA EM PRODUÇÃO*
Direção: Ricardo Alves Jr.  Roteiro: Germano Melo
Elenco: Rejane Faria, Trabalhadoras da fábrica têxtil da cidade de Miraí
Vitória é uma entre muitas operárias da fábrica de tecidos. Num dia de trabalho, ela aventa a possibilidade de agir coletivamente e transformar a ordem vigente.

CÉLIO’S CIRCLE | Ficção / Documentário Cor 10′ Brasil – 2020 – CRÍTICA EM PRODUÇÃO*
Direção: Diego Lisboa Roteiro: Diego Lisboa, Thiago Ming
Elenco: Celio Oliveira, Cristiane Oliveira
Célio vive na periferia de uma grande metrópole. Seu corpo funciona como uma antena que capta toda turbulência que ocorre no mundo. Célio também é o mundo.

AMANHÃ | Fiçção Cor 19′ Brasil – 2020 – CRÍTICA EM PRODUÇÃO*
Direção: Aline Flores e Alexandre Cristófaro
Elenco: Herberth Vital e Marcos Azevedo
A metrópole que não dorme jamais parece ignorar o homem que está prestes a se jogar do alto do prédio. Apenas um jovem demonstra interesse pelo espetáculo.

LACRIMOSA | Ficção Cor 11’ Brasil – 2020 – CRÍTICA EM PRODUÇÃO*
Direção e roteiro: Matheus Heinz
Elenco: Luiza Heinz
Assombrada pela memória do irmão falecido, menina revisita os acontecimentos que levaram seus pais a abandoná-la aos cuidados de sua avó. Da perspectiva de uma criança, a inocência e a culpa irão colidir em sua tentativa de chegar à verdade

O PRAZER DE MATAR INSETOS | Ficção Cor 10’ Brasil – 2020 – CRÍTICA EM PRODUÇÃO*
Direção e Roteiro: Leonardo Martinelli
Elenco: Rosa Iranzo, Alexandre Rosa Moreno
Em um futuro próximo, a crise climática atinge um ponto irreversível. Uma freira e um padre se encontram para conversar sobre o desaparecimento dos insetos.

UM FILME DE QUARENTENA | Ficção Cor 10’ Brasil – 2020 – CRÍTICA EM PRODUÇÃO*
Direção e roteiro: Jessica Linhares e Miguel Chaves
Elenco: Jessica Linhares e Miguel Chaves
Em um mundo distópico, Jessica tenta se comunicar.

A MORTE BRANCA DO FEITICEIRO NEGRO | Documentário Cor 10’ Brasil – 2020 – CRÍTICA AQUI
Direção: Rodrigo Ribeiro   Roteiro: Rodrigo Ribeiro, Timóteo
Elenco: N/A
“Memórias do passado escravista brasileiro transbordam em paisagens etéreas e ruídos angustiantes. Através de um poético ensaio visual, uma reflexão sobre silenciamento e invisibilização do povo preto em diáspora, numa jornada íntima e sensorial.

YAÕKWA – IMAGEM E MEMÓRIA | Documentário Cor 21′ Brasil – 2020 – CRÍTICA EM PRODUÇÃO*
Direção e roteiro: Rita Carelli e Vincent Carelli
Roteiro: Rita Carelli e Vincent Carelli
Elenco: comunidade Enawenê

O Vídeo nas Aldeias realizou com os índios Enawenê Nawê, durante quinze anos, extensos registros do Yaõkwa, seu mais longo ritual, em que os mestres de cerimônia puxam, durante sete meses, uma miríade de cantos, afim de manter o equilíbrio do mundo terreno como mundo espiritual. Neste filme, outros quinze anos mais tarde, os Enawenê Nawê reencontram essas imagens e, com elas, parentes falecidos, costumes que caíram em desuso e preciosos cantos rituais.

4 BILHÕES DE INFINITOS | Ficção Cor 14’ Brasil – 2020 – CRÍTICA AQUI
Direção e roteiro: Marco Antonio Pereira
Elenco: Ana Julia Gomes, Adalberto Gomes
“Brasil. 2020. Uma família vive com a energia de casa cortada. Enquanto a mãe trabalha, seus filhos ficam em casa conversando sobre ter esperança.

O CICLOPE | Documentário COR & PB 9’ Brasil – 2021 – CRÍTICA EM PRODUÇÃO*
Direção: Guilherme Cenzi, Pedro Achilles Roteiro: Pedro Achilles
Música: “”Preciso me encontrar””, Candeia
Elenco: Márcio Achilles e Mariza Bezerra
Uma mulher lembra da última visita feita ao seu pai na prisão. Nesse encontro, ele conta sobre o mito do Ciclope, uma criatura amaldiçoada que desde o dia em que nasce, já sabe o dia em que irá morrer.

RASGA MORTALHA | Ficção Cor 13’ Brasil – 2019 – CRÍTICA AQUI
Direção e roteiro: Thiago Martins de Melo
“Rasga Mortalha parte da lenda da coruja “Suindara”, muito contada no folclore do Norte e Nordeste, para abordar as urgências sociopolíticas do país. Crê-se que o aparecimento de seu vulto branco, seguido do grito selvagem, que lembra o som de um pano sendo rasgado ao meio, traz consigo o signo da morte. Como vetor metafórico para pensar, e transcender, uma visão fatalista da história do Brasil, o artista se vale dessa tradição popular para cruzar séculos de acontecimentos públicos com memórias, referências e imaginações pessoais, criando uma narrativa carregada e cortante.

BLACKOUT | Ficção Cor 18’ Brasil – 2019 – CRÍTICA AQUI
Direção: Rossandra Leone
Roteiro: Rossandra Leone e Pedro Gomes
Elenco:  Adrielle Vieira, Marcéu Pierrotti, Marcelo Dias – Carlos, Daniel Vargas – Evandro
Em um Rio de Janeiro futurista nada parece ter mudado. Abuso de autoridade, violações de direitos, racismo e machismo ainda dão o tom da relação do poder público com a favela. Dessa vez, entretanto, algo parece estar para mudar.

ENRAIZADAS | Documentário Cor 14’ Brasil – 2019 – CRÍTICA EM PRODUÇÃO*
Direção, roteiro e pesquisa: Gabriele Roza e Juliana Nascimento
Elenco: Entrevistadas: Jussara Oliveira, Raquel Miranda, Jana Guinond e Luane Bento dos Santos; Modelos: Thatiana Moreira, Laryssa Santanna, Stella Messias, Andrey Damasceno Machado, Esther Miranda, Lucas Henrique dos Santos Gonçalves, Daniel Oliveira dos Santos, Sue Castro, Roberta Assis, Lúcia Helena, Isabela Freitas, Dandara Freitas, Anna Carolina Santos, Nuria Kiffen, Larissa Santos Bastos, Maria Chantal Francisco, Vivian Nascimento, Paola Chaves, Paula Chaves

A partir de entrevistas e recriações de imagens de arquivos, Enraizadas investiga a tecedura dos fios capilares em tranças nagôs como um processo não restrito à beleza estética mas também de renovação dos afetos, de resistência e reafirmação da própria identidade e tradição. Um filme que ultrapassa o visual das tranças para exaltar a poética, a história, a africanidade, os conhecimentos matemáticos e as possibilidades de invenção através do cabelo.

FOTOS PRIVADAS | Ficção Cor 20′ Brasil – 2020 – CRÍTICA EM PRODUÇÃO*
Direção: Marcelo Grabowsky
Roteiro: Marcelo Grabowsky, Aline Portugal e Manoela Sawitzki
Elenco: Lucas Galvino, Vinicius Neri e Antonio Miano

O casal Rafa e Matheus encara a excitação e o estranhamento diante da presença de um convidado em seu apartamento. O comportamento de cada um dos três revela diferentes formas de lidar com o desejo.

ROSÁRIO | Ficção Cor 18′ Brasil –  2019 – CRÍTICA EM PRODUÇÃO*
Direção: Igor Travassos e Juliana Soares   Roteiro: Igor Travassos e Juliana Soares
Elenco: Lais Vieira, Clebia Sousa, Okado do Canal, Mohana Uchoa, Arthur Canavarro
Desde que sofreu uma grande perda, Rosário tem o hábito de ouvir o programa policial toda manhã e rezar pelas vítimas e suspeitos dos crimes da madrugada, até que um dia ela vira personagem de uma dessas histórias.
TRAILER https://www.youtube.com/watch?v=lwOrIewQPEY

GILSON | Documentário Cor 5′ Brasil – 2020 – CRÍTICA EM PRODUÇÃO*
Direção: Vitória Di Bonesso  Roteiro: Vitória Di Bonesso e Lívia Leite
A desigualdade social e concentração de renda vistos através da trajetória de um entregador de aplicativo de delivery que precisa trabalhar durante a pandemia.

MÃTÃNÃG, A ENCANTADA | Ficção Cor 14’ Brasil –  2019 – CRÍTICA EM PRODUÇÃO*
Direção:  Shawara Maxakali e Charles Bicalho
Roteiro:  Pajé Totó Maxakali e Charles Bicalho
Música:  Cantos tradicionais maxakalis
Elenco:  Alexandre Maxakali, Ariston Maxakali, Cassiano Maxakali, Eliana Maxakali, Erismar Maxakali, Evaldo Maxakali, Gerente Maxakali, Mamei Maxakali, Marcinho Maxakali, Marco Maxakali, Paulinho Maxakali, Shawara Maxakali

A índia Mãtãnãg segue o espírito de seu marido, picado por uma cobra, até a aldeia dos mortos. Juntos eles superam os obstáculos que separam o mundo terreno do mundo espiritual. Uma vez na terra dos espíritos, as coisas são diferentes: outros modos regem o sobrenatural. Mas Mãtãnãg não está morta e sua alma deve retornar ao convívio dos vivos. De volta à sua aldeia, reunida a seus parentes, novas vicissitudes durante um ritual proporcionarão a oportunidade para que mais uma vez vivos e mortos se reencontrem. Mãtãnãg se baseia em uma história tradicional do povo Maxakali.

REPÚBLICA | Ficção Cor 15’ Brasil – 2020 – CRÍTICA AQUI
Direção, roteiro e elenco: Grace Passô
Brasil, 2020. A pandemia evidencia a dimensão da necropolítica que opera no país e a sociedade vive uma crise ética em meio a um governo que é a exata expressão do poder colonialista. República é um curta metragem realizado em casa, com estrutura caseira, durante o início da quarentena de 2020, no centro da cidade de São Paulo, Brasil.

RAFAMEIA | Ficção  Cor 24’ Brasil – 2020 – CRÍTICA EM PRODUÇÃO*
Direção: Mariah Teixeira e Nanda Félix  Roteiro: Nanda Félix
Elenco: Mariah Teixeira, Daniel Porpino, Marcelina Moraes, Suzy Lopes, Dhyan Urshita, Buda Lira, Thardelly Lima, Omar Brito, Fernanda Ferreira, Ingrid Trigueiro, Izadora Nascimento
Após se sentir ameaçada por um entregador de uma empresa de eletrodomésticos, Carmen tem seu cotidiano atravessado por diversos conflitos ao se permitir ver os outros que habitam seu entorno.

TERRA DORMENTE | Ficção Cor 21’ Brasil – 2018 – CRÍTICA EM PRODUÇÃO*
Direção: Antônio Farias  Roteiro: Renato Baroni
Elenco: Carolina Ferman, Mário Luis Sampaio e Leonardo Armada

“Em meio ao crescimento de grupos paramilitares no Brasil, a jornalista Renata foi torturada e ameaçada de morte após uma investigação. Ao visitá-la em exílio, o redator-chefe do jornal para o qual ela trabalhava a encontra suscetível a um outro tipo de risco.


ACOMPANHE DIARIAMENTE NOSSA COBERTURA QUE JÁ COMEÇOU

(clique AQUI ou na foto e saiba tudo)

Tudo Sobre a Edição Especial do Festival do Rio 2021

Banner Vertentes Anuncio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.