Os Vencedores do Prêmio Guarani de Cinema Brasileiro 2020

Os sortudos da tradicional premiação realizada pelo site Papo de Cinema foram anunciados ontem, dia 01/07

Por Redação

O site Papo de Cinema nos conta como foi o processo. “Entre 01º de janeiro e 31 de dezembro de 2019, nada menos do que 170 longas-metragens brasileiros foram lançados comercialmente – a maioria chegou a ao menos uma sala de cinema pelo período mínimo de sete dias de exibição, mas há também aqueles que foram distribuídos diretamente nas plataformas de streaming. Além desses, há centenas de títulos estrangeiros, dezenas de curtas-metragens de ficção, documentário e animação. Foi a partir desse universo gigantesco que críticos de cinema de todo o Brasil se debruçaram à escolha dos melhores do 25º Prêmio Guarani de Cinema Brasileiro. O processo foi dividido em duas fases: na primeira, pouco menos de 50 profissionais da área se comprometeram a assistir a ao menos a metade desses filmes e apontar seus cinco favoritos em cada uma das 24 categorias da premiação. Os cinco mais votados formaram os finalistas, que, a partir desse ponto, foram levados a mais de uma centena – 110, para sermos exatos – de críticos de cinema do Norte ao Sul do país (todas as regiões foram contempladas). Entre os votantes estão membros da ABRACCINE (Associação Brasileira de Críticos de Cinema), ACCIRS (Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul), ACCRJ (Associação dos Críticos de Cinema do Rio de Janeiro), ACCPA (Associação dos Críticos de Cinema do Pará), Aceccine (Associação Cearense de Críticos de Cinema) e ACCiRN (Associação dos Críticos de Cinema do Rio Grande do Norte). Durante pouco mais de um mês, todos foram convidados a escolher apenas seu favorito entre os cinco indicados de cada categoria, e agora apresentamos os grandes vencedores de 2019!”

Os Vencedores do Prêmio Guarani de Cinema Brasileiro 2020

LISTA COMPLETA DOS VENCEDORES

Bacurau

MELHOR FILME: BACURAU

A Vida Invisível, produção de Michael Weber, Rodrigo Teixeira e Viola Fügen
Bacurau, produção de Emilie Lesclaux, Michel Merkt, Olivier Père e Saïd Ben Saïd
Inferninho, produção de Caroline Louise, Guto Parente e Rogério Mesquita
No Coração do Mundo, produção de André Novais Oliveira, Gabriel Martins, Maurílio Martins e Thiago Macêdo Correia
Temporada, produção de André Novais Oliveira, Gabriel Martins, Maurílio Martins e Thiago Macêdo Correia

MELHOR ATRIZ: GRACE PASSÔ

Andréa Beltrão, por Hebe: A Estrela do Brasil
Barbara Colen, por Bacurau
Dira Paes, por Divino Amor
Grace Passô, por Temporada
Kelly Crifer, por No Coração do Mundo

Greta

MELHOR ATOR: MARCO NANINI

Daniel de Oliveira, por Morto Não Fala
Fabrício Boliveira, por Simonal
Julio Machado, por A Sombra do Pai
Marco Nanini, por Greta
Yuri Yamamoto, por Inferninho

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: FERNANDA MONTENEGRO

Eliane Giardini, por Deslembro
Fernanda Montenegro, por A Vida Invisível
Grace Passô, por No Coração do Mundo
Luciana Paes, por A Sombra do Pai
Sonia Braga, por Bacurau

MELHOR ATOR COADJUVANTE: SILVERO PEREIRA

Demick Lopes, por Greta
Enrique Diaz, por Los Silencios
Renato Novaes, por Temporada
Rodrigo Santoro, por Turma da Mônica: Laços
Silvero Pereira, por Bacurau

ATRIZ REVELAÇÃO: JULIA STOCKLER

Carol Duarte, por A Vida Invisível
Giulia Benite, por Turma da Mônica: Laços
Jeanne Boudier, por Deslembro
Julia Stockler, por A Vida Invisível
MC Carol, por No Coração do Mundo

ATOR REVELAÇÃO: CHRISTIAN MALHEIROS

Christian Malheiros, por Sócrates
Kevin Vechiatto, por Turma da Mônica: Laços
Rafael Martins, por Inferninho
Russo APR, por Temporada
Valmir do Coco, por Azougue Nazaré

MELHOR ELENCO: BACURAU

Fernanda Rocha (treinadora de elenco), por A Vida Invisível
Guto Parente e Pedro Diogenes (diretores de elenco), por Inferninho
Marcella Jacques (diretora de produção), por No Coração do Mundo
Marcella Jacques (diretora de produção), por Temporada
Marcelo Caetano (diretor de elenco), por Bacurau

MELHOR DIREÇÃO: JULIANO DORNELLES E KLEBER MENDONÇA FILHO

André Novais Oliveira, por Temporada
Beatriz Seigner, por Los Silencios
Gabriela Amaral Almeida, por A Sombra do Pai
Juliano Dornelles e Kleber Mendonça Filho, por Bacurau
Karim Ainouz, por A Vida Invisível

 

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL: BACURAU

André Novais Oliveira, por Temporada
Beatriz Seigner, por Los Silencios
Gabriela Amaral Almeida, por A Sombra do Pai
Guto Parente, Pedro Diogenes e Rafael Martins, por Inferninho
Juliano Dornelles e Kleber Mendonça Filho, por Bacurau

A Vida Invisível

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO: A VIDA INVISÍVEL

Armando Praça, por Greta
Claudia Jouvin e Dennison Ramalho, por Morto Não Fala
Gabriel Martins, por Maurílio Martins, por No Coração do Mundo
Inés Bortagaray, Karim Ainouz e Murilo Hauser, por A Vida Invisível
Tiago Doltori, por Turma da Mônica: Laços

MELHOR FOTOGRAFIA: A VIDA INVISÍVEL

Diego Garcia, por Divino Amor
Hélène Louvart, por A Vida Invisível
Heloisa Passos, por Deslembro
Pedro Sotero, por Bacurau
Sogia Oggioni, por Los Silencios

MELHOR MONTAGEM: BACURAU

Eduardo Serrano, por Bacurau
Gabriel Martins e Maurílio Martins, por No Coração do Mundo
Gabriel Martins, por Temporada
Heike Parplies, por A Vida Invisível
Olivia Brenga, por Bixa Travesty

MELHOR TRILHA SONRA: BACURAU

Benedikt Schiefer, Guilherme Garbato e Gustavo Garbato, por A Vida Invisível
Linn da Quebrada, por Bixa Travesty
Mateus Alves e Tomas Alves Souza, por Bacurau
Max de Castro de Wilson Simoninha, por Simonal
Mestre Anderson, Tomas Alves Souza e Tiago Melo, por Azougue Nazaré

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE: A VIDA INVISÍVEL

Cassio Amarante e Mariana Falvo, por Turma da Mônica: Laços
Rodrigo Martirena, por A Vida Invisível
Thaís Augusto Lima, por Inferninho
Thales Junqueira, por Bacurau
Thales Junqueira, por Divino Amor

MELHOR FIGURINO: A VIDA INVISÍVEL

Antonio Medeiros, por Hebe: A Estrela do Brasil
Fernanda Manques, Manuela Mello e Veronica Julian, por Turma da Mônica: Laços
Filipe Arara e Isac Bento, por Inferninho
Marina Franco, por A Vida Invisível
Rita Azevedo, por Bacurau

MELHOR MAQUIAGEM: MORTO NÃO FALA

André Anastácio, por A Sombra do Pai
Britney Federline, por Morto Não Fala
Gutto Moreira, por Inferninho
Simone Batata, por Hebe: A Estrela do Brasil
Tayce Vale, por Bacurau

MELHOR SOM: BACURAU

Ana Chiossi, Ariel Henrique e Leonardo Bortolin, por A Noite Amarela
Björn Wiese, Laura Zimmermann e Waldir Xavier, por A Vida Invisível
Cyril Holtz, Nicolas Hallet e Ricardo Cutz, por Bacurau
Daniel Turini, Fernando Henna e Gabriela Cunha, por A Sombra do Pai
Daniel Turini, Fernando Henna, Gustavo Nascimento e Jean-Guy Veran, por Los Silencios

MELHORES EFEITOS VISUAIS: MORTO NÃO FALA

Eduardo Schaal, Guilherme Ramalho e Hugo Gurgel, por Carcereiros: O Filme
Guilherme Ramalho, por Morto Não Fala
Marcelo Siqueira, por Mormaço
Marco Prado, por Turma da Mônica: Laços
Vagner Martão, por Bacurau

Bixa Travesty

MELHOR DOCUMENTÁRIO: BIXA TRAVESTY

Bixa Travesty, produção de Evelyn Mab e Kiko Goifman
Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos, produção de João Salaviza, Renée Nader Messora, Ricardo Alves Jr. e Thiago Macêdo Correia
Democracia em Vertigem, produção de Joanna Natasegara, Petra Costa, Tiago Pavan e Shane Boris
Estou me guardando para quando o carnaval chegar, produção de João Vieira Jr. e Nara Aragão
Torre das Donzelas, produção de Susanna Lira e Tito Gomes

A Cidade dos Piratas

MELHOR ANIMAÇÃO: A CIDADE DOS PIRATAS

A Cidade dos Piratas, produção de Elisa Rocha e Marta Machado
Apneia, produção de Edu MZ Camargo
Carne, produção de Chelo Loureiro e Lívia Perez
Sangro, produção de Tiago Minamisawa
Tito e os Pássaros, produção de Daniel Greco, Felipe Sabino e Gustavo Steinberg

MELHOR FILME ESTRANGEIRO: PARASITA

Dor e Glória, de Pedro Almodóvar (ESPANHA)
Guerra Fria, de Pawel Pawlikowski (POLÔNIA)
O Irlandês, de Martin Scorsese (EUA)
Parasita, de Bong Joon Ho (CORÉIA DO SUL)
Pássaros de Verão, de Cristina Gallego e Ciro Guerra (COLÔMBIA)

Tea for two

MELHOR CURTA-METRAGEM DE FICÇÃO: TEA FOR TWO

A Mulher que Sou, produção de Dora Amorim e Thaís Vidal
Baile, produção de Ana Paula Mendes
Ilhas de Calor, produção de Thamires Vieira
Marie, produção de Arthur Leite
Tea For Two, produção de Laila Pas e Lara Lima

Sete Anos em Maio

MELHOR CURTA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO: SETE ANOS EM MAIO

Copacabana Madureira, produção de Francisco Vasconcelos, Leonardo Martinelli, Nicolas Bezerra e Rafael Lopes Cesar
Negrum3, produção de Victor Casé
Quebramar, produção de Camila Gaglianone
Sete Anos em Maio, produção de Affonso Uchoa, Camila Bahia Braga, Jerónimo Quevedo e Victoria Marotta
Swinguerra, produção de Dora Amorim, Julia Machado e Thaís Vidal

Os Vencedores do Prêmio Guarani de Cinema Brasileiro 2020

Anuncie no Vertentes do Cinema

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *