Os Vencedores do Festival de Cinema de Gramado 2020

“King Kong em Asunción” levou o Kikito de Melhor Filme na premiação que aconteceu neste sábado (26)

Por Fabricio Duque

A crise pandêmica do Covid-19 desencadeou a superexposição do próprio ser humano, corroborando que todos nós sempre fomos capazes de se reinventar. O Festival de Cinema de Gramado (confira nossa cobertura completa AQUI pelos críticos Fabricio Duque, Victor Faverin e Vitor Velloso) aceitou o desafio e realizou totalmente online, com exibições à cabo  e no streaming do Canal Brasil. A decisão de bater o martelo e manter a 48a edição, de 18 a 26 de setembro, fez com que essa experiência se definisse como pioneira, histórica, singular, inédita e resistente. A Cidade de Gramado foi “vestida” pelo GramadoTur, exatamente igual às anteriores, para assim criar a aura protocolar e tradicional. As sessões foram exibidas em um horário específico, que o diretor Caetano Gotardo, de “Todos os Mortos”, disse que assim sentiu a sensação de se estar em uma cinema.

A dupla de apresentadoras Marla Martins e Renata Boldrini conduziu a Cerimônia de Premiação, que teve a direção artística de Rubens Bandeira e transmissão pelo Canal Brasil. A noite no Palácio dos Festivais, começou com a música “Hallelujah”, de Leonardo Cohen, pela performance (gravada) do grupo Voice In (seus cantores Felipe Andrade, Debora Neto, Rafael Strey, Ariane Wink e Luiz Fernando Kremer, de Porto Alegre, ficaram famosos por se apresentarem “a capella”). Arrepiante. “É o festival que acontece ininterruptamente há 48 anos e que este ano foi redirecionado e redefinido. O melhor do cinema nacional e latino-americano. Tudo é cinema aqui em Gramado”, disse as apresentadores. A 48a edição levantou o lema esperançoso de que “Tudo Vai Ficar Bem”.

“Nesta edição precisamos nos reinventar. Além de pensar no palco do cinema, na apresentação dos cerimoniais, foi preciso dirigir os programas do Festival, que foram pensados para exibição na televisão e nas redes sociais. Precisamos ter um novo olhar para esse formato, foi um grande desafio. Também por precaução,  as participações artísticas da noite foram gravadas nos dias que antecederam a realização do Festival”, conta Rubens.

Os curadores Marcos Santúario, Pedro Bial e Soledad Villamil deram as boas-vindas e disseram que “Não há pandemia que vai impedir (e frear) nosso cinema de existir” e “Os filmes ganhem vida após o festival”.

A “caixinha de Surpresas” foi aberta com mensagens do “vampiro Vlad” e “Barbosa da TV Pirata” Ney Latorraca; da atriz Dira Paes (que recebeu em 2017 o Troféu Oscarito); o ator Antonio Pitanga (Troféu Cidade de Gramado em 2017); César Troncoso (que o Coronavírus não marque nossa vida e nossa agenda – ganhou ontem o Kikito de Cristal nesta edição de 2020); a cineasta Laís Bodanzky (que recebeu este ano o prêmio Eduardo Abelin); o ator Edson Celulari (Troféu Oscarito em 2018); a atriz Denise Fraga (Troféu da Cidade de Gramado deste ano); o ator Marco Nanini (que ganhou o Troféu Oscarito 2020); o cineasta Cacá Diegues (“Gramado é um exemplo de resistência”), que encerrou o festival com “Bye Bye Brasil”; e o cineasta Jorge Furtado (“fazíamos filmes para serem exibidos em Gramado”).

“A vida é uma composição de perdas e danos”, disse Renata para apresentar a homenagem In Memorian a  nossos artistas que se foram. “Homenageie e reverencie esses artistas. Nós ganhamos com seus exemplos”, disse Marla, que complementou “Kikito que é o deus do sol”. E assim a largada foi dada aos prêmios da noite.

Os Vencedores do Festival de Cinema de Gramado 2020

CURTAS-METRAGENS BRASILEIROS

MELHOR DESENHO DE SOM

Isadora Torres e Vinicius Prado Martins, por RECEITA DE CARANGUEJO (SP, de Issis Valenzuela)

MELHOR MÚSICA

Hakaima Sadamitsu, por ATORDOADO, EU PERMANEÇO ATENTO (RJ, de Henrique Amud e Lucas H. Rossi dos Santos)

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE

Francisco Ricardo, por O BARCO E O RIO (AM, de Bernardo Ale Abinader)

MELHOR ATOR

Daniel Veiga, de VOCÊ TEM OLHOS TRISTES (SP, de Diogo Leite). ”Valorize a arte Trans, porque nós nos dedicamos a esse ofício”.

MELHOR MONTAGEM

Ana Julia Travia, por VOCÊ TEM OLHOS TRISTES (SP, de Diogo Leite)

MELHOR FOTOGRAFIA

Valentina Ricardo, por O BARCO E O RIO (AM, de Bernardo Ale Abinader)

MELHOR ROTEIRO

Matheus Farias e Enock Carvalho, por INABITÁVEL (PE, de Matheus Farias e Enock Carvalho)

MELHOR ATRIZ

Luciana Souza, por INABITÁVEL (PE, de Matheus Farias e Enock Carvalho). ”Quero agradecer a minha ancestralidade por me dar passagem para expressar minha arte”.

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI

Preta Ferreira, por RECEITA DE CARANGUEJO (SP, de Issis Valenzuela)

TROFÉU CANAL BRASIL

INABITÁVEL (PE, de Matheus Farias e Enock Carvalho)

MELHOR FILME PELO JÚRI POPULAR

O BARCO E O RIO (AM, de Bernardo Ale Abinader)

MELHOR FILME

O BARCO E O RIO (AM, de Bernardo Ale Abinader). “Espero que esta seja uma forma de contribuir para  que o cinema amazonense, feito por amazonenses, continue a existir. Narrativas podem reverberar para lugares tão distantes. Viva o Cinema do Norte!”, disse o diretor.

Os Vencedores do Festival de Cinema de Gramado 2020

LONGAS-METRAGENS LATINO-AMERICANOS

“A arte nunca estará distante”, disse Renata. Um intervalo com mais uma música do grupo Voice In. “Somebody to Love”, do Queen. E logo em seguida, a entrega dos Kikitos dos longas-metragens estrangeiros.

MELHOR ATOR

Aníbal Ortiz, por MATAR A UN MUERTO (Paraguai, de Hugo Giménez)

MELHOR FOTOGRAFIA

Nicolas Trovato, por EL SILENCIO DEL CAZADOR (Argentina, de Martin Desalvo)

MELHOR ROTEIRO

David David, por LA FRONTERA (Colômbia, de David David)

MELHOR ATRIZ

Daylin Vega Moreno e Sheila Monterola, por LA FRONTERA (Colômbia, de David David)

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI

EL GRAN VIAJE AL PAÍS PEQUEÑO (Uruguai, de Mariana Viñoles)

MELHOR FILME PELO JÚRI POPULAR

EL GRAN VIAJE AL PAÍS PEQUEÑO (Uruguai, de Mariana Viñoles)

MELHOR DIRETOR

Mariana Viñoles, por EL GRAN VIAJE AL PAÍS PEQUEÑO (Uruguai)

MELHOR FILME PELO JÚRI OFICIAL

LA FRONTERA (Colômbia, de David David)

Os Vencedores do Festival de Cinema de Gramado 2020

LONGAS-METRAGENS BRASILEIROS

Mais um intervalo para apresentar o grupo Voice In que cantou música “Tempos Modernos”, de Lulu Santos. E logo em seguida, a entrega dos Kikitos dos longas-metragens brasileiros.

MELHOR DESENHO DE SOM

Bernado Uzeda, por AOS PEDAÇOS (RJ, de Ruy Guerra)

MELHOR FOTOGRAFIA

Pablo Baião, por AOS PEDAÇOS (RJ, de Ruy Guerra)

MELHOR MÚSICA (empate)

Salloma Salomão, por TODOS OS MORTOS (SP, de Caetano Gotardo e Marco Dutra) e Shaman Herrera, por KING KONG EM ASUNCÍÓN (PE, de Camilo Cavalcante)

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE

Dina Salem Levy, por UM ANIMAL AMARELO (RJ, de Felipe Bragança)

MELHOR ROTEIRO

Felipe Bragança, por UM ANIMAL AMARELO (RJ, de Felipe Bragança)

MELHOR ATOR COADJUVANTE

Thomás Aquino, por TODOS OS MORTOS (SP, de Caetano Gotardo e Marco Dutra)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Alaíde Costa, por TODOS OS MORTOS (SP, de Caetano Gotardo e Marco Dutra)

MELHOR ATOR

Andrade Júnior, por KING KONG EM ASUNCÍÓN (PE, de Camilo Cavalcante). A família representou o ator falecido recentemente, em maio do ano passado. ”Foi o trabalho da vida dele”.

MELHOR MONTAGEM

Eduardo Gripa, por ME CHAMA QUE EU VOU (SP, de Joana Mariani)

MELHOR ATRIZ

Isabel Zuaa, por UM ANIMAL AMARELO (RJ, de Felipe Bragança)

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI

Elisa Lucinda, por POR QUE VOCÊ NÃO CHORA? (DF, de Cibele Amaral)

MENÇÃO HONROSA DO JÚRI

Higor Campagnaro, por UM ANIMAL AMARELO (RJ, de Felipe Bragança)

MELHOR FILME PELO JÚRI POPULAR

KING KONG EM ASUNCÍÓN (PE, de Camilo Cavalcante)

MELHOR DIREÇÃO

Ruy Guerra, por por AOS PEDAÇOS (RJ). ”um filme que foge as regras gramaticais cinematográficas. Todos precisamos de todos nesta arte coletiva. Nada nos fará parar. Um filme completamente às escuras e que precisava de muitos talentos (de braços criativos fortes) para chegar ao resultado. Um filme difícil, porque nós pisávamos em terras desconhecidas do nosso próprio conhecimento. Chegar à linguagem deste desvario, de meus delírios”

MELHOR FILME

KING KONG EM ASUNCÍÓN (PE, de Camilo Cavalcante). “Cinema não é corrida de cavalos, todos os filmes têm o seu valor. Andrade é o sol desse trabalho. Um filme que busca transcender alguma coisa. Onde não tem afeto, o ódio toma conta”.

Os Vencedores do Festival de Cinema de Gramado 2020

PRÊMIO DA CRÍTICA

MELHOR CURTA-METRAGEM BRASILEIRO

INABITÁVEL (PE, de Matheus Farias e Enock Carvalho)

MELHOR LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO

EL GRAN VIAJE AL PAÍS PEQUEÑO (Uruguai, de Mariana Viñoles)

MELHOR LONGA-METRAGEM BRASILEIRO

UM ANIMAL AMARELO (RJ, de Felipe Bragança)

MOSTRAS PARALELAS

Respiramos um pouco e ouvimos mais as vozes arrepiantes do grupo Voice In. Dessa vez, a música “Imagine”, de John Lennon.

CONEXÕES GRAMADO (Youtube)

MELHOR SÉRIE

LUPITA PELO MUNDO, conteúdo realizado pelo estúdio Petit Fabrik, do Amazonas.

MELHOR LONGA-METRAGEM

SEMENTES – MULHERES PRETAS NO PODER, de Julia Mariano e Éthel Oliveira

MELHOR LONGA-METRAGEM GAÚCHO

PORTUNHOL, de Tais Fernandes

MOSTRA GAÚCHA DE CURTAS DO FESTIVAL DE GRAMADO

A premiação do 17º Prêmio Assembleia Legislativa – Mostra Gaúcha de Curtas do Festival de Gramado foi realizada na noite no dia 23/09, nas categorias Melhor Atriz, Melhor Ator, Melhor Direção e Melhor Filme.

MELHOR FILME

CONSTRUÇÃO, de Leonardo da Rosa

MELHOR ATOR

Mauro Soares, por DESERTO ESTRANGEIRO, de Davi Pretto

MELHOR ATRIZ

Isabél Zuaa, por DESERTO ESTRANGEIRO, de Davi Pretto

MELHOR FOTOGRAFIA

Luciana Baseggio, por DESERTO ESTRANGEIRO, de Davi Pretto

MELHOR ROTEIRO

Richard Tavares, por DESENCANTO

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE

Alice Sperb e Thiago Dorsch, por SOPA NOIR

MELHOR MÚSICA

Valmor Pedretti, por MAGNÉTICA

MELHOR EDIÇÃO DE SOM

Gabriel Portela, por LETÍCIA MONTE BONITO 04

MELHOR PRODUÇÃO EXECUTIVA

Matheus Heinz, por LACRIMOSA

Os Vencedores do Festival de Cinema de Gramado 2020

Anuncie no Vertentes do Cinema

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *