Revista da Semana | 17 de junho de 2021

Estreias e Dicas desta quinta-feira

Por Redação

Há semanas os editoriais em revista do Vertentes do Cinema parecem mais uma repetição de fatos e sensações que mais lembram um filme b, escrito por um roteirista afoito e incompetente. Este site de vez em quando adentra no universo do seriado “Mad Men”, que para nós é a melhor série de todos os tempos. Dessa vez, a maratona acontece pela quinta vez. Um forma que encontramos de redefinir caminhos e motivações. A repetição, dita no início, quer dizer que o mundo mudou (e se transforma desde o primeiro episódio). Cada vez pessoas querem explorar e buscar novos desafios e quereres imediatos. Chega a ser lógico. Uma consequência da vida e do ser humano. Se antes, lutávamos por opções, hoje, podemos escolher qualquer coisa em um piscar de olhos. “Cada mergulho, um flash”, já dizia o bordão.

A engrenagem ficou tão complexa, que complicamos a simplicidade para chegar à felicidade das pequenas coisas. Um paradoxo, sim, sabemos. Nós queremos tanto que esquecemos de viver o processo entre o procurar e o conseguir. Após a CPI da Covid (que já “cansou” a população por não ser mais novidade e “política não ser para mim”); a Copa América; a notícia do momento é o Festival de Cannes, que acontecerá presencialmente, em meio a uma pandemia, frustrando a todos por não poderem viajar (por não estarem vacinados). O que fazer se os franceses tanto fizeram e celebrarão sozinhos o festival deles, sem nenhum estrangeiro para atrapalhar a festa… Enfim.

Para colocar “fogo no parquinho”, o Vertentes do Cinema fará uma série de Lives sobre o Festival de Cannes. Mas a primeira será sobre os desafios da cultura pelos representantes da Cinemateca do MAM-RJ. Fique ligado em nossos informes. E do dia 21 a 30 de junho, nosso site se aventura em mais um festival: a I Mostra de Cinema de Maricá, que conta com a curadoria de Cavi Borges e Fabricio Duque. E logo em seguida, O CineOP e o Festival Cavideo 24 Anos. Tudo preparado com muito carinho! E, não mais importante, a Revista da Semana do Vertentes do Cinema traz uma curadoria especial com curtas, dicas lançamentos dos streaming e muito mais. Embarque e venha com a gente!

Revista da Semana | 17 de junho de 2021

CURTA DA SEMANA

Passeio

SESSÃO CINEMA BRASILEIRO

PASSEIO

ASSISTA AQUI (2016, Brasil, Distrito Federal, Digital, 32 minutos, de Lino Meireles, CRÍTICA AQUI). Claudinho é um adolescente de 15 anos prestes a ter uma experiência com a qual sempre fantasiou — um dia de adulto. Ao encontrar Danilo, Ricardo e Zoeber, todos com mais de 30, ele parte para descobrir que a maturidade não é tudo aquilo que imaginou. Com  André Araújo, Daniel Villas Bôas, Gustavo Haeser, Larissa Sacramento, Marisol Ribeiro, Sérgio Sartório. Fotografia: André Lavenere. Montagem: Umberto Martins.

Dramatica

SESSÃO BRASIL EXPERIMENTAL

DRAMÁTICA

(2005, Brasil, 18 minutos, de Ava Gaítan Rocha, Drama, Experimental). Com Cristiano Lima, Godofredo Quincas, Simone Spoladore. Inspirado livremente no poema Hierarquia (1970), de Pier Paolo Pasolini, que lança sua visão sobre o Brasil daquela época, o filme retoma e confronta a realidade híbrida de um país convulsionado, suas tensões dramáticas, a partir das experiências radicais. ESTREIA 24/06, 00:01. 


Revista da Semana | 17 de junho de 2021

EM CASA

Uma Relação Delicada

UMA RELAÇÃO DELICADA

(Pilátus, 2020, Hungria, 74 minutos, de Linda Dombrovszky, CRÍTICA AQUI). Iza, uma médica que vive em uma grande cidade, decide que a mãe, Anna, que acabou de ficar viúva e vive no interior, deve morar com ela para não ficar sozinha. Mas o ato aparentemente de afeto da filha logo se revela uma experiência sufocante para a mãe, e a convivência faz com que o relacionamento entre elas, ambas de personalidades fortes, entre em colapso. O filme é uma adaptação do livro homônimo da autora húngara Magda Szabó. Disponível na plataforma digital CINEMA VIRTUAL

Q Into the storm

Q: NO OLHO DA TEMPESTADE

(Q: Into the Storm, 2021, Estados Unidos, 353 minutos em 6 episódios, de Cullen Hoback, CRÍTICA AQUI). Quando o documentarista Cullen Hoback começa a descobrir as forças por trás de QAnon, sua atenção se volta para 8chan, o site onde “Q” posta. No caminho, “Q: No Olho da Tempestade” rastreia algumas pontas de iceberg insanas que foram alimentadas pelo QAnon, como o Pizzagate: em 2016 um homem entrou atirando numa pizzaria, em Washington, e em 2019 outro incendiou o local: de acordo com “Q”, Hillary Clinton e assessores comandavam uma rede de pedofilia e tráfico sexual no porão do estabelecimento. Disponível na plataforma digital HBO

O Sequestro de Daniel Rye

O SEGREDO DE DANIEL RYE

(Ser du månen, Daniel, 2019, Noruega, Dinamarca, Suécia, 135 minutos, de Niels Arden Oplev, CRÍTICA AQUI). Baseado na história real de Daniel Rye, um jovem fotógrafo viaja até a Síria para documentar a crise dos refugiados em 2013. Ele acaba sendo sequestrado pelo Estado Islâmico e sua família fará de tudo para libertá-lo. Disponível nas plataformas digitais Claro Now, Vivo Play, Sky Play, iTunes/Apple Tv, Google Play e YouTube Filmes.

No fundo do poço

NO FUNDO DO POÇO

(Castle in the ground, 2019, Estados Unidos, 105 minutos, de Joey Klein, CRÍTICA AQUI). Após a morte prematura de sua mãe, um adolescente torna-se amigo de seu vizinho carismático, mas problemático, e se envolve em um mundo de vício e violência no momento em que a epidemia de opióides toma conta de sua pequena cidade. Disponível na plataforma digital CINEMA VIRTUAL

Yella

YELLA

(2007, Alemanha, 89 minutos, de Christian Petzold, CRÍTICA AQUI). Yella está afastada de seu marido possessivo e violento. Quando consegue se libertar, sua vida atravessa situações estranhas e intensas, até o desfecho final. O filme começa no trem – lugar de transição, por definição – com Yella retornando à sua cidade, Wittenberge, no estado de Brandemburgo. O rio Elba – ponto de divisão entre leste e oeste, divisor das antigas Alemanha Ocidental e Oriental – contorna delicadamente a pequena aglomeração urbana. Disponível na plataforma digital MUBI

O Fim de uma Era

O FIM DE UMA ERA

(2014, Brasil, 70 minutos, de Bruno Safadi e Ricardo Pretti, CRÍTICA AQUI). Eles viveram, atuaram, amaram. Hoje lembram, revivem, transvivem no cinema e na vida. “O Fim de Uma era” representa uma ode apaixonada ao cinema essência, metaforizado por inovações tecnológicas e possibilidades infinitas de criação fílmica. Disponível na plataforma digital EMBAÚBA PLAY

Revista da Semana | 17 de junho de 2021

NOS CINEMAS 

(Nosso site precisa informar que este editorial apenas segue o protocolo de listar as críticas dos filmes que estrearam, mas nós seguimos nossa campanha de não estímulo às salas escuras #fiqueemcasa e #cinemasaindanão)

Veneza o filme

VENEZA

(2019, Brasil, 91 minutos, de Miguel Falabella, CRÍTICA AQUI). Conhecer Veneza era o maior sonho de Gringa, uma velha cafetina cega, dona de um bordel numa cidade do interior do Brasil. Em meio às histórias peculiares e aos muitos causos do bordel, Rita, a provável herdeira do lugar de Gringa, decide realizar o sonho daquela que toma como uma mãe. Para isso, contará com a ajuda das suas colegas do bordel e de Tonho, um atraente fornecedor que recebe sexo como remuneração de seus serviços. Juntos, planejam uma forma poética e lúdica de levar Gringa à romântica cidade italiana.

Nowhere Special

ALGUM LUGAR ESPECIAL

(Nowhere Special, 2020, Itália, Reino Unido, Romênia, 96 minutos, de Uberto Pasolini, CRÍTICA AQUI). Inspirado em eventos reais, este filme narra a história de John, um limpador de vidros de 35 anos, que dedicou sua vida a criar seu filho, depois que a mãe da criança os deixou logo após o parto. Quando John descobre ter apenas alguns meses de vida, ele tenta encontrar uma nova família que seja perfeita para seu filho de três anos, determinado a protegê-lo da terrível realidade da situação.

A Boa Esposa

A BOA ESPOSA

(La Bonne Épouse, 2020, França, 108 minutos, de Martin Provost, CRÍTICA AQUI). Paulette Van Der Beck (Juliette Binoche) e seu marido dirigem a escola de limpeza de Bitche na Alsácia há muitos anos. Sua missão é treinar adolescentes para se tornarem donas de casa perfeitas no momento em que se espera que as mulheres sejam subservientes ao marido. Após a morte repentina de seu marido, Paulette descobre que a escola está à beira da falência e tem que assumir suas responsabilidades.


RELEMBRE O FESTIVAL DE CANNES 2019


VEM AÍ

LIVE I MOSTRA DE CINEMA DE MARICÁ

INSCREVA-SE YOUTUBE VERTENTES DO CINEMA

(clique AQUI ou na foto e fique conectado nas novidades)

Revista da Semana | 17 de junho de 2021

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *