Tudo Sobre o Sétimo Mês da Mostra Um Curta Por Dia

Tudo Sobre o Sétimo Mês da Mostra Um Curta Por Dia

A seleção de curtas-metragens chega à janeiro com obras mais plurais e mais diversas de nossa cinematografia brasileira

Por Clarissa Kuschnir

E chegamos ao ano de 2024, com a nossa já tradicional mostra de curtas-metragens prontinha para vocês. E já digo que temos os meses de janeiro (nesta matéria) e fevereiro (completinho, aguarde publicação!). Toda a seleção (só de filmes brasileiros) traz uma pluralidade cultural, e o melhor, de graça (e sem  necessidade de cadastro), em nossa plataforma única e exclusiva. Tanto que somos chamado de o “Mubi dos Curtas”. Antes de começar a falar sobre os filmes, quero dizer que é muito bom poder estar à frente dessa curadoria, ao lado de nosso editor geral Fabricio Duque. Essa ideia insana, quase impossível, de exibir um curta-metragem diferente por dia, durante um ano inteiro, tem nos trazido resultados muito positivos, especialmente porque nossa Mostra Um Curta Por Dia abre mais uma janela de difusão, fomento e memória para os curtas-metragistas. A cada mês, desde que começamos a mostra há seis meses, o site ganha mais e mais acessos. Isso é um trabalho muito gratificante, principalmente quando conseguimos trazer curtas dos mais diversos gêneros e de décadas diferentes. É uma oportunidade para que muitos de vocês possam conhecer as primeiras obras de grandes cineastas, que hoje estão aí pelo mundo. 

E nós também temos a nova geração que está aí. Nada melhor do que influenciar esses jovens com um acervo variado e abundante dessa nossa cinematografia. Do antes que encontra o agora. Como dissemos, o Vertentes do Cinema é agora uma plataforma de exibição de curtas-metragem. Nós não temos limites, não temos censura (obviamente, que com aviso de classificação indicativa para cada filme). E sim, nós temos uma paixão por curtas e por abrir esse espaço no site, porque se não todo esse amor incondicional, talvez não tivéssemos motivação. Quero lembrar que toda a Mostra Um Curta Por Dia não tem patrocínio, não tem apoio e não tem nenhuma verba externa. Sim, parece que curta-metragem não é tão importante assim. E parece que a Lei do Curta (que deveria ser cumprida por todos os cinemas e streaming) é apenas um papel. Nós do Vertentes seguimos nossas utopias para que consigamos levar à frente este projeto. Enfim, vamos voltar aos filmes que é muito melhor!

Leia também:

Tudo Sobre o Primeiro Mês da Mostra Um Curta Por Dia

Tudo Sobre o Segundo Mês da Mostra Um Curta Por Dia

Tudo Sobre o Terceiro Mês da Mostra Um Curta Por Dia

Tudo Sobre o Quarto Mês da Mostra Um Curta Por Dia

Tudo Sobre o Quinto Mês da Mostra Um Curta Por Dia

Tudo Sobre o Sexto Mês da Mostra Um Curta Por Dia

Janeiro, ano novo, vida nova e, lógico, curtas-metragens novos a começar pelo veterano Joaquim Pedro de Andrade com seu “Vereda Tropical”. Em meio a ditadura militar, o cineasta lançou essa divertida pérola protagonizada por Claudio Cavalcanti, que se relaciona com uma melancia. O curta faz parte de um episódio de seu longa “Contos Eróticos”, de 1977. Então, começamos o  ano com a década de 70. Antes de seguir para os anos 2000, teremos também Leon Hirszman com seu “A Maioria Absoluta”,  documentário dos anos 60, narrado por Ferreira Gullar. E dos anos 80, “Volta Redonda – Memorial de Greve”, do mestre Eduardo Coutinho, e “Cinemateca Brasileira”, de Ozualdo Ribeiro Candeias. 

Nossa programação inclui também um curta para os fãs de “Star Wars – Guerra nas Estrelas“ chamado “Jedis”, dirigido por Cavi Borges (o incansável Cavi!), realizado no ano de 2005. E tem mais Cavi em parceria com Christian Caselli no documentário “60 anos em 10 segundos”. Ainda na linha dos fãs do cinema americano, o curta tarantinesco “Tarantino’s Mind” é realizado pelo coletivo brasileiro 300 ML. A trama retrata uma discussão entre dois amigos, sobre uma tese do cinema de Quentin Tarantino. 

E como janeiro tem o Dia de Reis e sempre procuramos curtas que também dialoguem com as datas festivas, nós fomos atrás do documentário “Folia de Reis”, de Marina Barreto, que mostra a famosa festa na cidade de Duas Barras, no interior fluminense.  Ainda com “Reis” no título, tem o também documentário “Meninos e Reis”, de Gabriela Romeu, rodado na região do Cariri cearense. E do interior pernambucano, tem curta premiado. Vindo de Caruaru,  O Balido Interno”, de Éder Deo, é uma ótima e forte história de ficção, com uma bela direção de arte.

Outros curtas premiados em festivais desses últimos anos estão nesse mês de janeiro da Mostra Um Curta Por Dia. O documentário indígena “A Tradicional Família Brasileira de Katu”, de Rodrigo Sena; a ficção “Um Café e Quatro Segundos”, de Cristiano Requião, com excelentes atuações de Osmar Prado e Samir Murad; “Ilha”, de Ismael Moura (curta mais premiado da história da Paraíba), protagonizado por Fernando Teixeira; a animação “Sonhos de Isah: O Baú do Papai”, um média metragem (sim, temos espaço para curtas e médias!); “Rainha” da cineasta Sabrina Fidalgo; “O Clube”, de Allan Ribeiro, que recentemente teve seu longa “Mais Um Dia, Zona Norte” premiado, incluindo melhor filme pelo júri oficial, na 56ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. 

A lista de curtas complementa-se com os filmes mais experimentais de nosso cinema: “Manifesto”, de Gabriel Koi; “Jornal”, do veterano Luiz Rosemberg Filho; “Domicílio Interno”, de Davi Mello e Deborah Perrotta, realizado durante a Pandemia; “Manifesto 2”, de Patrícia Niedermeier; “Não Se Pode Abraçar Uma Memória”, de Pedro Tavares; “Vaga Carne”, de Grace Passô e Ricardo Alves Jr. Já no campo das ficções, temos “A Noite Estava Fria”, de Leonardo Amaral Amorim; “Namoro de Simpatia”, de Fabi Melo; “A Poeira dos Pequenos Segredos”, de Bertrand Lira (que integrou a equipe do Júri Abraccine no Fest Aruanda 2023 junto de nosso editor geral Fabricio Duque e a jornalista Neusa Barbosa); “Objeto/Sujeito”, de Bruno Autran; “Verde Limão”, de Henrique Arruda e o “O Fim do Recreio”, de Vinicius Mazzon e Nélio Spréa. Dos documentários: “Tatame”, de Felipe Fernandes e Daniel Nolasco; e “Cemitério do Parque”, de José Carlos José de Faria e Souza.

Cada mês, a Mostra Um Curta Por Dia apresenta uma cor da arte de divulgação (toda feita por nosso vertenteiro Ahriel Spá – que inclusive cataloga todos os curtas na nossa plataforma), sempre para remeter as campanhas sociais de Prevenção às doenças de saúde. O mês de janeiro começa com o roxo para assim apoiar o “Janeiro Roxo”, que desde 2016 ficou oficializado pelo Ministério da Saúde como o mês da conscientização ao combate à Hanseníase, doença infecciosa causada por uma bactéria, que atinge a pele e os nervos periféricos como mãos e pés. Os sintomas iniciais incluem: manchas na pele, resultando em lesões e perda de sensibilidade na área afetada. Também pode acontecer fraqueza muscular e sensação de formigamento nas mãos e nos pés. Quando os casos não são tratados no início dos sinais, a doença pode causar sequelas progressivas e permanentes, incluindo deformidades e mutilações, redução da mobilidade dos membros e até cegueira. Se diagnosticada a tempo, as chances de cura são altas, evitando a transmissão para outras pessoas. O Brasil é o segundo país com o maior número de casos no mundo, ficando apenas atrás da Índia. Por isso, a importância de conscientizar a população. Então, o Vertentes do Cinema, junta-se à campanha (acesse aqui o site para maiores informações!). Um Feliz começo de ano a todos os vertenteiros e a todas as vertenteiras. E bora de curtas!

PROGRAMAÇÃO COMPLETA DO SÉTIMO MÊS DA MOSTRA UM CURTA POR DIA

DIA 01/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

VEREDA TROPICAL

(Vereda Tropical, 1977, Brasil, 24 minutos, Ficção, de Joaquim Pedro de Andrade). Com Cristina Aché, Cláudio Cavalcanti, Carlos Galhardo. Acadêmico que se encontra escrevendo sua tese de pós-graduacão é tarado por melancias e conta sobre suas aventuras amorosas a uma amiga também pós-graduanda. Ao final, acaba convencendo sua amiga a também se tornar adepta do sexo com legumes e frutas. Curioso episódio realizado para o longa-metragem Contos Eróticos, cuja dimensão paródica permanece um tanto quanto obscura – sátira a inocuidade do mundo acadêmico diante da ditadura? Ao cinema romântico pausterizado guiado pelo cânone melodramático? Mais importa, no entanto, seu nonsense construído a partir de situações de dialogo aparentemente realistas ou a hilária seqüência inicial do ato sexual precoce com a melancia ou ainda a afetação homossexual na seqüência em que o protagonista anda de bicicleta com sua amiga. Classificação indicativa: 14 anos


DIA 02/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

MANIFESTO

(Manifesto, 2018, Brasil, 07 minutos, Experimental, de Gabriel Koi). O Curta interpreta e materializa manifestações emocionais enquanto o consciente e o sub-consciente se confundiam. Em uma forma lírica, O Manifesto é uma dedicatória a estas percepções alcançadas, e uma forma de estudos das mesmas, e de como elas refletem no próprio corpo humano. “Manifesto” foi feito durante o projeto “Processadora”, que consistiu em encontros de jovens produtores audiovisuais durante 3 meses na Void General Store São Paulo. Classificação indicativa: 12 anos


DIA 03/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

A NOITE ESTAVA FRIA

(A Noite Estava Fria, 2017, Brasil, 17 minutos, Ficção, de Leonardo Amaral Amorim). Bruno (João Vitor Marques) é um jovem do interior que lida com a solidão após se mudar para estudar na capital. Deposita suas inseguranças em Caio (Madson Melo), outro universitário que conheceu pela internet, mas que só ocasionalmente podem se encontrar, pois moram em cidades distintas. Classificação indicativa: 12 anos


DIA 04/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

RAINHA

(Rainha, 2016, Brasil, 30 minutos, Ficção, de Sabrina Fidalgo). Com Sabrina Fidalgo, Ana Flávia Cavalcanti, Marilia Coelho, Bianca Joy Porte, Jerry Gilli, Ana Chagas, Marco Andrade, Felipe Frazão, Eduarda Teixeira, Gabriela Patrocí­nio, Vitoria Lima, Eugênia Branco, Cecilia Bueno, Julia Senne. Rita finalmente realiza o sonho de se tornar a rainha de bateria da escola de samba de sua comunidade; porém, ela terá que lutar contra forças obscuras, internas e externas. Classificação indicativa: Livre


DIA 05/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

MENINOS E REIS

(Meninos e Reis, 2016, Brasil, 16 minutos, Documentário, de Gabriela Romeu). Num dos folguedos mais populares do Cariri cearense, o palhaço pinta a cara de preto, crianças aprendem a jogar espada com destreza e meninas crescem como rainhas. Mas Maria, a rainha de um dos reinados mais tradicionais da região, está no último ano de reinado e encara o drama de passar a coroa para a irmã mais nova, vivendo um verdadeiro rito de passagem. Classificação indicativa: Livre


DIA 06/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

FOLIA DE REIS

(Folia de Reis, 2018, Brasil, 24 minutos, Documentário, de Marina Barreto). A Folia de Reis, uma das mais tradicionais manifestações de fé no Brasil, é o tema do curta produzido pela equipe da TV Brasil. A produção investiga a festividade que envolve aspectos como promessa, devoção, fé, legado e tradição. O documentário combina dança às entrevistas com pesquisadores e devotos para revelar os bastidores dessa manifestação da cultura popular. A roteirista, Marina Barreto, é de Duas Barras, interior fluminense, onde o documentário foi gravado. A equipe que foi até lá acompanhou as manifestações durante um fim de semana de Dia de Reis, que é comemorado em 6 de janeiro. Classificação indicativa: Livre


DIA 07/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

NAMORO DE SIMPATIA

(Namoro de Simpatia, 2015, 10 minutos, Ficção, de Fabi Melo). Palomena  (Paloma Guimarães) e Mariinha (Mariana Vasconcelos), encontram um caderno de simpatias no meio do mato e se aventuram para arrumar um namorado. Será que vai dar certo? Classificação indicativa: Livre


DIA 08/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

A TRADICIONAL FAMÍLIA BRASILEIRA DE KATU

(A Tradicional Família Brasileira de Katu, 2019, Brasil, 25 minutos, Documentário, de Rodrigo Sena). Em 2007, doze adolescentes do Eleutério do Katu RN, foram retratadas em ensaio fotográfico em reconhecimento das raízes indígenas, doze anos depois o fotografo volta ao Katu em busca desses protagonistas, hoje já adultos, para saber de suas trajetórias pessoais e suas visões de mundo. Classificação indicativa: Livre


DIA 09/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

O BALIDO INTERNO

(O Balido Interno, 2020, Brasil, 15 minutos, Ficção, de Eder Déo). O filme conta a história de Joana, uma feirante vendedora de ervas que tem um bode como bicho de estimação. O animal é pivô da tensão entre ela e seu vizinho de barraca, um homem muito religioso. Classificação indicativa: 14 anos


DIA 10/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

JORNAL

(Jornal, 2017, Brasil, 21 minutos, Experimental, de Luiz Rosemberg Filho). Um filme-colagem na escritura visual do cineasta Luiz Rosemberg Filho. Classificação indicativa: 18 anos


DIA 11/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

CINEMATECA BRASILEIRA 

(Cinemateca Brasileira, 1983, Brasil, 13 minutos, Documentário, de Ozualdo Ribeiro Candeias). Documentário sobre as atividades da Cinemateca Brasileira, acompanha o início da transferência para a sede atual. O filme apresenta uma Cinemateca Brasileira ainda dividida por diferentes locais, assim como já esteve em inúmeros outros, sempre de maneira provisória e em depósitos muito longe do ideal e necessário. Classificação indicativa: Livre


DIA 12/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

JEDIS

(Jedis, 2005, Brasil, 18 minutos, Documentário, de Cavi Borges, Gustavo Melo e Arthur Sherman). Documentário sobre os fãs fanáticos da série de filmes Star Wars. Classificação indicativa: Livre


DIA 13/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

A POEIRA DOS PEQUENOS SEGREDOS

(A Poeira dos Pequenos Segredos, 2012, Brasil, 20 minutos, Ficção, de Bertrand Lira). Com Nanego Lira, Veronica Sousa. Um homem do campo e o fascínio pelo pela grandeza do mundo e seus mistérios. Uma mulher e sua longa espera. Classificação indicativa: 12 anos


DIA 14/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

DOMICÍLIO INCERNO

(Domicílio Incerno, 2020, Brasil, 43 minutos, Documentário, Experimental, de Davi Melo e Deborah Perrotta). Entre os meses de abril e julho de 2020, os cineastas Davi Mello e Deborah Perrotta trocaram vídeo-cartas. Ele, em São Paulo. Ela, em Turim. Classificação indicativa: Livre


DIA 15/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

O CLUBE

(O Clube, 2014, Brasil, 17 minutos, Documentário, de Allan Ribeiro). A Turma OK, o clube social gay no Rio de Janeiro, o mais antigo da América Latina, comemora 53 anos com uma reunião de simpatizantes e dos transformistas associados. Classificação indicativa: 10 anos


DIA 16/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

60 ANOS EM 10 MINUTOS

(60 Anos em 10 Minutos, 2020, Brasil, 10 minutos, Documentário, de Cavi Borges e Christian Caselli). Um documentário que passeia em dez minutos sobre os 60 anos da Cinemateca do Museu de Arte Modena do Rio de Janeiro. Com Hernani Heffner. Classificação indicativa: Livre


DIA 17/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

MAIORIA ABSOLUTA

(Maioria Absoluta, 1964, Brasil, 20 minutos, Documentário, de Leon Hirszman). A obra retrata o cotidiano de trabalhadores rurais analfabetos, especialmente os nordestinos, que vivem na miséria extrema. Apesar de não saber ler nem escrever, eles são conscientes de sua condição. Com Ferreira Gullar. Classificação indicativa: Livre


DIA 18/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

MENINO DE AREIA

(Menino de Areia, 2023, 20 minutos, Ficção, de Murilo Barbosa Simões). Natan, um homem marcado pelo desaparecimento de seu pai, encontra uma foto perdida de um dia apagado de sua memória. O contato com o passado provoca um conflito de identidade e o nascimento do seu Duplo, um monstro que encarna tudo o que ele nega em si mesmo. Classificação indicativa: 12 anos


DIA 19/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

TARANTINO’S MIND   

(Tarantino’s Mind, 2006, Brasil, 15 minutos, Ficção, de Coletivo 300 ML). Dois amigos discutem uma tese sobre os filmes do diretor Quentin Tarantino num tradicional restaurante de São Paulo. Classificação indicativa: 16 anos


DIA 20/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

MANIFESTO 2

(Manifesto 2, 2020, Brasil, 07 minutos, Experimental, de Patricia Niedermeier). Continuação do curta-metragem “Manifesto de uma Cineasta” que desfragmenta a peça-filme “François Truffaut – o Cinema é Minha Vida”, idealizada pelo crítico-roteirista Rodrigo Fonseca, pela atriz Patricia Niedermeier e pelo diretor Cavi Borges. E encenada no teatro-cinema da sala 4 Multiuso do Estação Net Botafogo. Classificação indicativa: 12 anos


DIA 21/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

ILHA 

(ILHA, 2014, 15 minutos, Ficção, de Ismael Moura). Seu Antônio, um senhor de seus 80 anos vive isolado em uma casa velha junto com seu filho, um rapaz que sofre de um distúrbio mental e sendo obrigado a viver em cativeiro em um quarto escuro cercado com água, transformando sua cama em uma espécie de ilha. A vida dos dois vive em frequentemente conflito de um homem sofrido e esquecido pela sociedade com seu filho com uma doença perturbadora. Atingindo a marca inédita de 87 prêmios nacionais e internacionais, o filme “Ilha” se tornou o curta-metragem mais premiado da história da Paraíba. Classificação indicativa: 14 anos


DIA 22/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

OBJETO/SUJEITO

(Objeto/Sujeito, 2017, Brasil, 11 minutos, Ficção, de Bruno Autran). Ele, Sujeito precisa lidar com o Objeto. Nessa jornada, Objeto se torna Sujeito. O curta foi exibido no Festival de Cinema de Gramado. Classificação indicativa: Livre


DIA 23/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

NÃO SE PODE ABRAÇAR UMA MEMÓRIA

(Não se Pode Abraçar uma Memória, 2021, Brasil, 09 minutos, Experimental, de Pedro Tavares). Entre a partida e a chegada do trem. Classificação indicativa: 12 anos


DIA 24/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

SONHOS DE ISAH: O BAÚ DO PAPAI

(Sonhos da Isah: O Baú do Papai, 2020, Brasil, 08 minutos, Animação, de João Ricardo Costa). Reparados para uma viagem no tempo? Embarque nesse baú de aventuras junto com Isah e seu Pai! Além dos seus brinquedos favoritos: a dinossaura Dinorah e o robô Robobo, seja testemunha de acontecimentos que irão estimular o debate sobre as regras familiares desde a década de 40. Classificação indicativa: Livre


DIA 25/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

VERDE LIMÃO

(Verde Limão, 2018, Brasil, 18 minutos, Ficção, Musical, de Henrique Arruda). Com Caio Andrade, Fanny Rodrigo, Moisés Ferreira, Bibi Bitx, Firmino Brasil, Danuza D’Salles, Lulu Albuquerque, Danina Fromer, Jaqlino e Marcondes Lima. Prestes a entrar no palco pela última vez, uma Drag Queen revisita todas as cicatrizes que formam o seu carnaval. Classificação indicativa: 16 anos


DIA 26/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

VOLTA REDONDA – MEMORIAL DE GREVE

(Volta Redonda – Memorial de Greve, Brasil, 1989, 39 minutos, Documentário, de Eduardo Coutinho). O documentário mostra a grande greve de 1988 dos trabalhadores da Companhia Siderúrgica Nacional, que é reprimida violentamente. Classificação indicativa: 14 anos


DIA 27/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

TATAME

(Tatame, 2016, Brasil, 22 minutos, Documentário, de Felipe Fernandes e Daniel Nolasco). A luta livre é também conhecida como professional wrestling, lucha libre e puroresu. A FILL – Federação Internacional de Luta Livre – é uma das academias símbolo da cena independente atual no Brasil. Realiza parte de seus shows na quadra de um antigo clube abandonado, em Vicente de Carvalho, zona norte do Rio de Janeiro. Tatame é um retrato afetivo dos principais membros da FILL. Da rotina diária à transformação que cada um passa para se tornar os protagonistas deste espetáculo. Classificação indicativa: 18 anos


DIA 28/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

VAGA CARNE

(Vaga Carne, 2019, Brasil, 45 minutos, Experimental, de Grace Passô, Ricardo Alves Jr.). Uma estranha voz toma posse do corpo de uma mulher. Juntos, a voz e o corpo procuram por pertencimento e por uma identidade própria enquanto questionam seus papéis dentro da sociedade. O filme é uma transcriação do espetáculo teatral da atriz e dramaturga Grace Passô. Classificação indicativa: 14 anos


DIA 29/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

UM CAFÉ E 4 SEGUNDOS

(Um Café e 4 Segundos, Brasil, 2020, 15 minutos, Ficção, de Cristiano Requião). O filme é sobre dois torturadores do sórdido e sádico período militar que se encontram anos depois para acertarem contas daquela época. Com Osmar Prado e Samir Murad, o filme foi exibido em mais de trinta festivais e recebeu sete prêmios entre eles de melhor filme e melhor ator (Osmar Prado). Classificação indicativa: 16 anos

DIA 30/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

CEMITÉRIO PARQUE 

(Cemitério Parque, 2018, Brasil, 34 minutos, Documentário, de José Carlos de Faria e Souza). Em 1965 o governador Lacerda em solenidade no Parque Lage decreta seu tombamento. O presidente das Organizações GLOBO, Roberto Marinho, um dos proprietários do terreno, é contrariado no seu interesse de transformá-lo em um cemitério. O realizador do filme assiste ao evento e narra o reflexo no seu dia a dia dos acontecimentos políticos das décadas 1950-70. Classificação indicativa: Livre

DIA 31/01 – Início 09:00 – Assista por AQUI

O FIM DO RECREIO

(O Fim do Recreio, 2012, Brasil, 18 minutos, Ficção, de Vinicius Mazzon e Nélio Spréa). No Congresso Nacional, um projeto de lei pretende acabar com o recreio escolar. Ao mesmo tempo, em uma escola municipal de Curitiba, um grupo de crianças pode mudar toda essa história. Recheado de vibrantes brincadeiras infantis, O Fim do Recreio é um curta-metragem para todos os públicos, que bota a boca no trombone e avisa: cobra parada não engole sapo! Foi o grande vencedor da 11ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis, escolhido pelo Júri Oficial e pelo voto do público infantil – recebeu um Prêmio Aquisição da TV Brasil.  Classificação indicativa: Livre

Mostra Um Curta Por Dia Sétimo Mês Janeiro 2024

SERVIÇO

Mostra Um Filme Por Dia – Sétimo mês

Online no site Vertentes do Cinema

vertentesdocinema.com

De 01 de janeiro a 31 de janeiro de 2024

Cada curta será exibido somente por 24 horas.

Evento Gratuito (não é preciso fazer nenhum cadastro)

Banner Vertentes Anuncio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *