Rio Mumbai

Revista da Semana | 27 de maio de 2021

Estreias e Dicas desta quinta-feira

Por Redação

A vida é um eterno aprendizado mesmo. Nos momentos mais caóticos e surreais (como a pandemia da COVID-19, inimigo número um), é que nos damos conta do poder de nossos cérebros em criar sinapses defesas / gatilhos / dispositivos a fim de proteger a saúde mental. Cada um, muito provavelmente, quase inevitavelmente, deve ter despertados-descobertos manias, futilidades e breguices nunca antes vivenciadas, como assistir ao reality show “Big Brother Brasil”, que se uniu a “De Férias com o Ex Brasil”, que puxou “The Circle”, que engatou em “Soltos em Floripa”. E/ou há quem se vicie em programas de vendas, compras e reformas de casa, como “Ame-a ou Deixa-a Vancouver”. Ou dor Irmãos Scott.

Sim, não podemos julgar nada e nenhuma maratona (na verdade, precisamos aproveitar a experiência traumática para deixar de perceber nossos próximos com olhos tão limitados – deixa, por favor, cada ser ser um ser livre), porque vivemos atualmente uma “vírgula deslocada” e confusa de nossa história existencial. Nada será como antes. Até a esperança na humanidade se dissipa como uma enxurrada. Na Folha de São Paulo de hoje, noticiou-se que “homens viraram mulheres e fraudaram gravidezes para se vacinar”. Pois é. Brasil sendo Brasil. Mas lá fora não é tão diferente. O que nos faz crer que é o ser humano o centro de toda bagunça generalizada criada. Desculpa Darwin! Não conseguimos ainda a evolução. Contudo, estamos mais agora próximos à luz. Mais vacinados. Menos mortes. Mais protegidos. E assim, ganhamos esperança e a sensação de alívio de que o futuro será melhor que o presente. Viva o SUS! Viva todos os Profissionais de Saúde!

E para ajudar um pouco nessa esperança, a Revista da Semana do Vertentes do Cinema entra no ar com dicas/lançamentos dos streaming, o que está nos cinemas (ainda que puxemos as orelhas e mantemos a campanha #não saia de casa e # não vá ao cinema), curtas-metragens e a cobertura completa do Festival Estação Virtual, que já conta conta co mais de 250 filmes do cinema brasileiro, totalmente online, gratuito e com muitas lives/encontros/debates sobre as obras exibidas. Um deleite cinéfilo em meio ao caos. Embarque nesta curadoria especial. Um guia para não perder nada do que acontece na sétima arte.

Gostaríamos também de deixar uma homenagem a Regina Miranda e dizer que seu filme “Water Clock” é um grande destaque do Festival. A crítica saíra em breve. Embarque liberado!

Revista da Semana | 27 de maio de 2021

CURTA DA SEMANA

CINEMA BRASILEIRO

ANGÚSTIA

ASSISTA AQUI (2016, Brasil, 19 minutos, de Frederico Machado). Um mercado humano faz um homem mergulhar em um abismo sem retorno. Sem ninguém para confiar sua tristeza., o homem desaba em sua dor.

O Teu Sorriso

PRÓXIMO CURTA

O TEU SORRISO 

(2009, Brasil, 19 minutos, de Pedro Freire, CRÍTICA AQUI). Rodrigo e Suzana estão namorando há poucas semanas. Ele tem 72 anos, ela tem 60, e estão completamente apaixonados. Juntos, passam os dias na cama, namorando, batendo papo, comendo e rindo. ESTREIA 03/06, 00:01.


Revista da Semana | 27 de maio de 2021

EM CASA

Inna de Yard

INNA E YARD – A ALMA DA JAMAICA

(Inna de Yard – The Soul of Jamaica, 2019, França, 99 minutos, de Peter Webber, CRÍTICA AQUI). Capturando a relevância contínua do reggae e seus valores sociais, e a paixão da música para revitalizar uma geração mais velha e transmiti-la aos ouvintes mais jovens. Disponível na plataforma digital RESERVA IMOVISION

Oxigen

OXIGÊNIO

(Oxygène, 2021, França, Estados Unidos, 100 minutos, de Alexandre Aja, CRÍTICA AQUI). Uma mulher acorda em uma câmara criogênica sem nenhuma lembrança de como chegou lá. Como o oxigênio está acabando, ela deve reconstruir a memória para encontrar uma maneira de sair do pesadelo. Disponível na plataforma digital NETFLIX

A mulher na janela

A MULHER NA JANELA

(The Woman in the Window, 2021, Estados Unidos, 102 minutos, de Joe Wright, CRÍTICA AQUI). Anna Fox (Amy Adams) se sente mais segura observando o mundo através da janela. Mas quando a família Russell se muda para o outro lado da rua, ela acaba testemunhando algo inimaginável. A pergunta é… o que realmente aconteceu? Disponível na plataforma digital NETFLIX

Revue

REVUE

(Predstavlenye, 2008, Rússia, 82 minutos, de Sergei Loznitsa, CRÍTICA AQUI). Compilação minuciosa de trechos de cinejornais configuram um retrato evocativo da vida soviética durante os anos 1950 e 1960. Disponível na plataforma digital MUBI

O PROCESSO

(Process – The Trial, 2018, Rússia, Holanda, 125 minutos, de Sergei Loznitsa, CRÍTICA AQUI). Durante a década de 1930, Joseph Stalin realizou uma série de julgamentos de seus oponentes políticos, os acusando de conspirar contra o Estado e tentar reinstaurar o capitalismo. Imagens restauradas de um dos primeiros julgamentos constroem uma narrativa sobre as consequências da autoridade total. Disponível na plataforma digital MUBI

Boi Neon

BOI NEON

(2015, Brasil, 101 minutos, de Gabriel Mascaro, CRÍTICA AQUI). remar (Juliano Cazarré) é um vaqueiro de curral que viaja pelo Nordeste, ao lado de Galega (Maeve Jinkings) e a pequena Geise (Samya de Lavor). Por onde passa Iremar recolhe revistas, panos e restos de manequins, já que seu grande sonho é largar tudo para iniciar uma carreira como estilista no Pólo de Confecções do Agreste. Disponível na plataforma digital NETFLIX

O FESTIVAL ESTAÇÃO VIRTUAL ENTRA NA QUARTA SEMANA COM NOVOS FILMES

(clique AQUI ou na foto e saiba tudo)

TUDO SOBRE O FESTIVAL ESTAÇÃO VIRTUAL

(clique AQUI ou na foto e saiba tudo)

CONFIRA NOSSA COBERTURA CRÍTICA DO FESTIVAL ESTAÇÃO VIRTUAL


Revista da Semana | 27 de maio de 2021

NOS CINEMAS 

(Nosso site precisa informar que este editorial apenas segue o protocolo de listar as críticas dos filmes que estrearam, mas nós seguimos nossa campanha de não estímulo às salas escuras #fiqueemcasa e #cinemasaindanão)

Alvorada

ALVORADA

(2021, Brasil, 80 minutos, de Lô Politi e Anna Muylaert, CRÍTICA AQUI). Na intimidade do Palácio da Alvorada, o cotidiano da presidente Dilma Rousseff, primeira e única mulher a governar o Brasil, durante o desenrolar dramático do impeachment que a tirou do poder. Rodado entre julho e setembro de 2016, o filme testemunha a tensão e a perplexidade que escalavam no círculo da presidente, em reuniões, telefonemas intermináveis e sussurros ouvidos da cozinha à guarda do palácio de Oscar Niemeyer. Ao mesmo tempo, revela uma personalidade surpreendente nas conversas informais em que Dilma fala de política, história, literatura – e de si própria.

Alice e o Prefeito

ALICE E O PREFEITO

(Alice et le maire, 2019, França, Bélgica, 103 minutos, de Nicolas Pariser, CRÍTICA AQUI). O prefeito de Lyon, Paul Théraneau, está em uma posição delicada. Depois de 30 anos na política, ele está ficando sem ideias. Sua popularidade está caindo, e ele sente um vazio existencial. Para solucionar seu problema, Paul contrata uma jovem e brilhante filósofa, Alice Heimann. Essas duas personalidades completamente opostas irão colocar à prova suas certezas.


LIVES DO FESTIVAL ESTAÇÃO VIRTUAL 

(assista a seguir e em sequência)

#35 ANOS DE CURTAS

#35 ANOS LGBTQIA+


PRÓXIMA LIVE

INSCREVA-SE YOUTUBE VERTENTES DO CINEMA

(clique AQUI ou na foto e fique conectado nas novidades)

Revista da Semana | 27 de maio de 2021

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *