Revista da Semana | 24 de dezembro de 2020

Estreias e Dicas desta quinta-feira

Por Redação

Ho Ho Ho. Pois é, nunca imaginaríamos que nosso Natal seria em “espaço solidário”, como diz Regina Miranda. A quarentena, para alguns, que ficam em casa contra o contágio do Coronavírus e contra os que negam a gravidade da crise mundial do agora. A solução é relaxar, assistir filmes e seguir a curadoria especial da Revista Semanal do Vertentes do Cinema. Tudo para afastar a melancolia característica do nascimento de Jesus Cristo e/ou do Papai Noel. E também de todas as reprises de obras natalinas. Nosso site deseja a máxima das “Meninas Super Poderosas”: “Tudo de bom que há nesta vida”. Então é Natal… Limpa com jornal… E Merry Christmas!

CURTA DA SEMANA

Mina de Fe

SESSÃO EM BRASÍLIA

MINA DE FÉ

ASSISTA AQUI (2004, Brasil, 15 minutos, de Luciana Bezerra). A vida de uma jovem pode ser realmente difícil quando seu amor é o chefe do tráfico. Assim é Silvana. Com Carla Severo, Luciano Vidigal e Manuel Junior.

PRÓXIMO CURTA

SOB O CÉU NORDESTINO

(1929, Brasil, 24 minutos dos 120 minutos originais, Silencioso, de Walfredo Rodrigues). O filme, definido pela produtora Nordeste Filme como um “filme natural de costumes do Nordeste brasileiro” é o resultado do trabalho incessante do cineasta, que percorreu a Parahyba do Norte durante quatro anos (1924 a 1928) para registrar os seus vários aspectos geográficos e culturais, com a preocupação em desfazer a imagem negativa que o sul do Brasil tinha da região. À época do seu lançamento, a película contava com aproximadamente duas horas de projeção. Mas a cópia original foi perdida quando um dos colaboradores do cineasta, ao levá-la para a França a fim de inserir melhoramentos técnicos, veio a falecer subitamente. Somente em 1988, parte do filme, com aproximadamente 25 minutos de duração, foi identificada na Cinemateca Brasileira, baseada nos registros documentais feitos, principalmente, a partir do lançamento do filme. Esta amostra é o que sobrou para ser assistida, atualmente. ESTREIA 31/12, 00:01.


EM CASA

Soul

SOUL

(2020, Estados Unidos, 106 minutos, de Pete Docter, CRÍTICA AQUI). Joe Gardner é um professor do ensino médio apaixonado por jazz. Após um ensaio em um show no Half Note Club, ele repentinamente sofre um acidente que separa sua alma de seu corpo e é transportado para o You Seminar, um centro no qual as almas se desenvolvem e ganham paixões antes de serem transportadas para um bebê recém-nascido. Joe deve pedir ajuda a outras almas em treinamento, como 22, uma alma que passou eras no Seminário You, para voltar a Terra. Disponível na plataforma digital Disney Plus. 

AmarElo

EMICIDA: AMAR ELO – É TUDO PRA ONTEM

(2020, Brasil, 89 minutos, de Fred Ouro Preto, CRÍTICA AQUI). Num palco histórico, ele quer criar uma ponte para conectar um passado de dificuldades a um futuro de mudanças sociais. “Emicida: AmarElo – É Tudo Pra Ontem”é assimilação de uma estética da violência, mas da autopreservação. É um grito sambado. Tautologia. Mas é homenagem para a História popular que não é ensinada pela elite. E aqui devo fazer digressão para comentar que as filmagens captando uma grande parte do público boquiaberta ou emocionada com o show, é algo de sentimentos divergentes. Disponível na plataforma digital Netflix. 

CIDADE PÁSSARO

(2020, Brasil, 102 minutos, de Matias MarianiCRÍTICA AQUI). O nigeriano Amadi (O.C. Ukeje) procura seu irmão Ikenna (Chukwudi Iwuji) na cidade de São Paulo. Aos poucos percebe que o supostamente bem sucedido professor de matemática inventou para sua família uma narrativa imaginária de sua vida no Brasil. Amadi descobre lentamente a verdade em uma missão pelo submundo da cidade. “Cidade Pássaro” é uma experiência que nos faz voar junto, com suas investigações-crônicas, imergindo nas dificuldades de estrangeiros imigrantes, que trazem as raízes em seus “corações e mentes”. Pode também ser um poema contemporâneo por enaltecer a diversidade do ser e do agir (de revolta, defesa e/ou resiliência). Ora forçando a mente a apagar a nova língua para preservar o passado. Disponível na plataforma digital Netflix. 

Un Film Dramatique

UM FILME DRAMÁTICO

(Un film dramatique, 2019, França, 114 minutos, de Eric Baudelaire, CRÍTICA AQUI). O artista e cineasta Eric Baudelaire passou quatro anos interagindo com os alunos de uma aula de cinema, em uma escola secundária no subúrbio parisiense de Saint-Denis. Mantendo-se à margem, ele dá lugar para expressarem seus pensamentos e sonhos. Os comentários são intuitivos, mas apaixonados e surpreendentemente maduros, a respeito de questões difíceis e complicadas, que vão desde o racismo, a imigração e a identidade, até às possibilidades do filme como meio. Disponível na plataforma Mubi. 

Volume Morto

VOLUME MORTO

(2019, Brasil, 80 minutos, de Kauê Telloli, CRÍTICA AQUI). Uma jovem professora se mobiliza para resolver o estranho caso de um menino mudo, de sete anos de idade, mas acaba se tornando a principal suspeita do problema. Não estamos tão conscientes do pé que nos encontramos. Síntese tropykal. Mas os olhos vêm cansando da esterilidade que parte do cinema vêm se portando, é um formalismo tacanho que entra na roda para a retroalimentação do público e da produção. A panela é boa para quem tá nela. É o barato do ego. Disponível no Canal Brasil. 

Viajo porque preciso volto porque te amo

VIAJO PORQUE PRECISO, VOLTO PORQUE TE AMO

(2009, Brasil, 75 minutos, de Karim Aïnouz e Marcelo GomesCRÍTICA AQUI). José Renato (Irandhir Santos) tem 35 anos, é geólogo e foi enviado para realizar uma pesquisa, onde terá que atravessar todo o sertão nordestino. Sua missão é avaliar o possível percurso de um canal que será feito, desviando as águas do único rio caudaloso da região. À medida que a viagem ocorre ele percebe que possui muitas coisas em comum com os lugares por onde passa. Desde o vazio à sensação de abandono, até o isolamento, o que torna a viagem cada vez mais difícil. Disponível na plataforma digital Netflix. 

O CÉU DA MEIA NOITE 

(The Midnight Sky, 2020, Estados Unidos, 118 minutos, de George Clooney, CRÍTICA AQUI). O Céu da Meia-Noite acompanha Augustine (George Clooney), um solitário cientista no Ártico que tenta impedir que Sully (Felicity Jones) e seus colegas astronautas voltem para casa em meio a uma misteriosa catástrofe mundial. Disponível na plataforma digital Netflix. 

Out

SEGREDOS MÁGICOS

(Out, 2020, Estados Unidos, 9 minutos, de Steven Clay Hunter, CRÍTICA AQUI). A trama mostra um jovem gay que ainda não se confessou para seus pais, que inesperadamente tem sua mente trocada magicamente pela de seu cachorro. O sétimo curta da série SparkShorts, é o primeiro curta-metragem da Disney e da Pixar a apresentar um personagem principal gay e um enredo, incluindo um beijo do mesmo sexo na tela. Disponível na plataforma digital Disney Plus. 

SALTO NO VAZIO 

(2018, Brasil, 64 minutos, de Patricia Niedermeier e Cavi Borges, CRÍTICA AQUI). As memórias da viagem feita pelo casal de artistas Cavi Borges e Patrícia Niedermeier são transformadas em um filme-ensaio. O cenário é composto de paisagens localizadas no Brasil, Estados Unidos, Alemanha, Síria, França e Hungria, onde foi registrada uma série de coreografias e outras performances criadas por ambos. Uma obra de arte que encontra a perfeita sincronia do salto em um rio com água suficiente para aflorar a paixão e nunca afogar nas estranhezas da relação. Assista ao filme na página principal do site e BAIXE AQUI o folder brinde que preparamos sobre o filme! Disponível na plataforma digital Amazon Prime Video!

SELEÇÃO ESPECIAL CINEMATECA FRANCESA

THE VAMPIRES – EPISÓDIO 1: A CABEÇA CORTADA

(Les Vampires, épisode 1, La Tête coupée, 1915, França, 30 minutos, Silencioso, de Louis Feuillade) ASSISTA AQUI

Com Édouard Mathé, Marcel Levesque, Jean Ayme. Episódio 1. Enquanto a gangue de vampiros está desenfreada em Paris, o corpo sem cabeça do Inspetor Durtal de la Sûreté é descoberto em Sologne. Visitando o local, o repórter Philippe Guérande se interessa por um certo Doutor Nox, amigo de infância de seu pai, que pode não ser quem parece ser. Esta restauração foi realizada em 2014 pela Gaumont com a ajuda do CNC no âmbito do plano de ajuda à restauração e digitalização do património, com a colaboração da Cinémathèque francesa. As imagens foram digitalizadas em 4K a partir de uma duplicata de nitrato, uma cópia de nitrato e uma cópia de segurança para as fotos perdidas. Os títulos originais foram recriados a partir de registros do período mantidos na Film Library. O trabalho foi realizado pela Gaumont Pathé Archives no laboratório Éclair. Agradecimentos especiais a Béatrice de Pastre, Manuela Padoan e Agnès Bertola.


ESTREIAS NOS CINEMAS DO RIO DE JANEIRO

PEQUENA GAROTA

(Petite fille, 2020, França, 85 minutos, de Sébastien Lifshitz, CRÍTICA AQUI). Sasha, de 7 anos, sempre soube que era uma menina, embora tenha nascido menino. Como a sociedade segue falhando em tratá-la como as outras crianças de sua idade – na sua vida diária na escola, nas aulas de dança ou em festas de aniversário – sua dedicada família trava uma batalha constante para fazer com que sua diferença seja compreendida e aceita. Seleção oficial em Tóquio e na seção Panorama da Berlinale.


TUDO SOBRE A MOSTRA PARALELA ONLINE DO FESTIVAL DE BRASÍLIA 2020

(clique AQUI ou na foto e saiba tudo)


FESTIVAL DE BRASÍLIA 2020: PREMIAÇÃO, BALANÇO E CINEMA BRASILEIRO

(clique AQUI ou na foto e saiba tudo)

Por Onde Anda Makunaíma?

CONFIRA NOSSA COBERTURA DO FESTIVAL DE BRASÍLIA 2020

(clique AQUI ou na foto e saiba tudo)

Candango


DICA DE LIVRO: UM PRESENTE DE NATAL

UM PORTO NO PURGATÓRIO

Impressões sobre o cinema de Frederico Machado

“Ficou singelo e bonito. Mais um pequeno registro de meus 25 anos de cinema, cinema esse, tão desconhecido quanto solitário. Lançamento; Lume Edições. Brasil, 2020, 248 páginas. Agradeço de coração aos que se predispuseram a escrever sobre meus filmes e minha obra, nessa jornada que ainda espero, seja muito longa e cheia de descobertas. Feliz com esse registro físico nas mãos”, disse Frederico Machado. O livro está disponível pelo valor de R$ 35,00. Quem quiser encomendar: [email protected]


INSCREVA-SE YOUTUBE VERTENTES DO CINEMA

(clique AQUI ou na foto e fique conectado nas novidades)


CINECLUBE RECINE #19


TUDO SOBRE O 1º FESTIVAL DE CINEMA RUSSO 2020 POR JOÃO LANARI BO

(clique AQUI ou na foto e saiba tudo)


CURSO DE CINEMA RITUALÍSTICO: 26 DE DEZEMBRO

Curso de Cinema Ritualístico, a ser realizado nesse dia 26 de dezembro, sábado, das 14 às 18h, ONLINE e GRATUITO.
Facilitador: Marcus Ramusyo de Almeida Brasil com a participação do cineasta e professor Denis Carlos. Mais um curso poderoso da Cinemateca Maranhense! Vagas abertas! Será nesse sábado! Imperdível! Apoio: Governo do Estado do Maranhão (SECMA) através da Lei Aldir Blanc. Inscrições AQUI:  https://docs.google.com/forms/d/19BL_6rqDdwo2GXinv2cC4tfULZszlGDVWQoPnrxrx7g/viewform?fbclid=IwAR0ZTJOGaeUzUqnSh7bdQYatrWG5aUBgi9og8V-LicpFNjGwP5XW_SxFrKY&edit_requested=true

Revista da Semana | 24 de dezembro de 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *