Balanço e Lives da III Semana Vertentes de Curtas

Uma semana de exibição de filmes brasileiros e conversas

Por Fabricio Duque

Uma semana. Sete dias. Sete filmes. Sete convidados. Sete conversas sobre a sétima arte. A terceira edição da Semana Vertentes do Cinema Online de Curtas-Metragens Brasileiros, ou apenas III Semana Vertentes Online, ou Vertentes III, exibiu, de 09 à 15/07, durante 24 horas, de 00:01 a 23:59, obras de diretores que nosso site admira: Petrus Cariry, Fábio Rodrigo, Lino Meireles, Frederico Machado, Pedro Tavares, Walter Daguerre e Jonathas de Andrade, aqui representado pelo Diretor de Fotografia Pedro Urano. Todos contaram como seus “filhos” nasceram e falaram sobre cinefilia, processo de criação, curiosidades e filosofias, tudo de forma desconstruída e livre. Todos os bate-papos estão disponíveis a seguir e, para nós, são aulas de cinema. Quase de mentoria. É só clicar, assistir e re-assistir. Sem moderações e com muitas frases de efeito que provocarão um “uau” de qualidade.

A SVO3 é uma iniciativa de resgatar curtas-metragens que ficam no “limbo” após o tempo de vida, que em média dura dois a três anos após o lançamento. É também uma oportunidade de mostrar que curtas também são filmes com a mesma importância. Alguns são considerados muito melhores que alguns longas-metragens. É um formato essencial a todo e qualquer iniciante de cinema e também a todo e qualquer realizador que deseja contar uma história de menor duração que não conta na obrigação dos setenta minutos. Cada criador busca sua assinatura e sua identidade, com única impressão digital, transposta visualmente na arte desta mostra.

LIVES

A MONTANHA MÁGICA

DIA 1. SESSÃO DE ABERTURA. 09/07(2009, Brasil, Ceará, 35mm, Dolby Digital, 13 minutos, de Petrus Cariry, CRÍTICA AQUI). De tanto se divertir lá em cima, ele caiu, quinze metros, faltou ar! Quais são os limites entre a realidade e ficção? Eu gostaria de lembrar um pouco mais. Um olhar sobre a infância. Direção de Fotografia: Ivo Lopes Araújo. Produção Executiva: Bárbara Cariry. Melhor Fotografia – CINE PE 2010. III Semana Vertentes de Curtas

KAIRO

DIA 2. 10/07(2018, Brasil, São Paulo, DCP, 15 minutos, de Fábio Rodrigo, CRÍTICA AQUI). Em uma escola na periferia de São Paulo, a Assistente social Sônia precisa retirar o garoto Kairo, de nove anos, da sala de aula para ter uma conversa difícil. KAIRO é o segundo curta-metragem do diretor Fábio Rodrigo. Assistente de Direção: Luh Moreira; Direção de Fotografia: Felipe Poroger e Rodrigo Provazi Mesquita; Edição de Som: Fábio Baldo. Com Pedro Guilherme, Vaneza Oliveira, Samuel de Assis, Fernanda Viacava. III Semana Vertentes de Curtas

PASSEIO

DIA 3. 11/07 (2016, Brasil, Distrito Federal, Digital, 32 minutos, de Lino Meireles, CRÍTICA AQUI). Claudinho é um adolescente de 15 anos prestes a ter uma experiência com a qual sempre fantasiou — um dia de adulto. Ao encontrar Danilo, Ricardo e Zoeber, todos com mais de 30, ele parte para descobrir que a maturidade não é tudo aquilo que imaginou. Com  André Araújo, Daniel Villas Bôas, Gustavo Haeser, Larissa Sacramento, Marisol Ribeiro, Sérgio Sartório. Fotografia: André Lavenere. Montagem: Umberto Martins. III Semana Vertentes de Curtas

LITANIA DA VELHA

DIA 4. 12/07 (1997, Brasil, Maranhão, 35mm, 17 minutos, de Frederico Machado, CRÍTICA AQUI). Último passeio de velha mendiga pela antiga São Luiz revelando o desamparo de ambas sob o signo de um tempo injusto. Com Aldo Leite, Miguel Veiga, Porfíria de Jesus Primeiro curta-metragem de Frederico Machado. É um dos poucos filmes realizados em 35mm em São Luís, MA. Premiado em diversos festivais nacionais e internacionais. Baseado numa poesia de Arlete Nogueira da Cruz e com narração do ator Othon Bastos (Deus e o Diabo na Terra do Sol e O Dragão da Maldade, ambos de Gláuber Rocha). Melhor Montagem no Festival de Guarnicê em 1997. III Semana Vertentes de Curtas

PROTOCOLO SPIKES

DIA 5. 13/07 (2017, Brasil, Rio de Janeiro, Digital, 9 minutos, de Pedro Tavares, CRÍTICA AQUI). A classe dominante abandonou a Terra, mas não sabe o que está por vir. Direção, Produção, Roteiro e Fotografia: Pedro Tavares. III Semana Vertentes de Curtas

O PEIXE

DIA 6. 14/07 (2016, Brasil, Pernambuco, 16mm digitalizado em 2k, 23 min, de Jonathas de Andrade, CRÍTICA AQUI). Uma vila de pescadores com o ritual de abraçar os peixes na hora de pescar. Um abraço limite – rito de passagem – onde o homem retoma sua condição de espécie e, olho no olho diante de sua presa, a acalma através de uma ambígua sequencia de gestos: afeto, solidariedade e violência. O sonho romântico da comunidade em harmonia com o seu entorno atesta a falta de conexão do homem da cidade com a natureza que está ao seu serviço. A naturalidade da dominação esconde a espinha dorsal desta relação, constituída pelo constante exercício da força, poder, devoração. Este filme foi realizado com um grupo de pescadores de Piaçabuçu e Coruripe, na foz do Rio São Francisco, encontro com o mar, entre Alagoas e Sergipe. Direção de fotografia: Pedro Urano. Montagem: Tita e Ricardo Pretti. III Semana Vertentes de Curtas

EU, SIDARTA

DIA 7. SESSÃO DE ENCERRAMENTO. 15/07 (2012, Brasil, Rio de Janeiro, Digital, 15 minutos, de Walter Daguerre, CRÍTICA AQUI). O filme foi totalmente captado por um Iphone. Livremente inspirado em Sidarta, de Hermann Hesse, o filme narra o fluxo de pensamento de um aspirante a cineasta em sua busca por encontrar seu caminho próprio como artista criador. III Semana Vertentes de Curtas

Obrigado! Até a quarta edição. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *