Anuncio zazie

Tudo Sobre a 1ª Mostra Solar do Cinema Brasileiro 2022

Mostra Solar do Cinema Brasileiro

Tudo Sobre a 1ª Mostra Solar do Cinema Brasileiro 2022

Seleção de obras independentes e inéditas em cinemas cariocas acontece de 14 a 20 de julho no Estação Net Botafogo

Por Fabricio Duque

O bairro Botafogo no Rio de Janeiro volta a ser tornar o lugar mais vanguardista do momento, no coração cinéfilo do Grupo Estação, agora de nome Net Rio, com as constantes e ininterruptas manifestações culturais trazidas pelo cineasta e produtor carioca Cavi Borges, que não só reacendeu a chama dos encontros dos anos oitenta, como participa ativamente como um hospedeiro da memória do audiovisual brasileiro. Ao conjugar o cinema clássico com o moderno, Cavi retroalimenta a paixão de uma audiência que sofre com a escassez de obras mais independentes. Em menos de um ano, o “guerreiro fomentador da sétima arte”, chamado de forma carinhosa pelos apreciadores do cinema mais “revolucionário”, digamos assim!, junto de outros parceiros, “botou fogo” quase literalmente com a chama, não mais utópica, de resgatar mostras, exposições, debates e até mesmo peças de teatro dentro de um hall de cinema.

A “invenção de moda” de agora é unida com outros “sonhadores” incansáveis, o maranhense Frederico Machado, um ser que também acredita que o cinema mais autoral possa sim ser consumido; e o Estação Net de Cinema. O resultado dessa parceria é a Mostra Solar do Cinema Brasileiro, a primeira edição, que acontece de 14 a 20 de julho, no Estação Net Botafogo. “O objetivo deste festival sempre foi tentar exibir aqui no Rio e numa sala de cinema filmes que ficaram apagados (e que só passaram online) por causa da pandemia do COVID. E ainda criar a possibilidade de conversar com o diretor após a sessão. É uma mostra de cinema, independente, de filmes brasileiros, em pré-estreias nas salas de cinema. Este é o conceito do Solar. É essa a pegada”, explicou Cavi Borges sobre a Mostra Solar de Cinema, que tem esse nome como um trocadilho ao filme “Solaris”, de Andrei Tarkovski; à metáfora do sol e do calor do cinema; e à ideia de “lar”, visto que “só” na sala escura encontramos nossa vitamina D “sol” de cada dia.

Todas as sessões da I Mostra Solar do Cinema Independente Brasileiro acontecem na sala 3 do Estação Net Botafogo, ao custo de R$ 16,00 (Inteira) e R$ 8,00 (Meia). A seleção é uma oportunidade de assistir algumas das obras que foram realizadas e pensadas exclusivamente para serem passadas em cinema, por causa da construção-ambiência sonora, que só se intensifica em no escurinho protetor de um templo cinéfilo, como, por exemplo, “Notícias do Fim do Mundo”, de Rosemberg Cariri e “A Praia do Fim do Mundo”, de Petrus Cariri, pai e filho, e “A Mãe de Todas as Lutas”, da cineasta Susanna Lira, este de certa forma também sobre uma “profecia iniciada” à espera do fim. Esperamos que “A Nau dos Loucos”, de Gurcius Gewdner, possa nos salvar pela loucura a fim de nos acordar das “As Órbitas da Água”, de Frederico Machado, que também insere seu novo filme para exibição. Então, cinéfilos cariocas, a Mostra Solar de Cinema está no ar! Confira abaixo a programação completa!


CONFIRA A SEGUIR A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DA MOSTRA SOLAR DO CINEMA BRASILEIRO 2022

Mostra Solar do Cinema Brasileiro

Dia 14 de julho (quinta-feira)

18h – A PRAIA DO FIM DO MUNDO de Petrus Cariri (confira aqui nossa crítica completa sobre o filme)

20h – A NAU DOS LOUCOS de Gurcius Gewdner (Seguido de debate com o diretor)

Dia 15 de julho (sexta-feira)

18h – NOTÍCIAS DO FIM DO MUNDO de Rosemberg Cariri (confira aqui nossa crítica completa sobre o filme)

20h – A MÃE DE TODAS AS LUTAS de Susanna Lira (Seguido de debate com a diretora) (confira aqui nossa crítica completa sobre o filme)

Dia 16 de julho (sábado)

16h – AS ÓRBITAS DA ÁGUA de Frederico Machado (confira aqui nossa crítica completa sobre o filme)

18h – RATOEIRA de André da Costa Pinto (seguido de debate com o diretor) (confira aqui nossa crítica completa sobre o filme)

20h – O SEU AMOR DE VOLTA de Bertrand Lira (Seguido de debate com o diretor)

Dia 17 de julho (domingo)

16h – QUANDO A COISA VIRA OUTRA de Marcio de Andrade (Seguido de debate com o diretor)

18h – RATOEIRA de André da Costa Pinto (seguido de debate com o diretor) (confira aqui nossa crítica completa sobre o filme)

20h – A PRAIA DO FIM DO MUNDO de Petrus Cariri (confira aqui nossa crítica completa sobre o filme)

Dia 18 de julho (segunda-feira) 

Não teremos sessões.

Dia 19 de julho (terça-feira)

18h – VOCÊ NOS QUEIMA de Caetano Gotardo ( Seguido de debate com o diretor) (confira aqui nossa crítica completa sobre o filme)

20h – TERMINAL PRAIA GRANDE de Mavi Simão (Seguido de debate com a diretora) (confira aqui nossa crítica completa sobre o filme)

Dia 20 de julho (quarta-feira)

18h – NA BOCA DA NOITE de Walter Lima Jr

 20h – ENCERRAMENTO – ARTAUD UM VIDEO ENSAIO de Gilberto Gouma (Seguido de homenagem a Rubens Correa)


SERVIÇO

1ª Mostra Solar do Cinema Brasileiro 2022

14 a 20 de julho

Sala 3 do Estação Net Botafogo, no Rio de Janeiro

R$ 16,00 (Inteira) e R$ 8,00 (Meia)

Banner Vertentes Anuncio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.