Foto Jackson Romanelli/Universo Produção

O quinto dia do CineBH 2019

Por Vitor Velloso

No quinto dia do CineBH, a programação começou com um extenso painel sobre “Experiências e relatos em coprodução internacional”, na mesa Anke Petersen, produtora Jyoti – Alemanha, Aonan Yang, produtor GreenGround Productions – Canadá, David Hurst, CEO e produtor Dublin Films – França, Nidia Santiago, produtora Ikki Films – França, mediado por Séverine Roinssard, produtora Parati Films, coordenadora do La Fabrique des Cinémas du Monde, colaboradora Brasil CineMundi – França. E em outro painel, Cecilia Salim, produtora Murillo Cine – Argentina, Eduardo Villalobos, produtor executivo Molotov Cine, diretor de Indústria BioBioCine – Chile, Gabriela Azevedo, setor de projetos d conteúdo Canal Brasil – Brasil, Ivette Liang, produtora executiva Galaxia 311 – Colômbia/Cuba, Sandino Saravia Vinay, produtor Malbicho Cine – Uruguai/México e mediado por Paulo de Carvalho, produtor Autentika Films, colaborador Brasil CineMundi – Alemanha/Brasil.

A conversa foi enriquecedora, falando das boas experiências que ocorreram através das coprodução, mas também foi falado de situações negativas que podem surgir sem a devida estruturação dos projetos e da produção. E pontuando como essa coprodução ajuda não só no nível da produção, como da distribuição e exibição em festivais, já que o currículo ganha uma forma diferenciada e mais plural. O painel sobre América Latina, foi de longe o mais interessante, já que relata a experiência de países que se ajudam constantemente para que possa haver a emancipação da indústria norte-americano. Assim, as falas foram pungentes quanto a necessidade dessa parceria, ainda mais no cenário político atual, onde as perspectivas de um grande polo de produção independente, Brasil, se fecharam graças às ações políticas do atual governo.

No início da tarde, ocorreu a exibição do último filme da Mostra Diálogos Históricos, “Maldita Coincidência” de Sérgio Bianchi, com debate pós sessão com a presença de Hernani Heffner, conservador chefe da Cinemateca do MAM e mediação de Francis Vogner dos Reis, curador Mostra CineBH. Haverá um texto geral acerca da Diálogos Histórico, como um todo. Em seguida, a projeção de “Animal Indireto” de Daniel Lentini, no Cine Humberto. No início da noite, “Nietzsche Sils Maria Rochedo de Surlej“, dirigido por Bressane, Rodrigo Lima e Rosa Dias, pontuou direto do Palácio das Artes. Às 19:15, “Filhos de Macunaíma(leia nossa crítica aqui) de Miguel Ramos, foi projetado no Cine Humberto Mauro, o longa foi bastante aplaudido pelo público. E no fim do dia, “A vingança de Jairo(leia nossa crítica aqui) de Simón Hernández Estrada, que levou o público a constantes risadas com o Cineasta Jairo Pinilla. 

Anuncie no Vertentes do Cinema

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *