A Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro

Por Fabricio Duque

O Centro cultural é reconhecido internacionalmente, principalmente por seu acervo cinematográfico, que foi aumentado pelo apoio do Estação. A curadoria é do Jornalista Ricardo Cota, que sente na pele as dificuldades para manter o local funcionando e realizar uma programação diversa e multi-cultural. É um ato de resistência ajudado pela paixão incondicional do historiador Hernani Heffner. E na entrevista exclusiva ao Vertentes do Cinema, disse que em certos momentos, todo o engessamento, causa confusão e desânimo. Nosso site participa com o Cineclube Clássicos, já exibindo “O Demônio das Onze Horas”, de Jean-Luc Godard (no foco França) e “Os Boas Vidas” (foco Itália), de Federico Fellini. ENTRADA FRANCA.

Programação Agosto 2019

Sala Cosme Alves Netto

Mostra Cinemas do Brasil: Quando a sala de projeção vira personagem
A Mostra Cinemas do Brasil apresenta um panorama de curtas-metragens, em sua maioria, documentários que buscam homenagear os cinemas de rua do país e que propõem uma discussão sobre a atual situação desses monumentos arquitetônicos que, em grande parte, estão de portas fechadas e sem nenhum tipo de reparo ou manutenção.

A mostra temática tem por objetivo tornar os cinemas de rua os protagonistas das histórias na tela. A abertura da mostra itinerante foi no Cine Olympia em Belém do Pará, pela sua importância histórica e por ser o mais antigo cinema de rua do país em funcionamento.

A mostra é coordenada por Eudaldo Monção Jr. e o projeto tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia, através da contemplação da proposta na 4ª Chamada do edital de intercâmbio e mobilidade artística. Os filmes da mostra contribuem para o debate sobre a situação das salas de exibição cinematográfica, cujos prédios que ainda estão em funcionamento, pois enquanto cinemas nas ruas, resistem nas calçadas da cidade, sobrevivendo aos impactos das mudanças que sofreram para se manterem vivos no espaço citadino. A edificação, sustentação, reformulação e destruição dos cinemas de rua, cultiva possíveis relações estruturais com determinadas disposições físicas e modelos de vida social. Os cinemas de rua podem ser, assim, encarados como formas espaciais de apropriação da própria cultura na cidade, onde tais estruturas materiais podem assumir, no decorrer de sua trajetória de existência, as feições de sujeitos não-humanos ou objetos-humanizados; gerando implicações significativas sobre a memória e a vida de comunidades e indivíduos. Esses espaços culturais também acompanham a sobrevivência, a revitalização ou a degradação de certas áreas urbanas.

Serão exibidos exatamente vinte e três curtas e um longa metragem, que encerrará a mostra. Tais trabalhos são representantes de diferentes regiões do país e cumprem um papel de expressar, sob a perspectiva do cinema, o perfil tão peculiar e complexo de um Brasil em transe, em confronto com eventos de caráter histórico, político, econômico e cultural. Isto permite a ampliação de discussões acerca do tema e possui a capacidade de revelar trabalhos de qualidade e importância singular contidas nas diferenças regionais dos “brasis”, entre outros fatores.
Os depoimentos dos diferentes filmes se complementam para narrar um passado e um presente vivo para que possamos ver um único resultado: o cinema resistiu a tudo. Mas lança-se, também, um esboço questionador de um pensamento para o futuro, que nos encoraja a pensar: o que será do cinema? Na mostra surgirá um arsenal de sentimentos, reflexões sobre o que é o espaço da cidade e da propriedade privada. Veremos como os avanços tecnológicos e da técnica mudaram os caminhos e o modo com a sociedade inclina seu comportamento. A memória, a nostalgia e um olhar à frente na tarefa da reconstrução e da força política transformadora, encontram-se em cada um desses trabalhos, seja nas falas de antigos projecionistas de um cinema que não existe mais ou nas ações cineclubistas de bairros e pequenas cidades como uma nova forma de enxergar o cinema, hoje.

Sobreurbano: a cidade se debate
Entrada livre.

É um projeto de extensão que contará com uma programação de filmes e documentários sobre questões urbanas contemporâneas: remoções, favelas, ocupações, Baixada Fluminense, Zona Oeste, mobilidade urbana e muitos outros. Uma vez por mês, após a exibição das produções audiovisuais, pesquisadores, coletivos culturais e movimentos sociais se reunirão para um debate sobre o cotidiano, as histórias, os conflitos e os problemas da cidade. Sobreurbano acontece de agosto de 2019 a julho de 2020 e é uma parceria entre Urbano, Laboratório de Estudos da Cidade, Universidade Federal do Rio de Janeiro e o Museu de Arte Moderna.

Curso Afetos e Sensações no Cinema Brasileiro Contemporâneo
Entrada livre.
A partir de 15 ago 2019, quintas-feiras, 14h – 18h.
Clique aqui para mais informações.

A proposta deste curso, previsto para durar 4 meses, é discutir as implicações dos referenciais teóricos em torno das ideias de afeto e sensações para o campo do cinema e audiovisual. Será debatido também como um certo cinema brasileiro contemporâneo parece colocar em cena dimensões do estar junto, formas de subjetividade dissidentes e sociabilidade singulares através de estratégias expressivas que ultrapassam as dimensões representacionais da narrativa. Apostamos como tais estratégias se articulam ao campo dos afetos e das sensações, implicando uma mudança analítica que solicita uma mirada para elementos do corpo fílmico vinculados à ordem da expressão, dos gestos e volumes dos corpos, da sensorialidade. As abordagens teóricas e críticas serão desdobradas a partir do encontro com os filmes que serão vistos ou revistos. Entre outros filmes, serão apresentados ao longo do curso como ponto de partida das reflexões: Corpo Elétrico de Marcelo Caetano, Mate-me por favor de Anita Rocha da Silveira, Tatuagem de Hilton Lacerda, Pendular de Julia Murat, Antonio, um dois três de Leonardo Mouramateus. Os filmes serão exibidos na cinemateca como parte dos encontros. Urso será ministrado pelos professores Denílson Lopes (UFRJ) e Mariana Baltar (UFF) e é uma iniciativa dos Programas de Pós-graduação em Comunicação/UFRJ, em Cinema e Audiovisual/UFF e em Artes da Cena/UFRJ.

Dossiê Crítico
Em parceria com a revista eletrônica Moviement, a Cinemateca apresenta uma seleção de clássicos recentes, todos realizados no ano de 1999, tomado não como momento de encerramento do século XX para como ponto de partida para uma cinefilia recente, que encontra na seleção apresentada filmes referenciais de um cinema ainda de grande apelo popular, e diferentes abordagens estéticas mais empenhadas. Obras que ainda povoam o imaginário do público e dos jovens realizadores que surgiram nos primeiros anos do século XXI. A mostra, com curadoria de Wallace Andrioli e Francisco Carbone, estende o dossiê preparado pela revista para reavaliar o conjunto de filmes daquele ano, duas décadas mais tarde.

Lançamentos
Em evento que discutirá  no dia 29 de agosto as relações entre o campo da museologia e o dos acervos de tecnologia, particularmente os audiovisuais, a Cinemateca, em parceria com a Universidade de Brasília e o Jardim Botânico, estará abrigando os lançamentos do Dossiê Temático da revista Museologia e Interdisciplinaridade e do catálogo da exposição realizada pelo MAM Rio entre 4 de setembro de 2018 e 10 de março de 2019, dedicada às tecnologias cinematográficas tridimensionais. A falta de iniciativas na área tem relegado a um papel secundário ou invisível um dos aspectos mais decisivos da criação audiovisual e da vida contemporânea. Com essas recentes reflexões procura-se chamar a atenção para os ricos acervos ainda não de todo formados e sobretudo formalizados em espaços e instituições dedicados ao tema. O evento será seguido de sessão de raros registros reunidos pela Associação Brasileira de Preservação Audiovisual, que valoriza obras fílmicas de variadas origens, em especial de natureza não comercial, e de pequena exposição nos espaços de acesso à Cinemateca dedicada aos equipamentos audiovisuais, em particular os amadores.

Homenagem a Ruth de Souza e Isaberl Sarli
Dois grandes nomes do cinema brasileiro, latinoamericano e internacional acabem de nos deixar, legando longas carreiras de sucesso e quebra de tabus e preconceitos. As atrizes Ruth de Souza e Isabel Sarli tornaram-se referenciais do cinema brasileiro e argentino, respectivamente, alcançando reconhecimento interpretativo e cultural como ícones da identidade feminina, latina e negra.
Em singela homenagem o cineclube Sala Escura, dedicado às cinematografias latino-americanas, e a Cinemateca apresentam o único filme que as reuniu ao longo de décadas de trabalho, o clássico exploitation Favela, de Armando Bó, uma das primeiras produções internacionais a se interessar pelo exótico espaço da favela carioca.

qui 1
16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Três anúncios para um crime Three Billboards Outside Ebbing, Missouri de Martin McDonagh. EUA, 2017. Com Frances McDormand e Woody Harrelson. 115’. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.
18h30 – Cinemas do Brasil: Cinema no Interior – Cine Rio Branco de Eudaldo Monção Jr. Brasil, 2017. 17’33’’ + Cine Centímetro de Dannon Lacerda. Brasil, 2013. 15’27’’ + Extintos cinemas de William Tenório. Brasil, 2018. 13’06’’ + Uma balada para Rocky Lane de Djalma Galindo. Brasil, 2016. 20’ + Memórias do Cine Argus de Edivaldo Moura. Brasil, 2015. 19’50’’. Documentário. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos. Curadoria Christian Jafas e Eudaldo Monção Jr.

sex 2
16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Me chame pelo seu nome Call Me by Your Name de Luca Guadagnino. Itália/França, 2017. Com Armie Hammer e Timothée Chalamet. 132’. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.
18h30 – Cinemas do Brasil: Memorabilia – A morte do cinema de Evandro de Freitas. Brasil, 2015. 20’ + Cine Rincão de Fernando Grostein Andrade. Brasil, 2012. 13’56’’ + O que se memora de Caio Dornelas e Ernesto Rodrigues. Brasil, 2014. 10’10’’ + Cinemas de Rua de Curitiba de Roberval Machado. Brasil, 2006. 5’. + Cine Paissandu: histórias de uma geração de Christian Jafas. Brasil, 2013. 14’56’’. Documentário. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

sab 3
14h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Detetives do Prédio Azul 2 – O mistério italiano de Vivianne Jundi. Brasil, 2018. Com Suely Franco, Nicole Orsini e Letícia Braga. 93’. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa Livre.
16h – Cinemas do Brasil: O Cinema Vive! – Cine S. José de William Tenório. Brasil, 2017. 11’30’’ + Cine Vaz Lobode Luís Cláudio Lima. Brasil, 2016. 6’10’’. + Cinema, onde você está? de Edvaldo Santos. Brasil, 2018. 15’ + Cinema do meu bairro, cadê você? de Renata Lima. Brasil, 2015. 13’ + Cine Brasília de Boca Migotto. Brasil, 2014. 20’. Documentário. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.
18h – Cinemas do Brasil: O Novo Cinema de Rua – Cosmorama – Relatos de cinemas em Caruaru de Moema França. Brasil, 2016. 14’06’’ + Sessão entre amigos de Cristhine Lucena. Brasil, 2010. 22’45″ + Cine Éden de Edson Bastos e Henrique Filho. Brasil, 2013. 15’ + Casa sem janela de Juliette Yu-Ming, Marcelo Engster e Vitor Kruter. Brasil, 2013. 13’04’’. Documentário. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

dom 4
14h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – O colar de Coralina de Reginaldo Gontijo. Brasil, 2018. Com Melina Calazans e Maria Coeli. 77’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa Livre.
16h – Cinemas do Brasil: Espectadores – Entre andares de Aline Van der Linden e Marina Moura Maciel. Brasil, 2016. 14’50’’. + Cine São Vicente de Kleber Camelo. Brasil, 2018. 21’. + Isso vale um filme de Bruna Cabral, Gisele Siqueira, Ítalo Rodrigues, Suedness Teixeira, Taynah e Welington Caetano. Brasil, 2017. 15’10’’. + Victor vai ao cinema de Albert Tenório. Brasil, 2018. 11’20’’. Documentário. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.
18h – Cinemas do Brasil: Encerramento – Cine São Paulo – O Estado das Coisas de Ricardo Martensen e Felipe Tomazelli. Brasil, 2017. 77’. Documentário. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

seg 5
16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Minha vida em Marte de Susana Garcia. Brasil, 2018. Com Mônica Martelli, Paulo Gustavo e Marcos Palmeira. 110’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.
18h30 – Nos embalos de uma parceria: Stigwood, Olivia e Travolta – Os embalos de sábado à noite Saturday Night Fever de John Badham. EUA, 1977. Com John Travolta, Karen Lynn Gorney e Barry Miller. 118’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Sessão precedida de abertura com o crítico Mário Abbade. Classificação indicativa 14 anos. Curadoria: Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro – ACCRJ.

ter 6
16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Mulheres alteradas de Luís Pinheiro. Brasil, 2018. Com Deborah Secco, Alessandra Negrini e Monica Tozzi. 87’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.
18h30 – Nos embalos de uma parceria: Stigwood, Olivia e Travolta – Nos tempos da brilhantina Grease de Randal Kleiser. EUA, 1978. Com John Travolta, Olivia Newton-John e Stockard Channing. 110’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

qua 7
16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Não se aceitam devoluções de André Moraes. Brasil, 2018. Com Leandro Hassum, Guilherme Rodio e Maria Bia. 103’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 12 anos.
18h30 – Nos embalos de uma parceria: Stigwood, Olivia e Travolta – Xanadu de Robert Greenwald. EUA, 1978. Com Olivia Newton-John, Gene Kelly e Michael Beck. 96’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

qui 8
16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Os farofeiros de Roberto Santucci. Brasil, 2018. Com Antônio Fragoso e Danielle Winits. 103’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.
18h30 – Nos embalos de uma parceria: Stigwood, Olivia e Travolta – Os tempos da brilhantina voltaram Grease 2 de Patricia Birch. EUA, 1982. Com Michelle Pfeiffer, Maxwell Caulfield e Lorna Luft. 115’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

sex 9
14h – Sobreurbano: a cidade se debate – Moradias – O som ao redor de Kleber Mendonça Filho. Brasil, 2012. Com Ana Rita Gurgel, Caio Almeida, Maeve Jenkins.  131’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos. Curadoria Marcella Araújo.
16h30 – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Todas as razões para esquecer de Pedro Coutinho. Brasil, 2018. Com Johnny Massaro e Bianca Comparato. 91’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 16 anos.
18h30 – Nos embalos de uma parceria: Stigwood, Olivia e Travolta – Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band de Michael Schultz. EUA, 1978. Com Peter Frampton, Barry Gibb, Robin Gibb, Maurice Gibb, Steve Martin e Alice Cooper. 113’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

sab 10
14h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Uma quase dupla em ação contra a chatice de Marcus Baldini. Brasil, 2018. Com Cauã Reymond e Tatá Werneck. 90’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 12 anos.
16h – Nos embalos de uma parceria: Stigwood, Olivia e Travolta – Os embalos de sábado continuam Staying Alive de Sylvester Stallone. EUA, 1983. Com John Travolta, Cynthia Rhodes e Finola Hughes. 93’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.
18h – Nos embalos de uma parceria: Stigwood, Olivia e Travolta – A cada momento Moment by Moment de Jane Wagner. EUA, 1978. Com John Travolta, Lily Tomlin e Andra Akers. 102’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

dom 11
14h – Depois da chuva – Os assassinos estão entre nós Die Mörder sind unteruns de Wolgang Staudte. Alemanha Ocidental, 1946. Com Ernst Wilhelm Borchert e Hildegard Knef. 80’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.
16h – Nos embalos de uma parceria: Stigwood, Olivia e Travolta – Embalos a dois Two of a Kind de John Herzfeld. EUA, 1983. Com John Travolta, Olivia Newton-John e Charles Durning. 88’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.
18h – Nos embalos de uma parceria: Stigwood, Olivia e Travolta – Cowboy do asfalto Urban Cowboy de James Bridges. EUA, 1978. Com John Travolta, Debra Winger e Scott Glenn. 132’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

seg 12
18h – Filmworks Film Festival 2019 – Sessão 01: Cidade e Dissenso – Pólis de Vinícius Romadel. Brasil, 2019. Com Marina Marinho e Rosângela Martins. 14’24’’ + Reflexos de Kevin Gonçalves. Brasil, 2019. Com Henrique Conserva, Denis Sheiman e Yane Marques. 9’ + Latência de Nina Fachinello e Laura Ludwig. Brasil, 2019. Com Lucas Garbous, Oton Duarte e Jessica Freitas. 4’45’’’ + Seco de Tiago Fonseca. Brasil, 2019. Com Tiago Fonseca e Joel Tavares. 5’ + Chuva de verão de Tamires Mota. Brasil, 2019. Com Rayana Diniz, Analua Ribeiro e Ary Aguiar. 15’04’’ + Mãe? de Victor Hugo Gonzaga. Brasil, 2019. Com Mariangela Marques e Piera Pillar. 6’46’’ + Sábado não é dia de ir emborade Luísa Giesteira. Brasil, 2019. Com Júlia França, Larissa Helena Alpino, Igor Nascimento e Felipe Lauria. 19’57’’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 18 anos.
19h40 – Filmworks Film Festival 2019 – Sessão 02: Afeto e Nostalgia – Cidade natal de Ana Luisa Marquito. Brasil, 2019. Documentário. 11’52” + Se a vida te der um anzol de Uli Dile. Brasil, 2019. Com Carolina Coutinho. 5’52’’ + As cores que faltam de Luis Vivanco. Brasil, 2019. Com Maiara Astarte, Jade Louise e Mateus Marcondes.   12’57’’ + Torpor de Pedro Waddington. Brasil, 2019. Com Manuela Penque.  10’23’’ + Libélula de Daniel Fernandes e Leonardo Cunha. Brasil, 2019. Com Francisco Vitti e Sophia Maia.   9’27’’ + Imã de Bruna Calôr. Brasil, 2019. Com Manoela Dexheimer, Marcelo Bonan e Alline Angelli. 15’ + Permita-se de Bruno Acosta. Brasil, 2019. Com Lara Lago, Cristovão Correa, Meire Mazola, Mariana Martins e Rodrigo Bastos.  8’39’’ + My lovely carnaval de kaue bakker. Brasil, 2019. Com Bruna Pantaleão. 9’21’’ Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.
21h20 – Filmworks Film Festival 2019 – Sessão 03: Humor e Artifício – Jacaré de Cristiano Carlos Nascimento e Bruna Toscano. Brasil, 2019. Com Bel Machado, Calos neiva, Raissa Xavier, Henrique Costa e Luisa Gravino.. 9’32’’ + Super Daniel de Fábio de Paula. Brasil, 2019. Com Rafael Ritto, Carlém Miranda e Hugo Torres. 9’40’’ + Nako de Matheus Seabra. Brasil, 2019. Com Gabriel Carneiro, Fred Garcia e Ariana Lima. 8’42’’ + Toda a noite a mesma coisa de Pedro Lucas. Brasil, 2019. Com Vinícius Pieri, Gabriella Pieri, Nicolas Mattos e Kayllane Costa. 20’ + Luvasde Maria Luisa Maia e Isabelle Lins. Brasil, 2019. Com Viviane Thais Dias, Giovanna Ferrari e Alessandra Cervieri. 12’ + Tamanho 34 de Gabriela Niskier e Manoela Paixão. Brasil, 2019. Com Gabriela Niskier, Mano Paixão, Marcella Kahn e Giovanna Politi. 24’08’’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

ter 13
20h – Filmworks Film Festival 2019 – Sessão 04: Corpo e Política – Som de preto: “Niguém fica parado” de Paula Rocha. Brasil, 2019. Documentário. 17’26’’ + Criancinhas de Matheus Oliveira. Brasil, 2019. Documentário experimental. 1’06’’ + Panfletário de Lucas Melo. Brasil, 2019. Com Bayard Tonelli, Karina Quintaes, Davi Mello e Davidson Menezes. 6’59’’ + Nosso amor é maior de Bel Junqueira. Brasil, 2019. Documentário. 18’ + Tarântula de Bruna Mello, Lucas Melo, Tiago Fonseca, Uli Dile e Vitor Valadão. Brasil, 2019. Com Tiago Fonseca, Nicolas Forte, Debora Nunes e Victor Tempone. 11’ + Corre de Isadora Ferrite, Bruna Toscano, Gabriel Sossai, Gabriel Coelho, Luan Tecla e Frederico Magalhães. Brasil, 2019. Com Ana beatriz Murilo, Miriam Aparecida Murilo e Cristine Murilo. 6’25’’ + Martelo, bigorna e estribo de Pedro Waddington. Brasil, 2019. Com Paulla Carniell, Jéssica Fronza, Bruna Rodrigues e Isaac Pipano. 18’47’’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.
21h20 – Filmworks Film Festival 2019 – Premiação. Classificação indicativa Livre.

qua 14
18h30 – Urubu Cine: Roberto Moura – A propósito do Rio – Nascimento & Morte. Brasil, 1978. Com Célia Maracajá, Vera Setta. 12′. Exibição em 35mm. + Duas ou três coisas. Brasil, 1979. Com Jesus Chediak, Célia Maracajá, Sebastião Lemos, Vera Setta, Maria Sílvia, Gilda Guillon, Carlos Wilson. 20′. Exibição em 16mm. + A propósito do Rio. Brasil 1984. Com Breno Moroni, Leni Nunes. 30′. Exibição em 35mm. + O sabor da terra. Brasil 1974. Documentário. 16′. Exibição em mov (H264) + roda de conversa com o realizador. Classificação indicativa 14 anos. Curadoria Lucas Parente.

qui 15
14h – Curso – Afetos e Sensações no Cinema Brasileiro Contemporâneo, com os professores Denílson Lopes e Mariana Baltar. Seminário de pós-graduação acompanhado de projeção de filmes. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.
18h – Sessão Retrolâmpago – O pirata submarino A Submarine Pirate de Charles Avery e Syd Chaplin. Com Syd Chaplin e Phyllis Allen. 24’ + O descontrole do consorte (A lover’s lost control) de Charles Avery e Syd Chaplin. Com Syd Chaplin e Phyllis Allen. 22’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264) + acompanhamento musical ao vivo por Cadu, precedida de apresentação e seguida de sorteios de cartazes. Classificação indicativa 10 anos. Curadoria Igor Andrade Pontes. Organização Drika Lima, Igor Andrade Pontes e João Antonio Franz.
19h – Cineclube Golden Swallow – Flores de papel Kaagaz Ke Phool कागज़ के फूल de Guru Dutt. Índia, 1959. Com Guru Dutt e Waheeda Rehman. 148’. Legendas em português. Exibição em bluray. Sessão seguida de roda de conversa e distribuição de livretos sobre o realizador. Classificação indicativa 14 anos. Curadoria Yuri Ferreira.

sex 16
14h – Sobreurbano: a cidade se debate – Moradias – Aquarius de Kleber Mendonça Filho. Brasil, 2016. Com Sônia Braga, Maeve Jenkins e Irhandir Santos.  146’. Exibição em mov (H264) + roda de conversa. Classificação indicativa 16 anos.
18h30 – Sessão Comentada – Nosferatu Nosferatu, eine Symphonie des Grauens de F. W. Murnau. Alemanha, 1922. Com Max Schreck, Greta Schroeder e Gustav von Wangenheim. 94’. Legendas em português. Exibição em MKV. Sessão comentada pela cineasta Julhia Quadros. Classificação indicativa 12 anos.

sab 17
14h – L.U.T.O. – O doce amanhã The Sweet Hereafter de Atom Egoyan. Com Ian Holm e Sarah Polley. 112’. Leendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 16 anos.
19h30 – Pré-estreia – Alugo de Alexandre Vollú. Brasil, 2019. Com Pedro Torquilho, Jéssica Córes, Pedro Ivo maia, Isis Valença e Pedro Martins. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

dom 18
16h – Cineclube Moventes – Ninotchka de Ernst Lubitsch. EUA, 1939. Com Greta Garbo, Melvyn Douglas e Ina Claire. 110′. Legendas em Português. Exibição em 35mm. Sessão seguida de roda de conversa. Curadoria: Carolina Amaral. Organização: Jocimar Dias Jr. e Vitor Medeiros (Revista Moventes). Classificação indicativa 12 anos.

seg 19
16h – Dossiê Crítico 1999 – De olhos bem fechados Eyes Wide Shut de Stanley Kubrick. Grã-Bretanha/EUA, 1999. Com Tom Cruise, Nicole Kidman e Sidney Pollack. 165’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 18 anos. Curadoria Wallace Andrioli e Francisco Carbone.
19h – Dossiê Crítico 1999 – Beleza americana American Beauty de Sam Mendes. EUA, 1999. Com Kevin Spacey, Annette Benning e Thora Birch. 122’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.

ter 20
16h – Dossiê Crítico 1999 – Magnólia Magnolia de Paul Thomas Anderson. EUA, 1999. Com Julianne Moore, William H. Macy e Tom Cruise. 188’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.
19h30 – Dossiê Crítico 1999 – Tudo sobre minha mãe Todo sobre mi madre de Pedro Almodóvar. Espanha,1999. Com Cecilia Roth, Penélope Cruz e Marisa Paredes. 105’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

qua 21
16h – Dossiê Crítico 1999 – Fim de caso The End of the Affair de Neil Jordan. EUA, 1999. Com Ralph Fiennes Julianne Moore e Stephen Rea. 102’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.
18h – Dossiê Crítico 1999 – Santo forte de Eduardo Coutinho. Brasil, 1999. Documentário. 80’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Sessão seguida de debate com os membros do Dossiê Crítico. Classificação indicativa 10 anos.

qui 22
14h – Curso – Afetos e Sensações no Cinema Brasileiro Contemporâneo, com os professores Denílson Lopes e Mariana Baltar. Seminário de pós-graduação acompanhado de projeção de filmes. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.
18h – Pré-estreia – Tropicália, o musical de Denise Telles Hofstra, Brasil, 2019. Com Úrsula Baldanza, Suzana Rosa, Rick de La Torre, Raphael Gaspar e Luíza Breves. 25’. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de roda de conversa e performance. Classificação indicativa 14 anos.
20h – Dossiê Crítico 1999 – Matador implacável Ghost Dog: The Way of the Samurai de Jim Jarmusch. EUA/Portugal/Itália/Rússia, 1999. Com Forrest Whitaker, John Tormey e Cliff Gorman. 116’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 16 anos.

sex 23
14h – Sobreurbano: a cidade se debate – Moradias – Morro da Conceição de Cristiana Grumbach. Brasil, 2005. Documentário.  85’. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de roda de conversa. Classificação indicativa Livre.
16h – Dossiê Crítico 1999 – Clube da luta Fight Club de David Fincher. EUA, 1999. Com Brad Pitt, Edward Norton e Helena Bonham Carter. 139’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 18 anos.
18h – Dossiê Crítico 1999 – Bom trabalho Beau travail de Claire Denis. França,1999. Com Denis Lavant e Michel Subor. 90’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 12 anos.

sab 24
16h – Dossiê Crítico 1999 – Matrix The Matrix de Lana e Lilly Wachowski. EUA, 1999. Com Keanu Reeves, Laurence Fishburne e Carrie-Anne Moss. 136’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.
18h30 – Dossiê Crítico 1999 – eXistenZ de David Cronenberg. Grã-Bretanha/França/ Canadá, 1999. Com Jennifer Jason Leigh, Jude Law, Ian Holm e Willem Dafoe. 97’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 16 anos

dom 25
13h – Inhotim Arte Presente – Arte e natureza de Pedro Urano. Brasil, 2017. Documentário. 104’. Exibição em mov. (H264). Classificação indicativa Livre.
15h – Dossiê Crítico 1999 – Meninos não choram Boys Don’t Cry de Kimberly Peirce. EUA, 1999. Com Hilary Swank, Chloë Sevigny e Peter Sarsgaard. 118’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Sessão seguida de debate com Ruy Gardnier e Hernani Heffner. Classificação indicativa 16 anos.
19h30 – Dossiê Crítico 1999 – As virgens suicidas The Virgin Suicides de Sofia Coppola. EUA, 1999. Com James Woods, Kirsten Dunst e Kathleen Turner. 97’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264) + debate “Tornar-se mulher”, com a participação de Yandara Moeira, Cecília Barroso e Ana Flávia Gerhardt. Classificação indicativa 14 anos.

seg 26
16h – Dossiê Crítico 1999 – O talentoso Ripley The Talented Mr. Ripley de Anthony Minghella. EUA, 1999. Com Matt Damon, Gwyneth Paltrow e Jude Law. 139’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.
18h40 – Dossiê Crítico 1999 – O mundo de Andy Man on the Moon de Milos Forman. EUA, 1999. Com Jim Carrey, Danny DeVito e Courtney Love. 118’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.

ter 27
16h – Dossiê Crítico 1999 – Audição Ôdishon / オーディション de Takashi Miike. Japão, 1999. Com Ryo Ishibashi e Eihi Shima. 115’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 18 anos.
18h – Dossiê Crítico 1999 – O sexto sentido The Sixth Sense de M. Night Shyamalan. EUA, 1999. Com Bruce Willis e Haley Joel Osment. 107’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.

qua 28
16h – Dossiê Crítico 1999 – O informante The Insider de Michael Mann. EUA, 1999. Com Al Pacino, Russell Crowe, Christopher Plummer e Dine Verona. 157’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.
18h40 – Dossiê Crítico 1999 – Eleição Election de Alexander Payne. EUA, 1999. Com Mathew Broderick e Reese Witherspoon. 102’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 10 anos.

qui 29
15h30 – Museu e Tecnologia de Cinema – Lançamentos do Dossie Temático da Revista Museologia e Interdisciplinaridade  Cinema, Museu e Patrimônio, organizado por Alda Heizer e José Quental, e do catálogo da Exposição Galáxia(s) do Cinema : Máquinas, Engrenagens, Movimentos ou this strange little thing called love, com Curadoria de Hernani Heffner, evento seguido de abertura e mesa-redonda com a participação de Cícero de Almeida (IBRAM/UNIRIO), Fabián Nuñez (UFF) e Hernani Heffner (Cinemateca do MAM Rio), com mediação de José Quental (Université Paris 8/IHTP).
17h15 – Sessão ABPA – Balneário da Urca (fragmento) de J. Nunes. Brasil, 1929-35. Filme amador. 8’20’’ + Hands, a dança de Maria Duschenes de Herbert Duchesnes. Brasil, 1949. Filme familiar. 8’20’’ + Anti-cinema (?) (Auto-retrato n. 4) de Raymond Chauvin. Brasil, 1980. Experimental. 3’ + O que você deve saber sobre a raiva! de diretor anônimo. Brasil 1952. Filme didático. 5’40’’ + Augusto Ruschi, Guainunbi de Orlando Bonfim Netto. Brasil, 1979. Documentário. 12’. Exibição em MP4 (H264). Sessão seguida de visitação e confraternização. Clasificação indicativa Livre.
18h30 – Sala Escura: Homenagem a Ruth de Souza e Isabel Sarli – Favela de Armando Bó. Brasil/Argentina, 1961. Com Isabel Sarli, Victor Bo, Ruth de Souza e Moacyr Deriquem. 76’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 18 anos.
20h – Pré-estreia – Dos antigos aos Filhos do Amanhã de Leonardo A. Gelio. Brasil, 2017. Documentário. 30’. Exibição em mov (H264) + debate com o realizador, Robson Possídônio (caiçara, pescador, aprendiz-canoeiro, líder da Associação de Moradores de Trindade e membro do Forum das Comunidades Tradicionais da Região de Trindade), Hernani Heffner (Conservador-chefe da Cinemateca do MAM Rio) e Nina Braga (socióloga, psicóloga, pós-graduada em Antropologia pela UFRJ e diretora do Instituto E). Classificação indicativa Livre.

sex 30
14h – Sobreurbano: a cidade se debate – Moradias – Remoção de Anderson Quack e Luís Antônio Pilar. Brasil, 2013. Documentário.  85’. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de roda de conversa. Classificação indicativa Livre.
16h – Dossiê Crítico 1999 – Uma história real The Straight Story de David Lynch. França/Grã-Bretanha/EUA, 1999. Com Richard Fansworth e Sissy Spacek. 111’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.
18h – Dossiê Crítico 1999 – O vento nos levará Bad ma ra khahad bord / اد ما را خواهد برد‎, de Abbas Kiarostami. Irã/França, 1999. Com Behzad Dorani, Noihgre Asadi e Bahman Ghobadi. 118’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 10 anos.

sab 31
16h – Dossiê Crítico 1999 – Rosetta de Jean-Pierre e Luc Dardenne. França/Bégica, 1999. Com Emilie Dequenne, Fabrizio Rongione e Anne Yernaux. 95’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.
18h – Dossiê Crítico 1999 – O lixo e o sonho Ratcatcher de Lynne Ramsay. Grã-Bretanha/França, 1999. Com Tommy Flanagan, Mandy Matthews e William Eadie. 94’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.
20h – Pré-estreia – Filhos de Macunaíma de Miguel Antunes Ramos. Brasil, 2019. Documentário. 90’. Exibição em DCP. Sessão seguida de roda de conversa com o realizador, Léo Bittencourt e Aparecida Vilaça. Classificação indicativa 14 anos.

PROGRAMAÇÃO – julho 2019

Festival Ecrã
Em sua terceira e maior edição o Festival Ecrã, dedicado ao cinema expandido e experimental, apresenta uma ampla seleção da criação audiovisual mundial recente, trazendo ainda 11 instalações que estarão dispostas no espaço junto à entrada e nos corredores de acesso da Cinemateca. Com investigações sobre a natureza dos tempos, das materialidades, dos afetos e do viver contemporâneo, entre outras aproximações à sensorialidade, à estesia e ao pensar, o festival se firma como uma das mais importantes janelas do país para uma produção eminentemente não-comercial, fazendo a ponte com as artes visuais, sonoras e espaciais contemporâneas.

Mostra Popular de Filmes Finalistas do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro
Escolhida como um dos espaços de divulgação dos finalistas ao Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019, organizado pela Academia Brasileira de Cinema, a Cinemateca apresenta az quase totalidade dos títulos concorrentes de 22 de julho a 11 de agosto. A premiação destina-se às produções lançadas no mercado de salas de exibição comerciais e que se destacaram em diversos quesitos. A selerção da Cinemateca envolve principalmente os corrente a melhor filme em diversas categorias como Filme Brasileiro, Estrangeiro e  Latino, por exemplo.

qui 11
20h – Festival Ecrã – Lembra de Leonardo Martinelli. Brasil, 2018. Com Isis Mendes Távora e Viniele Lopes. 10’. Exibição em mov (H264) + Os jovens Baumann de Bruna Carvalho Almeida e Leonardo Martinelli. Brasil, 2018. Com Júlia Burnier e Isabela Mariotto. 70’. Exibição em DCP 2K + roda de conversa com os realizadores e mediação de Hernani Heffner. Classificação indicativa 14 anos.

sex 12
13h – Festival Ecrã – XI – La force de Onze (Rodrigo Amim e Gabriela Monnerat), Mari Bley e João Bueno. Brasil, 2017. Experimental. 3’05” + As esquecidas cores dos sonhos The Forgotten Colours of Dreams de Johnny Clyde. Alemanha, 2018. Com Nina Viola. 129’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

15h20 – Festival Ecrã – Histórias de fantasmas de Carlos Pereira. Portugal, 2018. Documentário experimental. Com Pierre Marcout. 13’32” + Corsário Corsario de Raúl Perrone. Argentina, 2018. Com Martin Bermello, Alejandro Ricagno e Nicolas Ruiz. 67’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 18 anos.

16h45 – Festival Ecrã – Adeus às coisas de Ian Schuler. Brasil, 2019. Experimental. 17’ + Vaga carne de Grace Passô e Ricardo Alves Jr. Brasil, 2019. Com Grace Passô, Zora Santos e André Novais Oliveira. Exibição em mov (H264). Sessão com apresentação do diretor Ian Schuler. Classificação indicativa 16 anos

18h15 – Festival Ecrã – A consulta de três da tarde com o Dr. Harlow Beth’s Three O’Clock with Dr. Harlow de Emma Penaz Eisner. EUA, 2018. Animação/Live action. Com William Hughes e Jane Wolker. 2’05” + Permanecendo com o problema Staying with the Trouble de Alyona Larionova. Grã-Bretanha, 2018. Documentário. 14’05” + O cérebro de Ulrike Ulrike’s Brain de Bruce LaBruce. Alemanha/Canadá, 2017. Com Susanne Sachße, Gertrude Stammheim e Jonathan Johnson. 55’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

20h – Festival Ecrã – A corrida de camelos The Camel Race de Isabelle Carbonell e Pierre Kattar. EUA/Qatar, 2012. Documentário. 23’32” + Filme catástrofe Film Catastrophe de Paul Grivas. França, 2018. Documentário. 55’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

sab 13
11h – Festival Ecrã – Métodos de pesquisa para imagens já existentes, debate com Patrícia Machado, Lucas Murari e Juliano Gomes. Classificação indicativa Livre.

13h – Festival Ecrã – Notas sobre os vivos de Onze (Rodrigo Amim e Gabriela Monnerat), Mari Bley e João Bueno. Brasil, 2017. Experimental. 3’05” + Diários de terraços e torres de água Diary of Rooftop and Water Towers de Nobuyuki Asai. Japão/EUA, 2018. Com Nina Viola. 102’52”. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

15h10 – Festival Ecrã – Nossa voz Nou voix de Maxime Jean-Baptiste. Portugal, 2018. Found footage. 14’24” + O expurgo da terra Purge This Land de Lee Anne-Schmitt. EUA, 2017. Documentário/Filme Ensaio. 80’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

17h – Festival Ecrã – Concreto cinza abstrato de Henrique Grise. Brasil, 2018. Com Gabriela Barreto e Pedro Clemente. 11’ + Anos de construção Years of Construction de Heinz Emigholz. Alemanha, 2019. Documentário. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 10 anos.

19h – Festival Ecrã – Dispositivos móveis Mobile Devices de Paul Echeverria. EUA, 2017. Animação. 5’ + Sua existência começou nessa hora It’s Existence Commenced This Hour de Wolfgang Lehmann. Suécia/Malásia, 2016-9. Experimental. Com Letizia Mauldin, The Anonymous, Amparo Tamayan & Shichiro Ozu. 60’. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de debate com o realizador Wolfgang Lehmann, com mediação de Luiz Garcia. Classificação indicativa 10 anos.

20h30 – Festival Ecrã – Latitude dos cavalos The Horse Latitudes de Duncan McDowall. Canadá, 2013. Com Robert Naylor, Kristian Hodko, Al Dubois. 15’ + Amalia de Omar Rodriguez-Lopez. EUA, 2018. Com Jacquelin Arroyo, Verina Banks e Victor Boneva. 97’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 18 anos.

dom 14
11h – Festival Ecrã – McLuhan, mídia e materialidade: estendendo o cinema experimental, palestra com Wilson Oliveira Filho e Richard Altman. Classificação indicativa Livre.

13h – Festival Ecrã – Far fa loo de Luis Grane. EUA, 2017. Experimental. 6’06” + McLuhan esnobado: o cínico ocidental McLuhan Unclaimed: Western Cynical de Richard Altman. Canadá, 2017. Documentário. 186’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Sessão com apresentação do realizador Richard Altman. Classificação indicativa 16 anos.

16h – Festival Ecrã – Afeto de Gabriella Meirelles e Tainá Medina. Brasil, 2018. Experimental. 15’. Exibição em mov (H264) + Nietzsche Sils Maria de Rochedo Surlej de Júlio Bressane, Rosa Dias e Rodrigo Lima. Brasil, 2019. Documentário experimental. Com Rosa Dias. 58’. Exibição em DCP. Sessão com apresentação pelos realizadores Tainá Medina, Gabriela Meirelles, Júlio Bressane, Rosa Dias e Rodrigo Lima. Classificação indicativa 14 anos.

17h50 – Festival Ecrã – Lendo//Vendo//Benning Reading//Binging//Benning de Kevin B. Lee & Chloé Galibert-Laîné. EUA, 2018. Ensaio. 10’43” + Leitores Readers de James Benning. EUA, 2017. Com Rachel Kushner, Richard Hebdige, Clara McHale-Ribot e Simone Forti. 108’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 10 anos.

20h – Festival Ecrã – Memórias de 02/2019 de Luiz Fernando Kogut. Brasil, 2019. Documentário. 23’32”. + Esses dias These Days de Andre de Nervaux. Grã-Bretanha, 2018. Documentário. 60’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Sessão com apresentação pelo realizador Luiz Fernando Kogut. Classificação indicativa 12 anos.

seg 15
13h – Festival Ecrã – Ar da memória de Chris Martins. Brasil, 2018. Experimental. 20’20” + Vaga carne de Grace Passô e Ricardo Alves Jr. Brasil, 2019. Com Grace Passô, Zora Santos e André Novais Oliveira. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

14h20 – Festival Ecrã – Língua nos dentes Teeth Tongue de Michael Wawzenek. EUA, 2018. Experimental. 3’ + Alabastro  Albatrê de Jacques Perconte. França, 2016-8. Documentário. 46’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 10 anos.

15h15 – Festival Ecrã – Mudança contemporânea Mudanza contemporanea de Teo Guillem. Espanha, 2019. Experimental. 19’40” + Família. Trabalho. Compras Family. Work. Shop de 猫 シ Corp. Holanda, 2018. Filme de família experimental. 80’06”. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa Livre.

17h10 – Festival Ecrã – Translações Nutsigassat de Tinne Zenner. Groenlândia, 2018. Documentário experimental. 20’20” + Notas de uma viagem Notes from a Journey de Clara Pais e Daniel Fawcett. Grã-Bretanha, 2019. Travelogue experimental. 72’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

19h – Festival Ecrã – História(s) do Tempo Histoire(s) du Temps de Eli Hayes. EUA, 2019. Filme de arquivo experimental. 206’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa Livre.

ter 16
13h – Festival Ecrã – Afeto de Gabriella Meirelles e Tainá Medina. Brasil, 2018. Experimental. 15’. Exibição em mov (H264) + Nietzsche Sils Maria de Rochedo Surlej de Júlio Bressane, Rosa Dias e Rodrigo Lima. Brasil, 2019. Documentário experimental. Com Rosa Dias. 58’. Exibição em DCP. Classificação indicativa 14 anos.

14h15 – Festival Ecrã – Crônicas de lá e de lugar nenhum From There and Nowhere Chronicles de Jeremy Griffaud. França, 2018. Animação. 4’20” + Sensores Sensors de Kent Tate. Canadá, 2019. Documentário. 8’30” + 8 caminhos para o colégio 8 chemins du Tracas de Jean-Marc Boulard. França, 2019. Experimental. 48’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 10 anos.

15h20 – Festival Ecrã – Paisagem vira paisagem Landscape becoming Landscape de Pamela Breda. Grã-Bretanha, 2019. Experimental. 2’42” + A cidade escondida La ciudad oculta de Victor Moreno. Espanha/França/Alemanha, 2019. Experimental. 80’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

17h10 – Festival Ecrã – O último dia da mariposa Le dernier jour du papillon lune de Guillaume Vallée. Canadá, 2019. Experimental. 4’52” + Correnteza IX The Stream IX de Hiroya Sakurai. Japão, 2018. Documentário experimental. 5’37” + A visão de Tondal Tondal’s Vision de Stephen Broomer. Canadá, 2018. Experimental.  64’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

18h40 – Festival Ecrã – Horizonte Skyline de Janja Rakuš. Eslovênia, 2018. Experimental. 6’34” + IntercâmbioInterchange de Mélanie Shatzky e Brian M. Cassidy. Canadá, 2018. Documentário. 62’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa Livre.

20h – Festival Ecrã – Negrum 3 de Diego Paulino. Brasil, 2018. Ensaio. 21’56” + Eu sou o Rio de Gabraz Sanna e Anne Santos. Brasil, 2017. Documentário. 78’. Exibição em mov (H264). + debate com os realizadores Gabraz Sanna e Anne Santos, com mediação de Bernardo Oliveira. Classificação indicativa 16 anos.

qua 17
13h – Festival Ecrã – Memórias de 02/2019 de Luiz Fernando Kogut. Brasil, 2019. Documentário. 23’32” + Esses dias These Days de Andre de Nervaux. Grã-Bretanha, 2019. Documentário. 60’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

14h30 – Festival Ecrã – XI – La force de Onze (Rodrigo Amim e Gabriela Monnerat), Mari Bley e João Bueno. Brasil, 2017. Experimental. 3’05” + As esquecidas cores dos sonhos The Forgotten Colours of Dreams de Johnny Clyde. Alemanha, 2018. Com Nina Viola, Magloire Bilal Button e Viveka Frost. 129’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

16h50 – Festival Ecrã – Histórias de fantasmas de Carlos Pereira. Portugal, 2018. Documentário experimental. Com Pierre Maurcot. 13’32” + Corsário Corsario de Raúl Perrone. Argentina, 2018. Com Martin Bermello, Alejandro Ricagno e Nicolas Ruiz. 67’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 18 anos.

18h20 – Festival Ecrã – Translações Nutsigassat de Tinne Zenner. Groenlândia, 2018. Documentário experimental. 20’20” + Notas de uma viagem Notes from a Journey de Clara Pais e Daniel Fawcett. Grã-Bretanha, 2019. Travelogue experimental. 72’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

20h – Festival Ecrã – Bem, no meio do céu de Isabella Raposo e Thiago Brito. Brasil, 2018. Com Gláucia Brito Brandão. 13’ + Mirante de Rodrigo John. Brasil, 2019. Documentário. 79’. Exibição em mov (H264) + debate com os realizadores, com mediação de Francisco Carbone. Classificação indicativa Livre.

qui 18
13h – Festival Ecrã – Só um pouco aqui Sólo un poco aquí de Duo Strangloscope. Brasil/México, 2019. Documentário. 5’32” + Sua existência começou nessa hora It’s Existence Commenced this Hour de Wolfgang Lehmann. Suécia/Malásia, 2016-9. Experimental. Com Letizia Mauldin, The Anonymous, Amparo Tamayan & Shichiro Ozu. 60’. Exibição em mov (H264).  Classificação indicativa 10 anos.

14h10 – Festival Ecrã – Far fa loo de Luis Grane. EUA, 2018. Experimental. 6’06” + McLuhan esnobado: o cínico ocidental McLuhan Unclaimed: Western Cynical de Richard Altman. Canadá, 2017. Documentário. 186’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Sessão com apresentação do realizador Luis Grané. Classificação indicativa 16 anos.

17h20 – Festival Ecrã – Por favor, saia do enquadramento Please Step out of the Frame de Karissa Kahn. EUA, 2018. Documentário experimental. 4’10” + Alabastro  Albâtre de Jacques Perconte. França, 2016-8. Documentário. 46’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 18 anos.

18h20 – Festival Ecrã – A consulta de três da tarde com o Dr. Harlow Beth’s Three O’Clock with Dr. Harlow de Emma Penaz Eisner. EUA, 2018. Animação/Live action. Com William Hughes e Jane Wolker. 2’05” + Permanecendo com o problema Staying with the Trouble de Alyona Larionova. Grã-Bretanha, 2018. Documentário. 14’05” + O cérebro de Ulrike Ulrike’s Brain de Bruce LaBruce. Alemanha/Canadá, 2017. Com Susanne Sachße, Gertrude Stammheim e Jonathan Johnson. 55’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

20h – Festival Ecrã – Wide awake de Rafael de Almeida. Brasil, 2018. Experimental. 7’ + Vermelha de Getúlio Ribeiro. Brasil, 2018. Com Gaúcho, Beto, Débora Marques. 78’. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de debate com o realizador Getúlio Ferreira, com mediação de Pedro Henrique Ferreira. Classificação indicativa 12 anos.

sex 19
13h – Festival Ecrã – Bem, no meio do céu de Isabella Raposo e Thiago Brito. Brasil, 2018. Com Gláucia Brito Brandão. 13’ + Mirante de Rodrigo John. Brasil, 2019. Documentário. 79’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa Livre.

14h40 – Festival Ecrã – Intermediário Ενδιάμεσος de Antonis Rozakis. Grécia, 2018. Com Antonis Varthalitis. 4’07” + Intercâmbio Interchange de Mélanie Shatzky e Brian M. Cassidy. Canadá, 2018. Documentário. 62’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa Livre.

16h – Festival Ecrã – Notas sobre os vivos de Onze (Rodrigo Amim e Gabriela Monnerat), Mari Bley e João Bueno. Brasil, 2017. Experimental. 3’05” + Diários de terraços e torres de água (Diary of rooftop water towers) de Nobuyuki Asai. Japão/EUA, 2018. Documentário poético. 102’52”. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

18h10 – Festival Ecrã – Calma de Rafael Simões. Brasil, 2019. Experimental. 30’ + Trovão do mar Tonerre sur mer vosta de Yotam Bem-David. Israel, 2018. Documentário. 45’36”. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

19h45 – Festival Ecrã – Lendo//Vendo//Benning Reading//Binging//Benning de Kevin B. Lee & Chloé Galibert-Laîné. EUA, 2018. Ensaio. 10’43” + Leitores Readers de James Benning. EUA, 2017. Com Rachel Kushner, Richard Hebdige, Clara McHale-Ribot e Simone Forti. 108’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 16 anos.

sab 20
11h – Festival Ecrã – Trajetória da crítica de cinema no Brasil, com a participação e dos críticos Susana Schild, Ruy Gardnier, Lucas Salgado e Eduardo Valente.

13h – Festival Ecrã – O submundo The Underworld de Jan Clavadetscher. Irlanda, 2019. Experimental. 16’42”. + A cidade escondida La ciudad oculta de Victor Moreno. Espanha/França/Alemanha, 2019. Experimental. 80’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

14h50 – Festival Ecrã – Transições Transitions de Aurèle Ferrier. Suiça, 2018. Experimental. 12’48” + Vermelha de Getúlio Ribeiro. Brasil, 2018. Com Gaúcho, Beto, Débora Marques. 78’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

16h30 – Festival Ecrã – Latitude dos cavalos The Horse Latitudes de Duncan McDowall. Canadá, 2013. Com Robert Naylor, Kristian Hodko, Al Dubois. 15’ + Amalia de Omar Rodriguez-Lopez. EUA, 2018. Com Jacquelin Arroyo, Verina Banks e Victor Boneva. 97’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 18 anos.

18h30 – Festival Ecrã – Concreto cinza abstrato de Henrique Grise. Brasil, 2018. Com Gabriela Barreto e Pedro Clemente. 11’ + Anos de construção Years of Construction de Heinz Emigholz. Alemanha, 2019. Documentário. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 10 anos.

20h30 – Festival Ecrã: Sessão Virgil Wildrich – Back track. Áustria, 2015. Experimental. 7’ + Copiadora Copy Shop. Áustria, 2018. Com Johannes Silberschneider, Elisabeth Ebner-Haid. 12’ + Fazer/Real (Make/Real). Áustria, 2010. Animação 5’ + Filme rápido Fast Film. Áustria, 2003. Experimental. 14’. + Matéria de luz Light Mater. Áustria, 2018. Animação. 5’. + TX-Reverse. Áustria, 2019. Experimental. 5’. Experimental. 7’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

dom 21
11h – Festival Ecrã – Uma visão eclética sobre animação experimental e videoarte, palestra com a cineasta Luis Grané. Classificação indicativa Livre.

13h – Festival Ecrã – O último dia da mariposa Le dernier jour du papillon lune de Guillaume Vallée. Canadá, 2019. Experimental. 4’52” + Correnteza IX The Stream IX de Hiroya Sakurai. Japão, 2018. Documentário experimental. 5’37” + A visão de Tondal Tondal’s Vision de Stephen Broomer. Canadá, 2018. Experimental.  64’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

14h25 – Festival Ecrã – Nossa voz Nou voix de Maxime Jean-Baptiste. Portugal, 2018. Found footage. 14’24” + O expurgo da terra Purge this Land de Lee Anne-Schmitt. EUA, 2017. Documentário/Filme Ensaio. 80’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

16h15 – Festival Ecrã – A corrida de camelos The Camel Race de Isabelle Carbonell e Pierre Kattar. EUA/Qatar, 2012. Documentário. 23’32” + Filme catástrofe Film catastrophe de Paul Grivas. França, 2018. Documentário. 55’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos.

17h30 – Festival Ecrã – Crônicas de lá e de lugar nenhum From There and Nowhere Chronicles de Jeremy Griffaud. França, 2018. Animação. 4’20” + Sensores Sensors de Kent Tate. Canadá, 2019. Documentário. 8’30” + 8 caminhos para o colégio 8 chemins du Tracas de Jean-Marc Boulard. França, 2019. Experimental. 48’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 10 anos.

19h – Festival Ecrã – Protejam essa laje de Gabriel Papaléo. Brasil, 2019. Documentário. 15’02”. + Enquanto estamos aqui de Clarissa Campolina e Luiz Pretti. Brasil, 2019. Com Grace Passô, Marcelo Souza e Silva, Mary Ghattas. 75’. Legendas em português. Exibição em mov (H264) + debate com os realizadores Gabriel Papaléo, Clarissa Campolina e Luiz Pretti, com mediação de Andrea Ormond. Classificação indicativa 12 anos.

seg 22
16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – A noiva do deserto La novia del desierto de Cecilia Atán e Valeria Pivato. Argentina/Chile, 2017. Com Paulina García e Susana Pampín. 78’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 12 anos.

18h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – O Grande Circo Místico de Carlos Diegues. Brasil/França/Portugal, 2018. Com Vincent Cassel, Jesuíta Barbosa, Bruna Linzmayer e Mariana Ximenes. 104’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 16 anos.

20h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – A luta do século de Sérgio Machado. Brasil, 2015. Documentário. 78’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 16 anos.

ter 23
16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Alguém como eu de Leonel Vieira. Portugal/Brasil, 2018. Com Paolla Oliveira e Ricardo Pereira. 87’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 14 anos.

18h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Chacrinha – O Velho Guerreiro de Andrucha Waddington. Brasil, 2018. Com Stepan Nercessian, Marie Pequim, Marcelo Serrado e Gustavo Machado. 113’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 12 anos.

20h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Ex-pajé de Luiz Bolognesi. Brasil, 2018. Documentário. 78’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa Livre.

qua 24
16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – As herdeiras Las herederas de Marcelo Martinessi. Paraguai/França/Alemanha/Noruega/Brasil/Uruguai/Itália, 2018. Com Ana Brun, Margarita Irun e Ana Ivanova. 98’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 12 anos.

18h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – O paciente – O caso Tancredo Neves de Sérgio Rezende. Brasil, 2018. Com Othon Bastos, Ester Goés e Leonardo Medeiros. 100’. Exibição em  DCP 2K. Classificação indicativa 14 anos.

20h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – My Name Is Now, Elza Soares de Elizabeth Martins. Brasil, 2014. Documentário. 71’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa Livre.

qui 25
14h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Cachorros Los perros de Marcela Said. Chile/França/Argentina/Portugual/Alemanha/Suiça, 2017. Com Antonia Zegers e Alfredo Castro. 94’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 14 anos.

16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – A voz do silêncio de André Ristum. Brasil, 2018. Com Marieta Severo e Milhem Cortaz. 98’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 16 anos.

18h – Sessão Retrolâmpago – A Carne e o Diabo Flesh and the Devil de Clarence Brown. EUA, 1926. Com John Gilbert, Greta Garbo e Lars Hanson.112’. Legendas em português. Exibição em MKV. Sessão com acompanhamento musical ao vivo por Cadu Pereira. Antes da sessão, distribuição de folhetos impressos. Sessão precedida de apresentação e seguida de sorteios de cartazes. Classificação indicativa 14 anos. Curadoria Igor Andrade Pontes. Organização: Drika de Oliveira e Igor Andrade Pontes.

20h30 – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – My Name Is Now, Elza Soares de Elizabeth Martins. Brasil, 2014. Documentário. 71’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa Livre.

sex 26
14h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Uma noite de 12 anos La noche de 12 años de Alvaro Brechner. Uruguai/Espanha/Argentina/França/Alemanha, 2018. Com Antonio de la Torre e Chino Darín. 122’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 14 anos.

16h30 – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Benzinho de Gustavo Pizzi. Brasil, 2018. Com Karina Teles e Adriana Esteves. 98’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 12 anos.

18h30 – Cineclube Golden Swallow – Cruel dilema Good-bye, My Lady de William A. Wellman. EUA, 1956. Com Walter Brennan e Phil Harris. 94’. Legendas em português. Exibição em, DVD. Classificação indicativa 14 anos.

20h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – O processo de Maria Augusta Ramos. Aleamnha/Brasil/Holanda, 2018. Documentário. 139’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa Livre.

sab 27
14h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Infiltrado na Klan BlacKKKlansman de Spike Lee. EUA, 2018. Com John David Washington e Adam Driver. 135’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 14 anos.

17h – CineMAM#17: Pré-estréia – A suite epifânica de Luiza de Elvis Delbagno. Brasil, 2017. Com Luiza Oliveira e Vímerson Cavanilas. 92’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos. Curadoria Felipe Cataldo.

19h – CineMAM#17: Vidigal – Marulho de Marcello Melo. Pré-estréia. Brasil, 2019. Com Marcello Melo, Paula Almeida, Marcello Melo Jr, Fátima Domingues, Sabrina Rosa, Melissa Arievo, Benjamim, Cida Costa, João Gurgel e Bruno Barboza. 26’ + Pé sem chão de Sérgio Ricardo. Brasil, 2014. Com Marília Coelho, Márcio Januário, Nino Batista e Sérgio Ricardo. 14’ + Poder de Sabrina Rosa. Brasil, 2018. Com Cíntia Rosa, Luana Xavier, Mary Sheyla de Paula, Mariana Alves, Paloma Riane, Marcello Melo, Eduardo Bastos e Luiz Delfino. 20’ + Amanhã já é outono de Luciana Bezerra. Brasil, 2015. Com Paloma Dalla Vecchia e Paula Almeida. 17’ + Cacumbu de Daniel Paes. Brasil, 2018. Com Ivo Gustavo da Silva, Sérgio Ricardo, Marília Coelho, Nino Batista, Marcelo Mello, Mônica Nega, Francisco Thiago, João Gurgel, Victor Magrath e a voz de Glauce Guima. 14’. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de debate com os realizadores. Classificação indicativa 14 anos. Curadoria Felipe Cataldo.

dom 28
13h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Peixonauta – O filme de Célia Catunda, Rodrigo Eba e Kiko Mistrorigo. Brasil, 2017. Animação. 67’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa Livre.

15h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – A arte da discórdia The Square de Ruben Östlund. Suécia/Alemanha/França/Dinamarca, 2017. Com Claes Bang e Elizabeth Moss. 151’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 14 anos.

18h – Inhotim Arte Presente – Curadoria de Pedro Urano. Brasil, 2017. Documentário. 52’ + Jardim Botânico de Pedro Urano. Brasil, 2017. Documentário. 52’. Exibição em mov. (H264) + roda de conversa. Classificação indicativa Livre.

seg 29
16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Bohemian Rhapsody de Brian Singer. EUA, 2018. Com Rami Malek e Lucy Boynton. 134’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 14 anos.

18h30 – Cine Fantástico – O pássaro sangrento Stage Fright de Michele Soavi. Itália, 1987. Com David Brandon, Barbara Cupisti e Domenico Fiore. 90’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

ter 30
16h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – Eu, Tonya I, Tonya de Craig Gillespie. EUA, 2017. Com Margot Robbie. 120’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 14 anos.

18h30 – Cineclube Moventes – Espelho de carne de Antônio Carlos Fontoura. Brasil, 1984. Com Daniel Filho, Hileana Menezes, Denis Carvalho e Maria Zilda. 102’. Exibição em 35mm + roda de conversa. Classificação indicativa 18 anos.

qua 31
15h – Grande Prêmio Cinema Brasileiro 2019 – A forma da água The Shape of Water de Guillermo del Toro. EUA, 2017. Com Sally Hawkins, Michael Shannon e Richard Jenkins. 123’. Exibição em DCP 2K. Classificação indicativa 16 anos.

18h30 – Sala Escura: 40 anos da Revolução Sandinista – O pequeno exército louco de Lúcia Murat. Brasil, 1984. Documentário. 50’. Exibição em mov (H264). Sessão seguida de roda de conversa com a realizadora. Classificação indicativa 16 anos.

Entrada franca.

PROGRAMAÇÃO – junho 2019

Bloomsday
O Bloomsday é uma celebração nascida em Dublin, capital da Irlanda, em 1954, por iniciativa de um grupo de escritores capitaneados por John Ryan. Homenageava o cinquentenário dos eventos descritos no romance Ulisses (1922), de James Joyce, que giram em torna da personagem Leopold Bloom e se passam ficcionalmente no dia 16 de junho de 1904, exato dia em que o escritor conheceu sua futura esposa Nora Barnacle. Considerado um dos monumentos artísticos mais importantes do século XX, o texto descreve a jornada de Bloom pelas ruas da capital irlandesa ao longo do dia, reproduzindo uma intrincada cartografia urbana e construindo um retrato da complexa e hesitante personalidade do protagonista em um aparente dia banal. O afã de Joyce em capturar de uma só vez a vivência moderna em todas as suas dimensões acabaria inspirando um sem número de eventos, manifestações, comemorações mundo afora, todas alusivas ao universo joyceano e sua obra maior. Em parceria com Fórum do Campo Lacaniano do Rio de Janeiro, a Cinemateca se junta às celebrações mundiais do Bloomsday 2019 apresentando uma programação que explora um desdobramento específico da obra joyceana. Tomados como principal referência para o seu Seminário de Ensino, conhecido como Livro 23, realizado no biênio 1975-6, os textos joyceanos são vistos pelo psicanalista Jacques Lacan como um sinthoma, isto é, como a possibilidade de conscientemente o sujeito inventar uma solução para os seus problemas, o que abrir grandes perspectivas de uso da arte para tratar situações como o autismo, por exemplo. Centrados na relação com a psicanálise, os encontros propostos para os dias 14, 15 e 16 exploram diferentes facetas dessa relação assim como reapresentam elementos do imaginário joyceano e da cultura irlandesa, suscitando o ambiente propício para o entendimento da sugestão capturada por Lacan. Ponto alto da programação são as duas conferências da professora e estudiosa francesa Colette Soler, e o lançamento da tradução brasileira de seu livro já clássico, Lacan leitor de Joyce.
Confiram o registro fílmico do primeiro Bloomsday neste link: https://www.youtube.com/watch?v=A0gNNWHmj9Q

Risco Cinema
“A muralha da China foi concluída em sua extremidade setentrional”. Assim começa o conto de Franz Kafka “Durante a construção da muralha da China” e, assim começa este filme na fronteira fortemente militarizada do sudeste da Europa. À sombra de suas próprias narrativas de liberdade, a Europa construiu silenciosamente sua própria grande muralha. Tal como o famoso precursor chinês, este muro tem sido fragmentado em construção, diversificado na forma e discutível na utilidade. Aos poucos, se tornando coerente em todo o continente, esse sistema de enclausuramento e exclusão é impelido a uma população aparentemente disposta a aceitar sua necessidade e contribuir para sua construção. Das margens da Europa, a Grande Muralha se move através de várias paisagens fortificadas não identificadas, parando com aqueles cujas vidas são enquadradas por fronteiras e muros. Movendo-se para dentro em direção à sede do poder, o filme aborda o projeto europeu sob uma deslumbrante luz cinematográfica, refratada através do texto misterioso de Franz Kafka; em última análise, questionando a natureza do poder, dentro e fora da Europa.

sab 1
16h – Uranium Film Festival: Chernobyl Durante o Acidente – Inseparáveis (Motylki) de Vitaliy Vorobyov. Versão para cinema. Ucrânia, 2013. Com Elena Kolesnichenko. 118’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos. | 18h – Uranium Film Festival: Chernobyl Durante o Acidente – A Zona – Jornada Pós Atômica (The Zone – Post Atomic Journey) de Alessandro Tesei e Pierpaolo Mittica. Itália, 2018. Documentário. 85’. Versão original em inglês sem legendas. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.

dom 2
11h – Uranium Film Festival: Rejeitos Radiotivos e Segurança Nuclear – Meia vida: a história do último moinho de urânio da América (Half Life: The Story of America’s Last Uranium Mill) de Justin Clifton. EUA, 2016. Documentário. 12’. Versão original sem legendas + Yellow Cake: a sujeira atrás do urânio (Yellow Cake: Die Lüge von der sauberen Energie) de Joachim Tschirner. Alemanha 2010. Documentário. 112’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264) + roda de conversa com a jornalista Joelma do Couto e os professores Alphonse Kelecom (UFF) e Wagner Pereira (Veiga de Almeida). Classificação indicativa 14 anos. | 16h – Uranium Film Festival: Era Atômica – O Brasil na Era Atômica de Jean Manzon. Brasil, 1962. Documentário. 11’ + Dr. Fantástico (Dr. Strangelove or: How I Learned to Stop Worrying and Love the Bomb) de Stanley Kubrick. EUA/Grã-Bretanha, 1964. Com Peter Sellers e George C. Scott. 95’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 10 anos. | 18h – Uranium Film Festival: Era Atômica – O homem que salvou o mundo (The Man Who Saved the World) de Peter Anthony. Dinamarca/Lituânia/Rússia/EUA, 2014. Documentário. 110’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 10 anos.

qua 5
15h – Curso – Imagens Convulsivas: cinema e estados alterados de percepção, com o professor Tadeu Capistrano. Em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro e com o cineclube Risco Cinema. Classificação indicativa livre. | 18h30 – Paralelo – Olhos azuisde José Joffily. Brasil, 2009. Com David Rasche, Cristina Lago e Irandhir Santos. 111’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 16 anos.

qui 6
18h30 – Cineclube Golden Swallow – A vingança de Frankenstein (The Revenge of Frankenstein) de Terence Fisher. Grã-Bretanha, 1958. Com Peter Cushing e Francis Matthews. 90’. Legendas em português. Exibição em DVD. Classificação indicativa 14 anos. Curadoria Yuri Ferreira.

sex 7
18h30 – L.U.T.O. – Hitler IIIo. Mundo de José Agripino de Paula. Brasil, 1968. Com Jô Soares, Eugenio Kusnet e José Ramalho. 70’. Exibição em 16mm. Classificação indicativa 14 anos.

sab 8
14h – Extra – Serras da desordem de Andrea Tonacci. Brasil, 2006. Documentário. 135’. Exibição em 35mm + roda de conversa. Classificação indicativa 16 anos. | 18h – Risco Cinema Extra: Clermont-Ferrand – Festa (Fest) de Nikita Diakur. Alemanha, 2018. Animação experimental. 3’ + Pele (Skin) de Guy Nattiv. EUA, 2018. Com Jonathan Tucker e Danielle MacDonald. 21’. + Todos incluídos (All inclusive) de Corina Schwingruber Illié. Suiça, 2018. Documentário. 10’ + Ano passado quando o trem passou (Last Year When the Train Passed) de Pang-Chuan Huang. França, 2018. Documentário. 17’ + Pro inferno com às regras (Mort aux codes) de Léopold Legrand. França, 2018. Com Olivier Rabourdin, Slimane Dazi e Michèle Goddet. 14’ + A passagem (The Passage) de Philip Burgers e Kitao Sakurai. EUA, 2018. Com Philip Burgers. 22’ + A enchente está chegando (The Flood Is Coming) de Gabriel Bohmer. Grã-Bretanha/Suiça, 2018. Animação experimental. 9’. Versões originais sem legendas ou com legendas em inglês. Exibição em mov (H264) + roda de conversa. Curadoria Camille Varenne. Classificação indicativa 14 anos

ter 11
19h – Pré-estreia – O Rio Negro são as pessoas de João Tezza Neto e Juliana Barros. Brasil, 2019. Documentário. 52’. Exibição em mov (H264) + roda de conversa com a equipe e do lançamento do livro “O Rio, As Pessoas, o Filme”, de Maringas Maciel e Bárbara Umbra. Classificação indicativa 10 anos.

qua 12
15h – Curso – Imagens Convulsivas: cinema e estados alterados de percepção, com o professor Tadeu Capistrano. Em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro e com o cineclube Risco Cinema. Classificação indicativa livre. | 18h30 – Paralelo – Madame Satã de Karim Aïnouz. Brasil, 2002. Com Lázaro Ramos, Marcela Cartaxo e Flávio Bauraqui. 105’. Exibição em 35mm. Classificação indicativa 16 anos.  |  20h30 – Pré-estréia – Queda d’água de Lucas J. Badini. Brasil, 2019. Com Isa Morelli Elias e Antônio Valadares. 23’ + Abate de Lucas Vionzón. Brasil, 2019. Com Isis Mendes e Isabela Molisani. 15’ + A mulher que eu era de Karen Suzane. Brasil, 2019. Com Andréa Rodrigues, Thiago Monteiro e Gabriela Meneses. 11’. Exibição em mov (H264). Clasisficação indicativa 12 anos

qui 13
18h30 – Urubu Cine: Maria Luiza Aboim – A Formação do Outro – Creche-Lar de Maria Luiza Aboim. Brasil, 1978. Documentário. 9’. Exibição em mov (H264) + Teu nome veio da África de Maria Luiza Aboim. Brasil, 1979. Documentário. 37’. Exibição em 16mm + Cidadão Jatobá de Maria Luiza Aboim. Brasil, 1987. Documentário. 14’. Exibição em 35mm + roda de conversa. Classificação indicativa 14 anos. Curadoria Lucas Parente.

sex 14
14h – Bloosmday (cancelado)

sab 15
9h – Bloosmday: Lacan leitor de Joyce – Abertura: “Bloomsday: James Joyce”. Irlanda, 2014. Vídeo promocional. 1’54”. Versão original em legendas. Exiubição em MP4 (h264). + Mesa redonda: “As armas de Joyce”, com a participação de Sheila Abramovitch, Vera Pollo e Maria Anita Carneiro Ribeiro. Jornada de estudos, conferências, projeções e atividades culturais alusiva às relações entre as obras do escritor James Joyce e do psicanalista Jacques Lacan. Classificação indicativa livre. | 10h – Blomsday: Sessão Comentada – Os vivos e os mortos (The Dead) de John Huston. Com Angelica Huston, Donal McCann e Helena Carroll. 83’. Legendas em português. Exibição em MKV. Sessão seguida de apresentação da canção “Lass of Aughrin”. Classificação indicativa 14 anos. | 14h – Bloosmday: Lacan leitor de Joyce – Conferência I com a psicanalista Colette Soler. Palestra seguida de leitura dramatizada com Antônio Quinet e Vanissa Santos. Classificação indicativa livre. | 17h – Bloosmday: Lacan leitor de Joyce – Lançamento do livro “Lacan, letor de Joyce”, com tarde de autógrafos com a autora Colette Soler. Evento seguido de apresentação com músicas e danças irlandesas. Classificação indicativa Livre.

dom 16
9h – Bloosmday: Lacan leitor de Joyce – Conferencia II com a psicanalista Colette Soler. Palestra seguida de jornada de trabalhos de literatura, psicanálise, música, artes cênicas e cinema. Encerramento com Irish coffe. Classificação indicativa livre.

seg 17
19h – Rotatória Filmes – Voltando para casa de Thiago Kistenmacker. Brasil, 2014. Com Cauê Pereira, Roney Villela e Thainá Rocha. 27’ + Canto da sombra de Thiago Kistenmacker. Brasil, 2016. Com Fabrizzia Milione, Geise Lima e João Rocha. 23’. Ontem de Thiago Kistenmacker. Brasil, 2017. Com Sanni Est, Gabriela Reis e Bruno Brandão. 14’ + Pré-estreia Aquarela de Thiago Kistenmacker e Al Danuzio. Brasil, 2018. Com Luna Gandra, Rosa Ewerton Jara, Al Danuzio e Urias de Oliveira. 15’. Exibição em mov (H264) + roda de conversa. Classificação indicativa 10 anos.

qua 19
15h – Curso – Imagens Convulsivas: cinema e estados alterados de percepção, com o professor Tadeu Capistrano. Em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro e com o cineclube Risco Cinema. Classificação indicativa livre. | 18h30 – Cineclube Moventes – Um olhar a cada dia (To vlemma tou Odyssea / Το βλέμμα του Οδυσσέα) de Theodoros Angelopoulos. Grécia / França / Itália / Alemanha / Grã-Bretanha / Iugoslávia / Romênia / Albânia / Bosnia e Herzegovina, 1995. Com Harvey Keitel e Erland Josephson. 176’. Exibição em 35mm + roda de conversa. Classificação indicativa 16 anos.

dom 23
19h – Pré-estreia – Crônicas de amores líquidos de Luan Monteiro e Bárbara Reis. Brasil, 2019. Com Eliara Las-Casas, Gabriel netto, Alexandre Voillú, Manoela Dexheimer e Leon Marques. 20’+ Watermelon de Luan Monteiro. Brasil, 2018. Com Manoela Dexheimer e Joyce Canle. 1’20’’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 14 anos.

seg 24
18h30 – Cine Fantástico – O asilo do terror (Asylum) de Roy Ward Baker. Grã-Bretanha, 1972. Com Barbara Perkins e Richard Todd. 88’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.

qua 26
18h30 – Sessão Pianeiro: Programa Georges Méliès – Quatro cabeças é melhor que uma (Un homme de têtes). França, 1898. Com Georges Méliès. 1’ + Viagem à Lua (Le Voyage dans la lune). França, 1902. Com Georges Méliès e Jehanne D’Alcy. 13’ + O desafio infernal (Le cake-walke infernal). França, 1903. Com Georges Méliès. 5’ + O cassino clandestino (Le tripot clandestin). França, 1905. Com Georges Méliès. 3’ + O melômano (Le mélomane). França, 1903. Com Georges Méliès. 3’ + O caldeirão infernal (Le chaudron infernal). França, 1903. Com Georges Mèliès. 2’ + O homem com a cabeça de borracha (L’homme à la tête en caoutchouc). França, 1901. Com Geroges Méliès. 3’ + As cartas vivas (Les cartes vivantes). França, 1905. Com Georges Méliès. 3’ + Os cartazes en farra (Les affiches en goguette). França, 1905. Com Georges Méliès. 3’ + O locatário diabólico (Le locataire diabolique). França, 1909. Com Charles Claudel, Octavie Huvier e François Lallement. 6’ + O rei da maquiagem (Le roi du maquilage). França, 1904. Com Georges Méliès. 3’ + O taumaturgo chinês (Le thaumaturge chinois). França, 1904. Com Georges Méliès. 3’ + Barba-Azul (Barbe-Bleu). França, 1901. Com Georges Méliès. Jehanne D’Alcy e Bleuette Bernon. 12’ + Novas lutas extravagantes (Nouvelles luttes extravagantes). França, 1900. Com Jehanne D’Alcy e Georges Méliès. 2’ + O homem orquestra (L’homme orchestre). França, 1900. Com Georges Méliès. 2’. Legendas em português. Exibição em DVD + acompanhamento musical ao vivo por Cadu. Classificação indicativa livre.

qui 27
18h30 – Sessão Retrolâmpago – Suspense de Lois Weber. EUA, 1913. Com Lois Weber e Val Paul. 10’ + O espelho da vida (Shoes) de Lois Weber. EUA, 1916. Com Mary MacLaren e Harry Griffith. 60’. Legendas em português. Exibição em bluray + apresentação e seguida de sorteios de cartazes + roda de conversa. Classificação indicativa 10 anos. Curadoria Igor Andrade Pontes. Produção Drica Lima.

sex 28
18h30 – Sessão Comentada – Sonho de uma noite de verão (A Midsummer Night’s Dream) de Mas Reinhardt e William Dieterle. EUA, 1935. Com James Cagney e Dick Powell. 133’. Legendas em português. Exibição em MKV. Sessão comentada pelo Curador da Cinemateca Ricardo Cota. Classificação indicativa 10 anos.

sab 29
15h – Risco Cinema – “Super 8”, palestra do prof. Rubens Machado. Classificação indicativa livre.

17h Risco Cinema A grande muralha The Great Wall de Tadhg O’Sullivan. Irlanda, 2015. Com Nicolette Creighton. 72’. Legendas em português. MP4 (H264) + debate. Curadoria Lucas Murari, Luiz Garcia

20h Pré-estreia Rosas de Ivann Willig. Brasil, 2019. Com Kassandra Brandão, Pedro Pauleey, Tatiana Tiburcio, Tuna Dwek. mov (H264) + roda de conversa + coquetel

dom 30
18h – Inhotim Arte Presente – Matthew Barney de Pedro Urano. Brasil, 2017. Documentário. 52’ + Chris Burden de Pedro Urano. Brasil, 2017. Documentário. 52’. Exibição em mov. (H264) + roda de conversa. Classificação indicativa livre.

ENTRADA FRANCA

[email protected]mamrio.org.br

Anuncie no Vertentes do Cinema

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *