Tudo sobre o que está acontecendo no BIFF 2022

BIFF 22

Tudo sobre o que está acontecendo no BIFF 2022

Festival Internacional de Cinema de Brasília “pesca” novidades cinematográficas do mercado mundial

Por Ciro Araujo (baseado no release)

Depois de mais de cento e trinta dias de seca, além da chuva, chegou à Brasília o pontapé de festivais na capital federal, que são seguidas pelo Festival de Brasília do Cinema Brasileiro e Festival Curta Brasília. O BIFF – Festival Internacional de Cinema de Brasília de 2022, acontece entre os dias 23 de setembro e 30 de setembro, com entradas gratuitas. São oito locais de exibições diferentes, distribuídos na cidade, com as duas principais casas do evento o clássico Cine Brasília e o SESC 504 Sul.

O BIFF completa dez anos de festival, homenageando a grande cineasta Agnés Varda, que faleceu em 2019. A homenagem conta com quatro filmes: “Elsa la Rose” e “Ô saisons, ô châteux”, curtas, e os longas “Cléo das 5 às 7” e “Visages Villages”. Este último, inclusive, estará dentro de uma pequena seleção disponível também online, como é tradição nos eventos pós-pandêmicos.

Nas mostras mais tradicionais, a Internacional Competitiva estrela com diferentes continentes a representando. “Umami”, protagonizado por um Gérard Depardieu chefe de cozinha em busca de compreender o quinto gosto básico do paladar humano no Japão. “Quantum Cowboys”, um longa-metragem que se propõe na ambiciosa ideia de misturar teoria quântica e faroeste. “Home Is Somewhere Else”, que mistura documentário e animação para explicar a dualidade entre ser latino imigrante e ser latino estadunidense. À propósito: uma parte da curadoria realizada pelo crítico Miguel Barbieri possui alguma relação com a técnica animada; não apenas, como quatro dos dez filmes são realizados por mulheres e quatro também são documentários.

Home Is Somewhere Else

Já em uma tentativa de atrair também todas as idades, a mostra BIFF Jr., como o nome diz, apresenta obras que dialoguem entre crianças e adultos. “Todo Mundo Já Foi Para Marte”, animação cearense com 37 artistas diferentes e trilha sonora de Fernando Catatau trazem um pouco da visão agoniante durante a pandemia, realizando aquela agora já clássica linha do tempo do vírus na sociedade; Ela já apareceu no encerramento do Olhar de Cinema de 2022. “Meu Tio José”, outro filme animado, protagonizando José Sebastião Rio de Moura, membro do movimento Dissidência da Guanabara, que participou do sequestro do embaixador Charles Elbrick em 1969. O ator Wagner Moura protagoniza o filme.

Haverá um mosaico, como também forma de panorama, do cinema nacional. “Abdzé wede’o, o vírus tem cura?”, filme de encerramento do Festival de Brasília de 2021, terá novamente espaço na cidade para falar sobre a Covid-19 transmitida em populações indígenas. O interessante “Chico Rei entre nós” da documentarista Joyce Prado também percorrerá no BIFF.Todo Mundo Já Foi Para Marte

Tanto na Mostra Cinema Latino quanto no Panorama África, mais seleções especiais. “Ar-Condicionado”, de Fradique, um realismo mágico angolano sobre o distópico centro histórico de Luanda. “Berta soy Yo”, documentário de Kátia Lara sobre as horas anteriores do assassinato da ativista e líder Berta Cáceres.

Por fim, a Mostra Arco-Íris Sueco representa uma interessante curadoria com curtas LGBTQIA+ do país nórdico. São pequenos contos que acabam saciando uma interessante temática com realidades terrenas e reflexivas. “Reel”, dirigido por Jens Choong, apresentando uma amizade que se desenvolve além enquanto as travessuras de dois amigos progridem. “A Simpler Life”, curta-metragem sobre um dia quente de verão e seus problemas. Claro, de forma bem-humorada.

BIFF 2022

TODOS OS FILMES DO BIFF 2022

Internacional Competitiva

.Dog

(Chipre/Grécia, 2021, 95 min, Drama, Dir.: Yianna Americanou)

O jovem Dimitris, à beira da idade adulta, mas ainda muito criança, romantizou seu pai preso em proporções míticas. Quando ele é libertado depois de dez anos, Dimitris não pode esperar para finalmente conhecê-lo e compensar o tempo perdido. Mas quando seu pai revela sua verdadeira natureza, Dimitris deve enfrentar um grande dilema: sua necessidade de pertencimento prevalecerá sobre seu senso de justiça?

Broken Blossoms

(Filipinas, 2022, 104 min, Drama, Dir.: Luisito Agdameu Ignacio)

Um jovem que lida com os desafios de um casamento e sua atitude despreocupada em relação à moralidade e amizade, que é testada até o limite, no momento em que o mundo se encolhe nas garras de uma pandemia global.

CorPolítica

(Brasil, 2022, 102 min, Documentário, Dir.: Pedro Henrique França)

O documentário investiga o vazio de representatividade LGBTQIA+ no cenário político do Brasil, país que mais mata pessoas LGBTQIA+ no mundo. Diante de um recorde de candidaturas LGBTQIA+ nas eleições brasileiras de 2020, em um momento histórico no país e no mundo, candidatos e políticos relatam suas experiências e as violências vividas dentro de seus processos de afirmação e na luta por direitos.

Home Is Somewhere Else

(Estados Unidos/México, 2022, 87 min, Documentário/Animação, Dir.: Carlos Hagerman e Jorge Villalobos)

Home Is Somewhere Else é um documentário de animação que oferece uma janela para os corações e mentes dos jovens imigrantes e suas famílias indocumentadas.

Ramona

(Espanha, 2022, 80 min, Drama, Dir.: Andrea Bagney)

Ramona conheceu seu namorado enquanto ela estava em um encontro casual. Logo ela descobre que ele é o diretor de um filme no qual ela está disputando o papel principal. Isso fez Ramona questionar a si mesma e sua vida aconchegante com o namorado.

Pink Moon

(Países Baixos/Eslovénia, 2022, 94 min, Drama, Dir.: Floor Van Der Meulen)

Quando uma jovem recebe do pai a notícia absurda de que ele está farto e quer que sua vida termine, ela é forçada a procurar uma maneira de lidar com seu último desejo.

Quantum Cowboys

(Estados Unidos, 2022, 99 min, Western/Ficção Científica, Dir.: Geoff Marslett) 

Dois andarilhos infelizes, Frank e Bruno, se unem à Linde para recuperar suas terras e viajar pelo sul do Arizona de 1870 para encontrar um músico de fronteira arredio. A complexa teoria do tempo quântico é misturada com reflexões filosóficas sobre a arte como a forma como entendemos nossa história e memórias; com tiroteios, cavalos, salões de dança, cactos e salões!

The Case

(Rússia, 2022, 105 min, Documentário, Dir.: Nina Guseva)

A advogada Maria Eismont trabalha para libertar o ativista condenado injustamente Konstantiv Kotov. Todas as suas aparições na mídia não dão em nada, e cada apelo é rejeitado – até que Putin de repente aparece em cena.

Umami

(França/Japão, 2022, 92 min, Drama/Comédia, Dir.: Slony Sow)

O principal chef da França se transporta em uma missão que busca o sabor que confundiu sua vida desde que foi derrotado por uma tigela de macarrão de um chef japonês quando era jovem.

Yamabuki

(Japão / França, 2022, 97 min, Drama, Dir.: Juichiro Yamasaki)

Yamabuki, uma colegial que perdeu a mãe e mora com o pai policial, começa a protestar em silêncio em uma encruzilhada, pensando em questões além do oceano.

BIFF Jr. 

A Second Life

(Tunísia, 2022, 93 min, Ficção, Dir.: Anis Lassoued)

Na ausência do pai, a vida torna-se desprovida de sabor e cor, e o destino de “Gadeha”, de 12 anos, torna-se dependente de uma coincidência fatídica que lhe dá a chance de uma segunda vida mais brilhante, mas, ele tem que pagar por aquela vida.

Desconectados

(Brasil, 2022, 75 min, Documentário, Dir.: Pedro Ladeira, Paulo Saldaña e Ana Graziela Aguiar)

Em um dos países em que as escolas ficaram fechadas por mais tempo durante a pandemia de coronavírus, estudantes e professores lidam com os desafios da distância da escola, do retorno às aulas presenciais e refletem sobre os efeitos da crise da educação no Brasil.

Miúda e o guarda-chuva

(Brasil, 2019, 74 min, Animação/Família, Dir.: Amadeu Alban)

Miúda cuida de sua planta carnívora com muito amor e formigas fresquinhas. Ela deseja apenas que a planta lhe chame pelo seu nome, mas a planta exige cada vez mais formigas. Estas bolam um plano que envolve poesia, guarda-chuvas e uma máquina do tempo. A menina aprende que crescer é fazer escolhas.

Meu tio José

(Brasil, 2021, 89 min, Animação, Dir.: Ducca Rios)

Meu Tio José é uma animação que conta a história de José Sebastião Rio de Moura, membro do movimento de esquerda “Dissidência da Guanabara”. Ele participou do sequestro do embaixador estadunidense Charles Elbrick, em 1969, e ficou exilado no exterior por 10 anos.

O Tesouro do pequeno Nicolau

(França, 2021, 103 min, Comédia, Dir.: Julien Rappeneau)

Nicolau vive um mundo perfeito. Ele tem um grupo de amigos inseparáveis, que são conhecidos como “Os Invencíveis”. Esse mundo está em risco, porque seu pai é promovido e terão que mudar para o sul da França. Para evitar que ele fique longe de seus amigos, “Os Invencíveis” bolam uma caça ao tesouro.

Souvenir, Souvenir

(França, 2020, 16 min, Animação, Dir.: Bastien Dubois)

Por dez anos, fingi fazer um filme com as lembranças de guerra da Argélia do meu avô. Hoje, não tenho certeza se quero ouvir o que ele tem a dizer.

Todo mundo já foi para Marte

(Brasil, 2022, 75 min, Animação, Dir.: Telmo Carvalho)

Uma viagem por texturas, técnicas e diferentes abordagens de 37 cineastas animadores durante uma pandemia.

Carmen

(Malta/Canadá, 2022, 87 min, Drama, Dir.: Valerie Buhagiar)

Em uma pequena vila mediterrânea, Carmen cuidou de seu irmão, o padre local, por toda a vida. Quando a Igreja abandona Carmen, ela é confundida com o novo padre. Carmen começa a ver o mundo e a si mesma sob uma nova luz.

Esperando Bojangles

(França, Bélgica, 2021, 124 min, Drama, Dir.: Régis Roinsard)

Camille e Georges dançam todas as noites ao som de sua música favorita, Mr. Bojangles. Em sua casa, só há espaço para diversão, fantasia e amigos. Até que um dia Camille, uma mulher hipnotizante e imprevisível, desce mais fundo em sua própria mente e Georges e seu filho Gary precisam mantê-la segura.

Kompromat – O Dossiê Russo

(França, 2022, 127 min, Suspense, Dir.: Jérôme Salle)

A espetacular fuga de um diretor da Aliança Francesa da Sibéria. Vítima de uma trama orquestrada pelo FSB (Serviço Federal de Segurança da Rússia), esse intelectual terá que se transformar em homem de ação para escapar de seu destino.

Homenagem Agnés Varda

Cléo das 5 às 7

(França/Itália, 1962, 90 min, Drama, Dir.: Agnès Varda)

Cléo, uma cantora hipocondríaca, está cada vez mais preocupada com o fato de ter câncer enquanto aguarda os resultados dos exames médicos.

Elsa la Rose

(França, 1966, 21 min, Documentário, Dir.: Agnès Varda)

Imagens e poemas do célebre casal Louis Aragon e Elsa Triolet. A juventude de Elsa é lembrada por Aragon, com comentários de Elsa.

Ô saisons, ô châteaux

(França, 1957, 22 min, Documentário, Dir.: Agnès Varda)

Um passeio pelos castelos do Loire mostrados em ordem cronológica de construção, com comentários incluindo poemas do século XVI e reflexões de jardineiros.

Visages Villages

(França, 2017, 93 min, Documentário, Dir.: JR e Agnès Varda)

A diretora Agnès Varda e o fotógrafo e muralista J.R. viajam pela França rural e formam uma improvável amizade.

Mosaico, O Novo Cinema Brasileiro

Abdzé wede’o, o vírus tem cura?

(Brasil, 2021, 55 min, Documentário, Dir.: Divino Tserewahú)

Ao documentar os rituais de reverência aos mortos e o luto pela partida de dezenas de anciãos e líderes da aldeia Sangradouro durante a pandemia, Divino Tserewahu contrapõe em seu filme ABDZÉ WEDE’Ö um rico imaginário de beleza, saberes e força espiritual que caracteriza a cultura Xavante, ecoando sob forma de metáfora, a pergunta que não quer calar: “O vírus tem Cura”?

Até o fim

(Brasil, 2020, 93 min, Drama, Dir.: Ary Rosa e Glenda Nicácio)

Geralda está trabalhando em seu quiosque à beira de uma praia no Recôncavo da Bahia, quando recebe um telefonema do hospital dizendo que seu pai pode morrer a qualquer momento, e ela avisa suas irmãs Rose, Bel e Vilmar.

Chico Rei Entre Nós

Chico Rei entre nós

(Brasil, 2020, 95 min, Documentário, Dir.: Joyce Prado)

Chico Rei foi um rei congolês escravizado que libertou a si mesmo e aos seus súditos durante o Ciclo de Ouro em Minas Gerais. Sua história é o ponto de partida para explorar os diversos ecos da escravidão brasileira na vida dos negros de hoje, entendendo seu movimento de autoafirmação e liberdade a partir de uma perspectiva coletiva.

Entre nós talvez estejam multidões

(Brasil, 2020, 92 min, Documentário, Dir.: Aiano Bemfica e Pedro Maia de Brito)

“Entre nós talvez estejam multidões” propõe uma jornada imersiva junto aos sujeitos e agentes da ocupação Eliana Silva, em Belo Horizonte, durante o período eleitoral que conduz ao poder Jair Bolsonaro. A obra é conduzida por meio dos sonhos, contradições e lembranças dos sujeitos que nela vivem, formulando, assim, o imaginário dessa comunidade num filme que se articula como uma pintura mural.

Rama Pankararu

(Brasil, 2022, 98 min, Ficção, Dir.: Pedro Sodré)

Bia Pankararu, jovem agente da saúde indígena, está arrecadando fundos para a reconstrução da escola em sua aldeia, que foi destruída durante um incêndio criminoso na noite do segundo turno das eleições de 2018. Paula, jornalista carioca, chega à aldeia para fazer uma reportagem sobre os ataques incendiários.

Sementes, mulheres negras no poder

(Brasil, 2020, 105 min, Documentário, Dir.: Éthel Oliveira e Júlia Mariano)

Em resposta à morte de Marielle Franco, as eleições de 2018 se transformaram no maior levante político conduzido por mulheres negras que o Brasil já viu, com candidaturas em todos os estados. O documentário acompanhou seis mulheres negras, em suas campanhas, mostrando que é possível transformar o luto em luta.

Cinema Latino

La Afinadora de Árboles

(Argentina/México, 2019, 101 min, Drama, Dir.: Natalia Smirnoff)

Clara recebe o prêmio global de literatura infantil. Logo depois, para encontrar um pouco de paz, ela se muda com a família para o campo, perto de onde nasceu. Lá ela encontra seu antigo namorado Ariel e seu irmão Carlos, amigos de sua infância. Uma reavaliação de si mesma e de sua vida torna-se inevitável. Nem tudo pode sobreviver.

La Chica Nueva

(Argentina, 2021, 77 min, Drama, Dir.: Micaela Gonzalo)

Jimena viaja para Río Grande, na ilha de Tierra del Fuego, no extremo sul da Argentina, para se juntar a seu meio-irmão Mariano. Ela quase não tem dinheiro para viajar, mas consegue chegar lá na esperança de ter uma vida melhor naquela região fabril. O vento, o frio e a complexa crise econômica formam o pano de fundo sobre o qual Jimena desenvolverá a empatia pelas pessoas à sua volta e um sentimento de pertencimento, mas também um lugar onde aprenderá a conhecer-se melhor.

Bajo Un Sol Poderoso

(Cuba, 2022, 127 min, Drama, Dir.: Kiki Alvarez)

Cineasta se tranca em sua casa para enfrentar a solidão e os fantasmas de três casais, protagonistas de três dos filmes que fez ao longo de 31 anos, desde a queda do Muro de Berlim até hoje. Um ensaio sobre a solidão, a ausência, o mal-estar e o peso das circunstâncias sociais sobre os indivíduos. Um filme sobre Havana, vivida e filmada sob um sol escaldante.

Berta soy Yo

(Honduras, 2022, 136 min, Documentário, Dir.: Kátia Lara)

Horas antes de seu assassinato, a líder indígena Berta Cáceres anotou os nomes dos corruptos que pretendiam matá-la. Usando essas pistas, o documentário junta as peças do quebra-cabeça para ajudar Berta a resolver seu próprio assassinato. No país mais perigoso do mundo para os defensores do meio ambiente, Milton Benítez, um tenaz jornalista hondurenho, segue as pistas escritas com Berta na reunião que tiveram um dia antes de seu assassinato.Mis Hermanos Sueñan Despiertos

Mis Hermanos Sueñan Despiertos

(Chile, 2021, 85 min, Drama, Dir.: Claudia Huaiquimilla)

Ángel e seu irmão mais novo Franco estão encarcerados em uma prisão juvenil há um ano. Apesar das dificuldades, formaram um sólido grupo de amigos com quem passam seus dias compartilhando sonhos de liberdade. Tudo muda quando a chegada de um jovem rebelde oferece uma possível fuga: a única porta para realizar esses sonhos. Inspirado por muitos eventos reais.

Travessias

(Brasil/Cuba, 2022, 22 min, Documentário, Dir.: Ana Graziela Aguiar)

Uma carta de amor que une Brasil e Cuba. No filme Travessias, a diretora parte em uma longa viagem em busca de entender os sentimentos e transformações passadas por uma pessoa próxima. Neste caminho de dúvidas e inquietações, encontra Justin, um homem trans que vai auxiliá-la nesta travessia. Com um olhar poético e autorreferencial, a diretora nos convida a repensar nossos próprios preconceitos e limites em relação ao outro.

Panorama África

Ar-Condicionado

(Angola, 2020, 72 min, Drama, Dir.: Fradique)

Quando os ares-condicionados começam misteriosamente a cair dos apartamentos na cidade de Luanda, Matacedo e Zezinha, um guarda e uma empregada doméstica, têm a missão de recuperar o aparelho do chefe. Uma jornada de mistério e realidade, uma crítica sobre classes sociais e como nós vivemos em conjunto nas esperanças verticais, no coração de uma cidade que é passado-presente-futuro.

Bonny & Clara

(Nigéria, 2019, 71 min, Drama, Dir.: Yemi Jolaoso)

Dois ladrões (Bonny e Clara) se metem em apuros quando roubam uma misteriosa maleta que pertence a um notório líder de gangue. Agora eles devem correr para salvar suas vidas e também encontrar uma maneira de extrair o conteúdo da maleta antes que Ebuka, o legítimo proprietário, os alcance.

Destin Tracé

(Congo, 2021, 83 min, Drama, Dir.:Carlo Lechea)

Tomi está prestes a recuperar sua liberdade. Ele enfrenta um futuro incerto. Sem emprego, sem casa, sem família. O que fazer? Como um homem frustrado e cheio de raiva será capaz de se encaixar na sociedade? Ele não vai seguir o caminho do crime? Um dia ele conhece um homem e rapidamente aprende que ser gentil com o mundo é a melhor maneira de viver. Então, coisas misteriosas começam a acontecer com ele.

Necktie Youth (Eles só usam Black Tie)

(África do Sul/Holanda, 2015, 86 min, Drama, Dir.: Sibs Shongwe-La Mer)

September, personagem principal, e um amigo, são os únicos jovens negros num bairro de elite em Joanesburgo. Inteligentes, bem enturmados, circulam por vários grupos, se divertem, namoram… até que uma amiga deles comete suicídio, e isso os levará a reavaliar suas próprias vidas e debater assuntos como raça, política e sexualidade.

Neptune Frost

(Ruanda/Estados Unidos, 2021, 105 min, Musical/Ficção Científica, Dir.: Saul Williams e Anisia Uzeyman)

Um hacker africano intersexo, um mineiro de coltan e a maravilha virtual nascida como resultado de sua união.

Zinder

(Níger, 2021, 85 min, Documentário, Dir.: Aicha Macky)

Jovens desempregados estão engrossando as fileiras de gangues que semeiam violência em Zinder, Níger. Aicha Macky explora as origens da radicalização em sua cidade natal e as perspectivas de escapar dela.

Arco-Íris Sueco

A SIMPLER LIFE

(Suécia, 2013, 14 min, Ficção, Dir.: Gunhild Enger)

Ing-Marie e Carl estão muito ocupados. Ela, com treino; ele, com jardinagem. Eles se cercam de gadgets projetados para tornar suas vidas mais simples, mas tudo o que eles realmente fazem é causar mais problemas. Uma reflexão bem-humorada sobre um dia quente de fim de verão.

BIRTHDAY

(Suécia, 2010, 18 min, Ficção, Dir.: Jenifer Malmqvist)

Sara prepara uma surpresa para o aniversário de sua esposa Katarina com a ajuda de sua filha Johanna e seu amigo Fredrik. Mas, neste dia de início de verão, Katarina tem algo a dizer a ela. Sara deve lidar com as notícias inesperadas enquanto cuida da festa de aniversário. Sua alegria é misturada com sentimentos crescentes de isolamento e frustração. Com a ajuda de Johanna, ela consegue encontrar seus verdadeiros sentimentos.

BOYGAME

(Suécia, 2013, 15 min, Ficção, Dir.: Anna Österlund Nolskog)

Os melhores amigos John e Niclas têm 15 anos. Eles decidem que devem fazer algum exercício antes de qualquer contato sexual com meninas. Natural e divertido sobre a incerteza em torno da identidade sexual durante a adolescência.

REEL

GRANDPA & ME AND A HELICOPTER TO HEAVEN

(Suécia, 2013, 14 min, Documentário, Dir.: Åsa Blanck e Johan Palmgren)

O encontro entre um garotinho com poderes extraordinários de pensamento e seu avô sábio, acamado e bem-humorado, cria um mundo único de diálogo cintilante, calor e amor.

LADYBOY

(Suécia, 2012, 8 min, Documentário/Animação, Dir.: Claes Lundin e David F. Sandberg)

Ladyboy é um curta experimental sobre uma mulher na Tailândia que passou por um realinhamento de gênero e agora enfrenta a decisão mais difícil de sua vida. Ela deveria se mudar para o Canadá por amor ou ficar em Bangkok e continuar sustentando sua família através da prostituição? É uma escolha muito mais difícil do que qualquer pessoa de fora possa imaginar.

NEXT DOOR LETTERS

(Suécia, 2012, 15 min, Documentário, Dir.: Sascha Fülscher)

Lilja e Sandra decidem pregar uma peça em Melitta. Eles lhe enviam uma carta de amor assinada com um nome inventado – um menino. Quando Lilja recebe uma carta em troca, ela começa uma correspondência secreta. O que começou como uma brincadeira se transforma em um ponto de virada crucial na vida de Lilja. Next Door Letters é um curta de animação baseado em uma história real sobre brincar com a identidade.

ON SUFFOCATION

(Suécia, 2013, 7 min, Ficção, Dir.: Jenifer Malmqvist)

Um filme perturbador, mas importante, sobre quando um sistema se torna mais importante que a vida de uma pessoa. Sete minutos sem diálogo. O aspecto mais perturbador do filme é que pode ser absolutamente verdade.

PEACE TALK

(Suécia, 2004, 14 min, Ficção, Dir.: Jenifer Malmqvist)

A pequena Jonna e sua amiga Emilie brincam de soldados, mas a mãe de Jonna não aprova o rumo que seu jogo toma. A capacidade de uma jovem de se comunicar através do uso de linguagem corporal e sinais em vez de palavras, contra a necessidade da mãe de palavras e explicações. Sutil, mas crível. Um curta-metragem sobre o mundo infantil que os adultos nem sempre respeitam.

REEL

(Suécia, 2013, 13 min, Ficção, Dir.: Jens Choong)

Robert e Victor têm 15 anos e são melhores amigos. É o último dia antes de Victor se mudar de sua cidade natal. Eles se arrastam e fazem travessuras. Aos poucos, entendemos que é mais do que amizade entre eles. Evocativo e com boas atuações, este filme explora os limites emocionais e sexuais.

THE BUTCHER´S WALTZ

(Suécia, 2014, 14 min, Ficção, Dir.: Anna Zackrisson)

O filme se passa em um dia na Suécia. Do amanhecer em Västervik ao pôr do sol em Estocolmo, encontramos uma variedade de personagens que vivem suas vidas cotidianas. Vemos momentos e fragmentos que revelam algo sobre a existência dessas pessoas. Momentos que juntos formam um todo, um sentido da Suécia em 2014. Um filme sobre a solidão e o desejo de que alguém nos veja e nos compreenda.

Serviço

8º BIFF – BRASILIA INTERNATIONAL FILM FESTIVA

Realização: de 23 a 30 de setembro

Locais: Cine Brasília, Sesc 504 Sul, Sesc Taguatinga, Sesc Ceilândia, Sesc Gama e Complexo Cultural de Planaltina.

Mais informações:

https://biffestival.com/

Banner Vertentes Anuncio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *