Tudo Sobre o 13º Mês da Mostra Um Curta Por Dia

Tudo Sobre o 13º Mês da Mostra Um Curta Por Dia

Mais uma seleção de curtas-metragens chega a julho, sempre com a exibição de um filme diferente a cada 24 horas, totalmente gratuita e sem necessidade de cadastro

Por Clarissa Kuschnir

E depois de doze meses da nossa Mostra Um Curta Por Dia, nós resolvemos “esticar” um pouquinho mais. Afinal de contas, a mostra fez tanto burburinho com os realizadores e com nossos leitores, que merecia mais um mês, não é mesmo? E também: quem não gosta de um décimo terceiro? Sim, nós sabíamos, eu e meu companheiro de curadoria Fabricio Duque (também editor geral do Vertentes do Cinema), que não seria fácil. Que fazer doze meses era um desafio imenso. E conseguimos não só um ano, como treze edições mensais. Nossa preocupação sempre foi trazer curtas que passaram ou não por diversos festivais, premiados ou não, que muitas vezes não tiveram janela para exibição.  Não é à toa, como já falamos aqui que estamos sendo chamados de “o Mubi dos curtas”. E todo esse conteúdo é de graça, sem a necessidade de cadastro. É só acessar a página e assistir. E cada curta fica disponível por 24 horas no ar. E tudo em plataforma única e exclusiva no próprio site Vertentes do Cinema, que nos permite passar obras que seriam bloqueadas no Youtube e no Vimeo. Aqui, toda a liberdade criativa artística é permitida e alimentada.

Todo o sucesso da Mostra Um Curta Por Dia, nós já estamos aqui pensando em outras mostras de curtas, para darmos conta de levar para vocês tantos conteúdos ricos do nosso cinema. Agora não tem mais volta! A próxima mostra também exibirá um curta por dia, e a outra, e a outra. Nunca deixaremos de exibir um curta diferente por 24 horas. Loucura? Insanidade? Não, paixão incondicional mesmo pelo Cinema Brasileiro e seus curtas-metragens. E sim, aqui os curtas têm um espaço garantido, pois é uma porta a mais para que os cineastas possam mostrar suas obras. E a nossa plataforma própria é aberta para todos os tipos de filmes. Nesse primeiro ano da mostra conseguimos trazer uma coletânea de obras desde a época do cinema mudo até curtas atuais, que estão percorrendo e ganhando festivais pelo Brasil e exterior. E mais uma vez, sempre é bom lembrar, que todo esse conteúdo é de graça, sem necessidade de cadastro e em alta qualidade de exibição.

E como todo trabalhador brasileiro que gosta de um 13º, nós também gostamos deste número e acreditamos que ele traz sorte. E assim, nós preparamos mais uma edição mostra para este mês de férias. Precisamos dizer que este é o encerramento da Mostra Um Curta Por Dia. Fechamos este projeto de um ano com 13 meses para que possamos colocar outros projetos em ação. Ah, vocês gostam de spoilers? Pois é, em primeira mão, toda a Mostra Um Curta Por Dia será reprisada na íntegra a partir de primeiro de janeiro de janeiro. Uma segunda oportunidade a todos vocês que perderam algum filme. Pois é, quem não gosta de uma segunda chance, não é mesmo? Ah, e a próxima mostra já tem nome: Mostra Curtas Premiados em Festivais. Nós não conseguimos parar! Os curtas-metragens já são o nosso vício há muito muito tempo.

Leia também:

Tudo Sobre os doze meses anteriores

E nossa seleção de julho já começa com o curta “Dia Um”, documentário de Miguel Lydia em que o realizador aborda sobre a cultura e identidade da cultura judaica, através de entrevistas com professores e funcionários de um colégio bem tradicional no Rio de Janeiro.

E como todos os meses, temos nossos veteranos! Nós começamos pelas mulheres e grandes cineastas que são: Helena Ignez com sua ficção “Poder dos Afetos”, em que tem no elenco Ney Matogrosso, Simone Spoladore, Djin Sganzerla entre outros nomes tão icônicos de nossa cinematografia; e Eunice Gutman com seu documentário “Amores da Rua”, em que a realizadora mostra profissionais do sexo lutando por suas causas, cidadania e dignidade de não só exercerem suas profissões, como existir em uma sociedade que as “consome”. Rogério Sganzerla também está na seleta lista com “Noel Por Noel”, em que o cineasta retrata a música e o tempo do grande compositor, cantor e poeta carioca. E o recém falecido Sylvio Lanna (que representou bem nossa mostra, durante todos esses meses), que está em nossa programação com o mais recente e experimental “Ôlho, Olho” com performances da ótima atriz Patrícia Niedermeier, E por falar em Patrícia, ela ainda estará junto com seu parceiro e incansável Cavi Borges no inédito “O Tempo Tem Cor”. E do Cavi também teremos “Pregadores”, em que ele dirigiu em parceria com Leonardo Kopke.

E assim como tivemos uma semana de Kátia Mesel, no mês de março, neste mês de julho resolvemos fazer uma mini retrospectiva de nosso crítico, realizador e professor João Lanari Bo, que ganha uma semana inteira com seis curtas de sua extensa trajetória profissional, feitos durante décadas. A mostra será intitulada de Especial João Lanari com os seguintes curtas: “O Céu é o Limite”, de 1979 (começou cedo!); “Mínima Cidade”, “Obscena”, de 1985; “Deni’s Movie”, de 1996; “Deus e o Diabo no Conic”, de 1998 e “Denis e Syd”, do ano de 1999.  

Outra coisa é que eu e Fabricio estivemos circulando em festivais de cinema pelo Nordeste no mês de junho e assim conseguimos garimpar curtas com os realizadores. Eu que estive no Cine PE (leia a matéria completa aqui) trouxe “Como Esquecer no Inverno”, da cineasta Mari Moraga, que inclusive ganhou os Calungas de Prata de fotografia e montagem no festival pelo seu primeiro longa “Geografia Afetiva”. Em seu recente curta, a cineasta fala sobre a convivência e as dificuldades de uma imigrante LGBTQIAPN+ durante o inverno europeu. O curta é uma coprodução Brasil, Hungria e Bélgica. Nós ficamos muito felizes da realizadora, que vive em Portugal, liberar seu curta para ser exibido na Mostra Um Curta Por Dia.

A animação escolhida (sim, precisamos sempre colocar mais animações!) é “Cabeça de Papelão”, de Quiá Rodrigues, outro presente no Cine PE 2024 com o lindo e premiado trabalho de sua oficina para crianças no Rio grande do Norte, “Flores de Macambira”. Quiá inclusive que é mineiro, mas mora no Rio, foi homenageado este ano, no CineOP.  

No Oco do Tempo

Já Antonio Fargoni, um dos idealizadores do Cinema Instantâneo, é outro cineasta presente por aqui, que esteve no Cine PE e no Festival Guarnicê de Cinema (leia a matéria aqui), que saiu premiado, em ambos os eventos, com seu segundo longa-metragem “No Caminho Encontrei o Vento”. E para este mês, escolhemos o seu “No Oco do Tempo”, curta que fez parte, da nossa Mostra Vertentes Paraibanas (leia aqui). Ainda vindo do Guarnicê temos: “152 AB”, de Daniel Jaber e Jelton Oliveira; e “Lapso”, de Caroline Cavalcanti, ambos fizeram parte da mostra competitiva nacional e foram premiados pelo Júri Nacional. 152 AB” venceu Melhor Fotografia e Direção de Arte. “Lapso”, melhor Atriz para Beatriz Oliveira, além de ter recebido prêmio no Festival de Berlim 2024 (Menção Honrosa na mostra Generation KPlus). Depois deste Desterro”, de Renan Amaral, que esteve na mostra paralela Para Não Esquecer, foi a ótima surpresa do Festival Guarnicê (ninguém entendeu o porquê do filme não estar na mostra competitiva – vocês concordarão com quando assistirem!). 

E dentro desses nossos meses, trouxemos alguns cineastas da geração mais recente como Fábio Rogério, a quem admiro muito. E seu curta “Bolsonaro Reeleito, Brasil Campeão e Todo Mundo Feliz” é totalmente inédito. Independente do título, assistam, sem preconceitos. Garanto, que vocês irão adorar, até porque é uma crítica bem pontuada (e necessária). Outro intelectual, professor, realizador e crítico que terá seu filme por aqui é Marcelo Ikeda, com sua experimentação “Eu Te Amo” (só homônimo do longa do Jabor!), filmado em 2006. E estreando na Mostra Um Curta Por Dia, nós fomos procurados por dois realizadores que acompanham o site e as mostras que ofereceram seus curtas de ficção. E nós os escolhemos. O primeiro é “Olhares Afáveis”, de Jones Malfitano; e o segundo Ofuscado”, de Ciça Ojuara. 

E para completar a seleção do nosso mês, o último da Mostra Um Curta Por Dia, fechamos com chave de ouro com:  Allan Deberton, pelo terceiro mês, com seu lindo e poético “Doce de Coco”; “Entre”, das cineastas Ana Carolina Marinho e Luz Bárbara; o documentário “Adelaide, Aqui Não Há Segunda Vez para o Erro”, de Anna Zêpa (inclusive o trio de realizadoras faz parte do coletivo Arenga Filmes); o ótimo e divertido “Abismo”, de Ivan de Angelis, protagonizado magistralmente por Jurandir de Oliveira; “Bom Dia Carlos”, de Gurcius Gewdner (assista por sua total responsabilidade e tenha em mãos um saquinho para vômito – ou um remédio para enjoo – até porque não queremos que ninguém passe mal); “Picolé, Pintinho, e Pipa”, de Gustavo Melo; “Amaro Rezador”, de Tony Soares, da Taquary Filmes, e nosso editor Fabricio Duque (sim, ele faz tudo no cinema!), com seu experimental “Trombetas”. 

Como todos os meses, nós não só apoiamos as Campanhas de Conscientização, como transformamos nosso mês com as cores indicativas. As de julho que estampam nossas artes são: amarelo, coral e verde. A amarela conscientiza a população contra as hepatites virais. A coral aborda a participação das famílias nas garantias dos direitos e deveres do Estatuto da Criança e do Adolescente no ambiente escolar. E a verde traz a conscientização da prevenção do câncer de cabeça e pescoço. 

E nosso site também está em campanha de Contribuição. Este projeto Mostra Um Curta Por Dia, que tinha a duração de um ano (e já ganhou um mês extra), não possui nenhum financiamento externo e/ou patrocínios e/ou editais de cultura. É realizado apenas com muita vontade, garra e amor nós curadores e por mais um “cadastrador” e “arteiro” que topou a “aventura”. Por isso é que precisamos de contribuição. Se puder (qualquer valor), nossa chave do PIX é [email protected]

PROGRAMAÇÃO COMPLETA DO DÉCIMO TERCEIRO E ÚLTIMO MÊS DA MOSTRA UM CURTA POR DIA

DIA 01/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

DIA UM

(Dia Um, 2017, Brasil, 12 minutos, documentário, de Miguel Lydia). Entrevistas com professores e funcionários de um colégio judaico secular no Rio de Janeiro, em que há a discussão sobre a vida, identidade e cultura.


DIA 02/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

PODER DOS AFETOS

(Poder dos Afetos, 2013, Brasil, 31 minutos, ficção, de Helena Ignez). Com Ney Matogrosso, Simone Spoladore, Djin Sganzerla, Dan Nakagawa e Roberto Alencar. O média-metragem desenrola-se em um cenário paradisíaco, tratando a brasilidade e a sua força na transformação dos costumes, rompendo preconceitos e trazendo à tona uma realidade mágica e original através de seus personagens inquietantes.


DIA 03/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

NOEL POR NOEL

(Noel por Noel, 1981, Brasil, 10 minutos, documentário, de Rogério Sganzerla). Com Noel Rosa. Ensaio documental sobre a música e o tempo de Noel Rosa, com colagens de imagens de arquivo, fotografias de época e filmagens de blocos carnavalescos em Vila Isabel.


DIA 04/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

AMORES DE RUA

(Amores de Rua, 1994, 29 minutos, documentário, de Eunice Gutman). O documentário questiona a atitude em relação à sexualidade defendida por uma sociedade em que as profissionais do sexo lutam pelo direito à cidadania e dignidade. O filme percorre a Vila Mimosa, a Praça Mauá e casas noturnas eróticas frequentadas por todos os gêneros, onde as performers cantam sucessos campestres.


DIA 05/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

BOM DIA CARLOS

(Bom Dia Carlos, 2015, Brasil, 17 minutos, de Gurcius Gewdner). Com Marcel Mars, Ligia Marina. Carlos se vê perturbado por uma potente inquietude. Já seu analista está obcecado pela ideia de que deve eliminá-lo para salvar sua ilha. A ilha é, por excelência, um território perturbado. Pedaço de terra desligado do continente ou território que emerge dos abalos advindos do centro do mundo: voltar a se integrar ao mar é o fantasma que ronda todas as ilhas. Existe, nessa relação tensa entre mar e ilha, uma oposição entre civilização e destruição, forma e informe, cultura e caos unidos em um carinhoso e escatológico tributo a Carlos Reichenbach, Lucio Fulci e Andrzej Zulawski.


DIA 06/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

PREGADORES

(Pregadores, 2011, Brasil, 07 minutos, documentário, de Cavi Borges e Leonardo Kopke). E disse Jesus a seus discípulos: “Ide por todo mundo pregai o Evangelho a toda criatura”.


DIA 07/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

PICOLÉ, PINTINHO E PIPA

(Picolé, Pintinho e Pipa, 2006, Brasil, 15 minutos, ficção, de Gustavo Melo). Com Arthur Bispo, Felipe Paulino, Xande Alves, Ana Carla, Henrique César, Ana Miranda, Diego Francisco, Nilton Magalhães, Wallace Coutinho e Chico Santana. A chegada do carro do troca-troca no morro sempre desperta a curiosidade de todos, principalmente das crianças. A troca de sucatas por Picolé, Pintinho e Pipa precisa ser rápido, o carro só visita o morro uma vez por mês e ele sobe até o pico do morro e desce a rua, indo embora de vez.


DIA 08/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

TROMBETAS

(Trombetas, 2017, Brasil, 6 minutos, Experimental, Musical, de Fabricio Duque). Um olhar psicodélico e experimental sobre os ensaios pré-carnavalescos do bloco carioca Trombetas Cósmicas do Jardim Elétrico e suas catárticas invenções instrumentistas musicais, que chegam às viagens cósmicas-espaciais e inter-mundos de “2001 – Uma Odisseia no Espaço”, de Stanley Kubrick. Na obra em questão, tudo é livremente estendido e sensorial.


DIA 09/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

ÔLHO, OLHO

(Ôlho, Olho, 2023, Brasil, 26 minutos, experimental, de Sylvio Lanna). Com Patrícia Niedermeier. Curta que traz referências ao cinema de Humberto Mauro.


DIA 10/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

ESPECIAL JOÃO LANARI: O CÉU É O LIMITE

(O Céu é o Limite, 1979, Brasil, 7 minutos, ficção, de João Lanari). Andarilho urbano registra impressões em ambiente de imagens do presente captadas em um futuro impreciso.


DIA 11/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

ESPECIAL JOÃO LANARI: MÍNIMA CIDADE

(Mínima Cidade, 1984, Brasil, 10 minutos, experimental, de João Lanari). Imagens de área pouco vista do plano piloto de Brasília, com diálogo imaginário entre Oscar Niemayer e Lúcio Costa.


DIA 12/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

ESPECIAL JOÃO LANARI: OBSCENA

(Obscena, 1985, Brasil, 9 minutos, ficção, de João Lanari). Três personagens, dois homens e uma mulher, circulam pelas áleas do setor de diversões sul de Brasília, conhecido como CONIC, até que os caminhos se cruzam.


DIA 13/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

ESPECIAL JOÃO LANARI: DENI’S MOVIE

(Deni’s Movie, 1996, Brasil, 15 minutos, documentário, de João Lanari). Vida e obra de Denis de Oliveira, ator e aspirante a roteirista, além de empresário no setor de diversões sul (CONIC).


DIA 14/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

ESPECIAL JOÃO LANARI: DEUS E O DIABO NO CONIC

(Deus e o Diabo no Conic, 1998, Brasil, 12 minutos, ficção, de João Lanari). Religião e prazeres compartilham o mesmo espaço, no setor de diversões sul Brasília.


DIA 15/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

ESPECIAL JOÃO LANARI: DENIS E SYD

(Denis e Syd, 1999, Brasil, 10 minutos, documentário, de João Lanari). Registro da passagem de Syd Field em Brasília, para workshop, com acompanhamento de Denis de Oliveira e Ligia Verdi.


DIA 16/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

OFUSCADO

(Ofuscado, 2014, Brasil, 20 minutos, ficção, de Ciça Ojuara). Com Anita Nascimento, Ciça Ojuara, Cincinato Oliveira, David Sier , Jorge Araújo. “Ofuscado” é sobre o reflexo da realidade vivida por muitos no Sertão da Bahia. Xique-Xique foi o cenário escolhido para retratar a história de Dulce.


DIA 17/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

EU TE AMO

(Eu Te Amo, 2006, Brasil, 9 minutos, experimental, de Marcelo Ikeda). Com Marcelo Ikeda. A sinopse: Eu Te amo. Eu preciso te amar.


DIA 18/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

NO OCO DO TEMPO

(No Oco do Tempo, 2019, Brasil, 10 minutos, ficção, de Antonio Fargoni). Com Hipólito Lucena. Pedro Jeremias é um cangaceiro que vive sozinho e tem como arma o papel e a caneta. Ele vive em paz, porém sua arte incomoda os “homens”.


DIA 19/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

DOCE DE COCO

(Doce de Coco, 2010, Brasil, 20 minutos, ficção, de Allan Deberton). Com Alan Ribeiro, Alisson Rodrigues, Débora Ingrid, Marcélia Cartaxo, Sidney Souto, Soia Lira. A família de Diana trabalha com cocadas caseiras. João retira os frutos do coqueiro para que Diana e Lúcia preparem os doces. Zacarias vende a produção na cidade. Certo dia, Diana vai para o rio com a mãe e tia Maria.


DIA 20/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

CABEÇA DE PAPELÃO

(Cabeça de Papelão, 2013, 20 minutos, animação, de Quiá Rodrigues). Desde pequeno Antenor é diferente dos demais. Convencido de que a razão de seus problemas é sua cabeça que não funciona, ele a troca por uma de papelão. Arte baseada em desenhos de J.Carlos e roteiro inspirado no conto “O homem da cabeça de papelão”, de João do Rio.


DIA 21/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

152 AB

(152 AB, 2024, Brasil, 20 minutos, ficção, de Daniel Jaber e Jelton Oliveira). Com Daniel Jaber e Luciana Damasceno. Cêcil e Cecília, vizinhos em um bairro periférico de Belo Horizonte, sofrem diariamente os desafios impostos pela condição suburbana brasileira. Um encontro inesperado faz com que os dois, recém apresentados, passem a nutrir uma amizade separada por um muro.


DIA 22/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

LAPSO

(Lapso, 2023, Brasil, 24 minutos, ficção, de Caroline Cavalcanti). Com Beatriz Oliveira, Juan Queiroz, Camila Morena da Luz, Adrilene Muradas Nunes, Gabriela Veloso, Luiz Gonzaga Barbosa Moreira, Isabela Leão Moreira, Dora Rosa. Após praticarem atos de vandalismo, Bel e Juliano, adolescentes da periferia de Belo Horizonte, cumprem medidas socioeducativas onde se conhecem, passando a compartilhar afetos e incerteza.


DIA 23/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

DEPOIS DESTE DESTERRO

(Depois deste Desterro, 2023, Brasil, 25 minutos, ficção, de Renan Amaral). Com Fran Mattoso, Ro Milani, Gabrielle Novello, Débora Azevedo, Wesley May, Romulo Chindelar. Após assassinar um militar em plena ditadura, Alice Foge para o interior do ES e terá que confrontar sua irmã Carmen e seu grande amor de adolescência, que hoje é freira.


DIA 24/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

COMO ME ESQUECER DO INVERNO

(Como Me Esquecer do Inverno, 2023, Brasil, Hungria e Bélgica, 15 minutos, documentário, de Mari Moraga). Violeta usa sua arte para criar possibilidades de ver o mundo em que vivemos. Como imigrante brasileira, ela busca maneiras incomuns de se aquecer através de sua comunidade queer durante o gélido inverno europeu.


DIA 25/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

AMARO REZADOR

(Amaro Rezador, 2024, Brasil, 12 minutos, documentário, de Tony Soares) Com Amaro José da Silva, Severina Ambrosina, Izabel Silva, Maria dos Prazeres, Maria Clécia da Silva e Clara Letícia. Banda de Pífano Santo Amaro: Jonas Leitão, José Mendes, José Pereira, Josimar Ribeiro e Pedro Henrique Oliveira. Vida e obra de Amaro José da Silva, popularmente conhecido como Amaro do pífano e Amaro Rezador.


DIA 26/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

ADELAIDE, AQUI NÃO HÁ SEGUNDA VEZ PARA O ERRO

(Adelaide, Aqui Não Há Segunda Vez para o Erro, 2020, Brasil, 20 minutos, documentário, de Anna Zêpa). Quem foi Adelaide Carraro? Por que me desvendar é uma tarefa árdua? Tive mais de 5 milhões de livros vendidos? Uma das mais lidas no Brasil entre os anos 60 e 70? Perseguida, acusada de sensacionalista, pornográfica e autora de uma subliteratura? Onde estão meus rastros?


DIA 27/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

ENTRE

(Entre, 2019, Brasil, 15 minutos, ficção, de Ana Carolina Marinho e Luz Bárbara). Com Anna Zêpa, Daniela Evelise, Rudifran Pompeu. Separadas por um veio poluído do rio Tietê, Jaci e Maria se relacionam entre suas janelas. Cada margem, uma cidade. Nesse limiar, a distância entre as duas mulheres parece só aumentar. Jaci suspeita que Maria está sob cárcere doméstico e decide atravessar o rio.


DIA 28/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

OLHARES AFÁVEIS

(Olhares Afáveis, 2023, Brasil, 12 minutos, ficção, de Jones Malfitano). Após o término do seu namoro, Renan conhece Giovanna, uma garota que está de luto pela perda da avó.


DIA 29/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

ABISMO

(Abismo, 2018, Brasil, 15 minutos, ficção de Ivan de Angelis). Com Jurandir de Oliveira, Everton Lira. Após quarenta anos de trabalhando como porteiro de um edifício, Juvenal, por fim, se torna um prisioneiro.


DIA 30/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

BOLSONARO REELEITO, BRASIL CAMPEÃO E TODO MUNDO FELIZ

(Bolsonaro Reeleito, Brasil Campeão e Todo Mundo Feliz, 2024, Brasil, 8 minutos, documentário, de Fábio Rogério). Futebol e política. Brasil e Croácia. Cobranças de pênaltis das quartas de final da Copa do Mundo 2022.


DIA 31/07 – Início 09:00 – Assista por AQUI

O TEMPO TEM COR

(O Tempo Tem Cor, 2024, Brasil, 2 minutos, Experimental, Videoarte, de Patrícia Niedermeier e Cavi Borges). O casal lança mais um videoclipe que experimenta dança, corpo e dessa vez a cor, atravessada pelo movimento. É como se a atriz, Patricia Niedermeier, se tornasse uma pintora-interativa da imagem e os quadros, artes em processos não definitivos. Uma poesia ofertada ao nosso olhar. 

Mostra Um Curta Por Diq mes 13

OS CARDS DA MOSTRA UM CURTA POR DIA – MÊS 13

Pix Vertentes do Cinema

Deixe uma resposta