Editorial da Semana | 11 de junho de 2020

Estreias e Dicas desta quinta-feira

Por Redação

Se a semana passada teve o “de saco cheio” da “internet frenética”, os dias que se adentram não fogem do diferente nessa quarentena contra o COVID-19. Pelo contrário, o mundo, ainda que confinado, parece fervilhar novidades e urgências. Uma chuva de Lives e festivais. A terceira edição da Semana Cavideo Online encerrou-se ontem. A próxima do Vertentes Online já está em preparação. A política continua a surpreender com reviravoltas dignas de uma novela mexicana. As pessoas acham que tudo já está okzinho. Cada vez parece que vivemos mais “Ensaio Sobre a Lucidez”, de José Saramago. Todos te obrigarão a sair. E dirão que está tudo “normal”. Que só a economia salva. Não acredite. Resista. Agora mais do que nunca. Fique em casa e mergulhe nas dicas de nossa Revista Semanal.

EM CASA

Boze Cialo

CORPUS CHRISTI (Boze Cialo, 2019, Polônia, 115 miutos, de Jan Komasa, CRÍTICA AQUI). Assista AQUI da plataforma Cinema Virtual.

Daniel é um rapaz de 20 anos que experimenta uma transformação espiritual enquanto vive em um centro de detenção para jovens. Ele quer se tornar padre, mas isso é impossível por causa de sua ficha criminal. Quando é enviado para trabalhar na oficina de um carpinteiro em uma pequena cidade, ele se veste de padre e acidentalmente assume a paróquia local. A chegada do jovem e carismático pregador é uma oportunidade para a comunidade iniciar um processo de cura após uma tragédia que aconteceu na região. Há algo em “Corpus Christi” que dialoga muito com a contemporaneidade e esse algo é o protagonista. Além do desapego ás regras, ele possui como característica essa mitificação em torno de si. Como produto de seu tempo, Daniel entende que deverá rapidamente ser um “influenciador” dentro daquela comunidade.

Editorial da Semana | 11 de junho de 2020

CURTA DA SEMANA ESPECIAL LONGA

SALTO NO VAZIO (2018, Brasil, 64 minutos, de Patricia Niedermeier e Cavi Borges, CRÍTICA AQUI). As memórias da viagem feita pelo casal de artistas Cavi Borges e Patrícia Niedermeier são transformadas em um filme-ensaio. O cenário é composto de paisagens localizadas no Brasil, Estados Unidos, Alemanha, Síria, França e Hungria, onde foi registrada uma série de coreografias e outras performances criadas por ambos. Uma obra de arte que encontra a perfeita sincronia do salto em um rio com água suficiente para aflorar a paixão e nunca afogar nas estranhezas da relação. Assista ao filme na página principal do site e BAIXE AQUI o folder brinde que preparamos sobre o filme!

PRÓXIMO CURTA ESPECIAL WEB-SÉRIE 

BARRA ÓDIO / BARRA AMOR

Web-série sobre um sem-terra negro sofrendo os preconceitos da cidade. O último episódio “Nos Canais da Barra” será exibido a partir de 00:01 do dia 18/06. Enquanto isso, maratone os anteriores:

PRÓLOGO  : https://vimeo.com/423228053
EPISÓDIO 1: https://vimeo.com/423224059
EPISÓDIO 2: https://vimeo.com/423222777
EPISÓDIO 3: https://vimeo.com/423214683
EPISÓDIO 4: https://vimeo.com/423216163
EPISÓDIO 5: https://vimeo.com/423207550
EPISÓDIO 6: https://vimeo.com/423225412

SELEÇÃO ESPECIAL CINEMATECA FRANCESA

HARMONIES DE PARIS (1927, França, 29 minutos, de Lucie Derain, Silencioso, ASSISTA AQUI)

Um avião sobrevoa Paris e desembarca seus turistas. O metrô, tráfego de pedestres e automóveis, por estrada ou rio, a antiga e a moderna Paris, pedra e aço, cruzam, misturam e convivem entre si. Lucie Derain foi a primeira crítica de cinema e também diretora, editora, escritora de ficção e roteirista. Ela começou sua carreira cinematográfica em 1919 como escritora de inter-títulos. Sua primeira experiência como diretora foi o filme “Désorde” (1927), um curta de montagem em 16 mm, exibido durante a performance da peça de vanguarda de Yvan Goll, de mesmo título.  A influência do filme de Walter Ruttmann Berlin, Sinfonia de uma cidade grande (1927) é evidente no estilo de vanguarda que adota, imagens de trabalhadores saindo de uma fábrica, tráfego em as ruas, os trilhos do trem, as vitrines.

HENRI LANGLOIS: ELABORAÇÃO DO MUSEU DO CINEMA (Henri Langlois : élaboration du musée du cinéma, 1971, França, 13 minutos, de István Sipos, Silencioso, ASSISTA AQUI)

Retrato de um documentário inacabado. Em 1971, Henri Langlois passou a vida na Cinémathèque, no Palais de Chaillot, e se dedicou inteiramente ao desenvolvimento de seu museu, sem se poupar. Ele precisou pregar, modelar cada canto, imaginar cada novo arranjo. O menor detalhe conta, a menor dobra de roupa. Ele pode passar horas ajustando uma jaqueta, e o cansaço às vezes o surpreende ao redor de uma escada … Em 2014, na época do centenário de Langlois, um rolo de 16 mm de filme AGFA Gevaert e Kodak, datado de 1971, desmontado, com enquadramento sonoro, foi identificado e digitalizado. Na caixa está escrito: “Henri Langlois”. Infelizmente, nenhum vestígio do som permanece.

Editorial da Semana | 11 de junho de 2020

Editorial da Semana | 11 de junho de 2020

DIA DOS NAMORADOS 

Corpo Eletrico

CORPO ELÉTRICO (2017, Brasil, 94 minutos, de Marcelo Caetano, CRÍTICA AQUI, VÍDEO EXCLUSIVO AQUI).

O verão está chegando e Elias (Kelner Macêdo) tem sonhado muito com o mar. Na fábrica em que trabalha, as responsabilidades aumentam à medida em que o fim de ano se aproxima. Depois de uma noite fazendo hora extra, Elias e os operários decidem sair e tomar uma cerveja. É quando novas possibilidades de encontros surgem no horizonte de Elias. “Corpo Elétrico” foi dirigido por Marcelo Caetano, e teve sua estreia no Festival de Roterdã. O filme também venceu o Prêmio Maguey-Melhor Filme no Festival de Guadalajara e o APCA em 2017 na categoria de Melhor Filme. #vitrineindica

Editorial da Semana | 11 de junho de 2020

TODOS PELO CINELUME

O momento atual necessita da solidariedade de todos nós. Assim como a Cinemateca Brasileira e o Cinema Estação precisam de ajuda, o CINELUME do grande Frederico Da Cruz Machado entra na lista trilogia da Vakinha. Organizando direitinho, todo mundo se salva! A hora de mostrar nossa paixão cinematográfica é AGORA. São Paulo, Rio de Janeiro e Maranhão juntos pela sobrevivência da cultura. AJUDE AQUI!

Editorial da Semana | 11 de junho de 2020

EDITAL ITAÚ CULTURAL

O Itaú Cultural abre, de 15 a 17 de junho, as inscrições para o edital de audiovisual dentro do Arte como respiro: múltiplos editais de emergência. Descobertas e/ou redescobertas é o tema proposto pela instituição para o seu sexto edital emergencial, agora voltado para profissionais criativos ou técnicos do setor de audiovisual. Como nos anteriores – artes cênicas, música, artes visuais, poesia surda e literatura –, o intuito da organização é apoiar artistas sujeitos a atuar isoladamente e com possibilidades reduzidas de se expressar neste período de suspensão social. Saiba tudo aqui

Editorial da Semana | 11 de junho de 2020

LIVE GRUPO INDÍGENA BRÔ MCS

(clique AQUI ou na foto e saiba tudo)

LOJA IMOVISION

(clique AQUI ou na foto e saiba tudo)

Editorial da Semana | 11 de junho de 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *