Where The Wild Things Are

10 Filmes para Fugir da Realidade

Obras que permitem o desligamento do presente para encontrar a epifania

Por Fabricio Duque

Sim, caros leitores, nós vivemos uma crise mundial. Um vírus potente que tenta dizimar os habitantes da Terra. E não temos a ajuda das “Meninas Super Poderosas”, tampouco do “Batman”. Porque a ordem da vez é ficar em casa. Como auto-proteção e principalmente um ato solidário a nosso próximo. Assim, em nossos lares, ou precisamos conviver com nossos familiares e/ou estar sozinho com nossos próprios eus. Pois é, é aí que a coisa fica complicada. O ditado popular já resumiu muito bem: “Cabeça vazia, oficina do diabo”. E como consequência, pensar demais a ponto de se perder nas “loucuras” que acontecem quando o tédio é maior que o tempo. Mas calma! Nosso site preparou uma lista para ajudar a “fugir da realidade”, com filmes que “viajam” a outros estágios cerebrais, fazendo com que fiquemos longe do que nós somos no momento. MARIA CALLAS (assista AQUI ao documentário “A Solidão de um Mito”) é a trilha-sonora indicada (quase obrigatória) para ler essa matéria!

10 FILMES PARA FUGIR DA REALIDADE

Where The Wild Things Are

ONDE VIVEM OS MONSTROS (Where The Wild Things Are, 2009, Estados Unidos, 104 minutos, de Spike Jonze)

Fugir da família para descansar de ser o oposto do que se é. Max é um garoto que está fantasiado de lobo, provocando malcriações com sua mãe por ciúme de um amigo dela. Como castigo, ele é mandado para o quarto sem jantar e resolve fugir da casa, usando a imaginação para criar uma misteriosa ilha. Lá, ele encontra vários monstros e diz que possui superpoderes, o que o faz ser nomeado rei do grupo. Responsável por evitar que a tristeza tome conta do lugar, ele passa a criar uma série de jogos para mantê-los em constante diversão. Leia a crítica AQUI!

10 Filmes para Fugir da Realidade

Alice in Wonderland

ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS (Alice in Wonderland, 2010, Estados Unidos, 108 minutos, de Tim Burton)

Fugir para descobrir a verdade de quem realmente se é. Baseado no livro homônimo de Lewis Carroll, em 1865. Alice (Mia Wasikowska) é uma jovem de 17 anos que passa a seguir um coelho branco apressado, que sempre olha no relógio. Ela entra em um buraco que a leva ao País das Maravilhas, um local onde esteve há dez anos apesar de nada se lembrar dele. Lá ela é recepcionada pelo Chapeleiro Maluco (Johnny Depp) e passa a lidar com seres fantásticos e mágicos, além da ira da poderosa Rainha de Copas (Helena Bonham Carter). há o contraste entre respeito (amor) e obediência (medo). Alice consegue o que quer pela gentileza, criando a cumplicidade, e a Rainha pela tirania. “Por que me odeiam e a amam”, a tirana pergunta. Leia a crítica AQUI!

10 Filmes para Fugir da Realidade

Captain Fantastic

CAPITÃO FANTÁSTICO (Captain Fantastic, 2016, Estados Unidos, 118 minutos, de Matt Ross)

Fugir para a essência da vida (a radical naturalidade) contra a toxicidade da civilização. Ben (Viggo Mortensen) tem seis filhos com quem vive longe da civilização, no meio da floresta, numa rígida rotina de aventuras. As crianças lutam, escalam, leem obras clássicas, debatem, caçam e praticam duros exercícios, tendo a autossuficiência sempre como palavra de ordem. Certo dia um triste acontecimento leva a família a deixar o isolamento e o reencontro com parentes distantes traz à tona velhos conflitos. A narrativa cadenciada fragmenta no início a ambiência do dia-a-dia cotidiano de como eles vivem, como as aulas de “emaranhamento quântico”, que pode ser traduzido como outra metáfora e um “um fenômeno da mecânica quântica que permite que dois ou mais objetos estejam de alguma forma tão ligados que um não possa ser corretamente descrito sem que a sua contra-parte seja mencionada”. Leia a crítica AQUI!

10 Filmes para Fugir da Realidade

DOIS CASAMENTOS (2015, Brasil, 75 minutos, de Luiz Rosemberg Filho)

Fugir da realidade com a verdade do que se busca. Duas noivas esperam, em uma sala da igreja, enquanto seus casamentos não começam. Mas elas não estão ansiosas, como o esperado: mas sim agem como fantasmas, em um horror existencial. Enquanto aguardam serem chamadas para o início de suas respectivas cerimônias, refletem sobre suas relações e vidas. O caos vivenciado as liberta como explosões da alma, por monólogos afobados, doloridos, pragmáticos, agressivos, vitimados, atacados, “assistindo” na outra um espelho da verdade medicamentosa contra a iminente loucura de uma vida vazia, tediosa, massificada e de alienação hipócrita, aceitável e doentia. Leia a crítica AQUI!

10 Filmes para Fugir da Realidade

Eternal Sunshine of the Spotless Mind

BRILHO ETERNO DE UMA MENTE SEM LEMBRANÇAS (Eternal Sunshine of the Spotless Mind, 2004, 108 minutos, Estados Unidos, de Michel Gondry)

Fugir da dolorida lembrança da realidade. Joel (Jim Carrey) e Clementine (Kate Winslet) formavam um casal que durante anos tentaram fazer com que o relacionamento desse certo. Desiludida com o fracasso, Clementine decide esquecer Joel para sempre e, para tanto, aceita se submeter a um tratamento experimental, que retira de sua memória os momentos vividos com ele. Após saber de sua atitude Joel entra em depressão, frustrado por ainda estar apaixonado por alguém que quer esquecê-lo. Decidido a superar a questão, Joel também se submete ao tratamento experimental. Porém ele acaba desistindo de tentar esquecê-la e começa a encaixar Clementine em momentos de sua memória os quais ela não participa.

10 Filmes para Fugir da Realidade

Labyrinth

LABIRINTO – A MAGIA DO TEMPO (Labyrinth, 1986, Reino Unido, 101 minutos, de  Jim Henson)

Fugir da realidade para consertar o presente. Frustrada por ter de cuidar do irmão caçula enquanto seus pais estão fora, a adolescente Sarah (Jennifer Connelly) sonha em se livrar da criança, que não para de chorar. Atendendo seu pedido, o Rei dos Duendes (David Bowie), personagem de um dos livros de Sarah, ganha vida e sequestra o bebê. Arrependida, a menina terá de enfrentar um labirinto e resgatar o irmão antes da meia-noite para evitar que ele seja transformado em um duende.

10 Filmes para Fugir da Realidade

The Beach

A PRAIA (The Beach, 2000, Reino Unido, 119 minutos, de Danny Boyle)

Fugir da realidade para achar o propósito vivendo o paraíso. Baseado em romance de Alex Garland, que foi adaptado para o filme por John Hodge. Em um hotel barato de Bangcoc Richard (Leonardo DiCaprio) conhece Françoise (Virgine Ledoyen) e Étienne (Guillaume Canet), um casal de franceses. Ele também encontra Patolino (Robert Carlyle), um viajante mais velho marcado por anos de sol e drogas. De forma paranóica Patolino conta a Richard a improvável história de uma ilha secreta, um paraíso na Terra, a praia perfeita sem a presença de turistas. Eles recebem as boas-vindas do grupo e esta parte da ilha paradisíaca se torna a casa deles, deixando para trás o mundo que conheciam. Mas na realidade este céu na Terra não é tão perfeito. Conflitos pessoais e ciúmes criam uma violenta rivalidade e trágicos eventos dividem a comunidade. Bastante isolado e transtornado, Richard não sabe o que fazer, pois o sonho se tornou um pesadelo e o paraíso virou um inferno. Agora sua única meta é partir. Mas a fuga não será fácil, pois “a praia” é um lugar secreto, que alguns defenderão até a morte.

10 Filmes para Fugir da Realidade

Le Fabuleux destin d'Amélie Poulain

O FABULOSO DESTINO DE AMÉLIE POULAIN (Le Fabuleux destin d’Amélie Poulain, 2002, França, 120 minutos, de Jean-Pierre Jeunet)

Fugir da realidade para acreditar na verdade criada. Após deixar a vida de subúrbio que levava com a família, a inocente Amélie (Audrey Tautou) muda-se para o bairro parisiense de Montmartre, onde começa a trabalhar como garçonete. Certo dia encontra uma caixa escondida no banheiro de sua casa e, pensando que pertencesse ao antigo morador, decide procurá-lo ­ e é assim que encontra Dominique (Maurice Bénichou). Ao ver que ele chora de alegria ao reaver o seu objeto, a moça fica impressionada e adquire uma nova visão do mundo. Então, a partir de pequenos gestos, ela passa a ajudar as pessoas que a rodeiam, vendo nisto um novo sentido para sua existência. Contudo, ainda sente falta de um grande amor.

10 Filmes para Fugir da Realidade

The Man Who Killed Don Quixote

O HOMEM QUE MATOU DOM QUIXOTE (The Man Who Killed Don Quixote, 2019, 133 minutos, de Terry Gilliam)

Fugir da realidade para se desacreditar. Exibido no Festival de Cannes. Quando faz seu filme de conclusão de estudos, o jovem cineasta Toby (Adam Driver) viaja à Espanha para filmar uma versão independente de Dom Quixote. Para o ator principal, escala um sapateiro da região (Jonathan Pryce), que nunca trabalhou no cinema antes. Doze anos se passam, e Toby, agora um renomado diretor de comerciais de televisão, tem a oportunidade de fazer uma superprodução também baseada no livro de Cervantes. Ele retorna à Espanha, começa as gravações, mas logo enfrenta uma crise criativa. Buscando inspiração, tenta reencontrar os atores do projeto anterior. Toby descobre que o sapateiro enlouqueceu, e realmente acredita ser Dom Quixote. Leia a crítica AQUI!

10 Filmes para Fugir da Realidade

Die unendliche Geschichte

A HISTÓRIA SEM FIM (Die unendliche Geschichte, 1984, Alemanha, 95 minutos, de Wolfgang Petersen)

Fugir da realidade como auto-proteção. Bastian (Barret Oliver) é um garoto que usa sua imaginação como refúgio dos problemas do dia-a-dia, como as provas do colégio, as brigas na escola e a perda de sua mãe. Um dia, após se livrar de alguns garotos que insistem em atormentá-lo, ele entra em uma livraria. Lá o proprietário mostra um antigo livro, chamado A História Sem Fim, o qual classifica como perigoso. O alerta atiça a curiosidade de Bastian, que pega o livro emprestado sem ser percebido. A leitura o transporta para o mundo de Fantasia, um lugar que espera desesperadamente a chegada de um herói. A imperatriz local (Tami Stronach) está morrendo e, junto com ela, o mundo em que vive é aos poucos devorado pelo feroz Nada. A única esperança é Atreyu (Noah Hathaway), que busca a cura para a doença da imperatriz com a ajuda de Bastian.

10 Filmes para Fugir da Realidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *