Tudo Sobre a Mostra Ditadura Nunca Mais!

Uma seleção com 16 filmes para não esquecer, que acontece presencialmente de 08 a 10 de novembro no Estação Net Rio

Por Redação

Estação Net e Cavideo apresentam a Mostra “Ditadura Nunca Mais! – Filmes Para Não Esquecer” com 16 longas metragens, que mostram e discutem a ditadura no Brasil. Nos dias 8, 9 e 10 de novembro, presencialmente no Estação Net Rio, com curadoria de Cavi Borges e Luiz Eduardo. A mostra quer manter a memória acesa de um dos períodos mais traumáticos de nosso passado em filmes que não se pode esquecer. A mostra Ditadura Nunca Mais! complementa o lançamento do filme “Marighella”, de Wagner Moura, que estreia nos cinemas nesta quinta, dia 04/11.


PROGRAMAÇÃO COMPLETA

Depois do Vendaval

SEGUNDA – DIA 08
Estação Net Rio – sala 2

13H45
REPORT ON TORTURE

14H50
AI -05 O DIA QUE NÃO EXISTIU

16H05
MARIGHELLA – O RETRATO FALADO DE UM GUERRILHEIRO

17H15
UMA LONGA VIAGEM

19H00
DEPOIS DO VENDAVAL

20H40
LAMARCA


TERÇA – DIA 09
Estação Net Rio – sala 2

13H45
MISSÃO 115

15H30
CIDADÃO BOILESEN

17H20
MARCOS MEDEIROS – CODINOME VAMPIRO

19H00
GALERIA F

20H45
JANGO


QUARTA – DIA 10
Estação Net Rio – sala 2

13H55
SETENTA

15H50
TORRE DAS DONZELAS

17H50
DEMOCRACIA EM PRETO E BRANCO

19H35
CODINOME CLEMENTE

21h30
MARIGHELLA


SINOPSES DOS FILMES

AI -05 O DIA QUE NÃO EXISTIU

(2004, Brasil, 56 minutos, Documentário, de Adelia Sampaio). Sobre o decreto que deu início ao período mais violento da ditadura militar no Brasil.

CODINOME CLEMENTE

(2017, Brasil, 100 minutos, Documentário, de Isa Albuquerque). Carlos Eugênio Sarmento Coelho da Paz (1950-2019) foi o último comandante da ALN (Ação Libertadora Nacional), organização construída por Carlos Marighella para enfrentar com armas a ditadura militar no Brasil.

DEMOCRACIA EM PRETO E BRANCO

(2014, Brasil, 90 minutos, Documentário, de Pedro Asbeg). Política, futebol e rock ‘n’ roll. Sócrates, Casagrande e Vladimir lideram um movimento histórico no esporte e adotam a democracia dentro de um time como exemplo de protesto ao regime militar no começo da década de 1980.

DEPOIS DO VENDAVAL

(2021, Brasil, 83 minutos, Documentário, de José Carlos Asbeg, Luiz Arnaldo Campos e Sérgio Péo). Inventário político-amoroso dos anos 1978-1980, período marcante da História recente do Brasil, quando irromperam no cenário nacional uma série de manifestações: as greves operárias do ABC paulista, a campanha pela anistia aos presos políticos, a refundação da UNE. Fatos que mudaram radicalmente o país e marcaram o início da democratização do Brasil.

GALERIA F

(2016, Brasil, 87 minutos, Documentário, de Emilia Silveira). Theodomiro Romeiro dos Santos, militante do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário, começou a combater a ditadura brasileira aos 14 anos de idade, e chegou a ser preso aos 18, matando um dos agentes ao resistir à prisão. Agora, ele refaz toda a sua trajetória, contando de quando foi preso e torturado durante nove anos.

JANGO

(1984, Brasil, 115 minutos, Documentário, de Sílvio Tendler). A trajetória política de João Goulart, o 24º presidente brasileiro, que foi deposto por um golpe militar nas primeiras horas de 1º de abril de 1964.

LAMARCA

(1994, Brasil, 130 minutos, Ficção, de Sérgio Rezende). A verdadeira história de um capitão que, durante a Ditadura Militar no Brasil, abandonou as forças armadas e se envolveu em grupos de guerrilha de esquerda, tornando-se um de seus líderes mais notáveis.

MARCOS MEDEIROS – CODINOME VAMPIRO

(2018, Brasil, 84 minutos, Documentário, de Vicente Duque Estrada). O filme apresenta Marcos Medeiros, um personagem esquecido da nossa história que foi líder estudantil em 1968. Preso, torturado, cassado e exilado na Europa, Marcos começou a se dedicar ao cinema, tendo feito curtas com Chris Marker na França, um longa com Glauber em Cuba, e depois trabalhado na Itália com Rosselini. de volta ao Brasil, nos anos 80, com a anistia, Marcos inicia um trabalho pioneiro em vídeo, mas não encontra um espaço para viabilizar sua arte que não se identificava com o main stream.

MARIGHELLA – RETRATO FALADO DO GUERRILHEIRO

(2001, Brasil, 55 minutos, Documentário, de Sílvio Tendler). A produção conta a história, as polêmicas, as vitórias e derrotas de Carlos Marighella, um dos líderes da luta armada contra a ditadura militar no Brasil.

MARIGHELLA

(2012, Brasil, 100 minutos, Documentário, de Isa Grinspum Ferraz). Líder comunista, vítima de prisões e tortura, parlamentar, autor do mundialmente traduzido Manual do Guerrilheiro Urbano, Carlos Marighella atuou nos principais acontecimentos políticos do Brasil entre os anos 1930 e 1969, e foi considerado o inimigo número 1 da ditadura militar brasileira. Mas quem foi esse homem, mulato, baiano, poeta, sedutor, amante de samba, praia e futebol, cujo nome foi por décadas impublicável?

MISSÃO 115

(2018, Brasil, 87 minutos, Documentário, de Silvio Da-Rin). Missão 115 foi o nome atribuído pelo DOI-CODI (órgão de repressão do exército durante a ditadura militar) a uma suposta operação de vigilância” no Rio de Janeiro, durante show musical no Riocentro pelo Primeiro de Maio de 1981. Pela primeira vez um dos membros daquela equipe de terroristas, o ex-policial Claudio Guerra, conta em detalhes como a operação foi planejada e executada.

REPORT ON TORTURE

(1971, Estados Unidos, 60 minutos, Documentário, de Saul Landau e Haskell Wesler). O filme conta com depoimentos de brasileiros torturados e recém-exilados no Chile.

SETENTA

(2013, Brasil, 96 minutos, de Emilia Silveira). No dia 7 de dezembro de 1970, grupos de combate à ditadura capturaram o embaixador suíço no Brasil buscando a liberdade de 70 presos. Começava o mais longo sequestro político da história do país.

TORRE DAS DONZELAS

(2018, Brasil, 97 minutos, de Susanna Lira). Quarenta anos após serem presas durante a ditadura militar na Torre das Donzelas, como era chamada a penitenciária feminina, ao lado da ex-presidente da República Dilma Rousseff, um grupo de mulheres revisita a sua história.

UMA LONGA VIAGEM

(2011, Brasil, 97 minutos, Ficção, de Lucia Murat). Em 1969, durante a ditadura no Brasil, uma família envia o caçula para fora do país a fim de evitar seu engajamento na luta armada, como fez a irmã. Heitor viaja pelo mundo ao longo de nove anos e, durante esse tempo, envia cartas aos parentes.


SERVIÇO

Mostra “Ditadura Nunca Mais! – Filmes Para Não Esquecer”
A mostra acontece presencialmente nos dias 8, 9 e 10 de novembro, no Estação NET Rio 2.
Valor dos ingressos:
R$16 (inteira) / R$8 (meia)
“Passaporte Mostra” – todos os 16 filmes da mostra por R$ 80

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × quatro =