Mostra Um Curta Por Diq mes 13

Tudo Sobre a 8 ½ Festa do Cinema Italiano 2024

Tudo Sobre a 8 ½ Festa do Cinema Italiano 2024

Festival retorna ao Brasil de 27 de junho a 3 de julho com identidade visual inspirada nos supermercados italianos dos anos 80 com dez filmes em sua programação

Por Fabricio Duque (baseada no release oficial)

Desde 1896, o cinema italiano, que estreou na sétima arte com o filme “Umberto e Margherita de Saboia Caminhando no Parque”, de Vittorio Calcina, e depois com “La presa di Roma”, de Filoteo Alberini, em 1905, retratando a captura de Roma na unificação de 1870, formaliza seus costumes em tela ao mundo. Ainda que tenha se acasalado com outros cinemas, o cinema italiano consegue conservar em suas narrativa uma identidade comportamental única de seu povo, que existe pelo realismo orgânico, de improvisação dos próprios quereres. E assim, a 8 ½ Festa do Cinema Italiano traz toda essa conjugação existencial dessas pessoas que não comem só massa em suas refeições, que falam alto e com as mãos, que brigam na rua, que estão no limite da intolerância ao outro, que exercem ao máximo suas vontades individuais, com exageros intrínsecos do ser e do reagir ao argumentar até mesmo simples movimentos corpóreos. Sim, o fato de eu ter acabado de chegar de Roma (sim, não podemos definir toda uma Itália só por essa cidade) fez com que eu entendesse melhor os italianos (e os romanos). 

Imagine viver entre ruínas, superpovoada por turistas, envoltos em constantes cenários históricos e com a presença “onipresente” e maciça da Igreja Católica e seu representante “divino” (escolhido por Deus), o Papa, que inclusive mora em um país único, o Vaticano (localizado em uma estação de metrô de Roma, com política própria), pois é, isso tudo inevitavelmente afeta seus moradores e suas formas de se comportar (até porque tudo é ditado pelas escrituras bíblicas do “céu e inferno”), além do fato de terem que andar muito de um lugar A até o B, gerando a colonização em seus costumes diários e a adição de características sentimentais de raciocinar mais, ainda que tragam uma maior ingenuidade, especialmente em suas ideias arduamente passionais. Ter passado pelo Teatro 5 de Federico Fellini na Cinecittà, pela Boca da Verdade, pelo Panteão, pelo Coliseu, é inevitável não resgatar uma sensação nostálgica dos filmes do Neo-realismo Italiano. Parece que os romanos, mesmo com todas as atualizações da atualidade, preferem viver mesmo na calmaria de um passado que toma sorvete quando está calor, que simplifica a vida andando de vespa e que respira emoções à flor da pele. Sim, todo esse excesso que percebemos no cinema italiano é natural. Existe. Falar durante os filmes, como na cena de “Cinema Paradiso” e/ou dançar na rua no bairro boêmio Trastevere, como numa mise-en-scène de Marco Ferreri e/ou a solidão não sensível, como nas obras de Pasolini. Tá tudo ali. Até a primeira ponte de Roma que se chama Fabricio. Pois é.

Sim, após pensar em tudo isso, podemos dizer que o 8 ½ Festa do Cinema Italiano, que chega a sua décima primeira edição no Brasil, entre 27 de junho e 3 de julho, respeita a essência desse povo que transforma tudo em festa, ora de crítica política, ora de diversão mesmo, ora de Sorrentino em A Grande Beleza, ora de “A Comilança”, ora de poesia metafísica, e às vezes ora de nada. O Festival já conta com 19 cidades confirmadas: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Vitória, Salvador, Fortaleza, Recife, Porto Alegre, Curitiba, Florianópolis, Caxias do Sul, Maceió, Belém, Natal, Aracaju, João Pessoa, Niterói e Volta Redonda. Caxias do Sul recebe o Festival pela primeira vez. Volta Redonda, excepcionalmente, recebe o evento entre 1º e 7 de julho.  

Confira:

Aqui a programação completa da 8 1/2 Festa do Cinema Italiano 2024

Leia também:

Tudo Sobre a 8 1/2 Festa do Cinema Italiano 2022

Tudo Sobre a 8 1/2 Festa do Cinema Italiano 2020

Tudo Sobre a 8 1/2 Festa do Cinema Italiano 2018

Inspirada nos supermercados italianos dos anos 80, a vinheta deste ano (confira no topo desta matéria) foi filmada em uma verdadeira mercearia italiana, com referência a filmes clássicos italianos e produtos de grande consumo na Itália, e é protagonizada pela atriz Ana Vilaça. A atual programação conta com 10 filmes ao todo, marcada sobretudo por produções questionadoras e que propõem a reflexão e ruptura de paradigmas.

O filme de abertura desta edição será Ainda Temos o Amanhã”, de Paola Cortellesi. Um dos maiores sucessos de bilheteira da história recente do cinema italiano, ultrapassando, em receitas, blockbusters internacionais como “Barbie” e “Oppenheimer”, foi o filme mais visto na Itália em 2024, com mais de 5,4 milhões de espectadores. Um resultado extraordinário para o primeiro longa de Cortellesi, famosa pelas comédias que protagoniza, que retrata em “Ainda Temos o Amanhã”, a importância do papel das mulheres na democracia e as batalhas que elas tiveram de travar para se fazerem ouvir para conquistar seus próprios direitos. Destaque também para o longa de estreia da diretora Léa Todorov, Maria Montessori – Ensinando com Amor”. A produção traz um olhar inovador sobre sobre inclusão, respeito às diferenças e feminismo no início do século 20, ao se aprofundar no método criado pela pedagoga italiana Maria Montessori, pautado sobretudo na pedagogia do afeto, na liberdade e na autonomia da criança. O longa é protagonizado pela atriz Jasmine Trinca, que esteve na edição de 2023 no Brasil, como convidada do Festival. Ainda que com linguagem clássica, “Montessori” traz uma narrativa forte e contemporânea, que também revela o quanto as mulheres sempre tiveram de assumir seu próprio protagonismo para conquistar respeito e autonomia no mercado de trabalho, na pesquisa e na educação. 

Daniele Luchetti

Convidado de honra deste ano será o realizador Daniele Luchetti, um dos autores italianos mais relevantes da sua geração, com obras como “Meu Irmão é Filho Único”, “Laços” e “A Nossa Vida”. Luchetti virá ao Brasil para exibir seu último filme, “Segredos” (Confidenza), exibido com sucesso no Festival de Roterdã. Luchetti vem ao Brasil para participar de sessões e debates sobre o filme e seu trabalho em São Paulo e no Rio de Janeiro, nos dias 26 e 27, e nos dias 29 de junho e 1º de julho, respectivamente. 

Na quarta-feira, 26, o diretor participa de uma conversa intituladaEscrever para o cinema. Da literatura à tela” no Instituto Italiano de Cultura de São Paulo (IIC SP), às 19h, que integra a iniciativa “Fare Cinema”, semana dedicada ao cinema italiano realizada anualmente entre maio e junho. O bate-papo com Maurício Santana Dias, livre-docente em Letras Modernas na USP e tradutor, e com mediação de Margherita Marziali, vice-diretora do IIC SP. Na quinta-feira, 27, às 21h30, o diretor participa de sessão especial de “Segredos”,  seguida de bate-papo, no Espaço Augusta de Cinema.

No sábado, 29, às 21h10 o diretor participa de sessão especial de “Segredos” seguida de bate-papo, no Cinesystem Botafogo, no Rio de Janeiro. E na segunda-feira, 01/07, Luchetti participa de um bate-papo no Instituto Italiano de Cultura do Rio de Janeiro, às 18h30, também dentro da programação do Fare Cinema. O evento será mediado pela jornalista Claudia Lamego e pelo Diretor da Cinemateca do MAM, Hernani Heffner. Na ocasião, Luchetti, que é um dos cineastas mais prestigiados da Itália e famoso por sua habilidade de transpor a literatura para o cinema, vai conversar sobre os desafios de unir as duas artes. 

Entre outros projetos, como “Meu Irmão é Filho Único” e “Laços”, Luchetti é diretor da terceira temporada da série “A Amiga Genial”, baseada na aclamada obra de Elena Ferrante e produzida pela HBO. “Segredos” é mais uma parceria do cineasta com o escritor Domenico Starnone, que já contou com outras  adaptações de sucesso, como “La Scuola” e “Laços”, que capturam com maestria as complexidades das relações humanas e familiares.  

Protagonizada pelo ator Elio Germano, “Segredos” concorreu no festival de Roterdã e conta a história de Pietro (Elio Germano) e Teresa (Federica Rossellini), professor e ex-aluna que têm uma relação tão rica quanto conturbada. Um dia, decidem confessar segredos, em muitos casos obscuros, e o que era uma brincadeira nos leva a questionar profundamente sobre a natureza humana. Luchetti é um dos autores italianos mais relevantes da sua geração, com obras como Meu Irmão é Filho Único, Laços e A Nossa Vida.  

Uma das grandes provocações da programação do Festa 2024 fica a cargo de O Sequestro do Papa”, do sempre contundente Marco Bellocchio, que nos apresenta um olhar certeiro sobre a complexidade das relações entre o Estado e a Igreja, sob um viés de filme de horror. Exibido na competição oficial do Festival de Cannes e vencedor do Globo de Ouro italiano de melhor filme, o longa tece uma crítica ao moralismo católico e se baseia em uma história real, quando do menino judeu Edgardo Mortara, que foi tirado de sua família a mando do Papa Pio  após ter sido batizado pela empregada católica da casa, em Bolonha em 1858. 

Também integram a programação o longa A Imensidão”, de Emanuele Crialese, protagonizado por Penélope Cruz e pela garota Luana Giuliani, e indicado ao Leão de Ouro no Festival de Veneza de 2022. Com fortes tons autobiográficos, a história aborda questões de gênero vividas por um adolescente trans e representa muito bem o gênero coming-of-age. Escolhida entre testes que o Crialese realizou com meninas e garotas italianas apaixonadas por esportes famosos por serem “masculinos”, Luana participa de competições de motociclismo desde os quatro anos e é uma das promessas do esporte na Itália. Foi na postura, na determinação de Luana que Crialese encontrou a energia que precisava para a personagem de Adri, que enfrenta as questões de suas descobertas do primeiro amor, de sua identidade de gênero e sua orientação sexual ao mesmo tempo em que luta contra a presença de um pai tóxico e violento, principalmente na forma como trata a mãe, a doce Clara (Penélope Cruz). 

Estão confirmados também: Lubo”, de Giorgio Diritti, baseado no romance “Il seminatore”, de Mario Cavatore. Estrelado pelo ótimo Franz Rogowski, o longa conta uma história real, de um artista cigano que, na Suíça da Segunda Guerra, tem seus filhos levados pelo governo do país para um orfanato, pois “crianças não podiam viver na rua”, e que passa sua vida lutando para recuperá-los. Na lista, ainda o nada comum Enea”, do jovem Pietro Castellitto, que integrou a competição Oficial no Festival de Veneza 2023 e revela a novíssima e ousada geração do cinema italiano; Il Boemo”, de Petr Václav, A Última Noite de Amore”, de Andrea Di Stefano; e O Divino Zamora”, de Neri Marcorè, que marca a estreia do diretor no cinema e que é pedida certa para quem ama futebol, mas que vai emocionar principalmente quem não ama o esporte e vai descobrir nesta história a poesia e o prazer de apenas estar em campo, seja no de futebol ou seja no da vida.


FICHAS TÉCNICAS E SINOPSES DOS FILMES DA 8 ½ FESTA DO CINEMA ITALIANO 2024

Rapito
Cena do filme “O Sequestro do Papa” – LEIA AQUI A CRÍTICA DO FILME

“Segredos”, de Daniele Luchetti

(Confidenza) – Itália, 2023, 136’, thriller, drama, legenda português, M/16

Com: Elio Germano, Vittoria Puccini, Isabella Ferrari, Federica Rosellini, Pilar Fogliati. Inédito.

Em Segredos, Daniele Luchetti faz uma adaptação do romance do autor italiano Domenico Starnone. Com um enredo cheio de camadas, Segredos é o filme mais complexo e maduro de Daniele Luchetti. Pietro, 33 anos, é professor de uma escola na periferia de Roma, onde  é muito querido pelos alunos. Ele mantém um relacionamento com Teresa, sua ex-aluna 10 anos mais nova, uma  mulher brilhante, que adora testar os limites de Pietro. Em certa ocasião, ela propõe que eles confessem seus segredos mais obscuros, fazendo com que o rumo da relação mude completamente. Essa confissão vai uni-los e persegui-los para o resto de suas vidas. Elio Germano dá vida a Pietro, conseguindo traduzir a dualidade da consciência do personagem principal. O resultado é um filme que nos questiona e interroga profundamente sobre a natureza humana. Distribuição Brasileira: Risi Film Brasil

“O Sequestro do Papa”, de Marco Bellocchio

(Rapito) – Itália, França, Alemanha, 2023, 125’, drama, legenda português, M/14

Com: Paolo Pierobon, Fausto Russo Alesi, Enea Sala, Barbara Ronchi, Filippo Timi, Fabrizio Gifuni. Pré-estreia

Com “O Sequestro do Papa”, Bellocchio constrói uma obra íntima e política. Um filme de terror que tem como plano de fundo a “caridade” católica, que abala todas as noções preconcebidas. Apresentado na competição oficial no Festival de Cannes e vencedor do Globo de Ouro italiano de melhor filme, Bellocchio nos presenteia com um olhar rigoroso sobre a complexidade das relações entre o Estado e a Igreja. A história centra-se no caso verídico de Edgardo Mortara, uma criança judia de 6 anos que, em 1858, é levada da casa de sua família pelas autoridades do papa Pio IX. Edgardo foi batizado em segredo pela sua babá quando ainda era um bebê, fazendo com que ele fosse obrigado a receber uma educação católica. Rapito é um filme de violência não gráfica, mas hedionda, tornada ainda mais grotesca pelo sentido do direito moralista que está no centro de toda a opressão. Uma reconstrução perfeita da época, rica em detalhes, que nos faz mergulhar em um mundo controlado por um poder temporal onipresente. Distribuição Brasileira: Pandora Filmes

“Enea”, de Pietro Castellitto

(Enea) – Itália, 2023, 117’, comédia, legenda português, M/14

Com: Pietro Castellitto, Benedetta Porcaroli, Giorgio Quarzo Guarascio,, Chiara Noschese. Pré-estreia.

Uma história de amor e amizade que ousa voar alto, tal como o seu protagonista. Sobrevoando abismos existenciais, equilibrando-se na corda bamba de um realismo que parece desafiar as convenções do cinema ao flertar ora com o surreal, ora com o grotesco. Pietro Castellitto descreve com maestria um meio social que conhece bem e sobre o qual aplica uma variedade de estratégias narrativas, por vezes extremas e imprudentes, mas sempre coerentes com a sua visão de cinema claramente inspirada na obra de Paolo Sorrentino. “Enea” é um filme de gangsters sem gangsters. Uma história de gênero que transcende categorias. A droga e o submundo são apenas a sombra invisível de uma história que fala de outra coisa: um pai melancólico, um irmão que enfrenta conflitos na escola, uma mãe derrotada pelo amor e uma mulher belíssima. No entrelaçar das fissuras do cotidiano, desenrola-se a aventura de Enea e Valentino, que para os outros parecerá criminosa, mas que para eles é e será, sobretudo, uma aventura de amizade e de amor. Apresentado em Competição Oficial no Festival de Veneza. Distribuição Brasileira: Pandora Filmes

“Ainda Temos o Amanhã”, de Paola Cortellesi

(C’è Ancora Domani) – Itália, 2023, 118’, drama, legenda português, M/14

Com: Paola Cortellesi, Valerio Mastandrea, Romana Maggiore Vergano. Pré-estreia

Em seu filme de estreia como diretora, Paola Cortellesi conta uma história surpreendente, original e transcendental que entra com o pé direito no Olimpo do cinema italiano. Um dos maiores sucessos de bilheteira da história recente do cinema italiano, superando até o fenômeno Barbie, Paola Cortellesi narra com leveza e maestria a história de Delia, esposa de Ivano e mãe de três filhos. Ela aceita a vida que lhe foi destinada – esposa e mãe -, no entanto, a chegada de uma carta misteriosa desperta a sua coragem para desafiar o destino e imaginar um futuro melhor, não apenas para si mesma. Unindo a comédia italiana a um neorrealismo pop, Cortellesi surpreende, inova e emociona ao prestar um tributo aos feitos extraordinários de muitas mulheres comuns que, sem suspeitarem, contribuíram para a construção de uma sociedade mais igualitária. Distribuição Brasileira: Pandora Filmes

“A Última Noite de Amore”, de Andrea Di Stefano

(L’ultima notte di Amore) – Itália, 2023, 131’, drama, legenda português, M/16

Com: Pierfrancesco Favino, Linda Caridi, Antonio Gerardi, Francesco Di Leva. Pré-estreia.

Franco Amore (Pierfrancesco Favino) é um tenente da polícia italiana. A última noite de sua carreira de 35 anos será a mais longa e difícil de toda a sua carreira devido ao assassinato de seu amigo Dino. De repente, ele questiona tudo, desde seus entes queridos mais próximos até sua própria vida. Distribuição Brasileira: Pandora Filmes

“Maria Montessori – Ensinando com Amor”, de Léa Todorov

(Maria Montessori (La Nouvelle Femme)) – França, Itália, 2023, 114’, drama, legenda português, M/18

Com: Jasmine Trinca, Leila Bekhti, Rafaelle Sonneville-Caby, Raffaele Esposito. Inédito

Léa Todorov lança luz sobre o método Montessori em seu primeiro longa-metragem. Um trabalho inovador sobre inclusão, respeito às diferenças e feminismo no início do século XX. Estamos em 1900. Lili d’Aengy, uma “coquete” parisiense no auge do seu esplendor, foge de Paris para esconder a sua filha. Ao chegar a Roma, a sua vida muda drasticamente após o encontro com uma professora que implementou um novo e revolucionário método educativo para crianças com dificuldades de aprendizagem: Maria Montessori. No entanto, esta mulher vanguardista que pretende personificar publicamente a “mulher nova”, uma mulher moderna e emancipada, deve pagar um preço muito alto: uma maternidade fora do casamento e escondida, que irá forçá-la a fazer uma escolha muito dolorosa: o seu filho ou o seu destino? As duas mulheres irão conquistar  o seu lugar no mundo dos homens e fazer História. Um filme de época, cujos temas gerais permanecem atuais, incluindo o frágil desejo de superar a vergonha social associada à diferença. Distribuição Brasileira: Encripta

“A Imensidão”, de Emanuele Crialese

(L’Immensità) – Itália, França, 2022, 94’,, drama, legenda português, M/14

Com: Penélope Cruz, Vincenzo Amato, Luana Giuliani, Patrizio Francioni. Pré-estreia

Adri, treze anos, questiona a sua identidade de gênero. Clara, sua mãe, luta contra os seus demônios em silêncio. Esta é uma história de amor. Indicado ao Leão de Ouro no Festival de Veneza e ambientado na Roma dos anos 70, o filme é contado sob a perspectiva de Adri, adolescente em plena metamorfose, para nos falar de uma família à beira da ruptura. Com  inspiração autobiográfica e valorizado pela brilhante atuação de Penélope Cruz, um coming-of-age repleto de nuances e momentos de puro e delirante escapismo. Distribuição Brasileira: Encripta

“Lubo”, de Giorgio Diritti

(Lubo) – Itália, Suíça, 2023, 175’, drama, legenda português, M/12

Com: Franz Rogowski, Christophe Sermet, Valentina Bellè, Noemi Besedes, Cecilia Steiner, Joel Basman. Pré-estreia

“Lubo” se passa na Suíça, no inverno de 1939. O jovem Lubo, descendente de nômades Yenish, é convocado para o serviço militar no exército suíço para proteger a fronteira. Logo se junta a seu primo que lhe conta que a polícia levou seus filhos, por serem descendentes de ciganos, de acordo com o programa nacional governado pelos princípios da eugenia, que ganharam espaço na Europa nos anos trinta. Lubo embarca em uma vingança com repercussões inesperadas, obrigando-o a repensar os limites entre o bem e o mal. Baseado no romance “Il seminatore” de Mario Cavatore. Distribuição Brasileira: Imovision

“O Divino Zamora”, de Neri Marcorè

(Zamora) – Itália, 2024, 100’, comédia, legenda português, M/12

Com: Ale, Giuseppe Antignati, Antonio Catania. Pré-estreia

“O Divino Zamora” marca a estreia na direção de Neri Marcorè, que também atua dentro de um rico elenco incluindo ainda Giovanni Storti e Giacomo Poretti do trio Aldo, Giovanni e Giacomo. Walter Vismara, de trinta anos, adora levar uma vida organizada e sem surpresas: trabalha como contador em uma pequena fábrica em Vigevano. De um dia para o outro a fábrica fecha e Vismara vê-se lançado para uma empresa futurista na vital e laboriosa Milão, a serviço de um empresário moderno e brilhante, Cavaliere Tosetto. Distribuição Brasileira: Zeta Films

“II Boemo”, de Petr Václav

(Il Boemo) – República Checa, Itália, Eslováquia, 2022, 140’, drama, legenda português, M/18

Com: Vojtech Dyk, Elena Radonicich, Barbara Ronchi, Lana Vlady, Mirko Ciccariello. Pré-estreia

A vida, a arte e os amores de Josef Mysliveček, “o Boêmio”, figura de destaque na música do século XVIII, aclamado na sua época e posteriormente ofuscado pelo brilho intenso de Wolfgang Amadeus Mozart. Com base nos poucos documentos existentes e baseando-se na sua própria imaginação, o diretor mergulha nas águas turvas do século da libertinagem erudita e da monarquia absoluta em decadência. Entre espetáculos de ópera e majestosos palácios italianos, a criação e a promiscuidade andam de mãos dadas, através de uma direção que faz lembrar o estilo pitoresco e opulento de Garrone em “O Conto dos Contos”. Distribuição Brasileira: Bonfilm

8 ½ Festa do Cinema Italiano 2024

SERVIÇO

O 8 ½ Festa do Cinema Italiano é uma realização do Ministério da Cultura, da Associação Il Sorpasso e da Risi Film Brasil, com o apoio e promoção dos Institutos Italianos de Cultura do Rio de Janeiro e de São Paulo, com o suporte institucional da Embaixada da Itália e da rede diplomático-consular italiana no Brasil e da Cinecittà. A organização logística é da Bonfilm. Além dos parceiros institucionais, desde 2020 o evento é realizado com o patrocínio principal da Generali Seguros e, pela primeira vez em 2024, através da Lei de Incentivo à Cultura. A Generali Seguros é a primeira seguradora estrangeira a chegar ao Brasil, há 99 anos, e integra o Grupo Generali, maior companhia de seguros da Itália e uma das maiores da Europa, presente em cerca de 50 países.

Em 2024, o Festival também conta com os parceiros de mídia Canal Curta!, Papo de Cinema e Revista Comunità Italiana

A 8 ½ Festa do Cinema Italiano conta com a luxuosa assessoria de imprensa, orquestrada por Flávia Guerra e Anna Horta. 

Data: 27 de junho a 3 de julho

Cidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Vitória, Salvador, Fortaleza, Recife, Porto Alegre, Curitiba, Florianópolis, Caxias do Sul, Camaquã, Maceió, Belém, Natal, Aracaju, Niterói e Ribeirão Preto.

Data: de 28 de junho a 5 de julho

Cidade: Volta Redonda

Data:  de  1º a 7 de julho

Cidade: João Pessoa

Pix Vertentes do Cinema

Deixe uma resposta