Shaun, o Carneiro, o Filme: A Fazenda Contra-Ataca

Carismático, novamente

Por Vitor Velloso

Netflix

As animações indicadas ao Oscar costumam reservar surpresas, positivas e negativas. “Shaun, O carneiro, O Filme: A Fazenda Contra-Ataca” de Richard Phelan e Will Becher, apesar de já causar preguiça no imenso título, é uma agradável exibição de um projeto que consegue provocar algumas risadas por criar uma composição cômica expositiva visual, sem tornar o exercício didático uma preguiça regular. 

O longa consegue divertir, a partir de sua falta de diálogos, situações absurdas e um ritmo que não deixa a peteca cair. A narrativa segue como um exagero total, onde alienígenas dividem tela com ovelhas, cachorros e pessoas movidas por dinheiro. Essa confusão generalizada, é palco para quase noventa minutos de cenas isoladas que estão ali para dinamizar uma trama que não encontra grandes momentos, mas pode provocar algumas risadas. A intenção do entretenimento prosaico se mostra efetiva e consegue viabilizar um projeto que é a “continuação” do filme de 2015, com menos esmero. O longa anterior era absolutamente divertido e foi uma das melhores opções de divertimento daquela edição.

A película de 2019, acaba se adaptando para ser mais viável industrialmente e conseguir uma expansão de cifras. Contudo, parte do charme se mantém e a estrutura se convenciona entre a fórmula e o aconchego do stop-motion e a ausência de diálogos. “Shaun, O Carneiro, O Filme: A Fazenda Contra-Ataca” é um longa que possui um público alvo imediato, construindo cada cena mirando um divertimento fugaz. Se os breves devaneios de alienígenas não são o suficiente para criar estímulos visuais, a linguagem unifica a unidade da animação com a movimentação interna da obra. A trama paralela, que envolve um órgão que está atrás do Óvni, serve como escape direto para uma transa estética que vai da multiplicação de perspectivas ao convite ao drama prolongado que formalizou uma vilã mal resolvida. 

Algumas dessas exposições possuem força para movimentar a narrativa para campos distintos, versatilizando o filme e dialogando com as frentes distintas. Não à toa, a montagem não se confunde nas prioridades. Apesar de uma grande quantidade de histórias simultâneas, essa suposta complexidade é diluída por uma mimesis imagética que traduz cada uma das camadas do humor em uma animação que é expositiva, sem ser um desenho explícito de alienação. E por essa questão, que quase dialoga com uma inocência, o longa de nome excessivamente extenso é um dos mais carismáticos da atual edição do Oscar, mesmo tendo chances reduzidas de levar o prêmio. 

De maneira consciente, o projeto persegue uma unidade dramática marcada pela fragmentação cômica, sem perder o eixo que articula uma base sólida para desenvolver seus personagens, em especial os humanos. Essa maneira de construir a narrativa é pautada nesses diversos núcleos, ligados pela relação entre os protagonistas. O arco é simples, mas tão sólido que faz o espectador ignorar alguns deslizes de “Shaun, O Carneiro, O Filme: A Fazenda Contra-Ataca”, em especial na medida em que força algumas razões cômicas no eixo das ovelhas que constroem o parque. Existe neste momento, uma perda de ritmo por escolhas que priorizam a segmentação das cenas para dinamizar, o efeito acaba sendo o contrário. 

De todo modo, é difícil não deixar algum sorriso escapar aqui, tendo em mente o público alvo da obra. Porém, essa relação de idade acaba explicitando algumas barreiras na compreensão de determinadas piadas, carregadas de ambiguidades expositivas, mas que podem gerar outro escape cômico. 

O espectador que se debruçar no entretenimento do indicado ao Oscar, pode conseguir um  bom momento no conforto de casa, mas sem surpresas espetaculares. Ainda sendo um belo programa de família, falta a magia que poderia cativar um público de maneira mais assídua para acompanhar não apenas o filme de 2019, mas o de 2015. Essa falta de encanto acaba custando alguns preconceitos para um longa que se destaca mais que alguns dos indicados. 

Virando uma longa franquia ou não, Shaun vem sendo divertido de se acompanhar.

Trailer

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *