Fernando Meirelles, nasceu em São Paulo, 9 de novembro de 1955, é um cineasta, produtor e roteirista, que ganhou notoriedade internacional com o filme “Cidade de Deus” (2002), pelo qual foi indicado ao Oscar de Melhor Diretor em 2004. Posteriormente, passou a dirigir filmes de cunho internacional como “O Jardineiro Fiel” (2005), baseado no romance homônimo de John Le Carré e pelo qual foi indicado ao Globo de Ouro de Melhor Diretor; e “Ensaio sobre a Cegueira” (2008), baseado no romance homônimo de José Saramago. Apresenta o seu novo projeto, “José & Pilar”.

VC: Você escolhe os filmes baseando-se na crítica?
FM: Eu me baseio na opinião de amigos, na resenhazinha, no diretor, no elenco, crítica, de vez em quando entra no bolo sim. A crítica pesa, mas não decide. Um dado a mais. E depende do crítico. Alguns dizem que o filme é ótimo, eu não vou. Mas tem crítico que tem gosto parecido com o meu. Eu sigo alguns.
VC: Como funciona a sua escolha: pelo todo ou prefere elementos cinematográficos (roteiro, fotografia etc.)?
FM: É sempre a história (roteiro) e diretor. Se o filme for do Paul Thomas Anderson, por exemplo, eu vou ver.
VC: Qual foi o último filme que assistiu no cinema?
FM: Eu tô escolhendo um elenco russo, então o último que vi foi “Paraíso na Terra” (Heaven on Earth), de Pyotr Buslov, um filme russo, já que o próximo projeto, eu vou trabalhar com Aleksandr Golubev, o ator do filme que interpreta Kolya. No Festival, eu tenho uma lista imensa que eu quero ver, mas não vou poder, porque estou viajando. Talvez “Somewhere”, da Sophia, que ganhou Veneza.
VC: OBRIGADO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *