Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2019

A Cerimônia de Premiação

Por Fabricio Duque

Assim como as edições anteriores, o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, que chega aos dezoitos anos, a idade adulta, busca prestigiar e enaltecer nosso cinema nacional. É considerado e equiparado ao Oscar da indústria americana. Sim, toda e qualquer premiação é um reconhecimento de destaque que estimula a competição entre as grandes produtoras.

Se na América, a veterana estatueta dourada com seus noventa e um anos engloba vinte e quatro prêmios distribuídos, aqui, no Brasil, nosso troféu que homenageia o ator Grande Otelo, categoriza trinta e três (incluindo melhor série – mais próximo digamos do Globo de Ouro), tanto que na cerimônia de abertura que aconteceu na quarta-feira, 14 de agosto de 2019, no Theatro Municipal de São Paulo, a informação gerou risos na plateia.

Inevitavelmente e de lógico temporal, toda cerimônia demora. Esta não poderia ser diferente com sua duração de três horas e quarenta minutos. Foi bonita? Sim. Principalmente por suas homenagens a profissionais do cinema e a seus filmes. E discursos que, mesmo com a intervenção da música-alerta ao corte, se rebelaram a continuar (transgredindo o protocolo para eternizar suas ideias e posicionamentos).

o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro é organizado pela Academia Brasileira de Cinema, a ABC, “um instrumento de celebração da qualidade do cinema brasileiro e mais um veículo de promoção e preservação que irá, sem dúvida, reforçar as alianças entre aqueles que fazem do nosso cinema uma arte maior”, disse Luiz Antonio Viana – Fundador e primeiro presidente da Academia.

No palco do evento deste ano, o presidente atual, Jorge Peregrino, disse que “encontrou as portas abertas de São Paulo e sua efervescência cultural”, sobre o evento precisar ser transferido à terra da garoa, que no dia não choveu uma gota sequer (mas o vento estava digno de um típico dia de inverno europeu). “Mesmo com o cinema crescendo, estamos sob ataque por falta de informação”, complementou e rebateu as propostas do Jair Bolsonaro em extinguir empresas do audiovisual. E a cada frase de luta, o público presente gritava palavras de ordem, como “Fora Bolsonaro!” e “Viva a cultura!”.

Tudo foi reverberado e corroborado pelos discursos posteriores de Laís Bodanzky (que informou novidades da São Paulo Film Commission em trazer o ator Keanu Reeves para filmar uma série no Brasil e a pré-estreia “neste Theatro Municipal” de “A Vida Invisível de Eurídice Gusmão”, de Karim Aïnouz, que foi exibido recentemente na mostra Un Certain Regard do Festival de Cannes, saindo vitorioso com o prêmio de Melhor Filme); e com a fala de Sérgio de Sá Leitão (“Um cinema cada vez mais forte e mais plural; Cinema é diversidade, uma amálgama de cores, raças e religiões” – ainda que tenha saído do palco com algumas vaias. E com o discurso do prefeito da cidade, Bruno Covas, que disse “Não permitimos nenhum tipo de filtro, porque filtro na cultura tem nome de censura”. Sim, nós também descobrimos que há sim uma enraizada politização em São Paulo.

Uma das sacadas da narrativa da cerimônia foi o recurso de homenagear filmes que estão referenciados dentro de filmes. Criando um loop infinito de amor e cuidado ao Cinema Brasileiro, como “o sertão vai virar mar e o mar, sertão” de “Deus e o Diabo na Terra do Sol”, de Glauber Rocha, em “Cinema de Lágrimas” (1985), de Nelson Pereira dos Santos. E homenagem a Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, dos guerreiros Ricardo Cota e Hernani Heffner; ao “jeca tatu” Amácio Mazzaropi; à atriz-diretora Helena Ignez por Ney Matogrosso; a “Dama do Lotação”, de Neville de Almeida, e “Brasil ano 2000”, de Walter Lima Jr., por Caetano Velloso; a “Vai Trabalhar Vagabundo”, de Hugo Carvana, com Chico Buarque; Cacá Diegues e “Tieta do Agreste” (“um filme musical narrado”); a “Um Céu de Estrelas”, de Tata Amaral, com Gilberto Gil; a Milton Nascimento e seu “Coração de Estudante” (nome de uma flor conhecida em Minas Gerais); a “Menino e o Mundo”, de Alê Abreu; e homenagem-reverência a Domingos de Oliveira.

OS VENCEDORES DO
GRANDE PRÊMIO DO CINEMA BRASILEIRO 2019

(filme premiado em negrito e com o link da crítica do Vertentes do Cinema)

#01 MELHOR LONGA-METRAGEM FICÇÃO

A VOZ DO SILÊNCIO de André Ristum. Produção: André Ristum por Sombumbo, Pablo Torrecillas e Rodrigo Castellar por TC Filmes
BENZINHO de Gustavo Pizzi. Produção: Tatiana Leite por Bubbles Project, Gustavo Pizzi por Baleia Filmes, Agustina Chiarino Voulminot e Fernando Epstein por Mutante Cine, Roberto Berliner e Rodrigo Letier por TvZero
CHACRINHA: O VELHO GUERREIRO de Andrucha Waddington. Produção: Angelo Salvetti, Cosimo Valerio, Altino Pavan por Media Bridge e Andrucha Waddington
O GRANDE CIRCO MÍSTICO de Carlos Diegues. Produção: Renata Almeida Magalhães por Luz Mágica produções
O PACIENTE: O CASO TANCREDO NEVES de Sergio Rezende. Produção: Mariza Leão por Morena Filmes

#02 MELHOR LONGA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO

A LUTA DO SÉCULO de Sérgio Machado. Produção: Eliane Ferreira por Muiraquitã Filmes, Joana Mariani por Mar Filmes, Diana Gurgel por Ondina Filmes, Lázaro Ramos e Tânia Rocha por Lata Filmes
EX PAJÉ de Luiz Bolognesi. Produção: Caio Gullane e Fabiano Gullane por Gullane e Laís Bodanzky e Luiz Bolognesi por Buriti Filmes
MY NAME IS NOW, ELZA SOARES de Elizabete Martins Campos. Produção: Elizabete Martins Campos e Tatiana Tonucci por IT Filmes, Comunicação e Entretenimento Ltda.
O PROCESSO de Maria Augusta Ramos. Produção: Maria Augusta Ramos por Nofoco Filmes
TODOS OS PAULOS DO MUNDO de Gustavo Ribeiro e Rodrigo de Oliveira. Produção: Vania Catani por Bananeiras Filmes

#03 MELHOR LONGA-METRAGEM INFANTIL

DETETIVES DO PRÉDIO AZUL 2 – O MISTÉRIO ITALIANO de Viviane Jundi. Produção: Marcio Fraccaroli, Sandi Adamiu e André Fraccaroli por Paris Entretenimento
O COLAR DE CORALINA de Reginaldo Gontijo. Produção: Reginaldo Gontijo por Digitalina Produção de Filme e Niria Cleire Pereira Dias por LV Produção de Distribuição ltda

#04 MELHOR LONGA-METRAGEM COMÉDIA

MINHA VIDA EM MARTE de Susana Garcia. Produção: Luiz Noronha por A Fábrica Entretenimento
MULHERES ALTERADAS de Luis Pinheiro. Produção: Andrea Barata Ribeiro e Bel Berlinck por O2 Filmes
NÃO SE ACEITAM DEVOLUÇÕES de André Moraes Torres. Produção: Marcos Didonet, Vilma Lustosa e Walkiria Barbosa por Total Entertainment
OS FAROFEIROS de Roberto Santucci. Produção: André Carreira por Camisa Listrada e Roberto Santucci por Panorama Filmes
TODAS AS RAZÕES PARA ESQUECER de Pedro Coutinho. Produção: Heitor Dhalia e Egisto Betti por Paranoid Filmes
UMA QUASE DUPLA de Marcus Baldini. Produção: Bianca Villar, Fernando Fraiha e Karen Castanho por Biônica Filmes, Marcio Fraccaroli e Sandi Adamiu por Paris Entretenimento

#05 MELHOR DIREÇÃO

ALY MURITIBA por Ferrugem
ANDRUCHA WADDINGTON por Chacrinha: O Velho Guerreiro
CAROLINA JABOR por Aos Teus Olhos
GABRIELA AMARAL ALMEIDA por O Animal Cordial
GUSTAVO PIZZI por Benzinho

#06 MELHOR ATRIZ

ADRIANA ESTEVES como MARIA por Canastra Suja
DÉBORA FALABELLA como SELMINHA por O Beijo no Asfalto
GRACE PASSÔ como GLORIA por Praça Paris
KARINE TELES como IRENE por Benzinho
MARJORIE ESTIANO como ANA por As Boas Maneiras

#07 MELHOR ATOR

DANIEL DE OLIVEIRA como EDER JOFRE por 10 Segundos para Vencer
LÁZARO RAMOS como ARANDIR por O Beijo no Asfalto
MURILO BENÍCIO como INÁCIO por O Animal Cordial
OTÁVIO MÜLLER como KLAUS por Benzinho
OTHON BASTOS como TANCREDO NEVES por O Paciente: O Caso Tancredo Neves
STEPAN NERCESSIAN como CHACRINHA por Chacrinha: O Velho Guerreiro

#08 MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

ADRIANA ESTEVES como SÔNIA por Benzinho
FERNANDA MONTENEGRO como DONA MATILDE por O Beijo no Asfalto
GILDA NOMACCE como GILDA por As Boas Maneiras
LAURA CARDOSO como POCARU por Encantados
MARJORIE ESTIANO como MILENE por Paraiso Perdido
SANDRA CORVELONI como ANGELINA por 10 Segundos para Vencer

#09 MELHOR ATOR COADJUVANTE

AILTON GRAÇA como JOÃO HANEMMAN por Mare Nostrum
ENRIQUE DIAZ como DAVI por Ferrugem
MATHEUS NACHTERGAELE como LUCIANO por O Nome da Morte
MILHEM CORTAZ como CELSO por Canastra Suja
OTÁVIO MÜLLER como AMADO RIBEIRO por O Beijo no Asfalto
OTÁVIO MÜLLER como DR. RENAULT por O Paciente: O Caso Tancredo Neves

#10 MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA

FERNANDO YOUNG por Chacrinha: O Velho Guerreiro
GUSTAVO HADBA, ABC, por Motorrad
GUSTAVO HADBA, ABC, por O Grande Circo Místico
LULA CARVALHO, ASC/ABC, por 10 Segundos para Vencer
MAURO PINHEIRO JR por Unicórnio
WALTER CARVALHO, ABC, por O Beijo no Asfalto

#11 MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

ALY MURITIBA e JESSICA CANDAL por Ferrugem
ANDRÉ RISTUM por A Voz do Silêncio
CLAUDIO PAIVA, JULIA SPADACCINI e CARLA FAOUR por Chacrinha: O Velho Guerreiro
GABRIELA AMARAL ALMEIDA por O Animal Cordial
JULIANA ROJAS e MARCO DUTRA por As Boas Maneiras
KARINE TELES e GUSTAVO PIZZI por Benzinho

#12 MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

CARLOS DIEGUES e GEORGE MOURA inspirado no poema “O Grande Circo Místico”, de Jorge de Lima por O Grande Circo Místico
FELIPE HIRSCH Baseado no livro “Severina”, de Rodrigo Rey Rosa por Severina
GUSTAVO LIPSZTEIN adaptado da obra “O Paciente, o caso Tancredo Neves”, de Luis Mir por O Paciente: O Caso Tancredo Neves
JORGE FURTADO, ANA LUIZA AZEVEDO e VICENTE MORENO adaptado da obra “Rasga Coração”, de Oduvaldo Vianna Filho por Rasga Coração
MURILO BENÍCIO adaptado da obra “O Beijo no Asfalto”, de Nelson Rodrigues por O Beijo no Asfalto

#13 MELHOR DIREÇÃO DE ARTE

ANDRÉ WELLER por Unicórnio
ARTUR PINHEIRO por O Grande Circo Místico
DINA SALEM LEVY por Benzinho
MARCOS FLAKSMAN por O Paciente: O Caso Tancredo Neves
RAFAEL TARGAT por Chacrinha: O Velho Guerreiro

#14 MELHOR FIGURINO

DIANA LESTE por Benzinho
FLÁVIA LHACER por O Doutrinador – O Filme
KIKA LOPES por O Grande Circo Místico
KIKA LOPES por O Paciente: O Caso Tancredo Neves
MARCELO PIES por 10 Segundos para Vencer
MARCELO PIES por Chacrinha: O Velho Guerreiro

#15 MELHOR MAQUIAGEM

ADRIANO MANQUES por O Paciente: O Caso Tancredo Neves
ANDRÉ ANASTÁCIO por O Animal Cordial
CATHERINE LEBLANC CARAES e EMMANUELLE FÈVRE por O Grande Circo Místico
MARLENE MOURA E JULIANA MENDES por Chacrinha: O Velho Guerreiro
MARTÍN MACÍAS TRUJILLO por 10 Segundos para Vencer

#16 MELHOR EFEITO VISUAL

CLAUDIO PERALTA por Chacrinha: O Velho Guerreiro
CYRILLE BONJEAN, GUILHERME RAMALHO, HUGO GURGEL, GUILLAUME CASTAGNÉ, NICOLAS HERLIN e EDUARDO SCHAAL por As Boas Maneiras
MARCELO SIQUEIRA, ABC e THIERRY DELOBEL por O Grande Circo Místico
MARCELO SIQUEIRA, ABC, por Motorrad
MARCO PRADO por O Doutrinador – O Filme

#17 MELHOR MONTAGEM FICÇÃO

GUSTAVO GIANI por A Voz do Silêncio
IDÊ LACRETA por O Animal Cordial
LIVIA SERPA por Benzinho
LUCAS GONZAGA por Motorrad
MAIR TAVARES e DANIEL GARCIA por O Grande Circo Místico
THIAGO LIMA por Chacrinha: O Velho Guerreiro

#18 MELHOR MONTAGEM DOCUMENTÁRIO

GUSTAVO RIBEIRO e RODRIGO DE OLIVEIRA por Todos os Paulos do Mundo
KAREN AKERMAN por O Processo
KAREN HARLEY por Hilda Hilst pede Contato
LORENA ORTIZ e PABLO PANIAGUA por My Name is Now, Elza Soares
NATARA NEY por A Última Abolição
RICARDO FARIAS por Ex Pajé
YAN MOTTA por Soldados do Araguaia

#19 MELHOR SOM

CHRISTOPHE PENCHENAT, A.F.S.I, SIMONE PETRILLO e EMMANUEL CROSET por O Grande Circo Místico
GABRIELA CUNHA, BERNARDO UZEDA e CHRISTOPHE VINGTRINIER por As Boas Maneiras
GABRIELA CUNHA, DANIEL TURINI e FERNANDO HENNA por O Animal Cordial
GEORGE SALDANHA, ROBERTO FERRAZ e ANDRE TADEU por Legalize Já – A Amizade Nunca Morre
JORGE REZENDE, EDUARDO HAMERSCHLAK, ALAN ZILLI e ARMANDO TORRES JR, ABC, por O Doutrinador – O Filme
JORGE SALDANHA, ARMANDO TORRES JR, ABC, ALESSANDRO LAROCA, EDUARDO VIRMOND LIMA e RENAN DEODATO por Chacrinha: O Velho Guerreiro

#20 MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL

ANTONIO PINTO por Chacrinha: O Velho Guerreiro
ANTONIO PINTO por O Banquete
BERNA CEPPAS por 10 Segundos para Vencer
EDU LOBO por O Grande Circo Místico
ELZA SOARES e ALEXANDRE MARTINS por My Name is Now, Elza Soares

#21 MELHOR TRILHA SONORA

FABIO GÓES por Detetives do Prédio Azul 2 O Mistério Italiano
FREJAT, LEONI e VINICIUS CANTUÁRIA por Intimidade entre Estranhos
MARIA GADÚ por Todas as Canções de Amor
MAURICIO NADER por Rasga Coração
SINAI SGANZERLA por O Desmonte do Monte
YAN MOTTA por Soldados do Araguaia
ZECA BALEIRO por Paraiso Perdido

#22 MELHOR LONGA METRAGEM ESTRANGEIRO

A FORMA DA ÁGUA/The Shapeof Water (EUA), dirigido por Guillermo del Toro. Distribuição: Fox Filmes
BOHEMIAN RHAPSODY/Bohemian Rhapsody (EUA), dirigido por Bryan Singer. Distribuição: Fox Filmes
EU, TONYA/I’ Tonya (EUA), dirigido por Craig Gillespie. Distribuição: Califórnia Filmes
INFILTRADO NA KLAN/ Blackkklansman (EUA), dirigido por Spike Lee. Distribuição: Universal Pictures
ME CHAME PELO SEU NOME/ Call me by Your Name (EUA), dirigido por Luca Guadagnino. Distribuição: Sony Pictures
NASCE UMA ESTRELA/A Star is Born (EUA), dirigido por Bradley Cooper. Distribuição: Warner Bros
THE SQUARE – ARTE DA DISCÓRDIA/The Square (Suécia, Alemanha, França, Dinamarca), dirigido por Ruben Östlund. Distribuição: Pandora Filmes
TRÊS ANÚNCIOS PARA UM CRIME/ Three Bilboards Outside Missouri (EUA), dirigido por Martin McDonagh. Distribuição: Fox Filmes

#23 MELHOR LONGA METRAGEM IBERO-AMERICANO

A NOIVA DO DESERTO/La Novia Del Desierto (Argentina), dirigido por Cecilia Atán e Valeria Pivato. Distribuição: Imovision
ALGUÉM COMO EU (Brasil, Portugal), dirigido por Leonel Vieira. Distribuição: Paris Filmes
AS HERDEIRAS/ Las Herederas (Paraguai, Alemanha, Brasil, Uruguai, Noruega, França), dirigido por Marcelo Martinessi. Distribuição: Imovision
CACHORROS/Los Perros (Chile), dirigido por Marcela Said. Distribuição: Imovision
UMA NOITE DE 12 ANOS/La Noche de 12 Años (Argentina, Espanha, Uruguai), dirigido por Álvaro Brechner. Distribuição: Vitrine Filmes

#MELHOR LONGA-METRAGEM DE ANIMAÇÃO – MENÇÃO HONROSA 

PEIXONATA – O FILME, de Célia Catunda, Kiko Mistrorigo e Rodrigo Eba

#24 MELHOR CURTA-METRAGEM ANIMAÇÃO

AQUÁRIO de Alice Andreoli Hirata
GUAXUMA de Nara Normande
LÉ COM CRÉ de Cassandra Reis
O MALABARISTA de Iuri Moreno
SOBRE A GENTE de Alunos do Projeto Animação

#25 MELHOR CURTA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO

AZUL VAZANTE de Júlia Alquéres
COPACABANA AUSCHWITZ de Jaiê Saavedra
COR DE PELE de Livia Perini
MARÉ de Amaranta Cesar
UM CORPO FEMININO de Thais Fernandes

#26 MELHOR CURTA-METRAGEM FICÇÃO

ADEUS À CARNE de Julia Anquier
NOVA IORQUE de Leo Tabosa
O MENINO PÁSSARO de Diogo Leite
O ÓRFÃO de Carolina Markowicz
PERIPATÉTICO de Jessica Queiroz

#27 MELHOR SÉRIE BRASILEIRA DE ANIMAÇÃO DE PRODUÇÃO INDEPENDENTE, PARA TV FECHADA OU PLATAFORMA OTT

BORIS E RUFUS, produzido por Belli Studio
CUPCAKE E DINO: SERVIÇOS GERAIS, produzido por Birbo
IRMÃO DO JOREL, produzido por Copa Studio
VIVI VIRAVENTO, produzido por Mixer
O SHOW DA LUNA! 4º TEMPORADA, produzido por PinGuim Content

#28 MELHOR SÉRIE BRASILEIRA DE DOCUMENTÁRIO DE PRODUÇÃO INDEPENDENTE, PARA TV FECHADA OU PLATAFORMA OTT

AEROPORTO – ÁREA RESTRITA 2º TEMPORADA, produzido por Moonshot
ARQUITETOS, produzido por Grifa Filmes
DE CARONA COM OS ÓVNIS, produzido por Clip Produtora
INHOTIM – ARTE PRESENTE, produzido por Camisa Listrada e Quarteto Filmes
MIL DIAS – A SAGA DA CONSTRUÇÃO DE BRASÍLIA, produzido por Cinegroup

#29 MELHOR SÉRIE BRASILEIRA DE FICÇÃO DE PRODUÇÃO INDEPENDENTE, PARA TV FECHADA OU PLATAFORMA OTT

A LEI DO RISO – CRIMES BIZARROS, produzido por Movioca
ESCOLA DE GÊNIOS 1ª TEMPORADA, produzido por Mixer
MOSTRA TUA CARA!, produzido por Aldeia Produções
NATÁLIA 2ª TEMPORADA,  produzido por Academia de Filmes
Z4, produzido por Formata Produções

#30 MELHOR LONGA-METRAGEM FICÇÃO – VOTO POPULAR 

CHACRINHA: O VELHO GUERREIRO de Andrucha Waddington

#31 MELHOR LONGA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO – VOTO POPULAR 

MY NAME IS NOW, ELZA SOARES, de Elizabete Martins Campos 

#32 MELHOR LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO – VOTO POPULAR 

NASCE UMA ESTRELA/A Star is Born (EUA), de Bradley Cooper 

#33 MELHOR LONGA-METRAGEM IBERO-AMERICANO – VOTO POPULAR 

UMA NOITE DE 12 ANOS/La Noche de 12 Años (Argentina, Espanha, Uruguai), de Álvaro Brechner 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *