Os Melhores do Vertentes 2018: Top 10 de Pedro Guedes

Facebook
Twitter
WhatsApp
Pinterest
LinkedIn


Trilha-sonora que marcou o ano de 2018 e que embala esta lista de Melhores:

“Construção”, de Chico Buarque



TOP 10 Melhor Longa-Metragem


“Infiltrado na Klan”
Justificativa: Antes de ser uma trama fabulosa estrelada por atores igualmente soberbos, o novo longa de Spike Lee é – como costuma ser em sua filmografia – a manifestação de uma ideia social/política/cultural. Assim, ‘Infiltrado na Klan’ serve como um documento muito adequado em um ano caótico como 2018.

“Hereditário”
Justificativa: Ari Aster estreia na direção com o pé direito em ‘Hereditário’, uma obra que obviamente inclui tudo o que se espera de um bom filme de terror, mas que também funciona surpreendentemente bem como um drama e como um atestado de como a finitude (ou a Morte) segue inspirando medo na Humanidade.

“As Boas Maneiras”
Justificativa: Eis um filme… diferente – e é justamente isso o que torna ‘As Boas Maneiras’ tão especial: dirigido por Juliana Rojas e Marco Dutra, o longa se assume como uma fábula sem deixar de espelhar o contexto socioeconômico do Brasil contemporâneo e surpreende ao tomar, do meio para o fim, um caminho diferente daquele que o espectador imaginava; mas nunca deixando de ser, no mínimo, interessante.

“Missão: Impossível – Efeito Fallout”
Justificativa: É impressionante que uma franquia chegue ao seu sexto capítulo e ainda exiba tamanho fôlego. Poucas coisas foram tão empolgantes quanto ver a eficácia de Christopher McQuarrie ao conduzir as inúmeras sequências de ação vistas aqui. E que bom que as maluquices protagonizadas por Tom Cruise ainda não lhe tiraram a vida – afinal, a brincadeira não pode parar por aqui.

“Ponto Cego”
Justificativa: O ‘lugar de fala’ é uma expressão que se tornou frequente de uns tempos para cá (ainda bem) e ‘Ponto Cego’ é uma obra que fala sobre isso de maneira soberba; o que se deve não apenas à direção do estreante Carlos López Estrada, mas também ao desempenho dos produtores/roteiristas/atores Daveed Diggs e Rafael Casal.

“Projeto Flórida”
Justificativa: Depois de rodar um longa-metragem inteiro utilizando somente a câmera de seu iPhone, em ‘Tangerine’, o diretor Sean Baker realiza um filme de observação simplesmente fascinante que expõe, para o espectador, um lado da Flórida que pouco tem a ver com o glamour dos parques da Disney. Sem contar, claro, a performance irretocável e impressionante da pequena Brooklynn Prince.

“Três Anúncios para um Crime”
Justificativa: Um roteiro que constrói personagens complexos e multidimensionais, traduzindo perfeitamente a ideia de que ‘violência só gera mais violência’ (algo que segue tristemente relevante em pleno ano de 2018) ao passo que o excelente elenco mostra-se digno dos elogios que recebeu ao longo da última temporada de premiações.

“Trama Fantasma”
Justificativa: Mais um filme dirigido pelo genial Paul Thomas Anderson e protagonizado pelo também genial Daniel Day-Lewis. O que mais dá para dizer, além de que o filme também merece aplausos pelo desempenho de Vicky Krieps e pela maneira brilhantemente complexa com que constrói a relação entre o casal de protagonistas?

“Arábia”
Justificativa: Acompanhando a história aparentemente comum e trivial do operário Cristiano, ‘Arábia’ observa a trajetória deste indivíduo de maneira admiravelmente grandiosa e, com isso, oferece um panorama que diz muito sobre a luta de classes e a situação socioeconômica do Brasil no qual vivemos.

“Paddinton 2”
Justificativa: Enquanto ‘Zé Colmeia’, ‘Garfield’ e ‘Scooby Doo’ seguem menosprezando a inteligência do público infantil, ‘Paddington 2’ respeita as crianças ao mesmo tempo em que encanta os adultos através de uma narrativa doce, divertida e visualmente ambiciosa que, de quebra, conta ainda com um protagonista adorável.

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *