Festival de Cinema de Rotterdam completa 50 anos em 2021

Edição especial online comemora bodas de ouro com filmes online, encontros com realizadores e exposição gratuita no site

Por Fabricio Duque

O Festival Internacional de Cinema de Rotterdam (IFFR)  completa 50 anos em 2021 e sua comemoração será dividida em duas partes. Uma online, de 01 a 07 de fevereiro e outra presencial de 02 a 06 de junho. A edição bodas de ouro traz um seleção plural e diversa vindas dos quatro cantos do mundo. Desde sua fundação em 1972, o festival manteve o foco na produção cinematográfica independente e experimental, apresentando talentos emergentes e autores estabelecidos. O IFFR também hospeda os programas CineMart e BoostNL, para produtores de filmes buscarem financiamento.

O Festival Internacional de Cinema de Rotterdam (IFFR) acontece na cidade portuária, província neerlandesa da Holanda do Sul, com 617 347 habitantes (dados de 2012). O nome “Rotterdam” é derivado de uma represa (dam) em um pequeno rio, o Rotte, que se junta ao Nieuwe Maas no local onde a cidade foi fundada. De carro, está a 54 minutos de Amsterdã. E de bicicleta, 3 horas e 56 minutos pela via Oostkanaalweg (uma dica possível mais que aventureira).

IFFR também tem seu prêmio “animal”, o Tiger Award, o Tigre ou Tigresa de Ouro. Para comemorar os 50 anos, programas especiais de aniversário capturam 50 edições passadas e futuras do IFFR. “Experimente a cidade ganhar vida com o espírito de um tigre com Tiger on the Loose. Explore pôsteres de festivais originais e imaginários em IFFR 100. E assista às melhores histórias e depoimentos de festivais em IFFR Plays Back”, informa o site com a exposição online gratuita.

O Vertentes do Cinema fará a cobertura diária. Acompanhe aqui no site! 

OS FILMES

TIGER COMPETITION (MOSTRA COMPETITIVA)

AGATE MOUSSE
(do dinamarquês Selim Mourad, Líbano, 2021, 68 min). Filme anterior: “CounterBalance”.
Documentário Ficção.

BEBIA, À MON SEUL DÉSIR
(de Juja Dobrachkous, Georgia, Reino Unido, 2021 113 min). Estreia na direção.

BIPOLAR
(de Queena Li, China, 2021, 107 min). BLACK MEDUSA (MA TASMAA KEN ERRIH), de Youssef Chebbi ismaël, Tunisia, 2021 95 min.

DESTELLO BRAVÍO
(de Ainhoa Rodriguez, Spain, 2021, 95 min)

FEAST
(de Tim Leyendekker, Holanda, 2021, 84 min)

FRIENDS AND STRANGERS
(de James Vaughan, Austrália, 2021, 82 min)

GRITT
(de Itonje Søimer Guttormsen, Noruega, 2021 119 min)

I COMETE – A CORSICAN SUMMER
(I COMETE, de Pascal Tagnati, França, 2021, 124 min)

LANDSCAPES OF RESISTANCE
(PEJZAŽI OTPORA, de Marta Popivoda, Serbia, Germany, França, 2021, 90 min)

LIBORIO
(de Nino Martinez Sosa, República Dominicana, Puerto Rico, Qatar, 2021, 99 min)

LOOKING FOR VENERA
(NË KËRKIM TË VENERËS, de Norika Sefa, Kosovo, Macedônia, 2021, 111 min)

MADALENA
(de Madiano Marcheti, Brasil, 2021, 85 min)

MAYDAY
(de Karen Cinorre, Estados Unidos, 2021, 96 min)

PEBBLES
(de Vinothraj P.S., Índia, 2021, 75 min)

THE EDGE OF DAYBREAK
(de Taiki Sakpisit, Tailândia, Thailand, Suíça, 2021, 114 min)

BIG SCREEN COMPETITION

KING CAR
(CARRO REI, de Renata Pinheiro, Brasil, 2021, 97 min). Diretora de “Amor, Plástico e Barulho” e “Açúcar“, este que co-dirigiu com seu marido Sérgio Oliveira.

THE DOG WHO WOULDN’T BE QUIET
(EL PERRO QUE NO CALLA, de Ana Katz, Argentina, 2020, 73 min)

THE CEMIL SHOW
(CEMIL ŞOV, de Barış Sarhan, Turquia, 2021, 106 min)

LIMELIGHT

BEGINNING
(de Dea Kulumbegashvili, França, Georgia, 2020, 130 min)

DEAD & BEAUTIFUL
(de David Verbeek, Taiwan, Holanda, 2021, 90 min)

MANDIBLES
(MANDIBULES, de Quentin Dupieux, França, 2020, 74 min)

NIGHT OF THE KINGS
(LA NUIT DES ROIS, de Philippe Lacôte, França, Ivory Coast, Canada, Senegal, 2021, 93 min)

QUO VADIS, AIDA?
(de Jasmila Žbanić, Bosnia and Herzegovina, Austria, Romania, Netherlands, Germany, Poland, France, Norway, Turkey 2020 104 min). Competição no Festival de Veneza 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *