A Criação

No final dos anos 1930, o ministro da Instrução pública e de Belas Artes, Jean Zay, incomodado pelas regras ditatoriais dos governos fascistas, alemão e italiano, na seleção dos filmes da Mostra de Veneza, propõe a criação, em Cannes, de um festival cinematográfico de nível internacional. Em junho de 1939, Louis Lumière (um dos  irmãos que “inventaram” o cinema) aceita ser o presidente da primeira edição do festival, que deveria acontecer do 1 ao 30 de setembro. Mas a declaração de guerra da França e do Reino Unido a Alemanha em 3 de setembro põe fim prematuramente a essa decisão, apesar de o prêmio ter sido atribuído a Union Pacific, de Cecil B. DeMille. A primeira edição do festival aconteceu realmente em 1946. O festival não aconteceu em 1948 e 1950 por problemas financeiros. Em 1955, foi introduzida pelo comitê organizador a Palma de Ouro como prêmio principal do evento – antes desta data, ele era conhecido como Grand Prix du Festival international du Film. O festival de 1968 foi interrompido em 19 de maio. Na véspera, Louis Malle, demissionário do júri, François Truffaut, Claude Berri, Jean-Gabriel Albicocco, Claude Lelouch, Roman Polanski e Jean-Luc Godard exigiram a interrupção da projeção em solidariedade aos operários e estudantes em greve. Até 2002 era chamado Festival international du film. Acontece todos os anos, no mês de maio, na cidade francesa de Cannes. O “mercado do filme” (marché du film) acontece paralelamente ao festival.
A Palma de Ouro

Sendo um dos mais importantes e prestigiados prêmios de cinema do mundo (seu desenho atual foi feito pela desenhista Caroline Scheufele-Gruosi e é usado desde 1971) a Palma de Ouro foi atribuída pela primeira vez ao filme norte-americano Marty, de Delbert Mann, e desde então, só não foi entregue entre os anos de 1964 e 1974, quando foi substituída pelo Grand Prix, prêmio que, até 1954, era dado em Cannes como prêmio principal, e que ainda hoje é outorgado aos filmes que são premiados com um simbólico segundo lugar, com o nome de Grand Prix du Juri. Assim, apenas os filmes premiados entre 1955 e 1963 e de 1975 aos dias de hoje são considerados oficialmente como vencedores da Palma de Ouro.
Outros Prêmios

Melhor Atriz  (Prix d’interprétation féminine)
Melhor Ator (Prix d’interprétation masculine) 
Melhor Diretor (Prix de la mise en scène) 
Melhor Roteiro (Prix du scénario) 
Prêmio do Júri (Prix du jury)
Melhor Curta-Metragem (Palme d’or du court métrage) 
Prêmio do Júri de Melhor Curta-Metragem (Prix du jury du court métrage)
Seleção oficial (competição e Un certain regard), a Quinzena dos Realizadores e a Semana da crítica 
Câmera de ouro (Caméra d’or): melhor primeiro filme de diretor.

Lista dos Filmes Vencedores a 
Palma de Ouro

2012: “Amor”, Michael Haneke (Áustria)
2011: “A Árvore da Vida”, Terrence Malick (EUA)
2010: “Tio Boonmee, Que Pode Recordar Suas Vidas Passadas”, Apichatpong Weerasethakul (Tailândia)
2009: “A Fita Branca”, Michael Haneke (Áustria)
2008: “Entre os Muros da Escola”, Laurent Cantet (França)
2007: “4 Meses, 3 Semanas e 2 Dias”, Cristian Mungiu  (Roménia)
2006: “Ventos da Liberdade”, Ken Loach (Irlanda)
2005: “A Criança”, Luc e Jean-Pierre Dardenne (Bélgica)
2004: “Fahrenheit 11 de Setembro”, Michael Moore (EUA)
2003: “Elefante”, Gus Van Sant (EUA)
2002: “O Pianista”, Roman Polanski (Polônia)
2001: “O Quarto do Filho”, Nanni Moretti (Itália)
2000: “Dançando no Escuro”, Lars von Trier  (Dinamarca)
1999: “Rosetta”, Luc e Jean-Pierre Dardenne (Bélgica)
1998: “A Eternidade e um Dia”, Theo Angelopoulos (Grécia)
1997: “Gosto de Cereja”, Abbas Kiarostami (Irã) e “A Enguia”, Shohei Imamura (Japão)
1996: “Segredos e Mentiras”, Mike Leigh (Reino Unido)
1995: “Underground – Mentiras de Guerra”, Emir Kusturica (Iugoslávia)
1994: “Pulp Fiction – Tempo de Violência”, Quentin Tarantino (EUA)
1993: “Adeus, Minha Concubina”, Chen Kaige (China) e “O Piano”, Jane Campion  (Nova Zelândia)
1992: “As Melhores Intenções”, Bille August (Dinamarca)
1991: “Barton Fink – Delírios de Hollywood”, Joel e Ethan Coen (EUA)
1990: “Coração Selvagem”, David Lynch (EUA)
1989: “Sexo, Mentiras e Videotape”, Steven Soderbergh (EUA)
1988: “Pelle, o Conquistador”, Bille August (Dinamarca)
1987: “Sob o Sol de Satã”, Maurice Pialat (França)
1986: “A Missão”, Roland Joffé (Reino Unido)
1985: “Quando Papai Saiu em Viagem de Negócios”, Emir Kusturica  (Iugoslávia)
1984: “Paris, Texas”, Wim Wenders (Alemanha Ocidental)
1983: “A Balada de Narayama”, Shohei Imamura  (Japão)
1982: “Missing – Desaparecido, um Grande Mistério”, Costa-Gavras (Grécia) e “Yol”, Yilmaz Güney (Turquia)
1981: “O Homem de Ferro”, Andrzej Wajda (Polônia)
1980: “All That Jazz – O Show Deve Continuar”, Bob Fosse (EUA) e “Kagemusha, a Sombra do Samurai”, Akira Kurosawa (Japão)
1979: “Apocalypse Now”, Francis Ford Coppola (EUA) e “O Tambor”, Volker Schlöndorff (Alemanha Ocidental)
1978: “A Árvore dos Tamancos”, Ermanno Olmi (Itália)
1977: “Pai Patrão”, Paolo Taviani e Vittorio Taviani (Itália)
1976: “Taxi Driver”, Martin Scorsese (EUA)
1975: “Crônica dos Anos de Fogo”, Mohammed Lakhdar-Hamina (Argélia)
1974 a 1964: Não houve entrega da Palma de Ouro
1963: “O Leopardo”, Luchino Visconti (Itália)
1962: “O Pagador de Promessas”, Anselmo Duarte (Brasil)
1961: “Uma Tão Longa Ausência”, Henri Colpi (França) e “Viridiana”, Luis Buñuel (Espanha)
1960: “A Doce Vida”, Federico Fellini (Itália)
1959: “Orfeu Negro “, Marcel Camus (Brasil / Itália / França)
1958: “Quando Voam as Cegonhas”, Mikheil Kalatozishvili (União Soviética)
1957: “Sublime Tentação”, William Wyler (EUA)
1956: “O Mundo do Silêncio”, Jacques-Yves Cousteau e Louis Malle (França)
1955: “Marty”, Delbert Mann (EUA)

Lista dos Filmes Vencedores do Grand Prix

1974: “A Conversação”, Francis Ford Coppola (EUA)
1973: “O Assalariado”, Alan Bridges (Reino Unido) e “O Espantalho”, Jerry Schatzberg  (EUA)
1972: “A Classe Operária Vai ao Paraíso”, Elio Petri (Itália) e “O Caso Mattei”, Francesco Rosi (Itália)
1971: “O Mensageiro”, Joseph Losey (Reino Unido)
1970: “M*A*S*H”, Robert Altman (EUA)
1969: “Se…”, Lindsay Anderson (Reino Unido)
1968: Cancelado devido aos acontecimentos de Maio de 1968 1967: “Blow Up – Depois Daquele Beijo”, Michelangelo Antonioni (Itália)
1966: “Um Homem, uma Mulher”, Claude Lelouch (França) e “Confusões à Italiana”, Pietro Germi (Itália)
1965: “A Bossa da Conquista”, Richard Lester (Reino Unido)
1964: “Os Guarda-Chuvas do Amor”, Jacques Demy (França)

Prêmios Brasileiros no Festival de Cannes

1953: “O Cangaceiro”, Lima Barreto, Melhor Filme de Aventura
1962: “O Pagador de Promessas”, Anselmo Duarte (primeiro filme em língua portuguesa a receber o principal prêmio de Cannes), Palma de Ouro
1967: “Terra em Transe”, Glauber Rocha, Prêmio da Crítica Internacional
1969: “O Dragão da Maldade Contra o Santo Guerreiro”, Glauber Rocha, Melhor Direção
1977: “Di Cavalcanti”, Glauber Rocha, Prêmio Especial do Júri – curta-metragem 
1986: “Eu Sei que Vou Te Amar”, Arnaldo Jabor, Melhor Interpretação Feminina para Fernanda Torres
2002: “Um Sol Alaranjado”, Eduardo Valente, Primeiro Prêmio Cinéfondation (para filmes universitários de até 60 minutos)
2008: “Muro”, Tião, Prêmio Un Regard Neuf na seção paralela Quinzena dos Realizadores
2008: “Linha de Passe”, Walter Salles, Melhor Interpretação Feminina para Sandra Corveloni

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *