Reserva Imovision

Assinar ou não assinar a plataforma digital Reserva Imovision

A Imovision com parceria do Reserva Cultural lança hoje o streaming com foco no cinema autoral, no dia mundial da Inovação e da Criatividade

Por Fabricio Duque

É indiscutível de que o mundo que vivemos hoje mudou a forma de assistir filmes, muito motivado pela crise pandêmica do Coronavírus que assola o Planeta Terra, que nos obrigou a não sair de casa a fim de proteger nossos próximos. O ritual cinéfilo da tela grande do cinema foi substituído pela televisão e/ou pelo computador e celular. Isso flexibilizou e democratizou o acesso. Não é mais preciso gastar dinheiro com ingressos, com combos e estacionamentos. Pode-se agora assistir a um filme e uma série de qualquer lugar (e quando puder). Mas nós estamos preparados para tal mudança? A de ser “afundado” em mil catálogos de streaming que oferecem “bilhões” de possibilidades e gostos? Ainda não sabemos responder. Assim, seguindo a demanda do mercado, novas plataformas digitais são lançadas, tentando a diferenciação por menor que seja. A mais recente é a Reserva Imovision, da distribuidora Imovision, há mais de 30 anos trazendo pérolas e raridades do cinema, que entra hoje, no dia de Tiradentes e do Dia Mundial da Inovação e da Criatividade (World Creativity and Innovation Day).

O Vertentes do Cinema analisou todo o catálogo disponível, inicialmente com 250 filmes, para saber se vale ou não à pena assinar mais uma plataforma digital. Vamos lá! A Reserva Imovision entra no ar hoje com a promessa de filmes novos todos os dias, com assinatura mensal de R$ 24,50 ou R$ 211,68 por ano (oferta de lançamento com desconto – o preço anual é R$ 245,00). E com teste gratuito por 7 dias e possibilidade simultânea de assistir aos filmes em até três telas. Além do plano mensal de assinatura, ainda é possível a opção de alugar individualmente para não-assinantes os títulos do catálogo por até 72h. O streaming pode ser acessado pelo computador, pela televisão (Smart TV com sistema Android TV, Apple TV ou Roku) e pelo aplicativo, disponível em iOS ou Android. Leia aqui o Tudo Sobre!

A coletiva de imprensa nos informou que aposta no cinema autoral, com categorias de filmes selecionados dos festivais de Cannes, Berlim, Veneza além de lançamentos inéditos, como “O Trabalho Dela”, que entra na primeira semana. Jean Thomas Bernardini disse que ““Pessoalmente me sinto como um atleta que vai competir daqui a poucos dias numa Olímpiada, confiante e muito feliz, mas cauteloso. Tenho certeza da qualidade de nosso catálogo. Ainda assim, precisaremos de muita luta, criatividade e investimento. Já existem vários competidores mundiais atuando no Brasil, mas sei que temos condições de atrair uma boa parte dos apreciadores de grandes filmes”, sobre o novo formato.

Uma dos diferenciais é a possibilidade de baixar o filme para assisti-lo offline. Uma das perguntas da imprensa foi sobre o preço. Será que está alto? Se comparamos com o melhor streaming do momento, o Mubi (R$ 27,90 por mês) não. Mas com o Petra Belas Artes à La Carte (R$ 9,90) Amazon (R$ 9,90), sim. Nós do Vertentes do Cinema resolvemos então “passar o pente fino” nos preços. Aqui, na Reserva Imovision, cada filme individual custa R$ 10,90. Muitos do catálogo podem ser encontrados por preços mais em conta no Youtube. Por exemplo, as obras ”120 Batimentos por minuto”, “A Fábrica de Nada”, “Adeus à linguagem”, “A Ovelha Negra”, “Desajustados”, “Dovlatov”, “Gloria”, “O Clube”, “O Formidável”, “Sal da Terra”, “Timbuktu”, estão no Youtube para aluguel por R$ 6,90. E “Cartas da Guerra” por apenas R$ 3,90). Outros títulos podem ser encontrados no Mubi, Globoplay, Amazon Prime Video, Now, como “A Vida de Outra Mulher”; “Bem-Vindo a New York”; “Blind”, “Deixe a Luz do Sol Entrar”

Mas estamos só no começo. Os responsáveis pela plataforma informaram que chegarão a mais de 1000 títulos em 2021, além de séries exclusivas e inéditas no Brasil, como “Os Luminares” e “Mistérios de Paris”. E não é só isso. Nosso site descobriu raridades que não estão em nenhuma outra plataforma e/ou que estão mais caros para alugar no Youtube, como o brasileiro “A Memória Que Me Contam”, de Lucia Murat; o francês “Canções de Amor”, de Christophe Honoré; o iraniano “Isto Não é um Filme”, de Jafar Panahi e Mojtaba Mirtahmasb.

Depois de toda análise, por que assinar a nova plataforma Reserva Imovision? Porque os usuários encontrarão todos os filmes em um único lugar. Muitos inéditos. E com a disponibilidade de assistir offline.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *