Anuncio zazie

Os Vencedores do Oscar 2011

As Micro opiniões em Tempo Real estão no Twitter Twitter

A Cerimônia do Oscar, o prêmio mais famoso do cinema mundial, foi rápida, contida, objetiva e sem inovações. Buscou o conservadorismo entregando ao “O Discurso do Rei” a estatueta de Melhor Filme. Conservou-se o padrão. Homenagens aos que estão aqui (esquecidos) e aos que já foram (póstuma). As músicas utilizaram apenas um pequena parte para que pudesse, resumidamente, mostrar a qualidade. Empatado segue “A Origem”, fantástico filme de Christopher Nolan, que abocanhou a parte técnica. “A Rede Social”, ganhador do Globo de Ouro, venceu três categorias, tendo a de Roteiro Adaptado como a mais importante. “O Vencedor” foi agraciado com os prêmios de Melhor Atriz e Melhor Ator, ambos coadjuvantes. Em seguida, “Toy Story 3” ganhou duas, incluindo a de Melhor Longa Animado, que na opinião do diretor Quentin Tarantino é o melhor dos dez indicados. A cisne perfeita Natalie Portman, como já era de se esperar, por causa da prévia de sua vitória no Globo de Ouro, foi a grande vencedora da noite.

“Alice no País das Maravilhas”, de Tim Burton, foi premiada com Melhor Figurino e Melhor Direção de Arte. Mas a grande decepção, para os brasileiros, aconteceu quando anunciaram o vencedor de Melhor Documentário. “Lixo Extraordinário”, filme sobre o Vik Muniz era concorrente nacional e perdeu para “Trabalho Interno”. Muitos corroboram a ideia de que o ano inicia após o carnaval. No meu caso, é ao final do Oscar. Funciona como uma fase que precisa ser vencida, que a sigo sem questionamentos moralistas. Sei da futilidade, mas não tento aprender sobre as marcas dos vestidos. Os apresentadores da festa foram James Franco e Anne Hathaway. Ele, para mim, não convence, o acho extremamente afetado e encenado. Já ela consegue ser uma boa atriz até em “Amor e Outras Drogas”. A seguir a lista completa dos vencedores:

MELHOR FILME: “O Discurso do Rei”
MELHOR DIRETOR: Tom Hooper, de “O Discurso do Rei”
MELHOR ATOR: Colin Firth, de “O Discurso do Rei”
MELHOR ROTEIRO ORIGINAL: “O Discurso do Rei”
MELHOR ATRIZ: Natalie Portman, de “Cisne Negro”
MELHOR ATOR COADJUVANTE: Christian Bale, de “O Vencedor”
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: Melissa Leo, de “O Vencedor”
MELHOR ROTEIRO ADAPTADO: “A Rede Social”
MELHOR MONTAGEM: “A Rede Social”
MELHOR TRILHA SONORA: “A Rede Social”
MELHOR LONGA ANIMADO: “Toy Story 3“
MELHOR CANÇÃO ORIGINAL: “Toy Story 3”
MELHOR FILME ESTRANGEIRO: “Em um mundo melhor”
MELHOR DIREÇÃO DE ARTE: “Alice no País das Maravilhas”
MELHOR FOTOGRAFIA: “A Origem”
MELHOR EFEITOS VISUAIS: “A Origem”
MELHOR EDIÇÃO DE SOM: “A Origem”
MELHOR MIXAGEM DE SOM: “A Origem”
MELHOR FIGURINO: “Alice no País das Maravilhas”
MELHOR MAQUIAGEM: “O Lobisomen”
MELHOR DOCUMENTÁRIO: “Trabalho Interno”
MELHOR DOCUMENTÁRIO EM CURTA-METRAGEM: “Strangers no More”
MELHOR CURTA-METRAGEM: “God of Love”
MELHOR ANIMAÇÃO EM CURTA-METRAGEM: “The Lost Thing”

LEIA TAMBÉM OS INDICADOS –> AQUI

Banner Vertentes Anuncio

  • Comentando o Oscar (antes tarde do que nunca). Achei chaaaato! Ainda estou esperando a modernidade e a jovialidade que prometeram. Hathaway descontrolada e Franco anestesiado(drogado?). Aliás, nunca gostei muito do tal James. Acho seu talento bem questionável e se mantém na mídia por seu projetos, declarações e aparições extravagantes. Sim, admito que estava bem em 127 horas, mas uma vez na vida tem que estar, não é mesmo?
    Como já é de praxe, muitas premiações absurdas e outras óbvias (mas merecidas).
    A começar por Nolan que sequer foi indicado, o que é um absurdo. Segundo, Tom Hooper não é de forma alguma melhor (ou fez um trabalho melhor) que Aronofsky ou Fincher.
    A "Academia", como sempre, se mantendo convencional e retrógrada na escolha dos melhores filmes do ano (principal e estrangeiro). Gostei de O discurso do rei mas é muito quadrado e, claro, A origem, Cisne negro e A rede social são muuuito melhores.
    Fiquei feliz por Colin, Natalie, Bale, Reznor e Atticus. Achei incrível terem levado como melhor trilha sonora. Zimmer é fantástico, Desplat é excelente, Rahman é incrível, mas está mais do que na hora de levarem um pouco de modernidade para aquele museu. Gostando ou não de rock industrial ou de Nine Inch Nails, não dá pra dizer que Reznor fez um trabalho ruim ou que foi injusto. Os tradicionalistas, aqueles que acham que as trilhas devem ser feitas como se ainda estivéssemos em 1940, acharam um absurdo. Acordem, estamos no Século XXI.
    Grande abraço Fabrício. Parabéns pelo trabalho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.