Tudo Sobre o Festival Varilux de Cinema Francês 2020

Evento acontece presencialmente nas salas de cinema do Brasil de hoje (19/11) até 03 de dezembro

Por Redação

Ir ou não ir: Eis a Questão! O Festival Varilux de Cinema Francês 2020 resolveu bater o martelo e se realizar presencialmente nos cinemas brasileiros de 19 de novembro a 03 de dezembro, contrariando até mesmo a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, que aconteceu por plataformas digitais, o Festival de Gramado, exibido pelo Canal Brasil e o Festival Mix Brasil, que contou apenas com três exibições físicas. Há um mês, o Vertentes do Cinema realizou uma Live sobre a reabertura dos cinemas a crítica de cinema Maria do Rosário Caetano, da Revista de Cinema, o crítico-professor da AIC, Filippo Pitanga, e com nosso editor-fundador Fabricio Duque. Intitulada “Imprudência ou Necessidade?” (Assista AQUI), o bate-papo questionou a pressa impulsiva de “retomar o novo normal”. Hoje, 19/11, os dados oficiais mostram que o número de mortes cresce de forma alarmante, muito provavelmente pelo descuido negacionista de não se precisar mais ficar em casa e afrouxar a quarentena. Muito também por preterir a economia do que vidas humanas. Estudos comprovam também que nenhum contaminado consegue sair totalmente imune dos efeitos colaterais. E que uma pessoa pode transmitir para outras tantas. Será que a sensação que se tem é de que o cinema francês é tão forte com sua arte que protege todos os seres humanos do Coronavírus?

O release oficial nos informa que o festival acontece plenamente à vapor, quase com a força magnânima de um “Titanic”.  Confirmado com sessões nas salas de cinema de todo o país, o Festival Varilux de Cinema Francês exibe 18 longas-metragens, sendo 17 inéditos e recentes (2019/2020) e o clássico “Acossado”, de Jean Luc-Godard – em homenagem aos 60 anos da Nouvelle Vague. Com uma edição atípica devido à pandemia, o evento estará nas redes exibidoras que seguem rígidos protocolos recomendados pelas autoridades sanitárias a fim de oferecer segurança tanto ao público quanto aos profissionais envolvidos na sua realização.

As cidades confirmadas até o momento são Aracaju (SE), Araçatuba (SP), Balneário Camboriú (SC), Barueri (SP), Belém (PA), Belo Horizonte (MG), Botucatu (SP), Brasília (DF), Campinas (SP), Campo Grande (MS), Caxias do Sul (RS), Cotia (SP), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), Indaiatuba (SP), Jaboatão dos Guararapes (PE), João Pessoa (PB), Jundiaí (SP), Londrina (PR), Maceió (AL), Manaus (AM), Maringá (PR), Natal (RN), Niterói (RJ), Pelotas (RS), Petrópolis (RJ), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Ribeirão Preto (SP), Rio Branco (AC), Rio de Janeiro (RJ), Rio Grande (RS), Salvador (BA), Santos (SP), São Luís (MA), São José dos Campos (SP), São Paulo (SP), Sorocaba (SP), Teresina (PI), Vitória (ES) e, Vitória da Conquista (BA).

CONFIRA AQUI A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DOS LOCAIS DE EXIBIÇÃO!

A equipe do Festival, principalmente a Assessoria de Imprensa, pensou nos jornalistas, realizando coletivas-entrevistas com os realizadores de “Mais Que Especiais”, “As Donas da Bola” e “Gargarine”. Nas três, os discursos mais padrões soaram temerosos, porém esperançosos. A de continuar acreditando na ideologia colorida da bandeira da França, principalmente na naturalização do autismo; na tentativa de expandir um olhar sobre os direitos das mulheres em um mundo de homens; e a necessidade de aprofundar o tema das moradias populares.

Tudo Sobre o Festival Varilux de Cinema Francês 2020

“O Festival vai acontecer apenas nas redes exibidoras que estão seguindo todos os protocolos de segurança exigidos pelas autoridades e em cidades em que os espaços foram autorizados a reabrir. Assim o público terá certeza de poder frequentar os cinemas com segurança e reencontrar a cinematografia francesa da qual estava com saudade”, comenta Christian Boudier, responsável pela direção e curadoria do festival.

No reencontro tão aguardado com a filmografia francesa nos cinemas, os espectadores poderão se deliciar com trabalhos de diretores, astros e estrelas consagrados e de expoentes da nova geração. Comédia dramática, comédia romântica, animação e documentário são alguns dos gêneros das produções participantes. Como atividade paralela gratuita, será oferecida uma mostra com oito filmes de cineastas integrantes da Nouvelle Vague e palestra on line com Jean-Michel Frodon, crítico e ex-diretor do Cahiers du Cinéma, sobre o movimento francês que teve início no fim da década de 1950.

Na programação do Festival Varilux com filmes inéditos estão diretores consagrados como François Ozon, presença recorrente, que apresenta “Verão de 85” (Eté 85), longa que integrou a seleção oficial do Festival de Cannes. Passaram por Cannes também as produções “DNA” (Adn), de Maïwenn, com Louis Garrel e Fanny Ardant; “Minhas férias com Patrick” (Antoinette Dans Les Cévennes), de Caroline Vignal; “Slalom” (Slalom), de Charlène Favier, e “Gagarine” (Gagarine), de Fanny Liatard e Jérémy Trouilh.

A edição 2020 também traz filmes premiados. “Apagar o Histórico” (Effacer l’historique), de Benoît Delépine e Gustave Kervern, ganhou o Urso de Prata neste ano, no 70ª Festival de Berlim por “filme que abre novas perspectivas”. Já “Belle Epoque” (La Belle Époque), de Nicolas Bedos, foi detentor de três Césares em 2020: melhor roteiro original, atriz coadjuvante e direção de arte. E animação “A famosa invasão dos ursos na Sicília” (La fameuse invasion des ours en Sicile), longa do ilustrador e autor de histórias em quadrinhos Lorenzo Mattotti, inspirado no livro de Dino Buzatti. O filme ganhou o Prêmio da Fondation Gan pour le Cinéma.

Sucessos de bilheteria também foram selecionados.  O longa “Sou Francês e Preto” (Tout Simplement Noir), de Jean-Pascal Zadi e John Wax, somou mais de um milhão de espectadores na França após a reabertura dos cinemas. Outro que levou o público às salas foi “Minhas Férias com Patrick”, de Caroline Vignal, visto por mais de 500 mil pessoas desde seu lançamento, e “Meu Primo” (Mon Cousin), de Jan Kounen, por 300 mil.

Atores e atrizes conhecidos do público brasileiro também não podem faltar. Juliette Binoche volta ao Festival Varilux como protagonista de “A Boa Esposa”(La Bonne Épouse)de Martin Provost; e o ator Vincent Cassel estrela Mais que Especiais” (Hors Normes) de Eric Toledano e Olivier Nakache, diretores dos sucessos “Os Intocáveis” e “Samba” que já integram o Festival Varilux.  Daniel Auteuil, Fanny Ardant e Guillaume Canet estarão juntos em “Belle Epoque”, filme premiado com três Césares.

Roschdy Zem, outro nome que também já prestigiou o festival, estará em dois filmes: “Persona non grata” e “A Garota da Pulseira” (La fille au bracelet) O ator Jérémie Renier, convidado de 2018, interpreta um professor de esqui em Slalom, produção que acaba de estrear na França. E vale ficar de olho em novos rostos como os de Félix Lefebvre e Benjamin Voisin, protagonistas de “Verão de 85”; Melissa Guers, intérprete de Lisa no “A Garota da Pulseira”, de Stéphane Demoustier.

Tudo Sobre o Festival Varilux de Cinema Francês 2020

OS FILMES

“A Boa Esposa” (La Bonne Épouse), estrelada por Juliette Binoche e dirigida por Martin Provost (César de melhor filme e roteiro original por “Séraphine”/“Le Ventre de Juliette”) aborda a emancipação feminina. Binoche levou mais de 600 mil espectadores aos cinemas na França, após a reabertura das salas de cinema em junho. Sob direção de Gustave Kervern e Benoît Delépine, “Apagar Histórico” (Effacer l’historique) declara guerra aos gigantes da Internet. “Donas da Bola” (Une Belle Equipe), de Mohamed Hamidi, mostra como o cotidiano de uma pequena cidade pode ser transformado quando um técnico de futebol decide formar um time composto exclusivamente por mulheres. “Mais que Especiais” (Hors Normes), de Eric Toledano e Olivier Nakache, aborda o cotidiano dois homens que, há mais de 20 anos, trabalham em instituições dedicadas à formação de jovens autistas vindos de bairros problemáticos.

Politicamente incorreta e com ironias cortantes, a comédia “Sou Francês e Preto” (Tout Simplement Noir), dirigida por Jean-Pascal Zadi e John Wax, mistura engajamento político e humor sobre as múltiplas identidades étnicas da França. Dirigido por Jan Kounen, “Meu Primo” (Mon Cousin) acompanha uma viagem de negócios que deve colocar a paciência de um executivo, à frente de uma grande empresa familiar, à prova quando o mesmo precisa recolher a assinatura de seu primo para fechar um grande negócio. O longa “Minhas Férias com Patrick” (Antoinette Dans Les Cévennes), de Caroline Vignal, acompanha a saga de Antoinette, que decide seguir seu amante, que viaja em férias na companhia da esposa e filha.

Notre Dame” (Notre Dame), de Valérie Donzelli, satiriza o cotidiano da arquiteta e mãe solteira, Maud Crayon que, graças a um mal-entendido, conquista o grande concurso promovido pela prefeitura de Paris para reformar o pátio da catedral de Notre Dame. Comédia dramática, “Belle Epoque” (La Belle Époque), de Nicolas Bedos, proporciona ao público um mergulho na viagem de Victor (interpretado pelo carismático Daniel Auteuil), um sexagenário desiludido que vê sua vida ser transformada quando tem a oportunidade de reviver a semana mais marcante de sua vida.

Dirigido por Charlène Favier e com Jérémie Renier, Slalom” (Slalom) acompanha a história de uma promissora integrante da equipe de esqui de um colégio francês. Ela treina como uma estrela profissional do esporte mas, após acumular conquistas, a jovem começa a ficar abalada com a pressão e o domínio exercido por seu rigoroso treinador. “Verão de 85” (Eté 85), cuja direção é assinada por François Ozon, conta com Félix Lefebvre e Benjamin Voisin como protagonista e é baseado no livro do autor britânico Aidan Chambers, “Dance on My Grave”.  “DNA” (Adn), de Maïwenn, e com os atores Louis Garrel, Fanny Ardant e Marine Vacth nos papéis principais – ressalta conflitos familiares e de identidade. “Gagarine” (Gagarine), dirigido por Fanny Liatard e Jérémy Trouilh, traz resistência e engajamento social como temática e conta com as interpretações de Alséni Bathily, Lyna Khoudri e Jamil McCraven nos principais papéis.

O drama “A garota da pulseira” (La fille au bracelet), de Stéphane Demoustier, conta com Chiara Mastroianni (filha de Catherine Deneuve e do ator italiano Marcelo Mastroianni) e Roschdy Zem (ganhador em 2020 do Cesar de melhor ator com “Roubaix, Une Lumière”).  Eles são pais de Lisa (papel da estreante Melissa Guers), uma jovem de 18 anos acusada pelo assassinato de sua melhor amiga.  Roschdy Zem também está no triller “Persona Non Grata” (Persona Non Grata), que também dirige, e atua ao lado de Raphaël Personnaz e Nicolas Duvauchelle. Na trama, dois colegas de uma mesma empresa tomam uma decisão radical e decidem contratar um assassino profissional para eliminar o chefe.

O documentário que integra a seleção, “O Capital no Século XXI” (Le capital au xxie siècle), de Justin Pemberton, traz uma reflexão sobre as crescentes desigualdades da atualidade. Adaptado do livro homônimo do economista Thomas Piketty – uma das obras mais importantes dos últimos anos e que vendeu mais de três milhões de cópias em todo mundo – o filme propõe uma viagem através da história moderna de nossas sociedades e contrapõe a riqueza e o poder de um lado e, do outro, o progresso social e as desigualdades. Uma reflexão necessária para compreender o mundo de hoje.

O animado dessa edição é “A famosa invasão dos ursos na Sicília” (La fameuse invasion des ours en Sicile), longa do ilustrador e autor de histórias em quadrinhos Lorenzo Mattotti – baseado na novela de Dino Buzzati. A obra conta com as vozes de Jean-Claude Carrière, Leïla Bekhti e Thomas Bidegain.

O clássico desse ano é “Acossado” (A bout de souffle), filme de estreia de Jean-Luc Godard. A obra emblemática que completa 60 anos de seu lançamento e conta com Jean-Paul Belmondo e a atriz norte-americana Jean Seberg nos papéis principais. Na trama, o anti-herói Michel Poiccard (Belmondo), um jovem de 26 anos, rouba um carro, mata um policial e vai para Paris, onde conhece Patricia Franchin (Seberg), uma linda garota americana que vende jornais na Champs-Élysées. Poiccard tenta persuadi-la a fugir com ele para a Itália, sem lhe contar que é um foragido da justiça.

Tudo Sobre o Festival Varilux de Cinema Francês 2020

A MOSTRA PARALELA GRATUITA EM HOMENAGEM À NOUVELLE VAGUE

Em homenagem aos 60 anos da Nouvelle Vague, a Embaixada da França no Brasil e o Festival Varilux oferecem a mostra “60 anos da Nouvelle Vague” com a exibição gratuita de oito filmes de expoentes do movimento francês. Serão dois curtas de Jean-Luc Godard e Agnès Varda e seis longas-metragens de Louis Malle, Jean-Luc Godard, Jacques Rivette, Agnès Varda e Jacques Demy. Também será realizada uma conferência online com Jean-Michel Frodon, crítico de cinema e ex-diretor do ‘Cahiers du Cinéma’. A data e formato deverá ser conferida no site do festival.

OS CURTAS

TODOS OS RAPAZES SE CHAMAM PATRICK/Tous les garçons s’appellent Patrick (1959 – 21 min). De Jean-Luc Godard – Com Anne Collette, Nicole Berger e Jean-Claude Brialy. As jovens Charlotte e Véronique, universitárias que dividem apartamento em Paris, conversam sobre o rapaz que cada uma conheceu depois de se desencontrarem em um parque. Elas não sabem que se trata do mesmo homem, Patrick.

OS PANTERAS NEGRAS/ Black Panthers (1968 – 28 min) – De Agnès Varda. Curta filmado durante o verão de 1968 em Oakland, Califórnia, durante as reuniões organizadas pelo Partido dos Panteras Negras para libertar Huey Newton, um de seus líderes, e transformar seu julgamento em um debate político.

OS LONGAS

ASCENSOR PARA O CADAFALSO/Ascenseur pour l’échafaud (1958 – Suspense – 1h28). De Louis Malle  – Com Jeanne Moreau, Maurice Ronet, Georges Poujouly.. Florence e seu amante Julien sonham em ficar juntos e, para isso, armam um plano para matar o marido dela. Julien assassina o homem, forjando um suicídio, e leva suas coisas para o carro. Logo ele percebe que esqueceu o roupão fora da janela e decide voltar para buscá-lo. Preso no elevador, ele lembra vários indícios que podem incriminá-lo.

ACOSSADO/A bout de souffle (1959 – Drama – 1h30). De Jean-Luc Godard – Com Jean-Paul Belmondo, Jean Seberg e Daniel Boulanger. Michel, um criminoso obcecado por Humphrey Bogart, rouba um carro, mata um policial e vai para Paris, onde conhece Patrícia, uma linda garota americana que vende jornais na Champs-Élysées. Michel tenta persuadi-la a fugir com ele para a Itália, sem lhe contar que é um foragido da justiça.

PARIS NOS PERTENCE/Paris nous appartient (1961 – Suspense – 2h15). De Jacques Rivette  – Com Betty Schneider, Giani Esposito, Françoise Prévost. Anne Goupil é estudante de literatura na Paris dos anos 50 e integra a um grupo de teatro. É levada por seu irmão mais velho, Pierre, para uma festa de amigos onde encontra com Philip, um americano expatriado fugindo do macartismo e, Gerard, acompanhado pela misteriosa Terry.

CLEO DAS 5 ÀS 7/Cléo de 5 À 7 (1962 – Drama – 1h30). De Agnès Varda – Com Corinne Marchand, Antoine Bourseiller, Dominique Davray. Cléo é uma cantora francesa que vive um momento de angústia, enquanto espera o resultado de um importante exame de saúde. Sem saber o que fazer, Cléo perambula pela cidade de Paris, até que conhece um soldado que está prestes a ir para a guerra na Argélia.

O DESPREZO/Le mépris (1963 – Drama – 1h45). De Jean-Luc Godard. – Com Brigitte Bardot, Michel Piccoli, Fritz Lang. Na Itália uma equipe grava sob direção de Fritz Lang um filme baseado na Odisseia, de Homero. Camille é casada com Paul, um escritor que foi contratado pelo produtor americano Jeremy para escrever o roteiro por 10 mil dólares. O desprezo de Camille começa quando ela passa a acreditar que o marido tentou vendê-la ao produtor. Uma série de mal-entendidos faz com que a relação do casal vá se fragmentando

OS GUARDA-CHUVAS DO AMOR/Les parapluies de Cherbourg  (1964 – Musical – 1h30). De Jacques Demy – Com Catherine Deneuve, Nino Castelnuovo, Marc Michel. Cherbourg, 1957. Guy Foucher é um jovem de 20 anos que foi criado pela madrinha e trabalha como mecânico de carros. Ele é apaixonado por Geneviève Emery, uma adolescente de 17 anos que ajuda sua mãe viúva numa loja de guarda-chuvas. Quando Guy é convocado para o serviço militar, Geneviève descobre estar grávida.

Tudo Sobre o Festival Varilux de Cinema Francês 2020

OS FILMES DA SELEÇÃO OFICIAL

A BOA ESPOSA

La Bonne Épouse

De Martin Provost

Com Juliette Binoche, Noémie Lvovski, Yolande Moreau, Edouard Baer

2019 – Comédia – 1h49

Classificação indicativa: 12 anos

Distribuição no Brasil: California Filmes

Sinopse: Cuidar do lar e se curvar aos deveres conjugais sem se queixar: é o que ensina com todo o zelo Paulette Van Der Beck em sua escola da vida doméstica. Porém todas as suas certezas ficam abaladas ao se ver viúva e arruinada. Será o efeito da volta de seu primeiro amor ou o vento da liberdade de maio de 68? E se a esposa cordata se transformasse numa mulher livre?

A FAMOSA INVASÃO DOS URSOS NA SICÍLIA

La fameuse invasion des ours en Sicile

De Lorenzo Mattotti

Com as vozes de Jean-Claude Carrière, Leïla Bekhti, Thomas Bidegain Baseado na novela de Dino Buzzati

2019 – Animação -1h22

Classificação indicativa: Livre

Distribuição no Brasil: Bonfilm

Sinopse: Tudo começa quando, Tonio, o filho do rei dos ursos, é capturado por caçadores nas montanhas da Sicília… Alegando o rigor de um inverno que ameaça matar de fome o seu povo, o rei decide então invadir a planície habitada pelos homens. Com ajuda de seu exército e de um mágico, ele consegue obter a vitória e acaba por reencontrar Tonio. Porém logo chega à conclusão de que o povo dos ursos não foi feito para viver no país dos homens…

Prêmio da Fondation GAN pour le cinéma – Um Certo Olhar Cannes 2019

Indicado ao Cesar de melhor animação em 2020

A GAROTA DA PULSEIRA

La fille au bracelet

De Stéphane Demoustier

Com Melissa Guers, Roschdy Zem, Chiara Mastroianni

Classificação indicativa: 14 anos

2020 – Drama – 1h 36 Distribuição no Brasil: Bretz/MyMamma

Sinopse: Morando numa área residencial impessoal e sem história, Lisa, aos 18 anos, acaba de fazer o exame para ingressar na universidade. Porém, há dois anos ela usa uma pulseira, pois é acusada de ter assassinado sua melhor amiga.

APAGAR O HISTÓRICO

Effacer l’ historique

De Gustave Kervern, Benoît Delépine

Com Blanche Gardin, Denis Podalydès, Corinne Masiero

2020 – Comédia – 1h46

Classificação indicativa: 14 anos

Distribuição no Brasil: Bonfilm

Sinopse: Num loteamento no interior da França, três vizinhos se descobrem vítimas das novas tecnologias e redes sociais. Marie é alvo de chantagem devido a um vídeo de conteúdo sexual; Bertrand vê a filha ser objeto de bullying na escola e Christine, motorista de carros de aluguel, se mostra inconformada ao constatar que as notas dadas por seus clientes se recusam a melhorar. Juntos, decidem declarar guerra aos gigantes da Internet. Uma batalha perdida de antemão, ainda que…

Urso de Prata no Festival de Berlim 2020

BELLE EPOQUE

La belle époque

De Nicolas Bedos

Com Daniel Auteuil, Guillaume Canet e Doria Tillier

2019 – Romance/Comédia dramática – 1h56

Classificação indicativa: 14 anos

Distribuição no Brasil: Diamond Films

Sinopse: Victor, um sexagenário desiludido, vê sua vida ser transformada no dia em que Antoine, um empresário brilhante, lhe propõe um novo tipo de atração: combinando recursos teatrais e reconstituição histórica, sua empresa oferece aos clientes uma imersão na época da sua preferência. Victor opta, então, por reviver a semana mais marcante da sua vida: aquela em que, 40 anos antes, ele encontrou o seu grande amor.

DNA

Adn

De Maïwenn

Com Louis Garrel, Fanny Ardant, Marine Vacth

2020 – Drama – 1h30

Classificação indicativa: 14 anos

Distribuição no Brasil: Vitrine Filmes

Sinopse: Neige, divorciada e mãe de três crianças, visita regularmente Emir, seu avô argelino, vivendo agora num asilo para idosos. Ela adora e admira aquele que exerce o papel de sustentáculo da família, o homem que a criou e que sobretudo a protegeu da atmosfera tóxica que marcava o relacionamento com os pais. As relações entre os muitos integrantes da família são complicadas e a morte do avô acabará por desencadear uma tempestade familiar e uma profunda crise de identidade em Neige.

Seleção Oficial do Festival de Cannes 2020

DONAS DA BOLA

Une belle equipe

De Mohamed Hamidi Com Kad Merad, Alban Ivanov, Céline Sallette

2020 – Comédia – 1h35

Classificação indicativa: Livre

Distribuição no Brasil: Bonfilm

Sinopse: Após se envolver numa briga, a equipe inteira de futebol da pequena cidade de Clourrières é suspensa até o fim da temporada. Com o objetivo de salvar esse pequeno clube do norte da França, que corre o risco de desaparecer, o técnico decide formar um time composto exclusivamente de mulheres para chegar ao fim do campeonato. Essa situação acabará por transformar completamente o cotidiano das famílias, abalando as convenções há muito estabelecidas naquela pequena aldeia.

GAGARINE

Gagarine

De Fanny Liatard, Jérémy Trouilh

Com Alséni Bathily, Lyna Khoudri, Jamil McCraven

2020 – Drama – 1h 35

Classificação indicativa: 14 anos

Distribuição no Brasil: Vitrine Filmes

Sinopse: Youri, 16 anos, cresceu em Gagarine, enorme conjunto habitacional de tijolos vermelhos em Ivry-sur-Seine, onde sonha em se tornar um cosmonauta. Ao tomar conhecimento de que o lugar onde mora está ameaçado de demolição, Youri decide se somar a um movimento de resistência. Com a cumplicidade de Diana, Houssam e dos moradores, ele se atribui a missão de salvar o conjunto habitacional, transformado na sua “nave espacial”.

Seleção oficial do Festival de Cannes 2020

MAIS QUE ESPECIAIS

Hors normes

De Eric Toledano e Olivier Nakache Com Vincent Cassel, Reta Kateb e Hélène Vincent 2019 – Comédia – 1h55

Classificação indicativa: 12 anos

Distribuição no Brasil: California Filmes

Sinopse: Há 20 anos Bruno e Malik vivem num mundo à parte, aquele habitado pelas crianças e adolescentes autistas. Trabalhando cada um em uma instituição diferente, eles se dedicam à formação de jovens vindos de bairros problemáticos para tentar lidar com esses casos considerados “super-complexos”. Uma aliança pouco usual para personalidades fora do comum.

MEU PRIMO

Mon cousin

De Jan Kounen

Com Vincent Lindon, François Damiens, Pascale Arbillot

2019- Comédia – 1h44

Classificação indicativa: 12 anos

Distribuição no Brasil: Bonfilm

Sinopse: Pierre é o executivo à frente de uma grande empresa familiar. Prestes a fechar o que parece ser o negócio do século, ele deve cumprir uma última formalidade: recolher a assinatura de seu primo, Adrien, que detém 50% das ações da empresa. Este, um sonhador afável e idealista, que costuma incorrer em gafes e constrangimentos em série, fica tão feliz em reencontrar o primo Pierre que é tomado pelo desejo de passar mais tempo na sua companhia. Para tanto, decide retardar a urgente assinatura. Pierre não tem outra opção senão embarcar ao lado de Adrien numa viagem de negócios mais do que movimentada, na qual sua paciência será posta à prova.

MINHAS FÉRIAS COM PATRICK

Antoinette dans les cévennes

De Caroline Vignal Com Laure Calamy, Benjamin Lavernhe, Olivia Côte

2020 – Comédia /Romance – 1h37

Classificação indicativa: 14 anos

Distribuição no Brasil: California Filmes

Sinopse: Há meses Antoinette espera pelo verão e pela promessa de uma semana romântica com seu amante, Vladimir. Quando este cancela as férias planejadas pelos dois para partir para a Cévennes na companhia da esposa e da filha, Antoinette não perde muito tempo refletindo sobre a questão: decide sair atrás dele! Porém, ao chegar, não há nem sinal de Vladimir, apenas um asno teimoso que passa a acompanhá-la no seu périplo singular.

Seleção Oficial do Festival de Cannes 2020

NOTRE DAME

Notre Dame

De Valérie Donzelli

Com Valérie Donzelli, Pierre Deladonchamps, Bouli Lanners

2019 – Comédia – 1h30

Classificação indicativa: 12 anos

Distribuição no Brasil: California Filmes

Sinopse: Maud Crayon, arquiteta e mãe de duas crianças, conquista – graças a um mal-entendido – o grande concurso promovido pela prefeitura de Paris para reformar o pátio diante da catedral de Notre-Dame… Às voltas com essa nova responsabilidade, ela se vê em meio a uma tempestade ao ter de lidar ao mesmo tempo com um antigo amor da juventude que reaparece de repente e com o pai de seus filhos, a quem não chega a abandonar completamente.

O CAPITAL NO SÉCULO XXI

Le capital au xxie siècle

De Justin Pemberton, Thomas Piketty

2020 – Documentário – 1h43

Classificação indicativa: 12 anos

Distribuição no Brasil: Bretz/MyMamma

Sinopse: Adaptado do livro homônimo de Thomas Piketty, uma das obras mais importantes dos últimos anos. Intercalando referências à cultura pop com intervenções dos mais influentes especialistas de nossa época, o filme propõe uma viagem através da história moderna de nossas sociedades. O documentário contrapõe a riqueza e o poder de um lado e, do outro, o progresso social e as desigualdades. Uma reflexão necessária para compreender o mundo de hoje.

PERSONA NON GRATA

Persona non grata

De Roschdy Zem

Com Raphaël Personnaz, Nicolas Duvauchelle, Roschdy Zem

2019 – Drama/Thriller – 1h32

Classificação indicativa: 14 anos

Distribuição no Brasil: Bretz/MyMamma

Sinopse: José e Maxime são amigos e sócios minoritários numa empresa de construção que enfrenta dificuldades. Diante da necessidade de defender seus interesses, eles tomam uma decisão radical. Um segredo sombrio passa, então, a unir o destino dos dois. Quando começam a vislumbrar um futuro melhor, um estranho personagem entra em suas vidas.

SLALOM

Slalom

De Charlène Favier

Com Noée Abita, Jérémie Renier, Catherine Marchal

2020 – Drama – 1h32

Classificação indicativa: 14 anos

Distribuição no Brasil: Vitrine Filmes

Sinopse: Aos 15 anos, Lyz acaba de se somar à prestigiosa equipe de esqui do colégio de Bourg-Saint-Maurice. Fred, ex-campeão que assume o papel de treinador, decide pôr todas as suas fichas na nova integrante. Entusiasmada pelo apoio recebido, Lyz se entrega de corpo e alma ao seu objetivo. Porém, após acumular sucessos, rapidamente ela começa a ficar abalada sob a pressão e o domínio exercidos por Fred.

Seleção oficial do Festival de Cannes 2020

SOU FRANCÊS E PRETO

Tout simplement noir

De Jean-Pascal Zadi e John Wax

Com Jean-Pascal Zadi, Fary, Caroline Anglade

2020 – Comédia – 1h30

Classificação indicativa: 12 anos

Distribuição no Brasil: Bonfim

Sinopse: JP, um ator mal-sucedido de 40 anos, decide organizar o primeiro grande protesto pela causa negra na França, mas seus encontros, muitas vezes burlescos, com personalidades influentes da comunidade e o apoio entusiasta de Fary, o fazem hesitar entre o desejo de estar à frente dos palcos e seu engajamento enquanto militante.

VERÃO DE 85

Ete 85

De François Ozon

Com Félix Lefebvre, Benjamin Voisin, Philippine Velge

2020 – Drama – 1h40

Classificação indicativa: 14 anos

Distribuição no Brasil: California Filmes

Sinopse: No verão em que completa 16 anos, Alexis, ao se aventurar no mar na costa da Normandia, é salvo heroicamente do naufrágio por David, 18 anos. Alexis acaba de encontrar o amigo dos seus sonhos. Porém este sonho durará mais do que um verão? O verão de 1985.

Seleção Oficial do Festival de Cannes 2020

ACOSSADO

A bout de souffle

O clássico do Festival, em homenagem à Nouvelle Vague, que faz 60 anos em 2020

De Jean-Luc Godard

Com Jean-Paul Belmondo, Jean Seberg, Daniel Boulanger

1960 – Drama – 1h30

Classificação indicativa: 14 anos

Distribuição no Brasil: Zeta Filmes

Sinopse: Michel Poiccard, um criminoso obcecado por Humphrey Bogart, rouba um carro, mata um policial e vai para Paris, onde conhece Patricia Franchini, uma linda garota americana que vende jornais na Champs-Élysées. Poiccard tenta persuadi-la a fugir com ele para a Itália, sem lhe contar que é um foragido da justiça.

HOMENAGEM AO DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA EXIBE FILME GRATUITO

Festival Varilux de Cinema Francês promove exibição de filme e debate virtual em homenagem ao Dia Nacional da Consciência Negra 

A edição 2020 do Festival Varilux de Cinema Francês promove sessão online do filme “Sou Francês e Preto”, de Jean-Pascal Zadi e John Wax, distribuído pela Bonfilm, no próximo dia 20 de novembro (sexta-feira), às 18h. A exibição será gratuita e seguida de bate-papo, às 19h30m, mediado pelo cineasta e crítico de cinema Clementino Jr., com a participação do cineasta Joel Zito Araújo; da pesquisadora e coordenadora do FICNE (Fórum Itinerante de Cinema Negro) Janaína Oliveira e do ator, diretor e roteirista Alberto Pereira Jr..

O debate – realizado em comemoração ao Dia Nacional da Consciência Negra, que em virtude do momento de pandemia, ocorrerá de forma remota – será transmitido simultaneamente no Facebook: https://pt-br.facebook.com/variluxcinefrances  e no YouTube do Varilux: https://www.youtube.com/user/variluxcinefrances

 Para participar da exibição online da comédia – que levou mais de 800 mil espectadores às salas de cinema na França -, os interessados devem fazer a inscrição pelo link: https://www.eventbrite.com.br/e/sessao-sou-frances-e-preto-festival-varilux-de-cinema-frances-2020-tickets-129484133529 O link de inscrição também estará disponível no site do festival, dentro da aba “eventos”: http://variluxcinefrances.com/2020/eventos/

 O bate-papo será transmitido pelo YouTube e Facebook do Festival Varilux, às 19h30m, de forma gratuita e aberta, sem necessidade de inscrições. O público poderá participar e enviar perguntas pelo chat ao vivo. Legendada, a exibição do filme será liberada para os primeiros 300 inscritos e os contemplados receberão, no próprio dia 20/11, um link com senha para o vimeo. O trailer de “Sou Francês e Preto” pode ser conhecido aqui: https://youtu.be/YU5Thw4cvVg

 Sinopse: JP, um ator mal-sucedido de 40 anos, decide organizar o primeiro grande protesto pela causa negra na França, mas seus encontros, muitas vezes burlescos, com personalidades influentes da comunidade e o apoio entusiasta de Fary, o fazem hesitar entre o desejo de estar à frente dos palcos e seu engajamento enquanto militante.

O diretor Jean-Pascal Zadi

Jean-Pascal Zadi começa sua carreira pelo rap, como integrante do grupo La  Cellule, mas já se coloca também atrás da câmera, dirigindo clipes e documentários. O primeiro deles, “Des Halls aux bacs” (2004) acompanha o percurso dos rappers independentes, mais tarde conhecidos como Sefyu e Youssoupha. No mesmo ano, se associa a seu amigo de infância Geoffroy Dongala, para fundar a empresa Gombo Productions. Graças a ela, Zadi lança em 2008 seu primeiro longa de ficção, “Cramé”, com um orçamento de apenas 5 mil euros. Dois anos mais tarde é a vez de “African Gangster”, estrelado pelo rapper Alpha 5.20, que vende 10 mil exemplares em formato de vídeo. Em 2011, Jean-Pascal Zadi segue sua trajetória de diretor com “Sans pudeur ni morale”. Depois do documentário “African Dream”, a respeito do Magic System, chama atenção para o seu trabalho graças ao Canal +, no qual aparece no segmento Le Before du Grand Journal. Em 2020, obtém grande sucesso junto a um público amplo com “Sou Francês e preto”, codirigido com John Wax. Autor de filmes vistos até então apenas no circuito alternativo, com esta comédia ele alcança não só grandes plateias nas salas de cinema, como também vê sua obra repercutir numa atmosfera mobilizada pelo noticiário e pelo movimento Black Lives Matter.

Data: 20/11/2020, sexta-feira – Sessão online: “Sou Francês e Preto”

Horário: 18h

Vagas LIMITADAS – Após a inscrição, o participante receberá por e-mail (no dia da exibição) um link com a senha para assistir ao filme. Link para inscrição:

https://www.eventbrite.com.br/e/sessao-sou-frances-e-preto-festival-varilux-de-cinema-frances-2020-tickets-129484133529

Debate: 19h30m – será transmitido pelo Facebook e YouTube do Festival Varilux e não precisa de inscrições

Sobre os participantes

Clementino Júnior é cineasta, educador audiovisual, doutorando em educação pelo GEASur/UNIRIO, mestre em educação e fundador do CAN – Cineclube Atlântico Negro.

Joel Zito Araújo é diretor, roteirista, produtor, conhecido por tematizar o negro na sociedade brasileira. Sua obra inclui o livro e filme A Negação do Brasil, ganhador do É Tudo Verdade em 2001, o longa ficcional As Filhas do Vento (2005), ganhador do Festival de Tiradentes e de 8 Kikitos no Festival de Gramado, os docs Cinderelas, Lobos e um Príncipe Encantado (2009),  RAÇA (2013) e MEU AMIGO FELA (2019), com vários prêmios internacionais. Atualmente está montando o seu novo longa ficcional O Pai da Rita.

Janaína Oliveira é pesquisadora e curadora, doutora em História, professora no IFRJ (Instituto Federal do Rio de Janeiro), e Fulbright Scholar no Centro de Estudos Africanos na Universidade de Howard, em Washington D.C. nos EUA.  Desde 2009, desenvolve pesquisa sobre as cinemastografias negras e africanas, atuando também com curadora, consultora, júri e painelista em diversos festivais e mostra de cinema no Brasil e no exterior. Em 2019 realizou a mostra “Soul in the eye: Zózimo Bulbul’s legacy and the Contemporary Black Brazilian Cinema” no IFFR – International Film Festival Rotterdam. Foi também consultora de filmes da África e da diáspora negra para o Festival Internacional de Locarno (2019-2020). Atualmente é curadora do Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul (RJ), do FINCAR (Festival Internacional de Realizadoras / PE) e da Baobácine Mostra de Filmes Africanos de Recife. Faz parte da APAN (Associação dos Profissionais do Audiovisual Negro). É idealizadora e coordenadora do FICINE, Fórum Itinerante de Cinema Negro (www.ficine.org) e é a programadora do Flaherty Film Seminar (Nova York) para 2021.

Alberto Pereira Jr. é artista social, ator e atua há seis anos no mercado audiovisual como diretor, roteirista e gerente criativo, com passagens pelas produtoras Academia de Filmes, Conspiração Filmes, FremantleMedia Brasil e Elocompany. Como jornalista, atuou seis anos no Grupo Folha de S.Paulo. Atualmente, apresenta, roteiriza e dirige o programa “Trace Trends”, revista eletrônica sobre cultura afrourbana e empoderamento, no ar na RedeTV e no canal a cabo Trace Brazuca. Paulistano da zona leste da cidade, é fundador do bloco de carnaval Domingo Ela Não Vai.


Tudo Sobre o Festival Varilux de Cinema Francês 2020

SERVIÇO

Festival Varilux de Cinema Francês 2020 –  Datas: 19 de novembro a 3 de dezembro 

Os valores dos ingressos são os praticados por cada rede exibidora

Cidades confirmadas até 10.11:

Aracaju (SE), Araçatuba (SP), Balneário Camboriú (SC), Barueri (SP), Belém (PA), Belo Horizonte (MG), Botucatu (SP), Brasília (DF), Campinas (SP), Campo Grande (MS), Caxias do Sul (RS), Cotia (SP), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), Indaiatuba (SP), Jaboatão dos Guararapes (PE), João Pessoa (PB), Jundiaí (SP), Londrina (PR), Maceió (AL), Manaus (AM), Maringá (PR), Natal (RN), Niterói (RJ), Pelotas (RS), Petrópolis (RJ), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Ribeirão Preto (SP), Rio Branco (AC), Rio de Janeiro (RJ), Rio Grande (RS), Salvador (BA), Santos (SP), São Luís (MA), São José dos Campos (SP), São Paulo (SP), Sorocaba (SP), Teresina (PI), Vitória (ES) e, Vitória da Conquista (BA).

O evento é realizado pela produtora Bonfilm e tem como patrocinador principal a Essilor/Varilux, além do Ministério do Turismo, Secretaria Especial de Cultura; a Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura. Outros parceiros importantes são a rede das Alianças Francesas em todo Brasil, a Embaixada da França no Brasil, as distribuidoras dos filmes – Bonfilm, Bretz/ MyMamma, California Filmes, Diamond Films, Vitrine Filmes e Zeta Filmes – e os exibidores de cinema independente/de arte e as grandes redes de cinema comercial.

Tudo Sobre o Festival Varilux de Cinema Francês 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *