Tudo sobre o 2º Festival de Cinema Russo 2021

O festival vai de 16 de setembro a 10 de outubro, com exibições online e gratuitas em parceria com a Spcine

Por João Lanari Bo

Festival de Cinema Russo. Com 90 milhões de ingressos de cinema vendidos em 2020, a Rússia é o quarto maior mercado de filmes do mundo. É uma história longa: a produção cinematográfica russa começou no Império Czarista e se desenvolveu continuamente durante o período soviético, de 1917 a 1991, impulsionada, como se sabe, por forte investimento estatal, com objetivos políticos e ideológicos. Em meados da década de 1960, o número anual de espectadores nas salas de cinema alcançava cerca de 4 bilhões, chegando a 4,6 bilhões em 1970. Diante de uma tal penetração – mais de 150 mil salas e 138 mil clubes com exibição de filmes – e mercado fortemente regulado, a indústria explodiu. Superada a estética do realismo socialista remanescente do stalinismo, a produção acomodou-se nos famigerados gêneros cinematográficos – aventura, comédia, infanto-juvenil, romance, drama – sempre sob o olhar vigilante das instâncias censórias, atentas a excessos consumistas, desvios de comportamento e escorregões políticos pró-ocidente.

“Moscou não acredita em lágrimas”, exibido em 1980, atingiu a incrível marca de 75 milhões de entradas vendidas e ganhou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 1981. Ostentando uma ideologia ortodoxa com valores socialistas, narra vinte anos na vida de três amigas, da juventude nos tempos de Khrushchov à maturidade com Brejnev, capturando aplausos dos ideólogos do Partido e do público em geral. Apesar das 75 milhões de entradas, esta não foi a maior bilheteria do ano na União Soviética, em 1980: o laurel coube ao indefectível “Piratas do Século 20”, com 88 milhões de tickets. A sinopse é autoexplicativa: “um navio de carga soviético que transportava ópio medicinal é atacado por piratas de nacionalidade desconhecida. A tripulação é deixada para morrer em um navio que está afundando, mas eles conseguem escapar e agora devem lutar contra os piratas para sobreviver”. Esta foi a produção soviética de maior público de todos os tempos.

A partir de meados da década de 1980, com a crise que atingiria toda a economia da União Soviética – que culminou com a derrocada do comunismo, em 1991 – a produção cinematográfica também foi afetada. As exceções foram poucas: “A pequena Vera”, campeão de bilheteria em 1988 com 55 milhões de espectadores, com sexo, família disfuncional, alcoólatras, brigas de faca, e gritaria: e, no ano seguinte, “Intergirl”, que fez 41 milhões – a protagonista é enfermeira de um hospital público durante o dia e prostituta que atende estrangeiros à noite, e acaba recebendo proposta de casamento de um cliente sueco. A queda, entretanto, foi incontornável: e a abrupta abertura para o produto externo foi devastadora – em 1986, os filmes (ainda) soviéticos responderam por 70 % das vendas de ingressos. Logo, os filmes americanos revelaram-se rentáveis e se impuseram: em 1994, 73% do mercado era dos EUA.

Moscou não acredita em lágrimas
Still do filme “Moscou não acredita em lágrimas”

Após o fim da União Soviética, os investimentos na indústria cinematográfica oscilaram, refletindo a crise econômica. A partir de 2010, os aportes do Ministério da Cultura voltaram a crescer, bem como do Fundo do Cinema Russo, motivados por um recrudescimento nacionalista característico da era Putin. Acesso a financiamento público, e opções lucrativas de financiamento privado (como o fundo cinematográfico de US$ 100 milhões do bilionário russo Roman Abramovich, lançado em 2019) aqueceram o mercado. A Rússia, movida por fortes receitas de petróleo e gás, voltou-se para o cinema como forma de projetar sua imagem, doméstica e internacionalmente. Em 2020, os filmes russos representaram aproximadamente 47% da receita total de bilheteria nos cinemas de todo o país, marcando um aumento notável em comparação com anos anteriores – em 2019, foi 22%; em 2018, 27%. Em termos de filmes produzidos, foram 197 em 2020: 177, em 2019; e 142, em 2018. A produção russa também aumentou significativamente sua presença nos cinemas no exterior nos últimos anos, embora o número de filmes russos distribuídos internacionalmente tenha diminuído em 2020. Internamente, o país teve a décima maior bilheteria em todo o mundo, no valor de aproximadamente 300 milhões de dólares americanos.

Com a pandemia, cresceram as plataformas de streaming: o país tem pelo menos sete novas plataformas online e todas elas estão produzindo e financiando séries originais, algumas alcançando distribuição global, através da Netflix, por exemplo. A Netflix popularizou a ideia de conteúdo verdadeiramente global que pode ser visto no idioma original, o que obviamente alavancou a produção local. O mercado de vídeo online da Rússia cresceu mais de 60% em 2020, de acordo com estimativas de consultorias: a pandemia claramente teve influência nessa onda de plataformas VOD, sem dúvida. Muitas dessas operadoras de streaming são partes de ecossistemas maiores, incluindo bancos, provedores de rede móvel, empresas de mídia e serviços de Internet, sinalizando uma etapa qualitativamente nova na indústria audiovisual russa.

A despeito de eventuais problemas com censura – a Rússia é um país conservador, como costuma dizer o Presidente Putin – a produção cinematográfica é diversificada. A seleção de títulos do 2º Festival traz um aperitivo dessa produção, que se espera seja complementada com oferta maior de títulos, através dos canais tradicionais de distribuição e das plataformas de streaming.

Festival de Cinema Russo 2021

Festival de Cinema Russo, organizado pela ROSKINO com o apoio do Ministério da Cultura da Rússia em 2020, continua circulando pelo mundo. Mais de 200 mil espectadores assistiram ao novo cinema russo em nove países até agora. O 2º Festival de Cinema Russo no Brasil promete novos encontros com os personagens instigantes, histórias poderosas e fortes emoções para todos os espectadores, em sessões transmitidas pela Supo Mungam Plus, em parceria com a Spcine Play.

A CEO da Roskino, Evgenia Markova, celebra: “Estamos muito felizes por levar o Festival de Cinema russo mais uma vez ao Brasil. No ano passado, o público brasileiro foi um dos mais receptivos e, por isso, estamos igualmente felizes por repetir a parceria com a Spcine, que nos ajudou a conectar o festival a milhares de espectadores. Assim como no ano passado, vamos apresentar filmes de diferentes gêneros, que estiveram em vários festivais pelo mundo. Muitos deles são baseados em fatos reais e, tenho certeza, enriquecerão o público brasileiro com um novo panorama sobre o nosso país. Quanto aos profissionais do audiovisual, certamente apreciarão o alto nível dos cineastas russos, o que abrirá caminhos em futuras colaborações.”

“Estamos muito contentes com este segundo ano de parceria com o Festival de Cinema Russo, principalmente pela qualidade e pluralidade que a filmografia russa apresenta hoje. A Spcine tem esse compromisso em oferecer ao seu público uma curadoria não só nacional, mas estrangeira também, comprometida com a diversidade de narrativa”, afirma Viviane Ferreira, diretora-presidente da Spcine.


CONHEÇA OS FILMES QUE SERÃO EXIBIDOS

PARENTES

(The Relatives)

Ano: 2021

Gênero: comédia, drama

Direção: Ilya Aksyonov

Elenco: Sergey Burunov, Irina Pegova, Sergey Shakurov, Semyon Treskunov, Liza Monetochka , Nikita Pavlenko, Katerina Bekker

Duração: 100 min

Sinopse: Certa manhã, um pai de família decide realizar seu sonho de toda a vida: ir com sua família ao Festival Grushinsky para apresentar sua música. A família é forçada a aceitar o desejo de um pai tirano e embarcar em uma viagem por toda a Rússia. No caminho, enfrentam aventuras e vários desafios, passando por uma prova de amor em seu relacionamento, além de um importante encontro, que o pai esperou por vinte anos.

MASHA

(Masha)

Ano: 2020

Gênero: drama

Direção: Anastasiya Palchikova

Elenco: Maksim Sukhanov, Anna Chipovskaya, Polina Gukhman, Aleksandr Mizev

Duração: 84 min

Sinopse: Masha, uma menina de 13 anos, cresceu entre um ringue de boxe e as ruas de uma cidade russa provinciana, nos turbulentos anos 90. Seus amigos mais próximos são jovens que matam, roubam, assaltam e são odiados por toda a cidade. Mas para a menina, são o sal da terra e uma família que a ama e protege. Masha revela interesse pelo jazz e sonha em se tornar cantora. Tempos depois, Masha deixa sua cidade natal e se muda para Moscou, para tentar começar uma nova vida. Mas quando o passado a alcança, Masha se vê obrigada a retornar ao lugar onde passou sua infância.

SHEENA 667

(Sheena 667)

Ano: 2019

Gênero: drama

Direção: Grigoriy Dobrygin

Duração: 97 min

Elenco: Yuliya Peresild, Vladimir Svirskiy, Jordan Frye, Yury Kuznetsov, Nadezhda Markina, Pavel Vorozhtsov

Sinopse: A cidade de Vyshny Volochyok tem como características estradas quebradas, neve e neblina. Na periferia, há um centro automotivo onde moram e trabalham o casal Olga e Vadim. Os dois têm um pouco mais de trinta anos, são pessoas simples e sérias, compartilhando alegrias e tristezas um com o outro – até o momento em que na vida deles aparece um intruso: a internet.

DOUTORA LIZA

(Doctor Liza)

Ano: 2020

Gênero: drama biográfico

Direção: Oksana Karas

Elenco: Andrey Burkovskiy, Chulpan Khamatova, Konstantin Khabenskiy, etc.

Duração: 120 min

Sinopse: Um dia na vida de Elizaveta Glinka, filantropa e fundadora do grupo de caridade “Ajuda Justa”. Ela planejava comemorar seus 30 anos de casamento em família, mas mesmo em um dia desses, ela não consegue desligar o telefone. A Doutora Lisa precisa ir à ferroviária para alimentar os sem-teto e visitar o Dr. Shevkunov, um amigo, para pegar morfina e dar a uma criança doente terminal. Por todo esse tempo, ela é vigiada pela polícia, cuja atenção tem sido atraída por essa filantropa extremamente enérgica, há muito tempo.

NA PONTA

(On The Edge)

Ano: 2020

Gênero: filme de ação, drama

Direção: Eduard Bordukov

Elenco: Svetlana Khodchenkova, Stasya Miloslavskaya, Sergei Puskepalis, Alexey Barabash, etc.

Duração: 115 min

Sinopse: A melhor esgrimista de sabre do mundo, Alexandra Pokrovskaya, é famosa, rica e feliz. Para entrar na história, ela só precisa dar um último passo: conquistar o ouro olímpico. Porém, seu caminho cruza o de Kira Egorova, uma garota provinciana de dezenove anos, que conquista Moscou da noite para o dia. Kira vence todas as competições e não sai das capas de revistas, ocupando o lugar de Pokrovskaya. Um confronto feroz começa, não apenas em torneios, mas também na vida real. As duas garotas são obcecadas pela vitória, e parece que nada pode detê-las. O mundo inteiro, com a respiração suspensa, observa o brilho de suas lâminas afiadas. E cada vez fica mais óbvio: esta luta está indo longe demais.

A HISTÓRIA DE UMA NOMEAÇÃO

(The Story of an Appointment)

Ano: 2018

Gênero: drama histórico

Direção: Avdotia Smirnova

Elenco: Evgeni Kharitonov, Aleksei Smirnov, Filipp Gurevitch, Irina Gorbatchova

Duração: 112 min

Sinopse: Uma história pungente e trágica sobre eventos dos quais o próprio conde Liev Nikolaevitch Tolstói é um participante. O tenente da capital, Grigory Kolokoltsev, inspirado por ideias avançadas, é enviado para servir em um regimento de infantaria, no qual ocorre um crime de guerra. O soldado, sobre cujos ombros recai a culpa, enfrenta um tribunal militar. Kolokoltsev pede ajuda ao conde Tolstói, que decide proteger os inocentes. Uma história comovente sobre a complexidade das escolhas e a lealdade aos próprios ideais. Baseada em eventos reais.

LUTA

(Voy)

Ano: 2019

Gênero: documentário

Direção: Maksim Arbugaev

Duração: 78 min

Sinopse: LUTA é um documentário sobre futebol, mas não sobre aquele que estamos acostumados a assistir na TV ou jogar no quintal. É sobre o futebol no qual os jogadores são totalmente cegos. O filme fala sobre a seleção russa paralímpica de futebol para cegos, que se prepara para o evento mais importante de suas vidas, o Campeonato Europeu. A equipe tem apenas um objetivo, ganhar ouro a qualquer custo! Na preparação para o campeonato, o treinador e os jogadores enfrentam obstáculos significativos, que podem colocar seus sonhos em risco.

KID-E-CATS

(Kid-E-Cats)

Gênero: Animação/Infantil

Criada por Andrey Sikorsky e Dmitriy Vysotskiy

Sinopse: “Kid-E-Cats” é uma história sobre o dia a dia, relações e aventuras de três pequenos gatinhos curiosos: o gatinho Cookie, seu irmãozinho Pudim e sua irmãzinha, Candy. Na sua grande família, a vida nunca para: juntos, eles aprendem a expressar suas emoções, a apoiar-se mutuamente e a encontrar saídas para quaisquer situações, mesmo difíceis à primeira vista, com a ajuda da imaginação e dos conselhos dos pais. A série de animação é exibida no Brasil pela TV Cultura.


SERVIÇO

FESTIVAL DE CINEMA RUSSO 2021/ RUSSIAN FILM FESTIVAL

DE 16 de Setembro a 10 de Outubro

Parceria ROSKINO e Spcine

Exibições Gratuitas – www.spcineplay.com.br

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *