Mostra Um Curta Por Diq mes 13

Tudo Sobre a Mostra Anna Karina no Rio de Janeiro

Anna Karina Mostra CaixaAnna Karina

Tudo Sobre a Mostra Anna Karina no Rio de Janeiro

O público carioca ganha uma oportunidade única de contemplar os olhos marcantes da atriz nouvellevagueana de 18 a 30 de junho na Caixa Cultural

Por Fabricio Duque (baseado no release oficial)

Os olhos de Anna Karina são tão marcantes, intensos e magnetizados que nós espectadores ficamos apaixonados. A atriz nouvellevagueana, favorita do realizador Jean-Luc Godard (tanto que se casou com ele em 1961 “por estar grávida”, mas acabou perdendo o filho antes de nascer), doa-se completamente em tela. Nós somos abduzidos por sua interpretação: blasé, pretensiosa, perspicaz, articulada, impositiva, direta, altiva e nunca hesitante, mas ao mesmo tempo submissa (e marionete) aos próprios quereres e às necessidades alheias da auto-sobrevivência, bagunçando os pré-conceitos morais e tradicionais da família perfeita. Em “Viver a Vida” (1962) – que em timing perfeito foi exibido ontem na Mostra Classiquissimos do Estação Net Botafogo, ela incorpora uma naturalizada prostituta. Só que quando se aventurou na direção de um longa-metragem, resolveu “dar uma resposta” a esse Godard com o filme “Viver Ensemble” (1972). Isso tudo o público carioca pode experienciar na Mostra Uma mulher é uma mulher: Anna Karina, que acontece de hoje, 18 de junho (terça-feira) até 30 de junho (domingo), na Caixa Cultural do Rio de Janeiro (Rua do Passeio, 38 – Centro).

Durante esse período, serão exibidos 18 filmes protagonizados pela atriz franco-dinamarquesa Anna Karina (1940-2019), que se consagrou durante a Nouvelle Vague, movimento contestatório do cinema francês nos anos 1950/1960. Ela ganhou o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Berlim de 1961 pela atuação no longa “Uma mulher é uma mulher”, do diretor francês Jean-Luc Godard, com quem trabalhou em oito produções (sete longas e um curta). Entre os filmes estrelados por Anna Karina, cinco serão apresentados de forma inédita no Brasil. São eles: “A Menina dos Sapatos” (1959), de Ib Schmedes, curta-metragem premiado no Festival de Cannes; “Anna” (1967), de Pierre Koralnik, uma comédia musical com canções feitas por Serge Gainsbourg especialmente para o longa e de onde saiu seu grande sucesso “Sous le soleil exactement”, além de ser o primeiro filme em cores da TV francesa; “Victoria” (2008), segundo longa dirigido por Anna Karina; o documentário “Anna Karina, para você lembrar” (2017), de Dennis Berry; e “Anna Karina no Quebec” (2017), curta de Hejer Charf. A Mostra tem apoio da Cinemateca da Embaixada da França no Brasil e do Institut Français.

Godard

Com entrada gratuita, sujeita à lotação da sala, e distribuição de senhas 30 minutos antes de cada sessão, a Mostra é uma homenagem à filmografia de Anna Karina, cuja trajetória faz parte da história do cinema mundial e ficou marcada pelo trabalho com diretores que buscavam novas formas de expressões e perspectivas artísticas por meio da sétima arte. Além da parceria com Godard, a atriz trabalhou com outros nomes consagrados como Agnès Varda, Luchino Visconti, George Cukor, Rainer Werner Fassbinder, Raul Ruiz, Volker Schlöndorff, Tony Richardson e Jacques Rivette.

A abertura da Mostra, na terça-feira, dia 18 de junho, às 13h45, será com a exibição do filme “Le Petit Soldat” [O Pequeno Soldado], de Godard. Na sequência, às 15h45, será exibido “L’oeuvre Au Noir” [A Obra em Negro], de André Delvaux; e “Pierrot le Fou” [O Demônio das Onze Horas], de Godard, às 18h. Na quarta, dia 19, às 14h, “Cléo de 5 às 7”, de Agnès Varda, será o primeiro filme do dia; seguido de “Alphaville”, de Godard, às 16h; e “Anna”, de Pierre Koralnik, às 18h15. Na quinta, dia 20, às 13h30, “Olyan, Mint Otthon” [Em Casa], de Marta Mészáros; às 15h45, “Une femme est une femme” [Uma Mulher é uma Mulher], de Godard; e às 17h45, “Le Soldatesse” [Mulheres no Front], de Valerio Zurlini.

Para sexta-feira, 21 de junho, serão apresentados: às 14h, “Bande à part” [Bando à Parte], de Godard; às 16h, o curta-metragem “Anna Karina au Quebec” [Anna Karina no Quebec], de Hejer Charf, junto com “Victoria”, de Anna Karina; e, às 18h30, haverá um bate-papo com a atriz Karine Telles sobre “A relação entre as funções de atriz, diretora e roteirista: desafios e resultados”.

No sábado, 22 de junho, “Rendez-vous a Bray” [Encontro em Bray], de André Delvaux, será exibido às 14h; “Vivre sa vie” [Viver a Vida], de Godard, às 16h; e “Vivre ensemble” [Viver Junto], de Anna Karina, às 18h. Domingo, 23 de junho, às 13h, será dia do curta “Pigen og Skoene” [A Menina dos Sapatos], de Ib Shmedes, junto com “Anna Karina, souviens-toi” [Anna Karina, para você lembrar], de Dennis Berry; e, às 14h30, “Made in U.S.A”, de Godard.

Na terça-feira, dia 25, a Mostra volta a passar “Anna”, de Pierre Koralnik, às 14h; “Cléo de 5 às 7”, de Agnès Varda, às 16h; e “Bande à part”, de Godard, às 18h. Na quarta-feira, dia 26, dois filmes do Godard vão ser exibidos em sequência: “Pierrot le Fou”, às 13h30; e “Le Petit soldat”, às 15h45. Logo depois, às 17h45, será a vez de “Le Soldatesse”, de Valerio Zurlini. Na quinta, dia 27, serão exibidos: às 14h, o curta “Pigen og Skoene”, de Ib Shmedes, junto com “Anna Karina, souviens-toi”, de Dennis Berry; depois, às 15h30, o curta “Anna Karina au Quebec”, de Hejer Charf, acompanhado do longa “Victoria”, de Anna Karina; e às 18h, “L’oeuvre Au Noir”, de André Delvaux. Na sexta, dia 28, às 14h, “Vivre sa vie”, de Godard; às 16h, “Vivre ensemble”, de Anna Karina; e às 18h, Rodrigo Fischer, professor do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal Fluminense (UFF), vai ministrar um bate-papo sobre a atuação de Anna Karina a partir de diferentes diretores e/ou filmes, além de tratar sobre a relação ator-autor/ator-compositor.

No último final de semana da Mostra, no sábado, dia 29, às 14h, serão reexibidos os longas “Alphaville”, de Godard, às 14h; “Rendez-vous a Bray”, de André Delvaux, às 16h05; e “Olyan, Mint Otthon”, de Marta Mészáros, às 18h. No último dia, no domingo, 30 de junho, a programação será encerrada com “La Religieuse”, de Jacques Rivette, às 13h30; e “Une femme est une femme”, de Godard, às 16h15.

A Mostra Uma mulher é uma mulher: Anna Karina é uma celebração do trabalho de uma das atrizes europeias mais marcantes da época e uma oportunidade de poder assistir, ou (re)assistir, um conjunto de obras singulares. 

Anna Karina

Anna Karina é o nome artístico de Hanne Karin Blarke Baye. Ela foi descoberta pelo diretor dinamarquês IB Schmedes enquanto dançava e cantava na rua. Dessa forma, seu primeiro papel foi no curta-metragem de 11 minutos “Pigen og Skoene – the Girl with the Shoes”, em que interpretou uma jovem que cisma de usar sapatos de salto alto para encontrar o namorado. O filme ganhou o prêmio de melhor curta-metragem no Festival de Cannes de 1959. No final dos anos 1950, ela se mudou para Paris, iniciou uma carreira de modelo fotográfica e fez fotos de moda para Coco Chanel, por quem foi batizada com o nome de Anna Karina. Após estrelar um anúncio de sabonete, Anna Karina chamou a atenção do crítico e diretor Jean-Luc Godard. Eles trabalharam juntos em sete longas e um curta. São eles: “Pequeno Soldado”, “Made in USA”, “Uma Mulher é Uma Mulher”, “Alphaville”, “Pierrot, le fou” (“O Demônio das Onze Horas”), “Vivre sa vie” (“Viver a Vida”), “Bande à part” (“Banda à parte”) e “Anticipation” (“Antecipação ou o amor no ano 2000”), respectivamente. Ao longo de sua trajetória, ela trabalhou com outros renomados diretores, além de ter investido na carreira de diretora de cinema.

AS ATIVIDADES PARALELAS DA MOSTRA

A mostra conta com atividades extras gratuitas (com retirada de ingressos a partir de 30 minutos antes de cada sessão e atividade programada), a saber:

Bate-papos:

21 de junho, às 18h30 – Encontro com a atriz, diretora e roteirista Karine Teles.

Resumo: “A relação entre as funções de atriz, diretora e roteirista: desafios e resultados”.

28 de junho, às 18h – Encontro com o professor de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal Fluminense (UFF), Rodrigo Fischer.

Resumo: Quais são os operadores para que o gesto de uma atriz nos emocione e potencialize a capacidade afetiva de um filme? A proposta do bate-papo é refletir sobre esses operadores por meio da atuação de Anna Karina a partir de diferentes diretores e/ou filmes para perceber sua composição gestual enquanto atriz-autora.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA DA MOSTRA UMA MULHER É UMA MULHER: ANNA KARINA

Pierrot Le Fou

Terça, 18 de junho

13h45 às 15h19

Le Petit soldat [O pequeno Soldado], de Jean-Luc Godard, 88 min, 14 anos   

15h45 às 17h41

L’oeuvre Au Noir [A Obra em Negro], de André Delvaux, 110 min, 16 anos 

18h às 19h56

Pierrot le Fou [O Demônio das Onze Horas], de Jean-Luc Godard, 110 min, 14 anos  


Quarta, 19 de junho

14h às 15h36

Cléo de 5 à 7 [Cléo das 5 às 7], de Agnès Varda, 90 min, 16 anos  

16h às 17h45

Alphaville, de Jean-Luc Godard, 99 min, 12 anos

18h15 às 19h48 

Anna, de Pierre Koralnik, 87 min, 14 anos   


Quinta, 20 de junho

13h30 às 15h26

Olyan, Mint Otthon [Em Casa], de Marta Mészáros, 110 min, 14 anos   

15h45 às 17h16 

Une femme est une femme [Uma Mulher é uma Mulher], de Jean-Luc Godard, 85 min, 14 anos  

17h45 às 19h51

Le Soldatesse [Mulheres no Front], de Valerio Zurlini, 120 min, 16 anos 


Sexta, 21 de junho

14h às 15h41

Bande à part [Bando à parte], de Jean-Luc Godard, 95 min, 12 anos 

16h às 18h07

Anna Karina au Québec [Anna Karina no Quebec], de Hejer Charf [curta-metragem], 26 min  

+ Victoria, de Anna Karina, 95 min    16 anos

18h30

Bate-Papo com Karine Teles


Sábado, 22 de junho

14h às 15h36

Rendez-vous a Bray [Encontro em Bray], de André Delvaux, 90 min, 16 anos  

16h às 17h29

Vivre sa vie [Viver a Vida], de Jean-Luc Godard, 83 min, 16 anos  

18h às 19h39

Vivre ensemble [Viver Junto], de Anna Karina, 93 min, 14 anos  


Domingo, 23 de junho

13h às 14h12

 Pigen og Skoene [A Menina dos Sapatos], de Ib Shmedes [ curta-metragem ], 11 min  

+  Anna Karina, souviens-toi [Anna Karina, para você lembrar], de Dennis Berry, 55 min – 14 anos

14h30 às 16h06

Made in U.S.A., de Jean-Luc Godard, 90 min, 14 anos  


Terça, 25 de junho

14h às 15h33

Anna, de Pierre Koralnik, 87 min, 14 anos

16h às 17h36

Cléo de 5 à 7 [Cléo das 5 às 7], de Agnès Varda, 90 min, 16 anos  

18h às 19h41

Bande à part [Bando à parte], de Jean-Luc Godard, 95 min, 12 anos 


Quarta, 26 de junho

13h30 às 15h26

Pierrot le Fou [O Demônio das Onze Horas], de Jean-Luc Godard, 110 min, 14 anos  

15h45 às 17h19

Le Petit soldat [O pequeno Soldado], de Jean-Luc Godard, 88 min, 14 anos  

17h45 às 19h51

Le Soldatesse [Mulheres no Front], de Valerio Zurlini, 120 min, 16 anos


Quinta, 27 de junho

14h às 15h12

Pigen og Skoene [A Menina dos Sapatos], de Ib Shmedes [ curta-metragem ], 11 min  

+  Anna Karina, souviens-toi [Anna Karina, para você lembrar], de Dennis Berry, 55 min    14 anos

15h30 às 17h37

Anna Karina au Québec [Anna Karina no Quebec], de Hejer Charf [curta-metragem], 26 min  

+ Victoria, de Anna Karina, 95 min –  16 anos

18h às 19h56 L’oeuvre Au Noir [A Obra em Negro], de André Delvaux, 110 min, 16 anos 


Sexta, 28 de junho

14h às 15h29

Vivre sa vie [Viver a Vida], de Jean-Luc Godard, 83 min, 16 anos  

16h às 17h39

Vivre ensemble [Viver Junto], de Anna Karina, 93 min, 14 anos  

18h Bate-Papo com Rodrigo Fischer


Sábado, 29 de junho

14h às 15h45

Alphaville, de Jean-Luc Godard, 99 min, 12 anos

16h05 às 17h41

Rendez-vous a Bray [Encontro em Bray], de André Delvaux, 90 min, 16 anos

18h às 19h56

Olyan, Mint Otthon [Em Casa], de Marta Mészáros, 110 min, 14 anos   


Domingo, 30 de junho

13h30 às 15h56 

La Religieuse [A Religiosa], de Jacques Rivette, 140 min, 16 anos

16h15 às 17h46  

Une femme est une femme [Uma Mulher é uma Mulher], de Jean-Luc Godard, 85 min, 14 anos

AS SINOPSES DOS FILMES

Alphaville

Le Petit Soldat  [O pequeno Soldado]

França, 1963, Guerra/Thriller, pb, 1h28m

Durante a Guerra da Argélia, Bruno Forestier é um desertor que se refugia em Genebra, e lá se apaixona por Veronica Dreyer, até que um partido de extrema esquerda ordena que ele assassine um jornalista político da rádio suíça.

Une femme est une femme  [ Uma mulher é uma mulher ]

França / Itália, 1961, Comédia/Musical, cor, 1h25m

Angela, uma dançarina de cabaré, deseja ter um bebê e tenta convencer seu namorado, Émile, a ir adiante com a ideia, mas ele não concorda. Assim, ela acaba procurando o amigo de Émile, Alfred, para realizar seu desejo.

Pierrot le Fou  [ O Demônio das Onze Horas ]

França / Itália, 1965, Crime/Romance, cor, 1h50m

Para escapar de uma sociedade entediante, Ferdinand Griffon viaja com Marianne. Ela é perseguida por argelinos. Os dois iniciam uma onda de crimes que vai da França ao Mediterrâneo e termina com um banho de sangue.

Alphaville 

França / Itália, 1965, Ficção científica/Noir, pb, 1h39m

A cidade de Alphaville é comandada pelo computador Alpha 60, que aboliu os sentimentos em seus habitantes. Lemmy Caution é um agente secreto enviado ao local com a missão de encontrar o professor von Braun, criador de Alpha 60. Seu objetivo é convencê-lo a destruir a máquina. No percurso, Natacha, a filha do professor, lhe ajuda como guia.

Vivre sa vie  [ Viver a Vida ] 

França, 1962, Drama/Cinema mundial, pb, 1h23m

Nana, uma jovem parisiense que trabalha em um loja de discos, está desiludida pela pobreza e seu casamento em ruínas. Na esperança de se tornar uma atriz famosa, ela se decepciona mais uma vez, e se entrega à sombria vida de prostituição. Quando ela conhece um homem que realmente se importa com ela, Nana ganha uma nova esperança – porém, seu cafetão, Raoul, tem a palavra final.

Rendez-vous à Bray  [ Encontro em Bray ]

França / Bélgica, 1971, Guerra/Thriller, cor, 1h30m

Julien é um pianista de Luxemburgo que, no período da Segunda Guerra Mundial, é convidado para passar dois dias em uma vila no subúrbio de Paris. O convite veio de Jacques, que também é músico e agora oficial na aviação de guerra. Ali ele encontra uma bela e misteriosa mulher. O amigo está atrasado e nesse intervalo Julien relembra os dias anteriores à guerra.

Anna 

França, 1967, Musical/Comédia, cor, 1h27m

Anna é uma jovem da província que trabalha em uma agência de publicidade em Paris. A moça sonha com o dia em que vai conhecer o seu príncipe encantado. Ao seu lado, trabalha o diretor da agência, um homem que está apaixonado por uma mulher, mas só a conhece através de uma fotografia. Com a ajuda de um amigo, ele procura obsessivamente pela amada, mas não percebe que já a conhece…

La Religieuse  [ A Religiosa ]

França, 1966, Drama, cor, 2h20m

França, Século XVIII. Suzanne é uma jovem francesa que é forçada por seus pais a se tornar freira. Eles alegam não ter condições financeiras para cuidar dela, mas, na verdade, só querem se livrar da garota, que é fruto de um caso extraconjugal que sua mãe teve na juventude. No convento, Suzanne conhece três madres superioras: Madame de Moni, Irmã Sainte-Christine e Madame de Chelles. Rebelde, a moça é vítima de todo tipo de humilhação, sadismo e assédio sexual, apesar de receber algum carinho de vez em quando.

L’oeuvre Au Noir [ A Obra em Negro ] 

França / Bélgica, 1988, Drama, cor, 1h50m

No século XVI, a Espanha ocupa Flandres e a Inquisição reforça a fé. Escritor e filósofo envelhecido, Zénon Ligre chega a Bruges usando um nome falso para servir como médico aos pobres, estabelecendo uma clínica. Seus métodos e opiniões são fora do comum, mas ele tem a proteção e a amizade do Prior local. Zénon, aristocrata formado em direito canônico, vive com humildade. Ele aprende sobre bacanais e signos maçônicos envolvendo monges e mulheres, e avisa os envolvidos. O Prior está morrendo e ele pede a Zénon que fuja para a Inglaterra. Zénon queima sua escrita. Ele vai sair ou vai enfrentar seus acusadores eclesiásticos e, talvez, a estaca?

Olyan, Mint Otthon

Hungria, 1978, Drama, cor, 1h50m

Um filme que explora as complexidades das relações humanas através da história de uma mulher que busca compreender seu passado e sua identidade. Situado na Hungria da época, o filme oferece uma visão íntima e comovente dos desafios emocionais e sociais do seu tempo.

Vivre ensemble

França, 1973, Drama/Romance, cor, 1h33m

Alain, na casa dos trinta, é professor de história e leva uma vida bem ordenada com Sylvie. Em Saint-Germain-des-Prés, ele conhece Julie, uma garota caprichosa e muito livre. Alain deixa Sylvie e vai morar com Julie. O descuido toma conta dele, acaba não indo mais trabalhar. Nas férias, Julie decide ir com Alain para Nova York, onde mergulham na boemia de Greenwich Village e conhecem os ativistas do Central Park.

Cléo de 5 à 7  [ Cléo de 5 às 7 ]

França, 1962, Drama/Música, pb, 1h30m

Cléo, uma jovem cantora, vive um momento de angústia enquanto aguarda os resultados de exames médicos. Ela perambula pela cidade à espera da resposta, buscando distração com coisas banais, até que conhece um soldado prestes a partir para a guerra na Argélia.

Victoria

França / Canadá, 2008, Drama/Filme de estrada, cor, 1h35m

Stanislas e Jimmy são dois cantores que visitam Quebec. Louis oferece-lhes dinheiro e muitos shows por toda a província. Victoria, chefe de Louis, uma mulher muda e amnésica os acompanha nesta jornada. Eles iniciam uma longa e louca viagem ao longo do rio Saint Laurent.

Anna Karina, souviens-toi  [ Anna Karina, para você lembrar ]

França, 2017, Documentário, cor, 55min

Um retrato de Anna Karina por Dennis Berry, seu último marido. Numa sala de cinema de cadeiras vermelhas, Karina comenta o seu percurso no cinema e na música, os encontros decisivos com Jean-Luc Godard e Serge Gainsbourg, com Jacques Rivette, Luchino Visconti, George Cukor, Volker Schlöndorff, Rainer Werner Fassbinder, Raoul Ruiz. 

Le Soldatesse  [ Mulheres no Front ]

Itália, 1965, Guerra/Drama, pb, 2h

Baseado no romance de Ugo Pirro, o filme conta a história de um jovem tenente do exército italiano que, em 1942, recebe a ordem de levar um caminhão cheio de prostitutas gregas da faminta Atenas sob ocupação do Eixo para entreter as tropas que lutavam contra os guerrilheiros na Albânia.

Bande à part  [ Bando à Parte ]

França, 1964, Crime/Noir, 1h35m

Arthur e Franz, dois bandidos apaixonados por filmes B americanos, recrutam Odile, objeto de sua afeição compartilhada, para ajudá-los a roubar dinheiro da casa onde ela trabalha. Mas as coisas dão errado depois que o tio de Arthur descobre sua trama e quer cometer o roubo ele mesmo, forçando-os a se apressar.

Pigen og skoene  [ A menina e os sapatos ] 

Dinamarca, 1959, Curta-metragem/Comédia, 11 min

O filme de Ib Schmedes é o primeiro trabalho de Anna Karina no cinema, exibido em Cannes em 1959. 

Made in USA [ Made in USA ] 

França, 1966, Crime/Comédia, 1h30m

A jornalista Paula Nelson (Anna Karina) vai a uma pequena cidade francesa para encontrar o marido. Chegando lá, descobre que ele foi assassinado e começa a investigar o crime. Ela se depara com o submundo da política e suas conspirações, espionagens, traições e manipulações.


SERVIÇO

Mostra “Uma mulher é uma mulher: Anna Karina” | De 18 a 30 de junho de 2024

CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Unidade Passeio

Rua do Passeio, 38 – Centro, Rio de Janeiro/RJ

Acesso para pessoas com deficiência

Entrada Gratuita

Horários da bilheteria: Terça a sábado, 13h às 19h, e domingos e feriados, 13h às 17h.

Retirada de ingressos a partir de 30 minutos antes de cada sessão e atividade programada

Informações: (21) 3980-2069 e (21) 3980-2019

Pix Vertentes do Cinema

Deixe uma resposta