52 Festival de Brasilia do Cinema Brasileiro 2019

Saiba sobre o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 2019

Por Release Oficial

A 52ª edição será realizada de 22 de novembro a 1º dezembro. Com um novo conceito e o tema “afirmação do cinema nacional”, o Festival pretende ser um ambiente de negócios, profissionalização e qualificação do setor. Saiba sobre o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 2019!

Com prêmios em dinheiro para os vencedores em todas as categorias e um olhar diferente, voltado também para os negócios, o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro chega à 52ª edição. Realizada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal, em parceria com o Instituto Alvorada Brasil, a mostra será de 22 de novembro a 1º de dezembro. Com isso, o Festival, que terá como tema a afirmação do cinema nacional, volta às suas origens, fechando o calendário anual de premiações.

O Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (leia nosso balanço da edição 2018 Aqui) tem uma proposta diferente em 2019. Uma comissão foi formada para elaborar um novo formato conceitual para o tradicional evento, com ênfase em estrutura, premiações, economia criativa, fomento ao ambiente de negócios, profissionalização e qualificação do setor.

Assim, o Festival se imbui da missão de reafirmar a qualidade da produção brasileira e debater as condições necessárias para o seu desenvolvimento. Como ferramenta para esse diálogo, prepara a mostra paralela Território Brasil, que contemplará produções de todos os estados, expondo a diversidade do cinema brasileiro.

Realizado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal em parceria com o Instituto Alvorada Brasil, o 52º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro terá a primeira edição da Mostra Brasília BRB de Cinema. Dedicada exclusivamente a produções locais e com premiação total de R$ 150 mil para os vencedores, a disputa será realizada entre os dias 25 e 29 de novembro de 2019.

Pelo terceiro ano consecutivo, o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro terá, em sua programação, a Mostra Futuro Brasil. Nela, seis longas-metragens em processo de finalização serão exibidos em sessões fechadas durante o Festival, oferecendo aos diretores um primeiro contato com profissionais de curadoria e seleção de grandes festivais internacionais.

Encerrado o prazo de inscrições, o 52° Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 2019 contabilizou os filmes habilitados a concorrer a um lugar na Mostra Competitiva. No total, 189 longas-metragens e 512 curtas se inscreveram para a edição 2019 do festival de cinema mais tradicional do país. A lista com as obras selecionadas será divulgada no dia 30 de outubro, quando também será apresentada toda a programação do evento, marcado para o período de 22 de novembro a 1º de dezembro.

O número de 701 inscritos no 52° Festival de Brasília do Cinema Brasileiro é 12% maior do que o registrado na edição do ano passado, quando 626 obras foram submetidas à curadoria do evento – 483 curtas e 143 longas.

A seleção dos filmes para a Mostra Competitiva será feita por comissões curadoras constituídas por profissionais com comprovada experiência na área de cinema brasileiro, sendo: cinco integrantes para escolha dos longas-metragens e outros cinco para os curtas. A partir da avaliação das comissões, sete obras com duração igual ou superior a 70 minutos e 14 com duração inferior a 30 minutos serão selecionadas para disputar o Troféu Candango em suas respectivas categorias.

Artista por trás da identidade visual do 52º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, o ilustrador Mauro Martins vivenciou intensamente as opções de arte e cultura disponíveis na cidade ao longo da vida, desde a primeira infância – quando chegou à capital federal com a família, vindos de Minas Gerais –, passando pela cena roqueira dos anos 1990, na qual atuou como baterista, e comparecendo ainda a eventos de cinema, de artes plásticas e de diversas outras manifestações criativas pelo Distrito Federal. Saiba sobre o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 2019!

Os Longas selecionados a Mostra Competitiva

“Volume Morto”, de Kauê Telloli (SP)

“A Febre”, de Maya Da-Rin (RJ)

“Alice Júnior”, de Gil Barioni (PR)

“O Tempo que Resta”, documentário de Thaís Borges (DF)

“Loop”, de Bruno Bini (MT)

“O Mês que Não Terminou”, de Francisco Bosco e Raul Mourão (RJ)

“Piedade”, Claudio Assis (PE).

Os curtas-metragens selecionados a Mostra Competitiva

“A nave de Mané Socó”, de Severino Dadá (PE)

“Alfazema”, de Sabrina Fidalgo (RJ)

“Amor aos vinte anos”, de Felipe Arrojo Poroger e Totó Loureiro (SP)

“Angela”, de Marília Nogueira (MG)

“Ari y tô”, de Adriana de Faria (PA)

“Cabeça de Rua”, de Angélica Lourenço (MG)

“Caranguejo Rei”, de Enock Carvalho e Matheus Farias (PE)

“Carne”, de Camila Later (SP)

“Chico Mendes – Um legado a defender”, de João Inácio (DF)

“Marco”, de Sara Benvenuto (CE)

“Parabéns a você”, de Andréia Kalábola (PR)

“Pelanol”, de Christina Mariani e Calebe Lopes (BA)

“Rã”, de Júlia Zakia e Ana Flávia Cavalcanti (SP); e

“Sangro”, de Tiago Minamisawa, Bruno H Castro e Guto BR (SP).

Os Longas selecionados para a Mostra Brasília BRB de Cinema

A 52ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro será palco também da Mostra Brasília BRB de Cinema. Dedicada, exclusivamente, a produções locais e com premiação total de R$ 150 mil, dividida entre os 13 ganhadores, a disputa será realizada entre 25 e 29 de novembro.

“Mãe”, de Adriana Vasconcelos

“Dulcina”, documentário da diretora Glória Teixeira

“Ainda temos a imensidão da noite”, filme de ficção do diretor Gustavo Galvão; e

“Mito e Música – A mensagem de Fernando Pessoa”, de Rama de Oliveira e André Luiz Oliveira.

Os curtas selecionados para a Mostra Brasília BRB de Cinema

“Claudia e o crocodilo”, de Raquel Piantino

“#SomosAmazônia”, de João Inácio

“O véu de Amani”, de Renata Diniz

“A terra em que pisar”, de Fáuston da Silva

“Escola sem sentido”, de Thiago Foresti

“Ambulatório”, de Júlia de Lannoy

“Encanto feminino”, de Fabíola de Andrade

“Luis Humberto: O Olhar Possível”, de Mariana Costa e Rafael Lobo

Os Selecionados a Mostra Futuro Brasil

“A matéria noturna”, de Bernard Lessa, ES

“Mulher Oceano”, de Djin Sganzerla, SP

“O Cerco”, de Aurélio Aragão, Gustavo Bragança e Rafael Spínola,  RJ

“O Espaço Infinito”, de Leo Bello, DF

“Pajeú”, de Pedro Diogenes, CE

“Que os Olhos Ruins Não te Enxerguem”, de Roberto Maty, SP

Hors-Concours

“O Traidor”, de Marco Bellocchio

“Giacondo Dias – Ilustre Clandestino”, de Vladimir Carvalho

“Boca de Ouro”, de Daniel Filho

Sessões Especiais

“José Aparecido de Oliveira”, de Mário Lúcio Brandão Filho

“Campus Santo”, de Marcio Curi

JÚRI – MOSTRA COMPETITIVA DE LONGAS

Artur Xexéo, 68 anos, é jornalista, dramaturgo, roteirista e escritor carioca. Mantém uma coluna semanal no jornal O Globo e é comentarista da GloboNews e da CBN. Autor de musicais e roteirista de séries de TV. Assina os livros O torcedor acidental, Janete Clair – A usineira dos sonhos e Hebe – A biografia.

Bianca De Felippes é produtora e distribuidora de cinema e produziu mais de 150 peças. É fundadora da Associação dos Produtores de Teatro. Foi sócia da Copacabana Filmes e está na Gávea Filmes desde 2008. Entre outros, produziu Carlota Joaquina, a Princesa do Brazil, ícone da retomada do cinema brasileiro; Faroeste caboclo; e prepara o lançamento do longa Eduardo e Mônica.

Bruna Linzmeyer é atriz. Atuou em dez longas-metragens, quatro curtas, sete novelas e duas séries de TV. Entre as diretoras e diretores com quem trabalhou estão Anita Rocha da Silveira, Daniela Thomas, Carlos Diegues e Neville D’Almeida.

Carlos Diegues é um dos grandes nomes do cinema brasileiro de todos os tempos. Sua filmografia consegue o raro feito de ser ao mesmo tempo popular e de empenho artístico, reflexivo e de encantamento. Um dos fundadores do Cinema Novo, dirigiu filmes de grande popularidade, tais como o filme Xica da Silva e Bye bye Brasil. Participou e foi premiado em festivais como Cannes, Veneza, Berlim, dentre outros, o que tornou Carlos Diegues um dos cineastas latino-americanos mais conhecidos e respeitados no mundo.

Carmen Luz é realizadora audiovisual, mestre em Arte e Cultura Contemporânea pela UERJ, pesquisadora, pós-graduada em Cinema-Documentário pela Fundação Getulio Vargas e professora na Escola de Cinema Darcy Ribeiro. Integra comitês de seleção de eventos de cinema. Seus filmes foram exibidos em festivais no Brasil e no exterior.

Jimi Figueiredo é diretor e roteirista. Seus curtas Superfície, Paralelas e Verdadeiro ou falso participaram de importantes festivais no Brasil e no exterior. Realizou os longas Cru (2011), Jogo da memória (2014) e Malícia (2016). Atualmente, dirige a minissérie Histórias do Brasil e finaliza o longa-metragem Noctiluzes.

Pablo Villaça atua como crítico de cinema desde 1994. Em 1997, criou o Cinema em Cena, mais antigo site do gênero da web brasileira. Roteirizou e dirigiu dois curtas-metragens e é autor dos livros O cinema além das montanhas e Os filmes da sua vida têm muito mais para contar, além de colaborações em três livros da Abraccine.

As Oficinas

Serão seis oficinas formativas dentro e fora do Plano Piloto, levando a cultura cinematográfica a diferentes Regiões Administrativas do Distrito Federal. As ações fazem parte de um dos objetivos do Festival, que é descentralizar o conhecimento sobre cinema e aprimorar o perfil de profissionais do audiovisual no DF. Saiba sobre o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 2019!

O Som em Cena, com Beto Strada

A oficina ocorrerá de 22 a 26 de novembro, das 14h às 18h, no SESC Ceilândia (QNN 27, lote B, Ceilândia Norte). São 40 vagas voltadas para interessados em som para audiovisual.

Assistente de Direção, com Luciana Baptista

Esta oficina, dividida em duas ementas, acontecerá nos dias 22 e 23 de novembro, das 14h às 18h, no Plano Piloto (local a definir).

Fotografia e Iluminação com Materiais Alternativos, com Ricardo Pinelli e Waldir de Pina

A oficina, que oferece 20 vagas, acontecerá entre os dias 25 e 28 de novembro, das 14h às 18h, no Centro de Ensino Médio São Francisco – Chicão (Quadra 17, Lote 100, bairro São Francisco – São Sebastião).

Arte de Fazer Produção, com Wellington Pingo

Esta oficina tem cinco módulos e será realizada entre os dias 27 de novembro e 1º de dezembro, das 14h às 18h, na UnB (Campus Darcy Ribeiro). As 40 vagas disponíveis pedem, como pré-requisito, experiência em audiovisual.

Supervisão de Pós-Produção, com Marcelo “Sica” Siqueira

Para esta oficina serão oferecidas 30 vagas nos dias 28 e 29 de novembro, das 14h às 17h, na UnB (Campus Darcy Ribeiro).

Práticas de Realização em VR, com Fabiano Mixo e Leonardo Souza

A oficina, que conta com 12 vagas, acontecerá de 27 a 30 de novembro, das 14h às 19h, no IFB (Campus Recanto das Emas).

 

Anuncie no Vertentes do Cinema

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *