Rostos Fellinianos

Rostos Fellinianos e O Mestre de Rimini na Cinemateca do MAM-Rio

Exposição e Mostra de Filmes relembram o realizador italiano

Por Redação

Por ocasião das celebrações do centenário do nascimento do diretor italiano de cinema Federico Fellini (20 de janeiro de 1920, em Rimini, Itália – 31 de outubro de 1993, em Roma), a CINEMATECA DO MAM-Rio e o Instituto Italiano de Cultura do Rio de Janeiro apresentam, a partir do dia 4 de fevereiro de 2020, às 18h, a exposição “Rostos Fellianianos” e a mostra de filmes “O Mestre de Rimini”.

A MOSTRA DE FILMES

Noites de Cabiria

“O Mestre de Rimini” foi organizada pelo Curador José Quental. Segundo ele, a proposta é um pequeno, e singular, percurso pela filmografia de Fellini. “Nesta retrospectiva, para além de obras incontornáveis de sua filmografia, destacamos alguns trabalhos em que Fellini atuou como roteirista e também como ator. Além disso, propomos algumas aproximações com outros cineastas que inspiram a obra felliniana – como Charles Chaplin – e/ou que se assemelham nas formas e metodologias de trabalho – como Alfred Hitchcock. Por último, buscamos apontar algumas pistas de como o cinema contemporâneo pode ter desenvolvido certas características marcantes do cinema felliniano, como a fantasia, a suspensão do real ou formas de trabalhar a memória. Tais aproximações e provocações surgem a partir das reflexões de três críticos que produziram textos inéditos para o catálogo da exposição, à saber: Julhia Quadros, Ruy Gardnier e Luiz Carlos Oliveira Jr. Desta forma, propomos esse sobrevoo da obra de um dos cineastas mais singulares da história do cinema mundial.”

A EXPOSIÇÃO

Rostos Fellinianos

A exposição reúne 73 ampliações fotográficas de diversos fotógrafos de cena que trabalharam com Federico Fellini, como Pierluigi Praturlon, A. Piatti e Osvaldo Civirani, com destaque para Paul Ronald (1924–2015), celebrado fotógrafo de cena francês, que teve sua trajetória ligada ao cinema italiano. Por iniciativa própria, Paul Ronald realizou um conjunto de fotografias coloridas que retratam atores do filme “” (1963), obra-prima de Federico Fellini. O Instituto Italiano de Cultura do Rio de Janeiro teve acesso às imagens do fotografo francês através do colecionador italiano Antonio Maraldi, que as recebeu em doação do próprio fotógrafo no final dos anos 1990. As imagens dos demais fotógrafos pertencem à coleção da Cinemateca do MAM. A exposição apresenta ainda três raras fotos da passagem da esposa e musa de Fellini, a atriz Giulietta Masina, pelo Brasil em 1958. As imagens pertencem ao acervo da Memória Civelli.

A curadoria da exposição é de Hernani Heffner, Conservador-Chefe da Cinemateca, que procurou explorar a percepção de Ronald quanto ao método de trabalho de Fellini e nesse caso, quanto aos traços que compõem a galeria de tipos fellinianos, com destaque absoluto para o ator Marcello Mastroianni, considerado pelo diretor sua tradução mais perfeita nas telas. A iniciativa de Ronald de nas horas vagas das filmagens produzir uma documentação fotográfica colorida de atores e atrizes revela não só a construção das personas ora sublimes, ora grotescas, da condição humana, como evidencia sobretudo as estratégias de direção de arte e figurinos em sua composição final da imagem em preto e branco do clássico 8 ½.

As fotografias de Ronald são inéditas de uma maneira geral até mesmo na Itália, já que foram feitas sem intenção de uso imediato, e fora dela constituem uma absoluta novidade. A coleção integra as celebrações dos cem anos de nascimento deste gênio da arte cinematográfica, e a exposição é uma realização conjunta do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Istituto Italiano di Cultura do Rio de Janeiro, Embaixada da Itália no Brasil, Consulado da Itália no Rio de Janeiro, Comune e Cineteca de Cesena, e Centenário Fellini. O material produzido por Paul Ronald será doado por Antonio Maraldi ao Museu Fellini, que será inaugurado em dezembro de 2020 em sua terra natal, Rimini.

As demais imagens funcionam como um pequeno inventário da fotografia de cena italiana, uma das mais ricas e importantes do mundo, com exemplares de mestres como Civirani, Praturlon e G. B. Poletto. Desde a icônica imagem de Anita Ekberg na cena da Fontana di Trevi, em A Doce Vida, capturada por Praturlon, até a doçura chapliniana da Giulietta Masina em A Estada da vida, no clique de A. Piatti, artista sobre o qual não se sabe praticamente nada, desfilam pela exposição alguns dos grandes nomes da fotografia de cena, astros e estrelas do cinema e tipos anônimos que Fellini selecionava a cada nova produção, buscando com anúncios de jornal, justamente o inusitado, o cômico, e até mesmo o inconcebível e improvável, constituindo uma galeria de personagens que ficaram conhecidos como “fellinianos” dado o traço surreal e inesperado dos corpos, rostos e personalidades. Todas são oriundas do acervo da Cinemateca.

As 73 fotografias exibidas no MAM são ampliadas e impressas em preto e branco em 30 x 30cm, a maioria, sendo um 70 x 70cm e 3 50 x 26cm, a partir de arquivos digitais obtidos diretamente dos negativos fotográficos, e as últimas de exemplares ampliados vintage. As imagens revelam nomes como Marcello Mastroianni, a quem é dedicada toda uma sessão do grupo de imagens, e colaboradores regulares como Giulietta Masina, Catarina Boratto, Sandra Milo, Valentina Cortese, Claudia Cardinale e a famosa galeria de tipos “anônimos”, com destaque para a seleção oriunda do primeiro filme colorido rodado por Fellini, o clássico Julieta dos Espíritos (1965), produção fantástica que mobiliza uma galeria de tipos “estranhos”.

SOBRE PAUL RONALD

Foto de PAUL RONALD

Considerado um dos três maiores fotógrafos de cenas da história do cinema italiano, junto com Tazio Secchiaroli e Pierluigi Praturlon, ambos também muito ligados à obra felliniana, Paul Pellet Ronald nasceu em Hyères, sul da França, em 17 de outubro de 1924. Com formação em náutica, transferiu-se para Nice em função da Segunda Guerra Mundial e começou a frequentar o ambiente de cinema. Conhece o fotógrafo de cena italiano Aldo (Aldo Graziati), que o convida para trabalhar como assistente em “Além da vida” (1943), de Jean Dellanoy. Após um período trabalhando como fotógrafo de guerra junto aos Aliados, reencontra Aldo e continua como seu assistente em “A Bela e fera” (1946), de Jean Cocteau. Ambos partem em seguida para a Itália, chamados por Luchino Visconti para trabalharem em “A terra treme” (1948), com Aldo tornando-se um famoso diretor de fotografia sob o pseudônimo G. R. Aldo, e Ronald iniciando-se como fotógrafo de cena (stillman) principal. Os dois seguiram fiéis a Visconti por toda a sua carreira, com Ronald inclusive tendo um crédito parcial como diretor de fotografia em “Belíssima” (1950), e fazendo boa parte dos registros fotográficos das encenações teatrais do mestre. Firmando-se na década de 1950 como um dos grandes, senão o maior, fotógrafo de cena (still) do cinema italiano, Ronald trabalha com os principais nomes desta e das décadas seguintes como Blasetti, Genina, Ferreri, Cavani, Lattuada, Risi e principalmente Scola, depois de Visconti. Atua também na mesma função em produções internacionais como “Beat the devil” (1953) e “The Bible: in the beginning…” (1966), de John Huston, e “Waterloo” (1970), de Sergey Bondarchuk. Para Fellini, faz a fotografia de cena do episódio “La tentazioni del Dottor Antonio”, de “Boccaccio 70”, chamando a atenção do diretor por sua discrição, rapidez e silêncio no trabalho, ao contrário do sempre “escandaloso” Praturlon, que Fellini admirava, mas com quem tinha muitos atritos. Ronald fez a fotografia de cena de “8 ½”, filmado também em 1962, filme considerado uma de suas obras-primas. Seu último trabalho em cinema foi “Sonho proibido” (1993), de Franco Zeffirelli. Paul Ronald faleceu em 13 de janeiro de 2015 em Gap, sul da França.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA DA MOSTRA DE FILMES

Rostos Fellinianos

ter 04
18h30 – O Mestre de Rimini – Fellini in città de Maurizio Ponzi. Itália, 1968. Documentário. 20’. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa livre

qua 05
14h30 – O Mestre de Rimini – Na Frente Há Lugar Avanti c’è posto… de Mario Bonnard. Itália, 1942. Com Aldo Fabrizi, Andrea Checchi e Adriana Benetti. 90’. Legendas em portugês. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos
17h – O Mestre de Rimini – Sem Piedade Senza pietà de Alberto Lattuada. Itália, 1948. Com Carla Del Poggio, John Kitzmiller e Giulietta Masina. 90’. Legendas em português. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos
19h – O Mestre de Rimini – O Amor L’amore de Roberto Rosselini. Itália, 1948. Com Anna Magnani, Federico Fellini, Peparuolo. 79’. Legendas em portugês. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos

qui 06
14h30 – O Mestre de Rimini – Paisà Paisà de Roberto Rosselini. Itália, 1946’. Com Carmela Sazio, Gar Moore, William Tubbs. 134`. Legendas em portugês. Exibição em mov (H264). Classificação indicativa 12 anos
17h – O Mestre de Rimini – Abismo de um sonho Lo sceicco bianco de Federico Fellini. Itália, 1952. Com Alberto Sordi, Giulietta Masina, Brunella Bovo. 146`. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa Livre
19h30 – O Mestre de Rimini – Em busca de Fellini In search of Fellini de Taron Lexton. EUA, 2017. Com Ksenia Solo e Maria Bello. 93’. Legendas em pórtuguês. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos

sex 07
15h – O Mestre de Rimini – Noites de Cabiria Le notti di Cabiria de Federico Fellini. Itália, 1957. Com Giulietta Masina, François Périer, Franca Marzi 120’. Legendas em pórtuguês. Exibição em 35mm. Classificação indicativa Livre
17h – O Mestre de Rimini – O Circo The circus de Charles Chaplin. Estados Unidos, 1928. Com Charles Chaplin, Merna Kennedy e Al Ernest Garcia. 81’. Legendas em pórtuguês. Exibição em Blu-ray. Classificação indicativa Livre
18h30 – O Mestre de Rimini – Estrada da Vida La strada de Federico Fellini. Itália, 1954. Com Anthony Quinn, Giulietta Masina, Richard Basehart. 115’. Exibição em mov (H264). + O picadeiro felliniano, conversa com Julhia Quadros. Classificação indicativa Livre

ter 11
14h30 – O Mestre de Rimini – Os boas vidas I vitelloni de Federico Fellini. Itália, 1953. Com Alberto Sordi, Franco Fabrizi, Franco Interlenghi. 109’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Classificação indicativa livre
16h30 – O Mestre de Rimini – A doce vida La dolce vita de Federico Fellini. Italia, 1960. Com Marcello Mastroianni, Anita Ekberg, Anouk Aimée. 174’ Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.
19h30 – O Mestre de Rimini – Encontros da meia noite Les rencontres d’après minuit de Yann Gonzales. França, 2013. Com Kate Moran, Niels Schneider e Nicolas Maury. 92’. Legendas em portugês. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.

qua 12
14h30 – O Mestre de Rimini – O Caminho da Esperança Il cammino della speranza de Pietro Germi. Itália, 1950. Com Raf Vallone, Elena Varzi e Saro Urzì. 105’ Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 14 anos.
17h – O Mestre de Rimini – Amarcord Amarcord de Federico Fellini. Itália e França, 1973. Magali Noël, Bruno Zanin, Pupella Maggio. 123’. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa livre
19h – O Mestre de Rimini – Eu me lembro de Edgar Navarro. Brasil, 2005. Com Lucas Valadares, Fernando Neves e Arly Arnaud. 110’. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.

qui 13
14h30 – O Mestre de Rimini – Fellini : eu sou um grande metiroso Fellini: je suis um grand menteur de Damian Pettigrew. França, Itália e Reino Unido, 2002. Documentário. 105’ Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa livre.
16h – O Mestre de Rimini – E la nave va E la nave va de Federico Fellini. Itália, 1983. Com Freddie Jones, Barbara Jefford e Victor Poletti. 127’. Legendas em português. Exibição em Blu-Ray. Classificação indicativa 16 anos.
18h30 – O Mestre de Rimini – Um Corpo que Cai Vertigo de Alfred Hitchcock. Estados Unidos, 1958. Com James Stewart e Kim Novak. 130’. Legendas em português. Exibição em Blu-Ray. Classificação indicativa 16 anos.

sex 14
14h30 – O Mestre de Rimini – Os Palhaços I Clowns de Federico Fellini. Itália, França e Alemanha, 1970. 92’. Legendas em português. Exibição em Blu-Ray. Classificação indicativa. Livre.
16h – O Mestre de Rimini – 2046: Os Segredos do Amor 2046 de Wong Kar-wai. Hong Kong, China, França, Itália e Alemanha, 2006. Com Tony Chiu-Wai Leung, Ziyi Zhang e Faye Wong. 129’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa 16 anos.
18h – O Mestre de Rimini – 8 1/2 de Federico Fellini. França e Itália, 1963. Com Marcello Mastroianni, Anouk Aimée, Claudia Cardinale. 140’. + Terry Giliam on Federico Fellini 8 1/2. Estados Unidos, 2001. Documentário. 8’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264). Classificação indicativa livre.

SERVIÇO

Serviço: exposição “Rostos Fellinianos” – Centenário de Federico Fellini
Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro
[acesso ao auditório Cosme Alves Netto]
Abertura: 4 de fevereiro de 2020
Horário: 18h
Até: 5 de abril de 2020
Curadoria: Hernani Heffner

Mostra de filmes “O Mestre de Rimini”
Abertura: 4 de fevereiro de 2020
Horário: 18h
Até: 14 de fevereiro de 2020 (mostra de filmes)
Lei de Incentivo à Cultura /Mantenedores do MAM Rio: Petrobras, Ternium, Ministério da Cidadania – Pátria Amada Brasil – Governo Federal
Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro
De terça a sexta, das 10h às 17h, e quando houver sessões noturnas na Cinemateca.
Sábado, domingo e feriado, das 11h às 18h.
Ingresso: entrada gratuita
Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85
Parque do Flamengo – Rio de Janeiro – RJ 20021-140
Telefone: 21. 3883.5600
www.mam.rio/cinemateca

Anuncie no Vertentes do Cinema

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *