Anuncio zazie

Retrospectiva José Eduardo Belmonte

RETROSPECTIVA José Eduardo Belmonte

Vitrine Filmes e Cine Glória apresentam obra completa do diretor. De 17 a 23 de dezembro, o público terá a oportunidade de conferir a obra completa de José Eduardo Belmonte, diretor de Meu Mundo Em Perigo.

Durante a retrospectiva, serão exibidos os longas Se Nada Mais Der Certo, A Concepção e Subterrâneos, ainda inédito no circuito comercial e também os quatro curtas do cineasta. Meu Mundo em Perigo foi o grande vencedor do Festival de Brasilia de 2007: Melhor Filme segundo a Crítica, Melhor Ator para Eucir de Souza e Melhor Ator Coadjuvante para Milhem Cortaz.

Belmonte é formado em cinema pela Universidade de Brasília, onde teve aulas com Nelson Pereira dos Santos, com quem trabalhou, e Wladimir Carvalho, dentre outros. Seus cinco curtas e quatro longas-metragens somam aproximadamente sessenta prêmios nos principais festivais do país.

LEIA A OPINIÃO DO FILME –> “Meu Mundo em Perigo”

SERVIÇO

Retrospectiva José Eduardo Belmonte
Data: 17 a 23 de dezembro
Horário: 14h
Local: Cine Glória Praça Luís de Camões, s/nº – Memorial Getúlio Vargas, subsolo, Glória, Rio de Janeiro – RJ. Tels: 2556-0781
Preço do ingresso: R$12,00 (seg, ter e qua) e R$14,00 (qui, sex, sab e dom)

Meu Mundo em Perigo
Data: em cartaz a partir de 17 de dezembro
Horário: 16h
Local: Cine Glória Praça Luís de Camões, s/nº – Memorial Getúlio Vargas, subsolo, Glória, Rio de Janeiro – RJ. Tels: 2556-0781
Preço do ingresso: R$12,00 (seg, ter e qua) e R$14,00 (qui, sex, sab e dom)

PROGRAMAÇÃO RETROSPECTIVA JOSÉ EDUARDO BELMONTE
 
17/12 – sexta-feira: Concepção
18/12 – sábado: Subterrâneos
19/12 – domingo: Seleção de Curtas
20/12 – segunda-feira: Se Nada Mais Der Certo
21/12 – terça-feira: Concepção
22/12 – quarta-feira: Se Nada Mais Der Certo
23/12 – quinta-feira: Seleção de Curtas

FILMOGRAFIA

SE NADA MAIS DER CERTO

2008, ficção, 35mm, 120 minutos. Censura: 16 anos
“Se nada mais der certo” mostra uma classe média achatada, num país cujo crescimento nos últimos anos ficou aquém do esperado. Léo (Cauã Reymond), um jornalista falido de cerca 30 anos, conhece Marcin (Caroline Abras), um tipo ambíguo e frequentador de “bocas”, que o apresenta a Wilson (João Miguel), prestes a ser um taxista sem táxi, pois não consegue obter o mínimo de dinheiro para não perdê-lo. Os três se unem para realizar um pequeno golpe que acaba sendo bem sucedido e surge uma forte relação de afeto entre eles. A partir daí, as oportunidades aparecem e, quase sem perceber, Léo se envolve numa vida criminosa.

Principais prêmios

– Prêmio de Melhor Filme, Melhor Roteiro, Melhor Atriz (Caroline Abras) no Festival do Rio de Janeiro (2008).
– Prêmio da Câmara Legislativa de Melhor Filme Brasiliense, Prêmio Saruê no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (2008).
– Prêmio de Melhor Ator (Cauã Reymond) e Melhor Atriz (Caroline Abras) no 2th Los Angeles Brazilian Film Festival.
– Prêmio de Melhor Filme, Melhor Ator (João Miguel) e Melhor Atriz (Caroline Abras) no 11o Festival du Cinéma Brésilien de Paris.
– Prêmio de Melhor Ator para Cauã Reymond e João Miguel no 13 th Brazilian Film Festival of Miami.
– Prêmio de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Montagem e Melhor Ator (Cauã Reymond), no 19º Cine Ceará – Festival Ibero-Americano de Cinema.
– Prêmio do Júri Popular de Melhor Atriz (Caroline Abras) e Melhor Ator (Cauã Reymond), no 9º Festival Ibero Americano de Cinema de Sergipe (Curta-SE 9).
– Prêmio de Melhor Diretor, Melhor Atriz (Caroline Abras) e Melhor Ator (Cauã Reymond), no 4º Brazilian Film Festival of Toronto 2009.
– Prêmio de Melhor Montagem no 5º Festcine Goiânia.

MEU MUNDO EM PERIGO

2007, ficção, 35 mm, 96 minutos. Censura: 12 anos
Elias vê seu mundo ameaçado quando sua ex-mulher, uma junkie em recuperação, pede a guarda de seu filho. Desesperado, após matar um homem em um acidente de trânsito, ele se esconde em um hotel decadente no Centro de São Paulo. Lá, ele conhece uma garota que também foge de seus problemas familiares. Juntos, eles vão tentar descobrir um novo sentido para suas vidas.

Principais prêmios

– Prêmio de Melhor Ator (Eucir de Souza), Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Milhem Cortaz), Melhor Filme e Prêmio da crítica – Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (2007).

A CONCEPÇÃO

2005, ficção, 35mm, 90 minutos. Censura: 18 anos
Alex, Lino e Liz são filhos de diplomatas que vivem juntos em Brasília num
apartamento vazio, sem os pais, e cheio de quinquilharias globalizadas. Trocam afetos
variados alheios ao mundo. Entediados, tentam viver cada dia como se fosse único. O
processo radicaliza quando X, uma pessoa sem nome e sem passado, entra na casa e
propõe ir sem freios na idéia de viver apenas um dia. Pra isso propõe um falso
movimento chamado Concepcionismo, que consiste em morte ao ego, ser tudo de todas
as maneiras, abolir o dinheiro entre outras coisas, seguir o caminho do excesso, nem
que para isso seja necessário drogas, documentos falsos, total despudor. O mundo seriaum grande teatro e o concepcionista um criador de personagens que duram apenas 24 horas.

Principais prêmios

– Prize of proclamation for accomplishment of the Ministry of the Culture (2003).
– Prêmio de Melhor Montagem, Melhor Trilha Sonora e Prêmio Assembléia Legislativa para Melhor Filme Brasiliense no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (2005).
– Prêmio de melhor Director de Arte no Festival de Cinema e Vídeo de Cuiabá (2006).
– Prêmio de Melhor Montagem, Melhor Trilha Sonora, Melhor Fotografia, Melhor Ator (Matheus Nachtergaele) no Prêmio FIESP de Cinema (2007).

SUBTERRÂNEOS

2003, 35mm, ficção, 86 minutos. Censura: 14 anos
Breno, sindicalista que abandona o trabalho para escrever um livro sobre o Conic – centro comercial de Brasília povoado por prostituas, evangélicos e travestis. Durante três dias, Breno percorre os corredores do local, onde encontra figuras como Ângela, que busca desesperadamente uma solução para sua vida e Giovani, um italiano que está gravando um documentário sobre o Conic.

CURTAS

50 ANOS EM 5

2010, 35mm, ficção, 8 minutos. Censura: 14 anos
Homem de 50 anos que tem por habito ficar parado na faixa do segurança pensativo, se descobre um dia apaixonado. Todo dia a mulher, mais nova, que ele está apaixonado, atravessa o eixão ou por cima, na pista, ou por baixo, pela passagem subterrânea. O que não muda é que ela passa sempre no mesmo horário. Daqui a cinco minutos, depois da sua descoberta de paixão. Sua passagem não dura mais que 50 segundos. Nesse tempo de espera, o homem vai lembrar dos seus amores e frustrações.

UM TRAILER AMERICANO

2002, 35mm, ficção, 13 minutos. Censura: 14 anos
O trailer onde moram Nádia, Flores e Mustang quebrou diante de um drive-in e eles nunca o consertam. Ficam falando sobre amenidades, a vida, e vêem os filmes americanos que passam no cinema em frente. Sem perceber, adoram tudo que é americano. Amam-se, mas estão em crise e sentem uma preguiça imensa pelo universo a suas voltas. A história é contada como um trailer de cinema, sem um tempo linear. 

Principais prêmios

– Prêmio para realização concurso Petrobrás para curta metragem.
– Prêmio de Melhor Montagem no Festival de Cinema de Recife (2003).
– Menção Honrosa ABD-RJ no Festival Curta Cinema.
– Favoritos do Público no Festival Internacional de Curtas Metragens de SP (2003).

DEZ DIAS FELIZES

2002, 35mm, ficção, 20 minutos. Censura: 14 anos
Casal de jovens namorados, na cidade de Brasília, vão fazer um aborto. No caminho, eles sentem medo, angústia, tristeza e se lembram de momentos felizes que passaram juntos. E se reencontram 10 anos depois.

Principais prêmios

– Prêmio para realização do Pólo de Cinema e Vídeo Grande Otelo.

TEPÊ

1999, 35mm, ficção, 17 minutos. Censura: 14 anos
Noite de chuva em Brasília. Beto, um ateu convicto, depois de beber umas e outras com os amigos no bar, pega um táxi e inicia uma conversa bem humorada com o taxista Tepê, um senhor bonachão. Em meio ao temporal os dois passam um susto e Beto agradece a Deus. Tepê aproveita e ironiza a falta de fé de Beto e mostra saber tudo sobre sua vida: o que ele fez e qual será seu destino.

Principais prêmios

– Melhor Filme – Júri Popular e Melhor Roteiro no 32o Festival de Brasília.
– Prêmio Assembléia Legislativa para Melhor Filme Brasiliense, 1999.
– Prêmio Melhor Filme Júri Popular, Melhor Montagem, Melhor Ator (Rogério Fróes)
no 28° Festival de Cinema de Gramado.
– Melhor Filme – Júri Popular, Melhor Fotografia e Prêmio Especial ABD no 7O Festival
de Cinema de Vitória.
– Favoritos do público no Festival Internacional de Curtas Metragens de SP, 2000.
– Melhor Argumento no Festival de Cinema de Cuiabá.
– Considerado entre os 30 curtas da década de 90 num levantamento feito pelo CTAV
com vários críticos e realizadores.
– Finalista do Grande Prêmio Cinema Brasil de melhor Média Metragem

5 FILMES ESTRANGEIROS

1997, 35mm, ficção, 14 minutos. Censura: 14 anos
Um nepalês sociopata, um casal francês em crise, um brasileiro maníaco, paraguaios em festas e artistas africanos em turnê se cruzam num dia fatal.
Principais prêmios:
– Melhor Filme e Melhor montagem no 30o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.
– Prêmio Assembléia Legislativa para Melhor Filme Brasiliense, 1997.
– Prêmio Especial do Júri no 27o Festival de Cinema de Gramado.
– Prêmio de Melhor Filme – Júri Popular no 3o Festival Luso -Brasileiro de Cinema.

Banner Vertentes Anuncio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.