Anuncie no Vertentes do Cinema

Os Vencedores da primeira edição do CIndie Festival 2020

O Festival de Cinema Independente divulgou neste sábado (03) os premiados pelo júri oficial e popular

Por Redação

O CIndie Festival aconteceu de 24 de setembro a 03 de outubro (hoje), com a garra dos guerreiros em front de guerra (em destaque a humana-máquina Joana Sanz), não só porque precisou se reinventar de forma online, mas principalmente por competir em meio a outros grandes festivais, como o É Tudo Verdade 2020. Sim, mas também proporcionar ao público opções tão plurais, que “retratam os diversos Brasis que co-existem diariamente em nossa território”, bem lembrou os curadores Pedro Alves e Silvestre.

Em dez dias, o público recebeu um recorte selecionado do novo cinema independente. O Vertentes do Cinema, como apoio de mídia, realizou o tradicional Tudo Sobre com todas as informações e dicas imperdíveis. A matéria pode ser lida na íntegra Aqui.

O trabalho não poupou ninguém, contudo bem mais intensamente seu Júri Oficial, composto pela crítica de cinema Sarah Lyra; o ator e diretor Sérgio Malheiros; o crítico de cinema, curador e advogado Filippo Pitanga; a jornalista e podcaster Laysa Zanetti; e o ator Erom Cordeiro, na mostra competitiva de longa-metragem, de curta-metragem e  curta-metragem universitário.

Mas não para por aí. Os curadores resolveram ir além e cunhar nomes curiosos e transgressores, como Resistência Trans; Olhar da Sociedade; Documentário LGBTQ+; Estéticas; Realismo Fantástico; Comédia Fantástica da Vida Privada; Sessão +18; Quarenteners; Experimentais; Infâncias; Sobre a Morte; Histórias do Brasil; Espectros do Terror; Distopias; Histórias da Escola; Ficção Científica; e Terror. A Cerimônia de Premiação, às 20:00, no Youtube do Cindie Festival, com a apresentação do ator Victor Grimoni.

“Pela maravilhosa experiência compartilhada, o Júri composto por Erom Cordeiro, Lysa Zanetti, Sergio Malheiros, Sarah Lyra e Filippo Pitanga gostaria de agradecer à curadoria e ao Cindie Festival pelos filmes proporcionados que excederam a expectativa, seja em relação à fusão de linguagens entre estética e o extracampo social, seja como prova viva de que o cinema resiste. Que mesmo neste ano difícil, o encontro de olhares e experiências possam ampliar o momento vivenciado com todas as propostas de expressão e vanguarda no intuito de uma superação pela arte, e que venham muitas mais edições pela frente do Cindie Festival”, escreveu o Júri oficial na cerimônia.

“Viva a arte!”, encerra Victor Grimoni.  ASSISTA AQUI o vídeo da Cerimônia de Premiação!

OS VENCEDORES

MELHOR CURTA-METRAGEM

Os Últimos Românticos do Mundo, de Henrique Arruda

Justificativa do Júri: “Por mostrar que apenas o amor livre pode vencer qualquer tipo de apocalipse e unir a força do elenco com apurado senso alegórico, melhor curta-metragem vai para “Os Últimos Românticos do Mundo””.

MENÇÃO HONROSA DE CURTA-METRAGEM

Ainda somos os Mesmos, de Jonathan Rodrigues e equipe

Justificativa do Júri: “Pela ideia de um cinema coletivo através do poder transformador da educação, a menção honrosa de curta-metragem vai para “Ainda somos os Mesmos””.

MELHOR CURTA-METRAGEM UNIVERSITÁRIO

Egum, de yuri costa

Justificativa do Júri: “E pela forma como o conjunto de fatores flerta com a construção inovadora de cinema de gênero dentro de uma história perfeitamente brasileira, prêmio de melhor filme de curta universitário “Egum””.

MENÇÃO HONROSA DE CURTA-METRAGEM UNIVERSITÁRIO (Para o Roteiro)

Egum, de yuri costa

Justificativa do Júri: ”Pela mistura perfeita entre a técnica de roteiro e uma história de profundo respeito Às influências afrobrasileiras, menção honrosa de melhor roteiro na categoria curta universitário para “Egum””.

MELHOR LONGA-METRAGEM DE FICÇÃO

Um dia com Jerusa, de Viviane Ferreira

Justificativa do Júri: “Por demonstrar a força de propostas plurais na experiência do cinema tanto na frente quanto atrás das câmeras, resultando no poder do encontro de gerações e da ancestralidade em comum, o melhor filme longa de ficção “Um Dia com Jerusa””.

MENÇÀO HONROSA (Para a Atriz)

Lea Garcia do filme Um dia com Jerusa, de Viviane Ferreira

Justificativa do Júri: “Por trazer a ancestralidade para a presença de cena com excelência artística, a menção honrosa de melhor atriz vai para Léa Garcia, de “Um dia com Jerusa””.

MELHOR LONGA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO

Cavalo, de Rafhael Barbosa e Werner Salles

Justificativa do Júri: “Pelo domínio de uma proposta híbrida através de um discurso estético que materializa o misticismo, melhor longa documental para “Cavalo””.

MELHOR CURTA-METRAGEM PELO JÚRI POPULAR 

Copacabana Madureira, de Leonardo Martinelli


OS BENFEITORES

Os Vencedores da primeira edição do CIndie Festival 2020

Anuncie no Vertentes do Cinema

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *