Os 10 filmes favoritos de Fassbinder

Uma seleção escrita pelo realizador em 1980

Por Fabricio Duque

Adentrar no universo cinematográfico do realizador alemão Rainer Werner Fassbinder, de Bad Wörishofen, uma cidade da Baviera, em Munique, é se perder no manancial de contradições e anarquias sentimentais, de desejos plurais, de incomunicabilidade defensiva e de desejos “impuros”. “Eu gostaria de construir uma casa com meus filmes. Alguns são o porão, outros são as paredes, e outros são as janelas. Espero afinal que eles formem uma casa.”, o diretor disse em uma de suas entrevistas.

“Manter o tabu não significa que se esteja protegido, mas sim uma continuidade de uma discriminação. Mostrar as minorias tal qual se tornaram por causa da sociedade, com tudo o que há de falso em suas maneiras de se comportar.”, complementa. Em 1980, escreveu seus dez melhores do cinema, da música, do teatro. O texto integra a seleção do livro “A Anarquia da Fantasia”, editado por Jorge Zahar e com prefácio do crítico de cinema José Carlos Avellar. Esta é diferente de outra seleção confessada por Fassbinder na entrevista a Hella Schlumberger sobre o trabalho e o amor, os sentimentos, a possibilidade de explorá-los e o desejo de uma utopia, em 1977.

Nós do Vertentes do Cinema, motivados pelo filme da semana, “Querelle”, no programa Cinema em Conversas, que acontece toda sexta-feiras, às 22:00, no youtube da Lume Filmes Oficial, com Frederico Machado e Marco Fialho, resolveram expor em uma lista as infinitas possibilidades de referência-afeição de Fassbinder, que, dois anos dessas notas em 1982, nos deixou por uma overdose de cocaína e de pílulas para dormir aos 37 anos.

“Não existem acontecimentos reais. O verdadeiro é o que vem da arte.”, diz o diretor, mais americano dos alemães, com uma resposta a uma entrevista realizada por alunos de uma escola pública. 

OS 10 MAIS FAVORITOS DE FASSBINDER

OS DEUSES MALDITOS (La caduta degli dei, 1969, Itália, 167 minutos, de Luchino Visconti)

Alemanha, 1933. O barão Joachim Von Essenbeck (Albrecht Schoenhals) comunica que está deixando o seu império de usinas de aço nas mãos de um desconhecido. A ascensão do nazismo é analisado pela ótica de uma aristocrática família, que se digladia internamente na luta pelo poder, assassinado uns aos outros sem hesitação para alcançar seus objetivos. Com Dirk Bogarde, Ingrid Thulin, Helmut Griem.

Os 10 filmes favoritos de Fassbinder

A MORTE TEM SEU PREÇO (The Naked and the Dead, 1958, Estados Unidos, 131 minutos, de Raoul Walsh)

No Pacífico durante a 2ª Guerra Mundial, os oficiais vivem a guerra como se fosse um jogo de xadrez, e os soldados comuns seriam os peões no tabuleiro. Quando a campanha fica mais complicada, o comandante envia uma equipe para o topo de uma montanha atrás das linhas inimigas para informar sobre os movimentos de tropas japonesas, o que colocará o espírito destes soldados em prova. Baseado no romance de Norman Mailer em 1948 na Segunda Guerra Mundial, “A Morte Tem Seu Preço”, filmado no Panamá, tem o roteiro atribuído aos irmãos Sanders, que acrescentam cenas de provocação e de ação à narrativa original de Mailer.

Os 10 filmes favoritos de Fassbinder

LOLA MONTÈS (1955, Alemanha / França, 116 minutos, de Max Ophüls)

Em meados do século 19, Lola Montez é uma famosa dançarina e cortesã que levou uma vida agitada e altamente escandalosa. Ela foi amante de vários homens europeus importantes, mas sua carreira agora está limitada a uma atração de circo em Nova Orleans, onde o empresário e mestre de cerimônias se tornou seu amigo apenas para explorá-la como sua atração principal. Por meio de sua performance circense, Lola narra a fantástica história da sua vida e carreira. O roteiro, de Cécil Saint-Laurent, Annette Wademant e do próprio diretor, baseia-se na vida da bailarina e atriz do século 19 Lola Montez (Martine Carol), incluindo seus casos amorosos, como o compositor Franz Liszt e o rei Luís 1.º da Baviera. O filme faz parte da lista dos 1000 melhores filmes de todos os tempos do The New York Times.

Os 10 filmes favoritos de Fassbinder

CAMINHO DA REDENÇÃO (Flamingo Road, 1949, Estados Unidos, 94 minutos, de Michael Curtiz)

Uma dançarina e um xerife se apaixonam, mas esse romance é visto como uma ameaça política pelo líder local, que faz uma campanha contra ela. Depois de ser expulsa da cidade, ela se casa com um político e retorna, indo morar numa área nobre. O filme noir tem no elenco Joan Crawford, Zachary Scott, Sydney Greenstreet, David Brian. O roteiro de Robert Wilder foi baseado em uma peça de 1946, escrita por Wilder e sua esposa, Sally, baseada no romance de mesmo nome de Wilder, de 1942.

Os 10 filmes favoritos de Fassbinder

SALÒ E OS 120 DIAS DE SODOMA (Salò o le 120 giornate di Sodoma, 1975, Itália, 145 minutos, de Pier Paolo Pasolini)

O roteiro, baseado no livro Os 120 Dias de Sodoma do Marquês de Sade, conta a história de um grupo de jovens que, na região da Itália então dirigida por Mussolini, durante o outono europeu de 1944 são selecionados por quatro dirigentes fascistas (um presidente de um banco, que representa o poder econômico, um bispo, representando a igreja, um duque, que representa a nobreza e um juiz, que representa o poder judicial) para serem os autores de uma série de torturas e experimentos sádicos, ao longo de 120 dias. A obra, tida por muitos como uma das mais perturbadoras da história do cinema, é dividida em 3 fases, chamadas de ‘círculos’, que são o Círculo das Manias, onde os fascistas satisfazem seus desejos sexuais; o Círculo das Fezes, repleto de escatologia, onde os jovens são obrigados a ingerir fezes; e o Círculo de Sangue, onde os prisioneiros desobedientes são punidos através de mutilações, torturas físicas e assassinato.

Os 10 filmes favoritos de Fassbinder

OS HOMENS PREFEREM AS LOIRAS (Gentlemen Prefer Blondes, 1953, Estados Unidos, 91 minutos, de Howard Hawks)

Estrelado por Marilyn Monroe, Jane Russell e Charles Coburn, com Charles Coburn, Elliott Reid, Tommy Noonan, George Winslow, Taylor Holmes e Norma Varden nos papéis coadjuvantes. O roteiro, escrito por Charles Lederer, foi baseado no musical da Broadway de 1949 de mesmo nome, dirigido por John C. Wilson, com Carol Channing como Lorelei Lee, o qual foi escrito por Anita Loos e Joseph Fields. A peça musical foi baseada em Gentlemen Prefer Blondes: The Intimate Diary of a Professional Lady (Os Homens Preferem as Loiras: O Diário Íntimo de uma Dama Profissional), um romance de 1925 de Anita Loos. O livro foi adaptado para os palcos em 1926, e posteriormente em um filme mudo em 1928, estrelado por Ruth Taylor, Alice Branco, Ford Sterling, e Mack Swain, o qual foi perdido. Lorelei Lee é uma bela dançarina de cabaré que está noiva do rico Gus Esmond, para a desaprovação do pai rico de Gus, Sr.Esmond. Sr. Esmond pensa que Lorelei está atrás do seu dinheiro. Quando Lorelei vai num cruzeiro acompanhada apenas pela sua melhor amiga, Dorothy Shaw, o Sr. Esmond contrata Ernie Malone, um detetive particular, para segui-la e o deixar saber de qualquer comportamento questionável que a desqualificaria para o casamento.

Os 10 filmes favoritos de Fassbinder

DESONRADA (Dishonored, 1931, Estados Unidos, 91 minutos, de Josef von Sternberg)

Marie Kolverer (Marlene Dietrich) é uma prostituta vienense que se oferece como espiã ao serviço secreto de seu país. Transformada na sedutora agente X27, uma espécie de Mata Hari, ela facilmente seduz e extrai segredos de oficiais inimigos durante a Primeira Guerra Mundial. Contudo, ela acaba se apaixonando pelo Coronel Kranau, um espião russo, e o deixa escapar de suas garras. Presa, é condenada a morrer diante de um pelotão de fuzilamento.

Os 10 filmes favoritos de Fassbinder

O MENSAGEIRO DO DIABO (The Night of the Hunter, 1955, Estados Unidos, 93 minutos, de Charles Laughton)

Durante a Depressão, no início dos anos 30, Ben Harper (Peter Graves) roubou o banco de West Virginia, matou duas pessoas e fugiu para sua casa com 10 mil dólares, que escondeu na boneca de sua filha. Antes de ser preso Ben fez que John (Billy Chapin) e Pearl (Sally Jane Bruce), seu casal de filhos, jurassem que nunca iriam dizer onde o dinheiro estava escondido. Harry Powell (Robert Mitchum), um assassino que se faz passar por pregador, é preso em uma casa de espetáculos por ter roubado um carro e mandado para a mesma cela de Ben, que foi condenado a morrer na forca. Enquanto esperava a execução Ben tinha sonhos que revelavam algo sobre o dinheiro, mas não tudo. Ben é executado e Harry, após cumprir uma pena de 30 dias, é libertado e então ruma para a casa de Ben. Harry chega ao lugarejo onde a família de Ben vivia e se insinua com os vizinhos Icey (Evelyn Varden) e Walt Spoon (Don Beddoe), que têm uma loja de doces, e impressiona o casal com seus dons como pregador. Willa Harper (Shelley Winters), a viúva de Ben, fica deslumbrada por Harry e logo os dois estão casados. Quando Henry constata que ela será um obstáculo para o dinheiro, corta sua garganta e joga seu corpo dentro do rio. Ele tenta fazer com que as crianças digam onde está o dinheiro, mas se Pearl mostra sinais de fraqueza John vigia sua irmã para que nada revele. Quando a situação fica insustentável as crianças fogem, descendo o rio em um pequeno barco. Mas Powell está determinado em conseguir o dinheiro e vai no encalço de John e Pearl.

Os 10 filmes favoritos de Fassbinder

JOHNNY GUITAR (1954, Estados Unidos, 111 minutos, de Nicolas Ray)

Vienna (Joan Crawford) é a dona de saloon na fronteira do Arizona, e é constantemente ameaçada pelos rancheiros que querem sua propriedade por causa da passagem do caminho-de-ferro (ferrovia) pela área. Dancin’Kid e o seu grupo são acusados de matar num assalto a uma diligência um dos rancheiros, irmão de Emma. Vienna chama seu ex-amante, o pistoleiro Johnny Guitar (Sterling Hayden), que já não via há cinco anos, para ajudá-la a manter os rancheiros afastados. Emma, que ama Dancin’Kid, tem ciúmes dele com Vienna e quer enforcar ambos, acusando Dancin’Kid de participar do crime que matou seu irmão. As duas se confrontam numa última luta inusitada e mortal.

Os 10 filmes favoritos de Fassbinder

KALINA KRASNAYA (1974, União Soviética, 110 minutos, de Vasiliy Shukshin)

Foi o filme de maior sucesso de 1974, vendendo 140 milhões de ingressos nas bilheterias soviéticas, tornando-se a maior bilheteria de todos os tempos. Yegor Prokudin (Vasili Shukshin), um ladrão reincidente apelidado de Gorye (Grief), completa sua sentença de prisão e se muda para uma vila para conhecer sua amiga Lyuba (Lidiya Fedoseyeva-Shukshina) que mora lá. Ela escreveu para ele enquanto ele estava na prisão. A princípio, Yegor planeja ficar quieto por um tempo antes de voltar ao crime. Lyuba parece realmente amá-lo, apesar de seu passado criminoso e ceticismo de seus próprios amigos e hostilidade dos pais. Yegor vai para a cidade, onde gasta muito dinheiro bebendo e dançando com estranhos, e gasta algum dinheiro com seu ex-associado. Enquanto ele está fora, os amigos de Lyuba tentam convencê-la a voltar com seu ex-marido, pensando que Yegor pode começar a roubar novamente. Yegor retorna e se instala em uma vila com Lyuba, e decide romper com o passado criminoso. Os moradores superam sua desconfiança inicial do ex-condenado e o aceitam em sua comunidade.

Os 10 filmes favoritos de Fassbinder

Anuncie no Vertentes do Cinema

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *