Anuncio zazie

Mostra Ecos de 1922 no CCBB Brasília debate a Semana da Arte Moderna

Macunaíma

Mostra Ecos de 1922 no CCBB debate a Semana da Arte Moderna

Modernismo no Cinema Brasileiro estreia na capital federal com retrospectiva cinematográfica

Por Redação (baseado no release)

A mostra Ecos de 1922 – Modernismo no Cinema Brasileiro chega ao CCBB de Brasília para provocar o presente e projetar novos futuros – a retrospectiva já passou pelas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. Com patrocínio do Banco do Brasil e incentivo da Lei Rouanet, a maior retrospectiva cinematográfica já feita sobre o tema, em cartaz até o dia 8 de maio, conta com filmes raros em 35mm e 16mm, e aborda o centenário da Semana de Arte Moderna de forma atual, trazendo um pensamento crítico sobre seu legado na cultura e, especialmente, no cinema brasileiro. A entrada é gratuita. A retirada do ingresso é realizada na bilheteria local ou pela plataforma online Eventim.

São aproximadamente 50 filmes, entre longas, médias e curtas-metragens, num vasto recorte geográfico, temporal e conceitual, que vai de 1922 a 2021, de Roraima ao Paraná. Com curadoria de Aïcha Barat, Diogo Cavour e Feiga Fiszon, as obras escolhidas são atravessadas pelo pensamento dos intelectuais paulistas, como Oswald de Andrade e Mário de Andrade, mas também pensadores e artistas indígenas contemporâneos, como Jaider Esbell e Denilson Baniwa.

Como era gostoso o meu francês

“O cinema modernista propriamente dito não existe. Não há um cinema contemporâneo a 1922 feito nos moldes modernistas ou que se reivindique como tal. Talvez o maior impasse de uma mostra de cinema que aborda os ecos de 1922 seja justamente que não houve modernismo per se no cinema. Longe de querer fechar um recorte numa única abordagem do tema, mas o mais importante é que a mostra chega para lançar questionamentos, abrir frentes, disparar provocações”, explica a curadora Aïcha Barat.

“Tivemos a preocupação de unir pesquisadores, iniciantes e consagrados, com textos de caráter mais experimental e de intervenção. Ao longo do catálogo, além da pluralidade de visões e posições diante do modernismo, optamos por uma variedade de formas que, além dos textos corridos, incluem poemas, ensaio visual e obras artísticas”, explica Gabriel Martins da Silva, um dos organizadores do catálogo.

Entre os debates e palestras, está “Modernismo e Cinema Marginal”, no dia 23 de abril, às 18h15. O papo mediado por Glênis Cardoso conta com João Lanari, professor de cinema da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília (UnB), e Lila Foster, pesquisadora, curadora e preservacionista audiovisual. O restante da programação será confirmado em breve.

PROGRAMAÇÃO DE CINEMA DA MOSTRA ECOS:

19 DE ABRIL (TERÇA-FEIRA)

17h45:
“Como era gostoso o meu francês” | Nelson Pereira dos Santos | 1971 | 16 anos | 1h24min | Digital

19h45

“Deus e o diabo na terra do sol” | Glauber Rocha | 1964 | 12 anos | 2h | Digital

20 DE ABRIL (QUARTA-FEIRA)

15h45

Branco sai, preto fica | Adirley Queirós | 2014 | 12 anos | 1h33min | Digital

18h

O ataque das araras | Jairo Ferreira | 1975 | 12 anos | 11min | Digital

Iracema: uma transa amazônica | Jorge Bodanzky e Orlando Senna | 1974 | 16 anos | 1h20min | 16mm

20h10

Bye bye Brasil | Cacá Diegues | 1980 | 16 anos | 1h40min | Digital

Terra em Transe

21 DE ABRIL (QUINTA-FEIRA)

16h

“Não vim no mundo para ser pedra” | Fabio Rodrigues Filho | 2021 | Livre | 26min | Digital

“Chico Antônio, o herói com caráter” | Eduardo Escorel | 1983 | Livre | 40min | Digital

“O Aleijadinho” | Joaquim Pedro de Andrade | 1978 | 10 anos | 24min | 35mm

18h

“Tudo é Brasil” | Rogério Sganzerla | 1997 | Livre | 1h22min | Digital

20h

“Tarsila: 50 anos de pintura” | Fernando Coni Campos | 1969 | Livre | 8min | 35mm

“Viagem ao fim do mundo” | Fernando Coni Campos | 1968 | 12 anos | 1h30min | Digital

22 DE ABRIL (SEXTA-FEIRA)

15h30

“Herói póstumo da província” | Rudá de Andrade | Livre | 1973 | 15min | Digital

“Miramar” | Júlio Bressane | 1997 | 16 anos | 1h22min | Digital

18h

“República do Mangue” | Julia Chacur, Mateus Sanches Duarte e Priscila Serejo | 2020 | 10 anos | 8min | Digital

“Mangue-bangue” | Neville D’Almeida | 1971 | 18 anos | 1h20min | Digital

20h

“O homem do pau-brasil” | Joaquim Pedro de Andrade | 1980 | 16 anos | 1h52min | 35mm

23 de abril (sábado)

14h

“O mandarim” | Júlio Bressane | 1995 | 16 anos | 1h30min | Digital

16h

“Sem essa, Aranha” | Rogério Sganzerla | 1978 | 16 anos | 1h42min | Digital

20h20

“Um filme 100% brasileiro” | José Sette | 1985 | 16 anos | 1h23min | Digital

24 DE ABRIL (DOMINGO)

14h

“Brasilianas n.º 2: canções populares “Azulão” e “O pinhal” | Humberto Mauro | 1948 | Livre | 7min | 35mm

“Brasilianas n.º 4: engenhos e usinas” | Humberto Mauro | 1955 | Livre | 8min | 35mm

“Brasilianas n.º 1: canções populares – “Chuá… chuá…” e “A casinha pequenina” | Humberto Mauro | 1945 | Livre | 7min | 35mm

“Cinema é maresia” | Diogo Cavour | 2008 | Livre | 15min | Digital

“O poeta do Castelo” | Joaquim Pedro de Andrade | 1959 | Livre | 12min | 35mm

“O mestre de Apipucos” | Joaquim Pedro de Andrade | 1959 | Livre | 8min | 35mm

“O Aleijadinho” | Joaquim Pedro de Andrade | 1978 | 10 anos | 24min | 35mm

16h

Não vim no mundo para ser pedra | Fabio Rodrigues Filho | 2021 | Livre | 26min | Digital + Chico Antônio, o herói com caráter | Eduardo Escorel | 1983 | Livre | 40min | Digital

18h

Macunaíma | Joaquim Pedro de Andrade | 1969 | 16 anos | 1h50 min | 35mm

20h25

Por onde anda Makunaíma?” | Rodrigo Séllos | 2020 | 12 anos | 1h24min | Digital

26 de ABRIL (TERÇA-FEIRA)

15h45

“Travessia” | Safira Moreira | 2017 | 5min | Digital

“Alma no olho” | Zózimo Bulbul | 1974 | 10 anos | 11min | Digital

“Há terra!” | Ana Vaz | 2016 | Livre | 12min | Digital

“Grin” | Isael Maxakali, Roney Freitas e Sueli Maxakali | 2016 | Livre | 40min | Digital

17h30

“Perigo negro” | Rogério Sganzerla | 1992 | 16 anos | 28min | Digital

“Quem seria o feliz conviva de Isadora Duncan?” | Júlio Bressane | 1992 | 16 anos | 28min | Digital

“Uma noite com Oswald” | Inácio Zatz e Ricardo Dias | 1992 | 16 anos | 29min | Digital

19h30

“Tarsila: 50 anos de pintura” | Fernando Coni Campos | 1969 | Livre | 8min | 35mm

“Ladrões de cinema” | Fernando Coni Campos | 1977 | 14 anos | 2h7min | 35mm

Mangue-bangue

27 DE ABRIL (QUARTA-FEIRA)

16h

“Nũhũ yãg mũ yõg hãm: essa terra é nossa!” | Carolina Canguçu, Isael Maxakali, Roberto Romero e Sueli Maxakali | 2020 | 12 anos | 1h10min | Digital

18h

Apiyemiyekî? | Ana Vaz | 2019 | 12 anos | 29min | Digital + Mato eles? | Sergio Bianchi | 1983 | Livre | 40min | 16mm

20h

Deus e o diabo na terra do sol” | Glauber Rocha | 1964 | 12 anos | 2h | Digital

28 DE ABRIL (QUINTA-FEIRA)

15h15

“No país das Amazonas” | Silvino Santos | 1922 | Livre | 2h23m | Digital

18h

“Carmen Miranda: bananas is my business” | Helena Solberg | 1995 | Livre | 1h31min | 35mm

20h

“Eh Pagu, eh!” | Ivo Branco | 1985 | Livre | 15min | 35mm + Eternamente Pagu | Norma Bengell | 1988 | 14 anos | 1h40min | 35mm

29 DE ABRIL (SEXTA-FEIRA)

16h

“Assuntina das Amérikas” | Luiz Rosemberg Filho | 1976 | 16 anos | 1h30min | Digital

18h

“Sem essa, Aranha” | Rogério Sganzerla | 1978 | 16 anos | 1h42min | Digital

20h15

“Orgia ou O homem que deu cria” | João Silvério Trevisan | 1970 | 16 anos | 1h32min | Digital

30 DE ABRIL (SÁBADO)

13h30

“Bárbaro e nosso – Imagens para Oswald de Andrade” | Márcio Souza | 1969 | 11min | Digital

“Miramar” | Júlio Bressane | 1997 | 16 anos | 1h22min | Digital

15h45

“Perigo negro” | Rogério Sganzerla | 1992 | 16 anos | 28min | Digital

“Quem seria o feliz conviva de Isadora Duncan?” | Júlio Bressane | 1992 | 16 anos | 28min | Digital

“Uma noite com Oswald” | Inácio Zatz e Ricardo Dias | 1992 | 16 anos | 29min | 35mm

17h45

“O homem do pau-brasil” | Joaquim Pedro de Andrade | 1980 | 18 anos | 1h52min | 35mm

20h10

“Herói póstumo da província” | Rudá de Andrade | Livre | 1973 | 15min | Digital + Tabu | Júlio Bressane | 1982 | 16 anos | 1h25min | Digital

01 DE MAIO (DOMINGO)

13h

Sessão com acessibilidade: “Por onde anda Makunaíma?” (2020), de Rodrigo Séllos, com legendagem descritiva, janela de libras e audiodescrição.

15h

Terra em transe | Glauber Rocha | 1967 | 14 anos | 1h55min | 35mm

17h45

Limite | Mario Peixoto | 1931 | Livre | 1h20min | 35mm – Sessão com música ao vivo

20h15

Branco sai, preto fica | Adirley Queirós | 2014 | 12 anos | 1h33min | Digital

Carmen Miranda Banana is my business03 DE MAIO (TERÇA-FEIRA)

16h30

“Travessia” | Safira Moreira | 2017 | 5min | Digital

“Alma no olho” | Zózimo Bulbul | 1974 | 10 anos | 11min | Digital

“Há terra!” | Ana Vaz | 2016 | Livre | 12min | Digital

“Grin” | Isael Maxakali, Roney Freitas e Sueli Maxakali | 2016 | Livre | 40min | Digital

18h30

“Nũhũ yãg mũ yõg hãm: essa terra é nossa!” | Carolina Canguçu, Isael Maxakali, Roberto Romero e Sueli Maxakali | 2020 | 12 anos | 1h10min | Digital

20h30

“Apiyemiyekî?” | Ana Vaz | 2019 | 12 anos | 29min | Digital

“Mato eles?” | Sergio Bianchi | 1983 | Livre | 40min | 16mm

04 DE MAIO (QUARTA-FEIRA)

16h

“Tabu” | Júlio Bressane | 1982 | 16 anos | 1h25min | Digital

18h

“O ataque das araras” | Jairo Ferreira | 1975 | 12 anos | 11min | Digital + Iracema: uma transa amazônica | Jorge Bodanzky e Orlando Senna | 1974 | 16 anos | 1h20min | 16mm

20h15

“O mandarim” | Júlio Bressane | 1995 | 16 anos | 1h30min | Digital

05 DE MAIO (QUINTA-FEIRA)

16h

“Assuntina das Amérikas” | Luiz Rosemberg Filho | 1976 | 16 anos | 1h30min | Digital

18h

“República do Mangue” | Julia Chacur, Mateus Sanches Duarte e Priscila Serejo | 2020 | 10 anos | 8min | Digital

“Mangue-bangue” | Neville D’ Almeida | 1971 | 18 anos | 1h20min | Digital

20h

“Bárbaro e nosso – Imagens para Oswald de Andrade” | Márcio Souza | 1969 | 11min | Digital

“Viagem ao fim do mundo” | Fernando Coni Campos | 1968 | 12 anos | 1h30min | Digital

06 DE MAIO (SEXTA-FEIRA)

16h

“Carmen Miranda: bananas is my business” | Helena Solberg | 1995 | Livre | 1h31min | 35mm

20h

“Macunaíma” | Joaquim Pedro de Andrade | 1969 | 16 anos | 1h50 min | 35mm

07 DE MAIO (SÁBADO)

14h

“Brasilianas n.º 2: canções populares – “Azulão” e “O pinhal” | Humberto Mauro | 1948 | Livre | 7min | 35mm

“Brasilianas n.º 4: engenhos e usinas” | Humberto Mauro | 1955 | Livre | 8min | 35mm

“Brasilianas n.º 1: canções populares – “Chuá… chuá…” e “A casinha pequenina” | Humberto Mauro | 1945 | Livre | 7min | 35mm

“Cinema é maresia” | Diogo Cavour | 2008 | Livre | 15min | Digital + O mestre de Apipucos | Joaquim Pedro de Andrade | 1959 | Livre | 8min | 35mm

“O poeta do Castelo” | Joaquim Pedro de Andrade | 1959 | Livre | 12min | 35mm

15h30

Como era gostoso o meu francês | Nelson Pereira dos Santos | 1971 | 16 anos | 1h24min | Digital

17h30

Terra em transe | Glauber Rocha | 1967 | 14 anos | 1h55min | 35mm

20h

Tudo é Brasil | Rogério Sganzerla | 1997 | 16 anos | 1h22min | 35mm

Banner Vertentes Anuncio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.