Karim Aïnouz na competição do Festival de Cannes 2024

Motel Destino

Karim Aïnouz entra na competição oficial do Festival de Cannes 2024

Pelo segundo ano consecutivo, o diretor tem filme concorrente à Palma de Ouro

Por Fabricio Duque

Mais um ano. O Festival de Cannes sabe o que pode encontrar sempre numa nova obra do realizador argelino-brasileiro-cearense: uma narrativa de hibridismo coloquial com o toque orgânico da própria vida. Sim, a internet está bombando hoje após o anúncio hoje dos filmes oficiais do Festival do Cannes 2023, pelo diretor artístico e receptivo dos artistas Thierry Frémaux (que esteve no Brasil em dezembro do ano passado lançando o livro “Judoca”) e Iris Knobloch, Presidente do festival. Karim vinha sendo constantemente lembrado nos ansiosos burburinhos prévios em listas de veículos de mídia que “nunca erram”. Ano passado, o realizador esteve na competição oficial a Palma de Ouro com “Firebrand”, seu filme britânico (seu primeiro projeto em língua inglesa). Mas agora Karim retorna aos seus temas favoritos de estudar seres humanos enquanto indivíduos sociais em “Motel Destino”, filmado inteiramente no Ceará.

O thriller erótico que marca a sexta passagem de Karim Aïnouz pelo evento, um recorde no cinema nacional, traz como protagonistas Iago XavierNataly Rocha – selecionados por teste entre mais de 500 atores – e Fabio Assunção.

“É sempre muito emocionante ter um filme selecionado para o Festival de Cannes. Embora seja a minha sexta vez aqui, parece a primeira. Foi lá que estreei com “Madame Satã’” há mais de 20 anos, exibi na Quinzena dos Realizadores “Abismo Prateado” e fui premiado com “A Vida Invisível” na mostra Un Certain Regard. Foi no festival que dividi com o grande público “Marinheiro das Montanhas”, um filme tão pessoal sobre a história dos meus pais, e também “Firebrand””, celebra o diretor.

Elemento recorrente na filmografia de Karim Aïnouz, o erotismo é o pano de fundo deste oitavo longa de ficção do diretor. Ele apontou suas lentes para as cores fortes e vibrantes do litoral nordestino, que dão a tônica visual-narrativa da nova obra.

Karim Ainouz

“Hoje meu coração está em festa. Retornar ao festival com um filme que marca a minha volta ao Brasil, depois de tanto tempo longe e de quatro anos de um governo fascista, é uma comemoração dupla, uma volta dobrada para casa. ‘Motel Destino” é um filme insaciável, sedento e sensual. Nesse retorno, me dei o prazer de explorar novas possibilidades estéticas e dramatúrgicas. Sob o sol implacável do Ceará, ousei sonhar um filme novo, com muito suor, tesão, alegria e a vitalidade própria de quem tem fome de existir”, diz o diretor.

O estabelecimento de beira de estrada que dá título ao novo filme é, segundo Karim Aïnouz, “o principal personagem do enredo e o local onde se entrecruzam questões crônicas da realidade brasileira”. O longa é um retrato íntimo de uma juventude que teve seu futuro roubado por uma elite tóxica e esmagadora, contra a qual a insubordinação e revolta são, não raramente, a saída possível.

“Me interessa muito falar de desejo e revolta, temas de absoluta relevância no Brasil contemporâneo. ‘Motel’ é uma saga do encontro de um rapaz em fuga, totalmente vulnerável, com uma mulher aprisionada pelas dinâmicas de um casamento abusivo. Unidos pelo destino, seus caminhos se cruzam e a história se desenrola”, resume Aïnouz.

“Motel Destino” é uma produção da Cinema Inflamável e Gullane, coproduzido internacionalmente pela francesa Maneki Films e pela alemã The Match Factory, em associação com Brouhaha Entertainment e Written Rock Films (UK). O filme também é coproduzido por Globo FilmesTelecine e Canal Brasil e conta com o patrocínio da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará. No Brasil, o filme será distribuído pela Pandora Filmes, enquanto The Match Factory responde pelas vendas internacionais.

A narrativa nasceu da parceria de Karim com o Laboratório de Cinema da Porto Iracema das Artes, escola de formação em artes da Secretaria de Cultura do Ceará, gerida em parceria com o Instituto Dragão do Mar, com sede em Fortaleza. O diretor é um dos criadores do laboratório, o CENA 15, onde atuou como tutor durante nove anos e do qual hoje é mentor. Foi lá que ele  convidou o roteirista cearense Wislan Esmeraldo para desenvolver o roteiro do projeto. Mais tarde, Mauricio Zacharias se juntou ao processo, repetindo a parceria realizada com o cineasta em ‘Madame Satã’ e ‘O Céu de Suely’.

“Eu me inspirei bastante na pornochanchada e no cinema noir. Posso resumir “Motel Destino” como um thriller erótico, mas ele é, antes de tudo, uma história de amor. O amor entre um jovem periférico que vive à revelia de um sistema que o quer morto e uma mulher que resiste aos atentados do patriarcado contra a sua própria vida”, adianta Aïnouz.

Motel Destino

Por trás das câmeras, a diretora de fotografia Hélène Louvart, renomada por seus trabalhos em ‘A Vida Invisível’ e ‘Never Rarely Sometimes Always’, captura com sutileza as nuances visuais do filme. A montadora Nelly Quettier, reconhecida por ‘Beau Travail’ e ‘Lazzaro Felice’, imprime uma precisão rítmica à narrativa. O diretor de arte Marcos Pedroso, de ‘Madame Satã’ e ‘Praia do Futuro’, agrega uma rica expressão artística à obra. A produção foi liderada por Janaina Bernardes (Cinema Inflamável) e Fabiano Gullane e Caio Gullane (Gullane). Além dos três protagonistas já mencionados, Renan CapivaraYuri YamamotoFabíola LíperIsabela Catão e Jupyra Carvalho completam o elenco.

Antes de “Motel Destino”Karim rodou mais recentemente “Firebrand” – com Alicia Vikander e Jude Law – no Reino Unido, “Marinheiro das Montanhas” e “Nardjes A.” na Argélia, ‘A Vida Invisível’ (2019) no Rio e “Aeroporto Central” (2018) em Berlim. Com filmagens divididas entre Brasil e Alemanha, “Praia do Futuro” (2014) foi o último projeto realizado por Karim em solo cearense, embora a maior parte da trama tenha sido ambientada na cidade europeia.

Pix Vertentes do Cinema

Deixe uma resposta