golden-globes

Os Vencedores Comentados


Começou muito bem. Humor na medida certa com o número musical piadista de “LA LA LAND”. De chorar de rir. E as picardias continuam com suas estrelas na figura do host apresentador “Entertainment” Jimmy Fallon.


 

 

Melhor filme dramático

“Até o Último Homem”
“A qualquer custo”
“Lion”
“Manchester à Beira-Mar”
“Moonlinght”

Melhor filme dramático. É sério mesmo? “Moonlight”? Leia a crítica do filme AQUI e entenda o porquê da surpresa. 

Melhor ator em filme dramático

Casey Affleck, “Manchester à Beira-Mar”
Joel Edgerton, “Loving”
Andrew Garfield, “Até o Último Homem”
Viggo Mortensen, “Capitão Fantástico”
Denzel Washington, “Fences”

Precisamos falar sobre o ator CASEY AFFLECK. Caleb Casey McGuire Affleck-Boldt nasceu Falmouth, 12 de agosto de 1975. É o irmão mais novo do ator e diretor Ben Affleck, com quem tem colaborado profissionalmente em filmes como “Gênio Indomável” e “Medo da Verdade”. Em 2007, Casey ganhou reconhecimento e elogios da crítica por seu trabalho em “O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford”, pelo qual recebeu indicações para o Oscar de melhor ator coadjuvante, Globo de Ouro de melhor ator coadjuvante, Screen Actors Guild para melhor ator coadjuvante e venceu o Satellite Award de melhor ator coadjuvante.Ele foi a voz de Mitch em ParaNorman e fez “Interestelar”. Mas este ano é mais que especial. Ele concorre com o excelente “MANCHESTER À BEIRA MAR”, de Kenneth Lonergan e prova que é um ator que interpreta por menos e assim transpassa toda a maestria da encenação. Casey já ganhou a estatueta de Melhor Ator no Critics’ Choice Awards.

Casey Affleck querendo copiar a barba de Alejandro González Iñárritu?

“God Loves, thanks Denzel Washington”, disse em seu discurso.

Melhor atriz de filme dramático

Amy Adams,“Arrival”
Jessica Chastain, “Miss Sloane”
Isabelle Hupert, “Elle”
Ruth Negga, “Loving”
Natalie Portman, “Jackie”

Leonardo diCaprio in the House! Melhor atriz de filme dramático. I don’t believe. Isabelle Hupert, por “Elle”. Ela chega no palco e chora e agradece ao diretor por despertar o que ela é. Nós sentimos a emoção desta fantástica atriz.

Melhor diretor

Damian Chazelle, por “La La Land: Cantando Estações”
Tom Ford, por “Animais Noturnos”
Mel Gibson, “Até o Último Homem”
Barry Jenkins, “Moonlight”
Kenneth Lonergan, por “Manchester à Beira-Mar”

Melhorrrrrr Direeeeetorrrrrrr. Damian Chazelle, por “La La Land: Cantando Estações”. Tem 31 anos e já dirigiu o clássico “Whiplash: Em Busca da Perfeição”.

Melhor roteiro

Damien Chazelle, por “La La Land: Cantando Estações”
Tom Ford, por “Animais noturnos”
Barry Jenkins, “Moonlight”
Kenneth Lonergan, “Manchester à Beira-Mar”
Taylor Sheridan, “A qualquer custo”

Melhorrrrrrr Roteiiiiiiirrrrooooo: Damien Chazelle, por “La La Land: Cantando Estações”. Algo me diz que este será o novo Titanic do Oscar (que foi indicado a 14 categorias e venceu em 11). Sim, o Vertentes do Cinema acertou o número de nomeações ao Oscar 2017. Estamos sabendo muito. Risos. 

Melhor filme de comédia ou musical

“20th Century Women”
“La La Land: Cantando Estações”
“Deadpool”
“Sing Street”
“Florence Foster Jenkins”

Melhor filme de comédia ou musical. Oh My Gosh, que surpresa! “La La Land: Cantando Estações”. Risos.

Melhor atriz em filme de comédia ou musical

Annete Bening, “20th Century Women”
Lilly Collins, “Rules Don’t Apply”
Halee Steinfeld, “The Edge of Seventeen”
Emma Stone, “La La Land: Cantando Estações”
Meryl Streep, “Florence Foster Jenkins”

Melhorrrrr atriiiiiiz em filme de comédia ou musical. Emma Stone, por “La La Land: Cantando Estações”. Um musical moderninho. “For the dreamers”.

Melhor ator em filme de comédia ou musical

Colin Farrell, “The Lobster”
Ryan Gosling, “La La Land: Cantando Estações”
Hugh Grant, “Florence Foster Jenkins”
Jonah Hill, “War Dogs”
Ryan Reynolds, “Deadpool”

E no Twitter, Ryan empatado com Ryan. Gosling contra Reynolds. La La Land ou Deadpool? Alguém ainda tem alguma dúvida de quem vai vencer?

Melhor ator em filme de comédia ou musical. Esperaaaaaaaaadoooooooooooo: Ryan Gosling, por “La La Land: Cantando Estações”. Hollywood “acorda” o musical em grande estilo. Uma mistura de “Os Guarda-Chuvas do Amor” com “Amor, Sublime Amor”.

Melhor atriz coadjuvante

Viola Davis, “Fences”
Naomie Harris, “Moonlight”
Nicole Kidman, “Lion”
Octavia Spencer, “Estrelas Além do Tempo”
Michelle Williams, “Manchester à Beira-Mar”

Melhor Atriz Coadjuvante. O que é Viola Davis em “Fences”? Ela é um monstro fazendo qualquer coisa. How To Get Away With Murder? Rs. Mais que merecido.

Melhor ator coadjuvante

Mahershala Ali, “Moonlight”
Jeff Bridges, “A Qualquer Custo”
Simon Helberg, “Florence Foster Jenkins”
Dev Patel, “Lion”
Aaron Taylor Johnson, “Animais Noturnos”

E “ANIMAIS NOTURNOS” ganha seu primeiro prêmio da noite para Melhor Ator Coadjuvante para Aaron Taylor Johnson (mais que merecido – o “Kick-Ass” ficou “forte”).

Melhor filme estrangeiro

“Divines” (França)
“Elle” (França)
“Neruda” (Chile)
“O apartamento” (Irã)
“Toni Erdmann” (Alemanha)

Precisamos falar sobre o diretor PABLO LARRAÍN. Nascido em Santiago, 19 de agosto de 1976, o cineasta chileno mostrou que realmente veio para ficar. Suas obras são irretocáveis e dotadas de excelência. E o mundo reconheceu. Seu quarto longa-metragem “NO” foi indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2013. E “O CLUBE” ao Globo de Ouro em 2015. Podemos destacar também “TONY MANERO”. Este ano, no Golden Globe 2017, Pablo transcendeu ao estar indicado com dois filmes em duas categorias. Com “NERUDA”, concorre ao prêmio de Melhor Filme Estrangeiro e com “JACKIE”, a Melhor Atriz para Natalie Portman (que está grávida na vida real). E não para por aqui. Ele pode dirigir o novo remake de “Scarface”.

Melhor Filme Estrangeiro. O Vertentes do Cinema não consegue decidir: “Toni Erdmann” ou “Elle”?

Isabelle Ann Huppert e Paul Verhoeven. “Pelo talento, pela autenticidade, eu te amo, amo, amo”, disse em seu discurso apaixonante. 

Melhor animação

“Kubo e as Cordas Mágicas”
“Moana: Um Mar de Aventuras”
“Ma vie de Courgette”
“Sing: Quem Canta Seus Males Espanta”
“Zootopia”

Que “Zootopia” que nada, a aposta do Vertentes do Cinema para Melhor Animação vai para “SING”.

Melhor Animação: Zootopia. Dá para parar de assombrar meus posts, Francisco chato Russo? rsrs. Ok, ok. Era esperado. É um filmaço. Mas SING é SING.

Melhor canção original

“Can’t Stop the Feeling”, de “Trolls”
“City of Stars”, de “La La Land: Cantando Estações”
“Faith”, de “Sing”
“Gold”, de “Gold”
“How Far I’ll Go”, de “Moana”

E Melhor Canção Original? “City of Stars”, de “La La Land: Cantando Estações”.

Melhor trilha sonora

“Moonlight”
“La La Land: Cantando estações”
“A Chegada”
“Lion”
“Hidden Figures”

Começaaaramm os prêeeemiosssss para LA LA LAND. Melhor trilha sonora.


Que homenagem a Meryl Streep por Viola Davis! Lágrimas! Ela é a musa. Ela observa e rouba detalhes para sua interpretação. “Você me faz ter orgulho de ser uma artista”.

Prêmio Cecil B. DeMille para MERYL STREEP, que entra quase sem voz (rouca) e com a música de “Mamma Mia”. Uma atriz que vai para a Broadway de metrô, com seu Starbucks (um Mocha sem açúcar e sem creme), com seu roteiro, seu óculos e seu cabelo preso. E a veterana dá aula sobre a arte de interpretar com humor e naturalidade em um perfeito discurso político, direto, social e humanista. Miranda brilha e lembra das responsabilidades de atuar. “Take a broken heart!”

A íntegra da fala histórica de Meryl Streep

“Muito obrigada, muito obrigada. Sentem-se, por favor. Obrigada. Amo vocês. Vocês vão ter que me desculpar. Perdi a voz gritando e me lamentando no fim de semana. E perdi a cabeça em algum momento neste ano. Então terei que ler. Obrigada à Associação da Imprensa Estrangeira de Hollywood. Para seguir linha do que disse Hugh Laurie, nós, todos os presentes, pertencemos a um segmento vilipendiado da população. Pensem nisso: Hollywood. Estrangeiros. E a imprensa. Mas quem somos nós? O que é Hollywood? É um grupo de gente que vem de todas as partes. Eu nasci, cresci e me eduquei nas escolas públicas de Nova Jersey. Viola [Davis] nasceu numa cabana da Carolina do Sul e cresceu em Central Falls, Long Island. Sarah Paulson nasceu na Flórida e foi criada por sua mãe solteira no Brooklyn. Sarah Jessica Parker era uma de sete ou oito filhos em Ohio. Amy Adams nasceu na Itália, e Natalie Portman, em Jerusalém. Onde estão suas certidões de nascimento? E a linda Ruth Negga nasceu na Etiópia, cresceu em Londres. Não, na Irlanda, me parece. Está aqui indicada por fazer o papel de uma garota de um povoado da Virgínia. Ryan Gosling, como todas as pessoas mais amáveis, é canadense. E Dev Patel nasceu no Quênia, cresceu em Londres e está aqui por fazer o papel de um indiano que vive na Tasmânia… De modo que Hollywood está cheia de estrangeiros e forasteiros, e se querem expulsar todos nós vão ficar sem nada para ver além de futebol americano e artes marciais mistas, que NÃO são artes… Me deram três segundos para dizer isto… O único trabalho de um ator é entrar na vida de pessoas que são diferentes de nós e deixar você sentir como é isso. E houve neste ano muitas atuações poderosas que conseguiram justamente isso. Um trabalho assombroso e feito com compaixão. Mas houve uma atuação neste ano que me impactou, que mexeu com o meu coração. Não por ter sido boa, não tinha nada de boa, mas era eficaz e funcionou. Fez a plateia a que se destinava rir e mostrar os dentes. Foi aquele momento em que a pessoa que pedia para se sentar na cadeira mais respeitável do nosso país imitou um repórter deficiente. Alguém a quem ele superava em termos de privilégio, poder e capacidade de se defender. Isso me partiu o coração. Ainda não consigo tirar aquilo da cabeça, porque não era um filme. Era a vida real. E esse instinto de humilhar, quando modelado por alguém na plataforma pública, por alguém poderoso, se filtra na vida de todo mundo, porque de certa forma dá permissão para que outras pessoas façam o mesmo. Desrespeito atrai desrespeito. A violência incita a mais violência. Quando os poderosos usam sua posição para abusar de outros, todos perdemos… Isto me leva à imprensa. Precisamos que a imprensa com princípios exija responsabilidade do poder, que o chame às falas por cada atrocidade que cometer. Por isso, os fundadores do nosso país protegeram a imprensa e suas liberdades na Constituição. Assim, só quero pedir à rica Associação da Imprensa Estrangeira em Hollywood e a todos que pertencemos a esta comunidade que se unam a mim no apoio ao comitê para a proteção dos jornalistas. Porque vamos precisar deles daqui por diante. E eles vão precisar de nos para salvaguardar a verdade. Só mais uma coisa. Certa vez, eu estava parada num set de filmagem me queixando de alguma coisa, horas extras, algo assim. Tommy Lee Jones me disse: “Não é um privilégio, Meryl, simplesmente ser ator?”. Sim, é mesmo. E precisamos recordar uns aos outros sobre o privilégio e a responsabilidade do ato da empatia. Devemos estar orgulhosos do trabalho que Hollywood homenageia nesta noite. Como minha querida amiga, a recém-falecida Princesa Leia, me disse certa vez: “Pegue seu coração partido e o transforme em arte”. Obrigada.” (Meryl Streep)


Podemos traçar um resumo até agora. Praticamente todos os discursos são sobre superação. Em acreditar que o sonho é possível e que se não desistirmos, um dia chegamos lá e ganhamos um Golden Globe. Vamos que vamos! Captei a mensagem!


Melhor série dramática

“The Crown”
“Game of Thrones”
“Stranger Things”
“This Is Us”
“Westworld”

Melhor série de comédia ou musical

“Atlanta”
“Black-ish”
“Mozart in the jungle”
“Transparent”
“Veep”

Melhor minissérie ou telefilme

“American Crime”
“The Dresser”
“The Night Manager”
“The Night Of”
“The People vs. OJ Simpson”

Melhor atriz em série dramática

Caitriona Balfe, “Outlander”
Claire Foy, “The Crown”
Keri Russell, “The Americans”
Winona Ryder, “Stranger Things”
Evan Rachel Wood, “Westworld”

Quem leva o prêmio de Melhor Atriz em Série Dramática: Winona Ryder, “Stranger Things” ou Evan Rachel Wood, “Westworld”? Vocês sabiam que o próprio Golden Globe deu a dica né? Evan Rachel Wood na cabeça! Sem defeitos! Entendedores entenderão.

Errei feio. Melhor atriz em série dramática: Claire Foy, por “The Crown”. Netflix ganha, desnorteia o esperado e o prêmio fica com a Rainha!

Melhor ator em série dramática

Rami Malek, “Mr. Robot”
Bob Odenkirk, “Better Call Saul”
Matthew Reese, “The Americans”
Liev Schreiber, “Ray Donovan”
Billy Bob Thornton, “Goliath”

E para Melhor Ator em Série Dramática, Billy Bob Thornton, “Goliath”, desbancando o favoritismo de Rami Malek por “Mr. Robot”.

“Advogados têm que ser ótimos atores para convencer o júri. E atores para convencer a audiência”, de Billy Bob Thornton, em “Goliath” para Filippo Pitanga e Claudio Marmorosch.

Melhor ator em série de comédia

Anthony Anderson, “Black-ish”
Gael Garcia Bernal, “Mozart in the Jungle”
Donald Glover, “Atlanta”
Nick Nolte, “Graves”
Jeffrey Tambor, “Transparent”

Melhor atriz em série de comédia ou musical

Rachel Bloom, “Crazy Ex-Girlfriend”
Julia Louis-Dreyfus, “Veep”
Sarah Jessica Parker, “Divorce”
Gina Rodriguez, “Jane, The Virgin”
Tracy Ellis Ross, “Black-ish”

Melhor atriz em série de comédia ou musical. Tracy Ellis Ross, por “Black-ish”. Merecido.

Melhor ator em minissérie ou telefilme

Riz Ahmed. por “The Night Of”
Bryan Cranston, por “All the Way”
John Turturro, por “The Night Of”
Tom Hiddleston, por “Night Manager”
Courtney B. Vance, por “People v. OJ Simpson”

Melhor ator em minissérie ou telefilme: Tom Hiddleston, por “Night Manager”. Que discurso!

Melhor atriz em minissérie ou telefilme

Felicity Huffman, “American Crime”
Riley Keough, “Girlfriend Experience”
Sarah Paulson, “People v. OJ Simpson: American crime story”
Charlotte Rampling
Kerry Washington

Aposta e torcida para Melhor atriz em minissérie ou telefilme. Para Riley Keough, ” The Girlfriend Experience”. Aguardando uma de minhas séries favoritas sair premiada.

Melhor atriz em minissérie ou telefilme. Não foi a minha. Mas esta aqui também vale à pena. Parabéns, Sarah Paulson, por “People v. OJ Simpson: American crime story”.

Melhor atriz coadjuvante em série, minissérie ou telefilme

Olivia Colman, “The Night Manager”
Lena Headey, “Game of Thrones”
Mandy Moore, “This Is Us”
Chrissy Metz, “This Is Us”
Thandie Newton, “Westworld”

Melhor ator coadjuvante em série, minissérie ou telefilme

Sterling K. Brown, “People v. OJ Simpson: American crime story”
Hugh Laurie, “The Night Manager”,
John Lithgow, “The Crown”
Christian Slater, “Mr. Robot”
John Travolta, “People v. OJ Simpson: American crime story”

House in the House. Melhor ator coadjuvante em série, minissérie ou telefilme: Hugh Laurie, por “The Night Manager”. E no discurso em seu humor típico, sarcástico e afiado.


E o Tonight Show com Jimmy Fallon acabou. Ops, o Globo de Ouro 2017. Sorry Guys! Risos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *