Contagion

Editorial da Semana | 19 de março de 2020

Estreias e Dicas desta quinta-feira

Por Redação

Pela primeira vez na história do cinema, não teremos nenhuma estreia sequer para assistir nos cinemas. Sim, o Coronavírus, que alastrou em pouquíssimo tempo e desencadeou uma pandemia. O Mundo parou. Literalmente. A humanidade está ilhada em casa com medo do contato social. A quarentena pode proteger do contágio, mas também desperta o pânico, desmascarando o próprio ser humano enquanto indivíduo social. Uma paranoia antissocial nivela classes sociais (ricos e pobres no mesmo nível – há quem diga que esta é uma epidemia do primeiro grupo) e impede deslocamentos geográficos. O que começou na China, com reverberações durante o Festival de Berlim deste ano, espalhou-se como “massa” pelos italianos. E assim, aconteceu um colapso geral.

O que parecia ser apenas “fantasia” e uma “ficção” do mundo cinematográfico de Hollywood tornou-se uma realidade, estranha, e desesperada, expondo fragilidades dos sistemas de saúde e a necessidade de que nós e nossos próximos precisamos rever urgentemente o sentido da própria de como se viver. A existência gerou no agora os inúmeros filmes de catástrofe e de eminente fim do mundo.

O apocalipse “copiou” por exemplo “Contágio”, de Steven Soderbergh. Sim, é bizarro acreditar que isto esteja acontecendo. E nos dias atuais contemporâneos, repete-se o medo da gripe  espanhola Influenza. Pois é, a consequência foi o “cancelamento” do mundo e a imposição obrigatória (e mais acertada) de se ficar em casa. Sem contatos físicos e sem saídas desnecessárias.

Teatros, cinemas, escolas, shopping, universidades, restaurantes, entre outros, foram fechados. O que fazer então? Em casa e sem cinema? Redes sociais e canais de streaming. Netflix, Amazon, Apple TV+, Globo Play… E não podemos deixar de mencionar os “filmes brindes” liberados (sem custo e de graça, a fim de suavizar os efeitos do tédio, que adentra sexta-feira agora no equinócio de outono, definido como o instante em que o Sol, em sua órbita aparente, cruza o equador celeste).

Nosso site não parou. Mas aproveitou a “prisão social” para estudar. Reviu o seriado original “Berlin Alexanderplatz” (1980), de Rainer Werner Fassbinder (com o intuito de ajudar a finalização da crítica da nova versão filme homônimo exibido no Festival de Berlim e dirigido por Burhan Qurbani – e muito bem servido com o livro “A Anarquia da Fantasia” do próprio Fassbinder). A maratona seguiu com todos os longas-metragens do realizador argentino Marco Berger; com o ótimo seriado da Netflix “I am not okay with this”. Revemos também a comédia cult inglesa “Monty Python” (e nos demos conta de como há os Irmãos Lumière como referência); o terrível filme “Jonas”, de Christophe Charrier; o igualmente ruim o seriado “Era uma Segunda Vez”. Finalizando com o interessante “Os Heróis do Mal”, de Zoe Berriatúa (e produção de Álex de la Iglesia, de “O Bar”) e com a segunda temporada irretocável de “Insatiable”.

Aguarde que listas do que assistir, matérias especiais, estudos sobre cinema. E enquanto isso, assista nosso curta-metragem da semana.

CURTA-METRAGEM DA SEMANA

A CABRA (The Goat, 1921). Direção de Buster Keaton | Malcolm St. Clair. Com Buster Keaton | Virginia Fox | Joe Roberts | Malcolm St. Clair | Edward F. Cline | Jean C. Havez | Joe Keaton | Louise Keaton | Myra Keaton. Assista AQUI!

Editorial da Semana | 19 de março de 2020

Anuncie no Vertentes do Cinema

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *