Testemunhas de Putin

Por Vitor Velloso

Durante o É Tudo Verdade 2019


A partir do interior de determinadas personalidades, somos capazes de enxergar o que está atrás da máscara, ou parte disso. Demagogos são figuras curiosas não só em um cenário político, mas também de uma construção de persona bastante peculiar na sociedade, por isso, atraem a atenção de diversas pessoas a compreenderem o fenômeno que concretiza a potência dos mesmos, enquanto ícones maiores que ideologias e questões gerais. Putin é sem dúvida um acontecimento na história do século XXI, parece datado, mas busca determinadas mudanças no cenário político e econômico que impactam o mundo inteiro, com suas nacionalizações etc. Ao mesmo tempo é imagem central no debate à moralismos arcaicos que regeram o século XX.

“Testemunhas de Putin”, de Vitaly Mansky teve a oportunidade de trabalhar diretamente com o presidente durante o início dos anos 2000, em sua primeira eleição, logo após ser nomeado presidente com a renúncia de Boris Iéltsin, por isso possui um acervo de imagens de Putin, bastante… único. Com sua câmera caseira, Mansky constrói uma imagem bastante íntima do político, acompanhando ele durante seu movimento inicial para campanha presidencial, momentos mais amenos, como uma viagem de carro que ele revela sentir falta de poder soltar do carro e pedir uma cerveja em seu sossego.

O material possui uma quantidade interessante de fragmentos, que somados aos trechos com Iéltsin, desenha de maneira precisa os bastidores daquela virada de século com mudanças radicais na Rússia. Ao mesmo tempo gera um desafio ao cineasta, encontrar dentro daquela estética, a partir de questões formais e temáticas, uma construção que ampare os verdadeiros desejos da produção. Neste quesito o longa cai em algumas armadilhas, como os excessos de intervenção com voiceover que o diretor utiliza. Mas além disso encontrar dentro destas filmagens, aquilo que pode acrescentar diretamente na construção da imagem das duas personalidades, principalmente Putin, mas acima de tudo, e acima de tudo, no processo criativo da realização do documentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados