O Quarto Dia

por Vitor Velloso


O dia começou com o debate sobre “Traga-me a cabeça de Carmem M.” de Catarina Wallenstein e Felipe Bragança (leia a crítica clicando no nome do filme). O filme em si já gerou algumas opiniões divergentes, desta maneira, esperávamos algumas provocações por parte do público. Após uma breve conversa entre a crítica convidada Ella Bittencourt e o diretor, algumas questões acerca da atriz as perguntas foram abertas a todos que estavam presentes, logo na segunda fala a diretora do curta “Lui” Denise Kelm, questionou Felipe sobre o lugar das trans em seu filme, algumas faíscas foram trocadas e o clima esquentou, após cerca de cinco minutos a discussão se encerrou. O tema é delicado e ali tínhamos uma minoria e o diretor entrando no debate, diversos argumentos levantados pelos dois eram válidos. As divergências políticas sobre certas questões eram claras, porém, de fato, Denise levantou uma questão muito importante para o cinema, ainda que não se aplicasse completamente na obra.

Logo em seguida aconteceu um debate sobre “Inferninho” de Guto Parente e Pedro Diógenes, onde a mesma questão também foi levantada, desta vez a conversa aconteceu de maneira mais amigável e todos chegaram a um consenso. Mais tarde aconteceu a sessão de “Superpina” de Jean Santos e “Seus Ossos e Seus Olhos” de Caetano Gotardo. Às 21h, exibição de diversos curtas da Mostra Curtas na Praça, incluindo o viral “Preciso Dizer que Te Amo” de Ariel Nobre. E para encerrar a noite Mostra Foco Série 1 no Cine-Tenda. E 00h30 teve o show de Di Souza, pra sacudir a galera no lounge. Haverá crítica de “Superpina” e “Seus Ossos e Seus Olhos”, em breve no site. Assim como no dia anterior, a matéria diária é mais enxugada por ter tido exibição de vários filmes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados