Mostra vai exibir todos os filmes desses dois premiados cineastas portugueses. São sete longas e oito curta-metragens, entre ficções, documentários e animações


A CAIXA Cultural Rio de Janeiro recebe, de 15 a 27 de janeiro de 2019 (terça-feira a domingo), a retrospectiva Lembrando Joaquim Pinto e Nuno Leonel, com a exibição de todos os filmes desses dois premiados cineastas portugueses. São sete longas e oito curtas-metragens, entre ficções, documentários e animações. A abertura contará com palestra do curador da mostra, o cineasta, crítico cinematográfico e jornalista Aristeu Araújo. O projeto tem patrocínio da CAIXA e do Governo Federal.

Joaquim Pinto e Nuno Leonel são figuras conhecidas no cinema português desde os anos 1980. Antes de assinar seus próprios filmes, Joaquim foi engenheiro de som em obras de nomes como Manoel de Oliveira, Raul Ruiz, Werner Schroeter e André Techiné. Já Nuno começou a sua carreira no cinema aos 16 anos, passando por funções como animador, operador de máquina de trucagem e assistente de décors. Desde 1997, quando se tornaram um casal, praticamente todos os filmes de Joaquim e Nuno foram feitos em conjunto. A retrospectiva vai exibir tanto as obras realizadas em parceria quanto as assinadas por apenas um deles.

“A mostra é um movimento de aproximação necessário a esses filmes tão singulares e um ato de justiça a uma dupla de cineastas que precisa ser posta à luz do grande público”, afirma Aristeu Araújo. Os realizadores começaram a ser mais conhecidos no Brasil com o documentário autobiográfico E agora? Lembra-me? (2013), de Joaquim. Vencedor de prêmios como o Especial do Júri no Festival de Locarno, na Suíça, e o Melhor Longa no DocLisboa, em Portugal, o filme acompanha o tratamento experimental para o HIV ao qual o cineasta se submeteu durante um ano.


Atividade Extra

15/01 – 19h

Palestra sobre os cineastas Joaquim Pinto e Nuno Leonel ministrada pelo curador Aristeu Araújo. A atividade contará com a participação de Joaquim Pinto e Nuno Leonel em vídeo exclusivo. A entrada é gratuita.


Joaquim Pinto

Joaquim Pinto nasceu no Porto, em 1957. Antes de dirigir os próprios filmes, ele trabalhou como engenheiro de som em mais de 100 filmes, de nomes como Manoel de Oliveira, Raul Ruiz, Werner Schroeter e André Techiné. Entre 1987 e 1996, Joaquim também produziu cerca de 30 títulos, como Recordações da casa amarela e A comédia de Deus, ambos de João César Monteiro. A estreia na direção veio com Uma pedra no bolso (1987), considerado como um dos filmes de maior vigor daquela década.


Nuno Leonel

Nuno Leonel nasceu em Lisboa, em 1969. Ele não teve uma formação acadêmica em escolas de cinema ou de arte, mas aos 16 anos já atuava na área. Nuno trabalhou como animador, operador de máquina de trucagem, assistente de décors, técnico e montador de som, eletricista, ator, maquinista, diretor de fotografia e realizador. Como diretor solo, o cineasta sempre preferiu animações, como Santa Maria (1989) e a Schizophrenia (1995). Ele voltaria ao formato apenas em 2007, com Porca miséria, já realizado em parceria com Joaquim.


Sobre o curador

Aristeu Araújo é cineasta, crítico cinematográfico e jornalista. Diretor de sete curtas-metragens, Araújo editou a revista Moviola de 2007 a 2013. Em 2011, ele organizou o catálogo e mediou os debates da mostra Wim Wenders – Imagens que obedecem, realizada pela CAIXA Cultural. Junto ao Sesc Paço da Liberdade, um centro cultural de Curitiba (PR), Araújo realizou mostras como a Novos repertórios, com longas brasileiros e debates com realizadores.


Ainda na capital paranaense, ele realizou as mostras Rogério Sganzerla, Itinerância Curta cinema, Itinerância Live cinema. Junto à CAIXA Cultural, Araújo realizou as mostras Ser tão pop – O novo cinema de sertão, em 2014,Autorretratos – Documentários autobiográficos, em 2015 e 2018, e Cinema em Cuba nos anos 2000, em 2017. Sócio da produtora Haver Filmes, ele também foi produtor do Festival de Cinema da Bienal Internacional de Curitiba em 2015.


Programação Completa


15 de janeiro (terça-feira)
16h50 – Rabo de peixe (2015), de Nuno Leonel e Joaquim Pinto, Portugal, 103′, Digital, 12 anos
19h – Palestra sobre os cineastas Joaquim Pinto e Nuno Leonel ministrada pelo curador Aristeu Araújo. A atividade contará com a participação de Joaquim Pinto e Nuno Leonel em vídeo exclusivo. Entrada gratuita.

16 de janeiro (quarta-feira)
15h30 – O Novo Testamento de Jesus Cristo Segundo João (2013), de Joaquim Pinto e Nuno Leonel, Portugal, 129’, Digital, Livre
18h – E agora? Lembra-me (2013), de Joaquim Pinto, Portugal, 164’, Digital, 18 anos

17 de janeiro (quinta-feira)
17h – Uma pedra no bolso (1988), de Joaquim Pinto, Portugal, 91′, Digital, 12 anos
19h – Fim de citação (2013), de Joaquim Pinto e Nuno Leonel, Portugal, 89′, Digital, 12 anos

18 de janeiro (sexta-feira)
16h10 – Sessão de curtas-metragens: Porca miséria (2007), de Joaquim Pinto e Nuno Leonel, Portugal, 4′, Digital, 10 anos; Sol menor (2007), de Joaquim Pinto e Nuno Leonel, Portugal, 6′, Digital, 12 anos; Santa Maria (1992), de Nuno Leonel, Portugal, 7′, 35mm, 14 anos; Para cá dos montes (1993), de Joaquim Pinto, Portugal, 24′, Digital, 14 anos; Schizophenia (1995), de Nuno Leonel, Portugal, 16′, 35mm, 12 anos
17h30 – Das tripas coração (1992), de Joaquim Pinto, Portugal/França, 67′, 35mm, 12 anos
19h – Onde bate o sol (1989), de Joaquim Pinto, Portugal, 88′, 35mm, 12 anos

19 de janeiro (sábado)
15h50 – E agora? Lembra-me (2013), de Joaquim Pinto, Portugal, 164’, Digital, 18 anos
19h – Das tripas coração (1992), de Joaquim Pinto, Portugal/França, 67′, 35mm, 12 anos

20 de janeiro (domingo)
14:50 – Sessão de curtas-metragens: Porca miséria (2007), de Joaquim Pinto e Nuno Leonel, Portugal, 4′, Digital, 10 anos; Sol menor (2007), de Joaquim Pinto e Nuno Leonel, Portugal, 6′, Digital, 12 anos; Santa Maria (1992), de Nuno Leonel, Portugal, 7′, 35mm, 14 anos; Para cá dos montes (1993), de Joaquim Pinto, Portugal, 24′, Digital, 14 anos;Schizophenia (1995), de Nuno Leonel, Portugal, 16′, 35mm, 12 anos
16h10 – Onde bate o sol (1989), de Joaquim Pinto, Portugal, 88′, 35mm, 12 anos
18h – Uma pedra no bolso (1988), de Joaquim Pinto, Portugal, 91′, Digital, 12 anos

22 de janeiro (terça-feira)
15h50 – Sessão de curtas-metragens: Porca miséria (2007), de Joaquim Pinto e Nuno Leonel, Portugal, 4′, Digital, 10 anos; Sol menor (2007), de Joaquim Pinto e Nuno Leonel, Portugal, 6′, Digital, 12 anos; Santa Maria (1992), de Nuno Leonel, Portugal, 7′, 35mm, 14 anos; Para cá dos montes (1993), de Joaquim Pinto, Portugal, 24′, Digital, 14 anos;Schizophenia (1995), de Nuno Leonel, Portugal, 16′, 35mm, 12 anos
17h10 – Onde bate o sol (1989), de Joaquim Pinto, Portugal, 88′, 35mm, 12 anos
19h – Das tripas coração (1992), de Joaquim Pinto, Portugal/França, 67′, 35mm, 12 anos

23 de janeiro (quarta-feira)
17h10 – Fim de citação (2013), de Joaquim Pinto e Nuno Leonel, Portugal, 89′, Digital, 12 anos
19h00 – Rabo de peixe (2015), de Nuno Leonel e Joaquim Pinto, Portugal, 103′, Digital, 12 anos

24 de janeiro (quinta-feira)
15h – Trilogia Carioca: Com cuspe e jeito se bota no cu do sujeito (1997), de Joaquim Pinto, Nuno Leonel e António Seabra, Portugal, 21′, Digital, 12 anos; Entrevista com Yvonne Bezerra de Mello (1997), de Joaquim Pinto e Nuno Leonel, Portugal, 33′, Digital, 12 anos; Surfavela (1996), de Joaquim Pinto e Nuno Leonel, Portugal, 39′, Digital, 12 anos
18h40 – O Novo Testamento de Jesus Cristo Segundo João (2013), de Joaquim Pinto e Nuno Leonel, Portugal, 129’, Digital, Livre

25 de janeiro (sexta-feira)
15h50 – E agora? Lembra-me (2013), de Joaquim Pinto, Portugal, 164’, Digital, 18 anos
19h – Uma pedra no bolso (1988), de Joaquim Pinto, Portugal, 91′, Digital, 12 anos

26 de janeiro (sábado)
14h50 – Rabo de peixe (2015), de Nuno Leonel e Joaquim Pinto, Portugal, 103′, Digital, 12 anos
17h – Trilogia Carioca: Com cuspe e jeito se bota no cu do sujeito (1997), de Joaquim Pinto, Nuno Leonel e António Seabra, Portugal, 21′, Digital, 12 anos; Entrevista com Yvonne Bezerra de Mello (1997), de Joaquim Pinto e Nuno Leonel, Portugal, 33′, Digital, 12 anos; Surfavela (1996), de Joaquim Pinto e Nuno Leonel, Portugal, 39′, Digital, 12 anos
19h – Fim de citação (2013), de Joaquim Pinto e Nuno Leonel, Portugal, 89′, Digital, 12 anos

27 de janeiro (domingo)
15h30 – O Novo Testamento de Jesus Cristo Segundo João (2013), de Joaquim Pinto e Nuno Leonel, Portugal, 129’, Digital, Livre
18h – Trilogia Carioca: Com cuspe e jeito se bota no cu do sujeito (1997), de Joaquim Pinto, Nuno Leonel e António Seabra, Portugal, 21′, Digital, 12 anos; Entrevista com Yvonne Bezerra de Mello (1997), de Joaquim Pinto e Nuno Leonel, Portugal, 33′, Digital, 12 anos; Surfavela (1996), de Joaquim Pinto e Nuno Leonel, Portugal, 39′, Digital, 12 anos


Serviço


Mostra Lembrando Joaquim Pinto e Nuno Leonel
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 1 (Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro – Metrô e VLT: Estação Carioca)
Data: de 15 a 27 de janeiro de 2019 (terça-feira a domingo)
Horários: Consultar programação
Informações: (21) 3980-3815
Ingressos: R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes CAIXA pagam meia
Bilheteria: terça-feira a domingo, das 13h às 20h
Duração: Consultar programação
Classificação Indicativa: Consultar programação
Capacidade: Cinema 1: 78 lugares (mais 3 para cadeirantes)
Acesso para pessoas com deficiência
Patrocínio: CAIXA e Governo Federal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados