A Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro

Por Fabricio Duque


O Centro cultural é reconhecido internacionalmente, principalmente por seu acervo cinematográfico, que foi aumentado pelo apoio do Estação. A curadoria é do Jornalista Ricardo Cota, que sente na pele as dificuldades para manter o local funcionando e realizar uma programação diversa e multi-cultural. É um ato de resistência ajudado pela paixão incondicional do historiador Hernani Heffner. E na entrevista exclusiva ao Vertentes do Cinema, disse que em certos momentos, todo o engessamento, causa confusão e desânimo. Nosso site participa com o Cineclube Clássicos, já exibindo “O Demônio das Onze Horas”, de Jean-Luc Godard (no foco França) e “Os Boas Vidas” (foco Itália), de Federico Fellini.ENTRADA FRANCA.


Inhotim Arte Presente

De janeiro a julho de 2019 a Cinemateca apresentará em parceria com o Canal Curta, a produtora Camisa Listrada e o cineasta Pedro Urano todos os episódios das séries Inhotim e Inhotim Arte Presente. Os diferentes documentários investigam a multiplicidade de linguagens artísticas contemporâneas a partir do Inhotim, ambicioso projeto que reúne instituição de arte e jardim botânico no interior de Minas Gerais. Articulando a experiênca singular do lugar a visitas aos estúdios de grandes nomes da produção contemporânea, a decalogia Inhotim Arte Presente revela a complexidade da arte de nosso tempo e sua perspectiva sobre a atualidade. Os artistas desta série são Giuseppe Penone, Matthew Barney, Tunga, Cildo Meireles, Olafur Eliasson, Claudia Andujar, Chris Burden, Miguel Rio Branco, Rirkrit Tiravanija, Jorge Macchi, Jochen Volz, Allan Schwartzman, Gianfranco Maraniello, Davi Kopenawa e outros. Já os episódios de Inhotim, que serão exibidos ao final do ciclo, abordam a instituição e o espaço em que se insere o projeto.


Compromisso – O Cinema de Cristian Mungiu

Maior nome da história do cinema romeno e grande expoente da chamada Nouvelle Vague Romena, Cristian Mungiu estudou cinema em Bucareste nos anos 1990 e lançou-se no longa metragem com a virada do milênio. Integrante de uma geração que procura entender as consequências do fim do comunismo e da passagem a uma nova economia e sociedade globalizadas, desenvolve intensos dramas humanos em suas fabulações de um país que ainda guarda traços medievais em seus costumes e paisagem atuais. Responsável pela internacionalização do cinema romeno, Mungiu é um dos poucos cineastas da atualidade que investiga a diáspora e a sedução da migração para países mais ricos de um ponto de vista de quem fica e se pergunta quanto ao destino da antiga nação. Outro de seus temas recorrentes é o esgarçamento da solidariedade em emio às transformações por que passa o país. Nação cheia de paradoxos, a começar pela origem linguística latina incrustrada em tradições mais próximas das culturas eslavas, a Romênia exibe um dos cinemas mais criativos da atualidade, mesmo com um circuito mínimo de salas de exibição e parcos recursos financeiros e de produção. O próprio Mungiu, quando ganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes por 4 meses, 3 semanas e 2 dias alugou equipamento de projeção na Alemanha para exibir a obra premiada de forma itinerante para a população romena.


Em Cartaz

Produzido pela Araruna Filmes e RB6 Produções, O Corpo em terapia – Sete passos para um autoconhecimento é um dos documentários brasileiros mais premiados dos últimos anos, tendo conquistados os prêmios de melhor filme e direção no Los Angeles Independent Fim Festival e no Hollywood International Moving Pictures Awards, entre outros eventos de que participou. Rodado de forma independente e a baixíssimo custo no Brasil e no México, trata do tema de saúde mental, emocional e espiritual. Narra o processo terapêutico de três pacientes diferentes através da cura pela expressão corporal e da psicologia transpessoal.


Cineclube

Um novo cineclube começa suas atividades neste mês de janeiro. Trata-se do Retrolâmpago de Amor Visual, concebido e realizado pelo preservador audiovisual e pesquisador Igor Pontes Andrade. A sessões mensais serão dedicadas ao universo do cinema silencioso, em particular à produção corrente dos estados Unidos entre fins do século XIX e o advento do cinema sonoro. A proposta prevê sessões com acompanhamento musical tradicional e inovador, assim como debates, palestras e apresentações, envolvendo o filme silencioso de um ponto de vista estético, histórico, técnico e cultural.


Curso e Sessão comentada: Charles Chaplin

A cineasta e pesquisadora Julhia Quadros ministrará um pequeno curso gratuito sobre uma de suas maiores paixões e objetos de estudo, o cineasta, ator, músico e personalidade Charles Chaplin. Explorando as origens da arte chapliniana no music-hall inglês e passando pelo aprendizado do slapstick cinematográfico com Mack Sennett & Cia, já nos Estados Unidos, o curso abordará ainda as obras de maturidade do cineasta, culminando com a sessão comentada de sua magnus opus, Luzes da Cidade. As sessões comentadas se tornarão uma série regular na Cinemateca a partir deste mês.


Última chance

Os materiais fílmicos de base fotoquímica passam por inúmeros processos de deterioração que comprometem sua sobrevivência e uso. Um desses processos, conhecido como “síndrome do vinagre”, acomete películas com base de acetato e compromete sua estabilidade, dimensionalidade, cor, contraste e no limite a própria impressão fotográfica de imagem e som. Em estágio inicial ainda é possível exibir cópias “avinagradas”, mas o caminhar do processo pode produzir marcas que alteram o registro original e finalmente comprometer seu uso. Em tempos recentes alguns arquivos de filmes ao redor do mundo tem exibido cópias no limite do comprometimento físico do material, sem que a obra em si esteja comprometida, pela existência de outros materiais, como os negativos e outras cópias, seja para permitir uma última apreciação de uma obra muito rara em termos de circulação, seja para promover um conhecimento do processo pelo púbico em geral, e ainda para talvez suscitar uma nova forma de apreciação, já que por vezes as alterações promovem resultados esteticamente diferenciados, um campo crescentemente explorado pela cinema experimental contemporâneo, interessado na idéias de “ruína”, “decadência” e similares. Dando início a uma série que de tempos em tempos vai apresentar materiais comprometidos, a Cinemateca apresenta a rara versão Moroder do clássico Metropolis, dirigido por Fritz Lang. Esta versão se distinguiu por uma nova trilha musical, com canções pop e de rock, incluindo uma especialmente composta por Freddie Mercury. A cópia apresentada tem sérios comprometimentos quanto à cor e presença de fungos. A exibição da versão Moroder, pode ser confrontada com a última restauração empreendida em 2010 e com um raro experimento, a adaptação de um mangá escrito por Osamu Tezuka, que na impossibilidade de ver o filme original e baseado apenas em um press-book, imaginou o que seria a ficção-científica de Lang.


Programação Completa


qua 2
18h30 – L.U.T.O. – A Nação em luto – Os funeraes do Barão do Rio Branco de Paulino Botelho. Brasil, 1912. Documentário. 10′. + Festas e rituais Bororó de Luis Thomas Reis. Brasil, 1916. Documentário. 30′. + Os funeraes de Ruy Barbosa de Alberto Botelho. Brasil, 1923. Fragmento. Documentário. 10′. + Getúlio, Glória e drama de um povo de Alfredo Palácios. Brasil 1956. Fragmento. Documentário. 5′. + [Enterro de Edson Luís] de José Carlos Avellar. Brasil, 1968. 13′. + Funeral de Pablo Neruda de autor desconhecido. França, 1973. Fragmento. Documentário. 5′. Legendas em espanhol. + Filme surpresa. Brasil, 1977. Documentário. 16′. + O enterro de Marielle de autor desconhecido. Brasil, 2018. Reportagem. 3′. Exibição em 35mm, dvd e MP4 (H264).
Classificação indicativa Livre
Curadoria José Quental

qui 3
18h30 – Compromisso: O Cinema de Cristian Mungiu – Ocidente (Occident) de Christian Mungiu. Romênia, 2002. Com Alexandru Papadopol e Anca Androne. 105′. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264).
Classificação indicativa 14 anos

sex 4
18h30 – Compromisso: O Cinema de Cristian Mungiu – 4 meses, 3 semanas e 2 dias (4 luni, 3 saptamâni si 2 zile) de Christian Mungiu. Romênia, 2007. Com Anamaria Marinca e Laura Vasiliu. 113′. Legendas em português. Exibição em MKV.
Classificação indicativa 14 anos

sab 5
16h – Compromisso: O Cinema de Cristian Mungiu – Além das montanhas (Dupa dealuri) de Christian Mungiu. Romênia/França/Bélgica, 2012. Com Cosmina Stratan e Cristina Flutur. 152′. Legendas em português. Exibição em Bluray.
Classificação indicativa 16 anos

dom 6
16h – Compromisso: O Cinema de Cristian Mungiu – Gradução (Bacalaureat) de Christian Mungiu. Romênia/França/Bélgica, 2016. Com Adrien Titieni e Maria-Victoria Dragus. 128′. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264).
Classificação indicativa 14 anos

seg 7
19h – Em Cartaz – O corpo em terapia – sete passos de um caminho de autoconhecimento de Márcia Paveck. Brasil, 2016. Documentário. 63’. Exibição em DCP.
Classificação indicativa 10 anos.

ter 8
19h – Em Cartaz – O corpo em terapia – sete passos de um caminho de autoconhecimento de Márcia Paveck. Brasil, 2016. Documentário. 63’. Exibição em DCP.
Classificação indicativa 10 anos.

qua 9
19h – Em Cartaz – O corpo em terapia – sete passos de um caminho de autoconhecimento de Márcia Paveck. Brasil, 2016. Documentário. 63’. Exibição em DCP.
Classificação indicativa 10 anos.

qui 10
19h – Em Cartaz – O corpo em terapia – sete passos de um caminho de autoconhecimento de Márcia Paveck. Brasil, 2016. Documentário. 63’. Exibição em DCP.
Classificação indicativa 10 anos.

sex 11
19h – Em Cartaz – O corpo em terapia – sete passos de um caminho de autoconhecimento de Márcia Paveck. Brasil, 2016. Documentário. 63’. Exibição em DCP.
Classificação indicativa 10 anos.

sab 12
16h – Em Cartaz – O corpo em terapia – sete passos de um caminho de autoconhecimento de Márcia Paveck. Brasil, 2016. Documentário. 63’. Exibição em DCP.
Classificação indicativa 10 anos.

dom 13
16h – Em Cartaz – O corpo em terapia – sete passos de um caminho de autoconhecimento de Márcia Paveck. Brasil, 2016. Documentário. 63’. Exibição em DCP.
Classificação indicativa 10 anos.

seg 14
19h – Lançamento DVD – Zé Paulo Becker – Violão, Amigos e Canções de Daniel Lobo. Brasil, 2017. Show Musical. 90′. Exibição em .mov (H264). Sessão seguida de coquetel.
Classificação indicativa Livre

qui 17
18h30 – Sessão Retrolâmpago – A dama misteriosa (The mysterious lady) de Fred Niblo. EUA, 1928. Com Greta Garbo e Conrad Nagel. 96’. Legendas em português. Exibição em DVD. Sessão seguida de roda de conversa.
Classificação indicativa 14 anos
Curadoria Igor Pontes Andrade

sex 18
18h30 – Última chance – Metrópolis (Metropolis) de Fritz Lang. Alemanha, 1927. Versao Moroder (1984). Com Brigitte Helm, Alfred Abel e Gustav Frölich. 83’. Legendas em português. Exibição em 35mm. Cópia em mau estado de conservação.
Classificação indicativa 14 anos.

sab 19
16h – Paralelo – Os olhos sem rosto (Les yeux sans visage) de Georges Franju. França/Itália, 1960. Com Pierre Brasseur, Alida Valli e Juliette Mayniel. 90’. Legendas em português. Exibição em Bluray.
Classificação indicativa 16 anos.

18h – Paralelo – A pele que habito (La piel que habito) de Pedro Almodovar. Espanha, 2011. Com Antonio Banderas, Elena Anaya e Marisa Paredes. 120’. Legendas em português. Exibição em bluray.
Classificação indicativa 16 anos.

dom 20
15h – Paralelo – A cruz dos anos (Make away for tomorrow) de Leo McCarey. EUA, 1937. Com Victor Moore e Beulah Bondi. 92’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264).
Classificação indicativa 10 anos.

17h – Paralelo – Era uma vez em Tóquio (Tokyo monogatari) de Yasujiro Ozu. Japão, 1953. Com Chishu Ryu, Chieko Higashimayama e So Yamamura. 136’. Legendas em português. Exibição em bluray.
Classificação indicativa 10 anos.

seg 21
18h – Curso – Verdades que são ditas brincando: o cinema de Charles Chaplin, ministrado pela cineasta e pesquisadora Julhia Quadros. Comunicação seguida da exibição de Como fazer filmes (How to make movies) de Charles Chaplin. EUA, 1918. Com Albert Austin, Henry Bergman e Charles Chaplin. 16’. Legendas em português. Exibição em DVD com acompanhamento ao piano por Cadu.
Classificação indicativa Livre.

ter 22
18h – Curso – Verdades que são ditas brincando: o cinema de Charles Chaplin, ministrado pela cineasta e pesquisadora Julhia Quadros. Comunicação seguida da exibição de O vagabundo (The vagabond) de Charles Chaplin. EUA, 1916. Com Charles Chaplin, Edna Purviance e Eric Campbell. 34’. Legendas em português. Exibição em DVD.
Classificação indicativa Livre.

qua 23
18h – Curso – Verdades que são ditas brincando: o cinema de Charles Chaplin, ministrado pela cineasta e pesquisadora Julhia Quadros. Comunicação seguida da exibição de Carmen (A burlesque on Carmen) de Charles Chaplin e Leo White (não creditados). EUA, 1915. Com Charles Chaplin, Edna Purviance e Ben Turpin. 31’. Legendas em português. Exibição em DVD.
Classificação indicativa Livre.

qui 24
18h – Curso – Verdades que são ditas brincando: o cinema de Charles Chaplin, ministrado pela cineasta e pesquisadora Julhia Quadros. Comunicação seguida da exibição de Carlitos nas trincheiras (Shoulder arms) de Charles Chaplin (não creditado). EUA, 1918. Com Charles Chaplin, Edna Purviance e Sydney Chaplin. 45’. Legendas em português. Exibição em DVD.
Classificação indicativa Livre.

sex 25
18h – Sessão Comentada – Luzes da cidade (City lights) de Charles Chaplin. EUA, 1930. Com Charles Chaplin e Virginia Cherrill. 87’. Legendas em português. Exibição em bluray. Apresentação comentada do filme pela cineasta e pesquisadora Julhia Quadros.
Classificação indicativa Livre.

sab 26
14h – Anime I – O fantasma do futuro (Kokaku kidotai) de Mamoru Ishii. Japão, 1995. Animação. 83’. Legendas em português. Exibição em bluray.
Classificação indicativa 14 anos.

16h – Anime II – O fantasma do futuro 2: a inocência (Innocence) de Mamoru Ishii. Japão, 2004. Animação. 100’. Legendas em português. Exibição em bluray.
Classificação indicativa 14 anos.

18h – Anime III – Metrópolis (Metoporisu) de Rintaro. Japão, 2001. Animação. 108’. Legendas em português. Exibição em bluray.
Classificação indicativa 10 anos.

dom 27

14h – Clássicos Eternos – Metrópolis (Metropolis) de Fritz Lang. Alemanha, 1927. Versao restaurada (2010). Com Brigitte Helm, Alfred Abel e Gustav Frölich. 148’. Legendas em português. Exibição em bluray.
Classificação indicativa 14 anos.

17h – Inhotim Arte Presente – Cláudia Andujar de Pedro Urano. Brasil, 2016. Documentário. 52’. + Miguel Rio Branco de Pedro Urano. Brasil, 2016. Documentário. 52’. Exibição em mov. (H264). Sessão seguida de roda de conversa.
Classificação indicativa Livre

seg 28
18h30 – Cine Fantástico – Corredores de sangue (Corridors of blood) de Robert Day. Grã-Bretanha/EUA, 1958. Com Boris Karloff, Betta St. John e Christopher Lee. 86’. Legendas em português. Exibição em MP4 (H264).
Classificação indicativa 16 anos.

qui 31
18h30 – Cineclube Golden Swallow – A intrusa de Carlos Hugo Christensen. Brasil, 1980. Com José de Abreu, Maria Zilda e Arlindo Barreto. 100’. Exibição em 16mm. Sessão seguida de roda de conversa.
Classificação indicativa 18 anos
Curadoria Yuri Firmeza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados