Retrato Latino de um moralismo ético

Por Vitor Velloso

Durante o Festival do Rio 2018


Desde os primeiros dez minutos, o espectador compreende não estar assistindo a filme comum. Mortes inusitadas, hipocrisias de uma acidez brutal e um uso de linguagem cômica que possui um caráter político muito peculiar. A trama é de uma caricatura interessantíssima, um advogado, Claudio (Dario Grandinetti), após ser ser ameaçado por um homem armado, presencia uma tentativa de suicídio. Sua atitude será a espinha dorsal da narrativa, ele busca tentar salvar o algoz, frustrado ele leva a esposa em casa e decide abandonar o corpo no deserto. Sua escolha irá guiá-lo em culpa e consequências. O interessante é a postura do diretor Benjamín Naishtat, diante de toda a possibilidade moral, ética, cômica e dramática que essa proposta possui, ele vai por uma direção completamente diferente, usando um humor tipicamente Argentino e uma concentração de críticas diretas aos homens, à questões políticas e sem dúvida o papel do ser humano em uma sociedade constantemente fadada ao caos estrutural.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados