Críticas Relacionadas

Crítica: Petra

Cine Ceará 2018: Peçonha lenta, mas mortal

Crítica: Cabras de Merda

Cine Ceará 2018: Relevância Histórica

Crítica + Conto: O Barco

Cine Ceará 2018: Artesão pictório dos relevos do tempo

Crítica: Diamantino

Da fantasia resignada à realidade surreal

Crítica: Amália, A Secretária

Cine Ceará 2018: A vontade de ser lembrada

Crítica: Anjos de Ipanema

Cine Ceará 2018: Faltou um bom projeto

Crítica 2: Diamantino

Cine Ceará 2018: Esquizofrenia pictórica e naïf

Crítica: Eduardo Galeano Vagamundo

Cine Ceará 2018: Sessão mediúnica coletiva através da arte sentida

Crítica: Senhorita Maria, A Saia da Montanha

Cine Ceará 2018: Ousadia com recompensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados