Premiação do Vertentes do Cinema

E a mostra Cavídeo completa o ciclo de seus vinte e um anos com a mostra que exibiu sete longas-metragens e quatro curtas-metragens. Teve homenagem à bailarina Angel Vianna. Teve homenagem ao veterano cineasta Sergio Ricardo. Com sessões lotadas e cadeiras extras. Um sucesso absoluto! E que venha 21 vezes 21. Será que Cavi Borges aguenta?

Nós do Vertentes do Cinema assistimos toda a seleção e chegamos em um veredicto. Premiamos, assim, respectivamente, “SALTO NO VAZIO” e “OUTONO”.


Justificativas do Troféu Vertentes do Cinema


Melhor Longa-Metragem: “SALTO NO VAZIO”, de Cavi Borges e Patrícia Niedermeier.

Pela liberdade estética. Pelo movimento imagético. Pelo respeito a um cinema que conserva a essência do conceito. Pela sensação de pertencimento ao lidar com as distâncias. Pela epifania etérea. Pela aproximação de uma arte que transcende o próprio existir. “Salto no Vazio” é um presente. Uma oferta. É a representação de cinema que nos representa e onde queremos viver. Pelo salto despretensioso de um moderno discurso silencioso, que não cala, pelo contrário, salva o indivíduo de suas próprias hesitações. Pela oportunidade de saltar sem medo e nunca no escuro.

Melhor Curta-Metragem: “OUTONO”, de Anna Azevedo.

Pela poesia imagética. “Outono” é o melhor curta metragem da Mostra Cavideo 21 anos. Utiliza metalinguagem para explicar a expressão corpórea dos atores nas imagens ora coloridas (passado), ora preto-e-branco (presente) em belas cenas em frente ao mar. Sem diálogos e com poucas frases, a narrativa é visual e nostálgica. O uso metafórico das estações do ano primavera, verão , outono e inverno são figuras representativas das fases da vida: a infância, a vida adulta, a terceira idade e o final do ciclo, transforma o filme num convite para reflexão interna.

  • Que emoção! Que texto lindo!!! Que presente!! Muito feliz!!! Viva o cinema! Viva vertentes do cinema um espaço de paixão e curiosidade acima de todas as fronteiras!!! Vamos numa linha reta na direção de tudo que amamos!! Barco parado não faz viagem! Obrigada ao vertentes! Obrigada fabrico Duque pela paixão e comprometimento!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados