accrj-logo


A mostra Melhores Filmes do Ano 2017, que elege os melhores longas-metragens de 2016, conta com a curadoria da ACCRJ, Associação de Críticos do Rio de Janeiro, filiada a FIPRESCI (Federação Internacional de Crítica de Cinema). Acontece de 18 de janeiro a 6 de fevereiro no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro.

Esta edição, que premiou “ELLE” como melhor filme e “AQUARIUS” como o melhor brasileiro, ao contrário dos habituais dez melhores, optou por escolher doze títulos “dos mais diferentes gêneros e nacionalidades, obras distintas, com olhares singulares, sobre temas diversos e pertinentes na sociedade contemporânea, que foram pouco vistos nas salas e agora ganham uma segunda chance de serem apreciados na telona”.

O título de melhor filme do ano ficou com “Elle“, a obra do cineasta holandês Paul Verhoeven, que concorreu na mostra competitiva principal do Festival de Cannes 2016 e premiado com a estatueta de Melhor Atriz para Isabelle Huppert no último Globo de Ouro.

Já o melhor longa brasileiro ficou com “Aquarius“, do diretor Kleber Mendonça Filho. Junto dele, os veteranos Woody Allen (“Café society“), Quentin Tarantino (“Os oito odiados“), Jafar Panahi (“Taxi Teerã“), Charlie Kaufman (“Anomalisa“), Todd Haynes (“Carol“), Jia Zhang-ke (“As montanhas se separam“), Hong Sang-soo (“Certo agora, errado depois“) e Béla Tarr (“O cavalo de Turim“). As escolhas da ACCRJ também prestigiaram os iniciantes Robert Eggers (“A Bruxa“) e László Nemes (“O Filho de Saul“), que em seus filmes de estreia já conseguiram arrebatar a crítica e o público.


A Mostra Melhores Filmes do Ano concedeu ainda o prêmio de iniciativa cinematográfica para o produtor e diretor Cavi Borges, pelos 20 anos da Cavídeo, que vem fazendo cinema na raça e lançando novos profissionais no mercado, além de trazer de volta mestres que há muito tempo não filmavam. Tudo isso sem patrocínios.

Os homenageados desta edição do evento são os cineastas Abbas Kiarostami e Hector Babenco. A mostra exibe “Cópia Fiel”, de Kiarostami e “Meu Amigo Hindu”, de Babenco. Ainda no campo das homenagens, a ACCRJ publica neste catálogo o texto do cineasta, curador e crítico José Carlos Avellar sobre o filme “As montanhas se separam”. Avellar apontava o longa de Jia Zhang-ke, como o melhor do Festival de Cannes, em 2015.


Os Filmes

Melhores do Ano 2016
Elle  (França, 2016), de Paul Verhoeven. Com Isabelle Huppert, Laurent Lafitte, Anne Consigny, Charles Berling. Drama. 130 min. 14 anos. Melhor Filme do Ano

A Bruxa (The Witch) (EUA, 2015), de Robert Eggers. Com Anya Taylor-Joy, Ellie Grainger, Harvey Scrimshaw, Kate Dickie, Lucas Dawson, Ralph Ineson. Terror. 93 min. 16 anos.
Anomalisa (EUA, 2015), de Charlie Kaufman. Com David Thewlis, Jennifer Jason Leigh, Tom Noonan. Animação. 91 min. 14 anos.
Aquarius (Brasil, 2016), de Kleber Mendonça Filho. Com Sonia Braga, Buda Lira, Fernando Teixeira, Humberto Carrão, Irandhir Santos, Maeve Jinkings. Drama. 145 min. 16 anos.
As Montanhas Se Separam (Shan He Gu Ren) (China, 2015), de Jia Zhang-ke. Com Jing Dong Liang, Tao Zhao, Yi Zhang, Zijian Dong. Romance.  126 min. 12 anos.
Café Society (Cafe Society) (EUA, 2016), de Woody Allen. Com Jesse Eisenberg, Kristen Stewart, Steve Carell, Blake Lively. Comédia Dramática 96 min. 12 anos.
Carol (EUA, 2015), de Todd Haynes. Com Cate Blanchett, Rooney Mara, Sarah Paulson. Drama 120 min. 14 anos
Certo Agora, Errado Antes (Ji-geum-eun-mat-go-geu-ddae-neun-teul-li-da) (Coréia do Sul, 2015), de Hong Sang-soo. Com Jae-yeoung Jung, Kim Min-Hee, Joon- sang Yoo.  Drama. 121 min. 12 anos.
O Cavalo de Turim (A Torinói ló) (Hungria, 2011), de Béla Tarr. Com Erika Bók, János Derzsi, Mihály Kormos, Ricsi.Drama. 146 min. 14 anos.
O Filho de Saul (Saul Fia) (Hungria, 2015), de László Nemes. Com Géza Röhrig, Levente Molnár, Urs Rechn, Todd Charmont, Jerzy Walczak, Marcin Czarnik. Drama 107 min. 14 anos.
Os Oito Odiados (The Hateful Eight) (EUA, 2015), de Quentin Tarantino. Com Jennifer Jason Leigh, Channing Tatum, Samuel L. Jackson, Kurt Russell, Tim Roth. Faroeste. 182 min. 16 anos.
Táxi Teerã (Taxi) (Irã, 2015) de Jafar Panahi. Com Jafar Panahi. Drama. 86 min. 10 anos.


Homenageados

Abbas Kiarostami – exibição de Cópia Fiel (Copie Conforme) (França, 2010), de Abbas Kiarostami. Com Juliette Binoche, Jean-Claude Carrière, William Shimell  112 minutos. 14 anos.
Hector Babenco – Meu Amigo Hindu (Brasil, 2015), de Hector Babenco. Com Willem Dafoe, Maria Fernanda Cândido, Reynaldo Gianecchini, Selton Mello, Bárbara Paz. 124 minutos. 14 anos.


Cavi Borges – Prêmio de iniciativa cinematográfica

A mostra Melhores Filmes do Ano tem opções para diferentes gostos, e todos os filmes e homenagens terão debates reunindo os críticos da ACCRJ (Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro) e convidados de diferentes áreas de atuação. É uma ótima oportunidade para o público colocar suas ideias, conferindo se concorda ou não com os críticos.


Programação Completa

Quarta, 18/1 
- 15h00 Carol (EUA, 2015), de Todd Haynes
17h30 Elle (França, 2016), de Paul Verhoeven.
19h30 Debate com a atriz Bianca Comparato, além dos membros da ACCRJ Ana Rodrigues e Rodrigo Fonseca.

Quinta, 19/1 
- 16h00 Taxi Teerã (Irã, 2015), de Jafar Panahi (86 min)
17h30 O Filho de Saul (Hungria, 2015), de László Nemes.
19h30 Debate com a cineasta Petra Costa, além dos membros da ACCRJ Filippo Pitanga e Ricardo Cota.

Sexta, 20/1 
- 15h00 Certo Agora, Errado Antes (Coréia do Sul, 2015), de Hong Sang-soo.
17h30 As Montanhas se Separam (China, 2015), de Jia Zhang-ke.
19h30 Debate com o cineasta Dodô Azevedo, além dos membros da ACCRJ Gilberto Silva Jr. e Pedro Butcher.
Antes do início do debate, o produtor Cavi Borges receberá o prêmio Iniciativa Cinematográfica 2016 pelos 20 anos da Cavídeo.

Sábado, 21/1 
- 19h Elle (França, 2016), de Paul Verhoeven

Domingo, 22/1 
- 15h Certo Agora, Errado Antes (Coréia do Sul, 2015), de Hong Sang-soo
17h30 O Cavalo de Turim (Hungria, 2011), de Béla Tarr

Segunda, 23/1 
- 14h10 Os Oito Odiados (EUA, 2015), de Quentin Tarantino.
17h40 Café Society (EUA, 2016), de Woody Allen.
19h30 Debate com a cineasta Júlia Rezende, além dos membros da ACCRJ Luiz Fernando Gallego e Marcelo Janot.

Quarta, 25/1 
- 15h00 O Cavalo de Turim (Hungria, 2011), de Béla Tarr
17h40 A Bruxa (EUA, 2015), de Robert Eggers
19h30 Debate com convidados, além dos membros da ACCRJ Carlos Brito e Mario Abbade.

Quinta, 26/1 
- 15h00 Aquarius (Brasil, 2016), de Kleber Mendonça Filho
17h40 Anomalisa (EUA, 2015), de Charlie Kaufman
19h30 Debate com o diretor de animação Andrés Lieban, além dos membros da ACCRJ Leonardo Luiz Ferreira e Ricardo Largman. 
Kleber Mendonça Filho, diretor de “Aquarius”, não pôde confirmar presença, mas, se ele não puder comparecer, outro integrante da equipe do filme estará presente para receber o troféu ACCRJ.

Sexta, 27/1 – 
14h00 O Filho de Saul (Hungria, 2015), de László Nemes.
16h00 A Bruxa (EUA, 2015), de Robert Eggers.
18h00 Os Oito Odiados (EUA, 2015), de Quentin Tarantino

Sábado, 28/1 
- 16h00 Café Society (EUA, 2016), de Woody Allen
18h00 Anomalisa (EUA, 2015), de Charlie Kaufman

Domingo, 29/1 – 
15h30 As Montanhas se Separam (China, 2015), de Jia Zhang-ke
18h Carol (EUA, 2015), de Todd Haynes

Segunda, 30/1 – 16h30 Meu Amigo Hindu (Brasil, 2015), de Hector Babenco
18h30 Cópia Fiel (França, 2010), de Abbas Kiarostami

Quarta, 01/2
 – 16h00 Aquarius (Brasil, 2016), de Kleber Mendonça Filho.
19h00 Taxi Teerã (Irã, 2015) de Jafar Panahi

Quinta, 02/2
 – 16h00 Cópia Fiel (França, 2010), de Abbas Kiarostami
18h00 As Montanhas se Separam (China, 2015), de Jia Zhang-ke

Sexta, 03/2
 – 16h00 Taxi Teerã (Irã, 2015) de Jafar Panahi
18h00 Os Oito Odiados (EUA, 2015), de Quentin Tarantino

Sábado, 04/2
 – 16h00 Anomalisa (EUA, 2015), de Charlie Kaufman
18h00 Café Society (EUA, 2016), de Woody Allen

Domingo, 05/2 – 
16h00 Carol (EUA, 2015), de Todd Haynes
18h30 A Bruxa (EUA, 2015), de Robert Eggers

Segunda, 06/2
 – 16h00 Meu Amigo Hindu (Brasil, 2015), de Hector Babenco
18h30 Cópia Fiel  (Copie Conforme) (França, 2010), de Abbas Kiarostami


Serviço

Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro
Rua Primeiro de Março, 66 – Centro CEP: 20010-000 / Rio de Janeiro (RJ)
(21) 3808-2020
R$10,00 (inteira) R$5,00 (meia)
Funcionamento: de quarta a segunda, das 9h às 21h.

Críticas Relacionadas

Crítica: Elle

O flerte futurista sexual que confronta nossas limitadas percepções

Crítica: Aquarius

A era de Aquarius é agora.

Crítica: Café Society

O Café de Woody Allen Nunca Esfria

Crítica: Os Oito Odiados

Quentin Tarantino prova que descobriu a fórmula do ótimo cinema em seu oitavo filme

Crítica: Taxi Teerã

Um Taxi com cartão de memória

Crítica: Anomalisa

O Estímulo de nossa cognição mental

Crítica: Carol

O talento “extraterrestre” de Cate Blanchett

Crítica: As Montanhas Se Separam

Entre "dumplings", Pet Shop Boys e “mercadoria”

Crítica: Certo Agora, Errado Antes

O mise-en-scène de vidas metalinguísticas

Crítica: O Cavalo de Turim

Uma aula de cinema poético-visual

Crítica: A Bruxa

Prende a atenção mais pelo conteúdo-filosofia que pelos artifícios de manipulação típicos do gênero

Crítica: Filho de Saul

A estética explícita de um diretor iniciante em um filme de gênero ator

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados