Envernizado Por Todo Folclore Que Envolve O Nome 
De Almodóvar
 
Por Pedro Tavares

 

Pedro Almodóvar não faz acepção de gêneros. Ambivalente em segmentos ou obedecendo a regras à risca, em sua filmografia é possível identificar motivações para seguir estruturas exigidas como desafio. Em Os Amantes Passageiros, Almodóvar traz a percepção sobre o momento de crise na Espanha transpassada com bom humor e liberdade através da tripulação e passageiros que viajam ao México. Do batismo nada sútil de “Península”, Cia aérea que oprime e inibe classes distintas à forma de apresentação de personagens – que nada mais faz que criticar a cultura de celebridades e escândalos (que explica a participação de Antonio Banderas e Penélope Cruz), o diretor parece preocupado em manter a aura de filme “menor”, mas sempre corajoso.
Envernizado por todo folclore que envolve o nome de Almodóvar, neste caso, em tom maior, a direção de arte e figurinos, o filme se justifica por argumentos frágeis. Neles há o cunho anárquico e despretensioso – em estrutura, inclusive – para banalizar em diversos tópicos alguns motivos que transparecem a crise espanhola. “Os Amantes Passageiros” é na superfície uma comédia de costumes preso ao deboche direto aos paradigmas da imaginação popular sobre o próprio país. Desta forma é comum a associação do discurso à narrativa, principalmente na forma que o diálogo com a audiência é dado, pois toda verdade exposta não é suficiente para engessar o intuito do diretor.
Pois se Almodóvar encontrou saídas para entreter o público familiarizado com escracho e a sensação vermos um pastiche, todo o lado ilustrativo parece gratuito e de fácil associação, contrário à cartilha que consagrou Almodóvar. Porém, tudo o que está na superfície instiga que Os Amantes Passageiros perdure além de seus 90 minutos. O “gratuito”, então, toma o incômodo ao seu favor, pois da leveza e despretensão, Almodóvar sugere e encoraja o público a imergir em campo desconhecido por boa parte de sua audiência cativa. Só o tempo dirá, mas é provável que o filme mereça revisões e reconsiderações sobre sua reputação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados