A Estrutura do 
Festival de Cannes

Por Fabricio Duque
(de Cannes)

É compreensível o medo e o frio na barriga aos marinheiros de primeira viagem. O primeiro Festival de Cannes a gente não esquece jamais. Um por ser grandioso, e por outro por conter informações demais, é perfeitamente normal o sentimento de “Estou perdido, o que faço agora?”. O novo sempre causa nervosismo. Então, resolvi traçar uma espécie de guia de como se virar no Festival de Cannes desde a chegada.
Registro
Precisa-se comparecer ao setor de Registration, localizado quase ao lado do Casino. Chegue cedo, porque as filas são grandes. Separe o passaporte. A atendente lhe dará o Badge (credencial – “reze” por uma cor “confortável”). Há em escala de importância: branca, rosa com amarelo, rosa, azul, amarela, laranja e verde (branca é a melhor lógico, mas esqueça, se até os “grandes “do Brasil recebem a rosa com amarelo). Com a Badge encaminhe-se ao setor para retirar os livros, a programação de cada dia e a bolsa oficial do Festival de Cannes. Pronto, agora é só partir a próxima etapa. 
Cashier
O jornalista recebe um número para receber todo material do festival. Encaminhe-se à sala de imprensa e pergunte. Faça o cadastro e volte em duas horas para pegar. Quando abrir o armário, haverá programas, livros e inúmeras informações sobre o Festival de Cannes. Importante: escolha a língua que deseja receber – inglês ou francês. 

Escolhendo Filmes e Coletivas


As sessões começam às 8:30 da manhã e vão até as 22:00 horas. Se por algum motivo perder o filme, há outras opções. Chegue cedo sempre. Em alguns casos, perde-se duas horas na fila de entrada (dependendo da cor da credencial). Importante: todos os filmes têm legendas em inglês e francês ao mesmo tempo. Dica: não perca o cinema na praia. 

Alimentação


Fast food é barato e rápido. Mas se desejar um almoço a 15 euros (liberado – free balance), há um restaurante de comida chinesa em frente a um mercadinho de frutas. Na sala de imprensa há gratuitamente café, refrigerante, água sem e com gás. 

Internet Wi-Fi livre, Ilimitada e de Graça


Na sala da imprensa oficial, há a necessidade de levar o computador pessoal. O jornalista receberá uma senha para laptop e outra para o mobile (celular). Já na sala HP de Imprensa, encontra-se computadores com internet muito rápida e telas gigantescas. Porém só há teclado em inglês ou francês. 

Marché Du Film

Mercado de cinema paralelo. Acontece projeções de curta- metragens, reuniões com produtoras e cineastas. Pode-se entrar em contato com distribuidoras de todo o mundo. Uma dica legal é conhecer o stand Cinema do Brasil e procurar brindes. Algumas produtoras fornecem o próprio filme. Uma ótima maneira de aumentar a videoteca independente. 

Acostumando-se Ao Festival de Cannes


É normal permanecer perdido e meio alienado por quatro dias, devido a quantidade de informações, novidades e por desligar a língua portuguesa da mente. Pelos doze dias, só se falará inglês e francês (muito mais). É fato: nos últimos dias já nos encontramos totalmente integrados. O problema é que isto acontece nos últimos dias. Hoje por exemplo bateu saudade só de pensar deixar este corrido festival. 
Para finalizar digo que vale a pena cada investida, cada “porta secreta” descoberta. Então, por hoje é só. Confira as fotos e as outras matérias do Vertentes do Cinema no Festival de Cannes 2013. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados