PERFIL 
BERNARDO BERTOLUCCI
Foto: Olivier Père

Por Fabricio Duque

O diretor italiano nasceu no dia 16 de março de 1941, em Parma. Com quase vinte longas-metragens, apresentando seu mais recente filme “Eu e Você”, foi indicado ao Oscar de Melhor Roteiro Adaptado por “O Conformista” em 1970 e por “O Último Imperador” em 1987, vencendo por este último. É um cineasta que tenta imprimir o realismo de cinema ficcional, experimentando ângulos de câmera e narrativas de temas polêmicos (como assédio, “Assédio”; perda da inocência, “Beleza Roubada”; liberdade sexual metaforizando a revolução de 1968, “Os Sonhadores”; a humanização do budismo, “O Pequeno Buda” e a famosa cena da manteiga, em “O Último Tango em Paris”, escandalizando pela naturalidade empregada, rendendo a indicação de Melhor Diretor no Oscar. Em 1967, escreveu o roteiro de “Era Uma Vez no Oeste”, de Sérgio Leone. Hoje, aos 72 anos, está em uma cadeira de rodas devido a problemas de coluna. “Inicialmente, eu faria ‘Eu e você’ em 3D, mas a demora do processo tornou inviável contar uma história intimista, pois eu precisava de um longo intervalo entre os takes, e isso esfriaria a relação criada na direção dos atores. Ainda que eu não saiba te dizer o que vai ser do futuro do cinema, e nem me interessa. Eu não vivo para o futuro. Eu vivo o momento. O futuro é o instante seguinte. O cinema não transforma nada. Isso eu descobri. “Eu e Você” é o momento em que o menino começa a experimentar a vida. Eu sou um homem deste nosso tempo, aberto ao que ele traz. E eu alcancei isso me cercando de jovens, porque eles levam adiante aquilo que você quer. O que é digno? É ser são? Eu sonho sozinho, como todo mundo. Cinema não muda um país, mas toca um indivíduo”, disse o diretor a Rodrigo Fonseca, do jornal O Globo. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados