Ficha Técnica
Direção: Guy Ritchie
Roteiro: Kieran Mulroney, Michele Mulroney
Elenco: Robert Downey Jr., Noomi Rapace, Jude Law, Stephen Fry, Jared Harris, Stephen Fry
Fotografia: Philippe Rousselot
Música: Hans Zimmer
Direção de arte: James Foster, Nick Gottschalk e Matthew Gray
Figurino: Jenny Beavan
Edição: James Herbert
Produção: Susan Downey, Dan Lin, Joel Silver, Lionel Wigram
Distribuidora: Warner Bros.
Estúdio: Lin Pictures; Silver Pictures
Duração: 129 minutos
País: Estados Unidos
Ano: 2011
COTAÇÃO: BOM
A opinião
É inerente à arte cinematográfica a transformação e a busca de novidades, já que um dos princípios implícitos é o elemento surpresa. Surpreender requer competência, talento e, por que não mencionar, sorte também. Ultimamente, O Brasil adotou um modelo peculiar dos estrangeiros: trazer celebridades a fim de que os filmes possam ser mais “consumidos” pelo público, um trabalho árduo dos marqueteiros de plantão. O sucesso que se arrecada apenas pela presença do astro “tampa” buracos de qualidade técnica, como é o caso do último “Missão Impossível”. No filme em questão aqui, “Sherlock Holmes 2 – O Jogo de Sombras”, os distribuidores apresentaram o ator principal, Robert Downey Jr., em sessão de gala e coletiva de imprensa. Alguns consideram este artifício como um ponto a favor, outros acreditam que a estratégica prejudica o contexto narrativo, devido à prévia manipulação de sucesso incutido, única e exclusivamente, pela figura estrangeira. Busco permanecer no meio termo, não considero positivo, nem negativo, apenas vejo como complemento de campanha. O diretor inglês Guy Ritchie é ex-marido da pop star Madonna, só para constar, não conseguiu o sucesso por esta informação, e sim pela clara e explicita qualidade técnica e competente que imprime em seus filmes, como “Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes”, “Snatch – Porcos e Diamantes”, “Revolver” e “RocknRolla”. É aceitável e permitido o deslize de qualquer cineasta, já que participa da figura humana e todos os humanos não são perfeitos. O exemplo clássico é a homenagem conjugal a Madonna em “Destino Insólito”. Mas vamos ao que interessa. Guy, como todo integrante da Terra da Rainha, levou às telas a sua versão do detetive mais conhecido do mundo. Sherlock Holmes “fornece uma nova roupagem ao personagem cético e lógico que desvenda mistérios e enigmas”, fragmento da opinião (leia o texto completo –> AQUI) deste blog site.
“Uma das características do seu cinema é a realização de um filme de homens para homens. A sujeira, escuridão, bebedeiras, mulheres, cafajestagem, a violência explícita e explicativa das lutas é a sua definição, transmitindo por uma fotografia estilizada quase sépia lembrando um faroeste moderno, porém saudosista másculo (Sherlock ‘sarado’ e prepotente) e caricato, omitindo a fragilidade do ser masculino. Havendo a necessidade de manter-se macho para outros machos, como forma de imposição da competição entre eles de quem é melhor”, complemento. Já na continuação, “Sherlock Holmes 2 – O Jogo de Sombras”, a narrativa conserva a atmosfera da anterior, mas opta por inserir cenas mais verborrágicas e elipses fragmentadas demais. Sem o peso do anterior, o segundo apresenta-se mais comercial, com efeitos especiais já considerados clichês, como referências ao filme “Matrix” e ou aos próprios do cineasta, que desde o início de sua carreira vem definindo seu cinema como um novo gênero a ser seguido (vide “2 Coelhos”, o longa-metragem nacional). O ponto alto, sem sombras de dúvida, é a personificação de detalhes para que assim se possa embasar a ação conseqüente, que alternam cenas em câmera lentíssima com flashes acelerados, ora lembrando sutilmente “Os Miseráveis”, de Victor Hugo. O final manipula, de forma inteligente, surpreende e apela ao mesmo tempo, gerando o absurdo pretendido tanto por quem assiste, quanto pelo que a própria história exige, sendo recheada de humor típico inglês de galhofa, sarcasmo e perspicácia intelectual.
Um ano depois dos acontecimentos de Sherlock Holmes, o príncipe da Áustria é encontrado morto após supostamente cometer suicídio. Entretanto, o famoso detetive britânico, vivido por Robert Downey Jr., acredita que se trata de um plano maligno criado pelo professor Moriarty (Jared Harris), um homem tão inteligente quanto ele. Ao lado de Watson (Jude Law) e da vidente Sim (Noomi Rapace), que possui uma estranha ligação com o príncipe, Holmes tenta desvendar o caso mais difícil de sua carreira. Concluindo, um filme não mais feito de homem para homem, mas sim realizado a fim de agradar gregos e troianos, numa Londres, com ruas sujas e mal iluminadas, repletas de sombras. Recomendo. O filme é baseado na romance policial “O Problema Final”, de Arthur Conan Doyle, mas traz elementos de outras histórias com Sherlock Holmes, como “O Signo dos Quatro”, “O Intérprete Grego”, “O Vale do Medo”, “A Faixa Malhada”, “O Detetive Agonizante”, “Os Planos do Submarino Bruce-Partington” e “A Segunda Mancha”. Os atores Brad Pitt, Gary Oldman, Daniel Day-Lewis, Sean Penn e Javier Bardem tiveram seus cogitados para viver o temível Professor Moriarty, mas o papel acabou nas mãos de Jared Harris. As atrizes Sophie Marceau, Audrey Tautou, Penélope Cruz, Juliette Binoche, Virginie Ledoyen, Eva Green, Marion Cotillard e Cécile De France foram cotadas para viver o personagem Sim, mas quem saiu vencedora foi Noomi Rapace (Os Homens que Não Amavam as Mulheres). Devido à pressa da Warner Bros em realizar Sherlock Holmes – O Jogo de Sombras, o diretor Guy Ritchie teve que desistir de Lobo (2013) e Robert Downey Jr. deixou o elenco de Cowboys & Aliens (2011).
O Diretor
Guy Stuart Ritchie (Hatfield, Hertfordshire, 10 de setembro de 1968) é um diretor de cinema inglês. Ganhou notoriedade quando dirigiu (e escreveu), em 1998, “Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes”, e, em 2000, “Snatch – Porcos e Diamantes”, que conta com Brad Pitt e Benício Del Toro no elenco. Foi casado com a cantora Madonna, com quem teve dois filhos, Rocco e David. O casal anunciou o divórcio no ano de 2008.
Filmografia
1995 – The Hard Case
1998 – Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes
2000 – Snatch – Porcos e Diamantes
2002 – Destino Insólito
2005 – Revolver
2008 – RocknRolla
2009 – Sherlock Holmes
2011 – Sherlock Holmes: Jogo de Sombras
2012 – Excalibur
2013 – Lobo
Bastidores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados