Festival de Cannes 2018: “Lazaro Felice”


Da diretora italiana Alice Rohrwacher (de “As Maravilhas“, “Corpo Celeste”). Ficção. Com Adriano Tardiolo, Tommaso Ragno, Nicoletta Braschi. 125 minutos.


Este é o conto de um encontro entre Lazzaro, um jovem camponês tão bom que muitas vezes é confundido com um ingênuo, e Tancredi, um jovem nobre amaldiçoado por sua imaginação. Vida em sua aldeia pastoral isolada Inviolata é dominada pela terrível Marchesa Alfonsina de Luna, a rainha dos cigarros. Um vínculo leal é selado quando Tancredi pede a Lazzaro para ajudá-lo a orquestrar seu próprio seqüestro. Essa aliança estranha e improvável é uma revelação para Lazzaro. Uma amizade tão preciosa que vai viajar no tempo e transportar Lazzaro em busca de Tancredi. Sua primeira vez na cidade grande, Lazzaro é como um fragmento do passado perdido no mundo moderno.


“My Bitter Land | Lazzaro Felice” integra a mostra competitiva oficial do Festival de Cannes 2018.

Críticas Relacionadas

Crítica: As Maravilhas

Um filme que adormece

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados